Os Ignorantes - Relato de duas iniciações - Étienne Davodeau

“Os Ignorantes” é uma história de não-ficção em formato HQ fascinante! Apesar de não ter tanto conhecimento assim desta parte do universo literário, este é um tipo de leitura que gosto muito de fazer, mas nunca antes tinha lido algo que não fosse de ficção, então além dos personagens estarem se iniciando em alguma coisa – no caso um em HQs e o outro em vinhos – eu também estou. E, como ambos puderam constatar no final de seus caminhos, posso afirmar o mesmo, terminei a leitura com um conhecimento muito maior do que quando comecei. Estou encantada com esta obra de Étienne Davodeau e espero conhecer outros trabalhos do autor em breve.
Neste livro conhecemos e acompanhamos o próprio artista, Étienne Davodeau, autor francês de HQs, que resolve convidar o amigo vinicultor Richard Leroy para uma troca interessantíssima: sua experiência no mundo dos quadrinhos pela de Leroy no universo dos vinhos. O que acontece é que um não sabe absolutamente nada sobre a paixão do outro, então através de uma jornada de aprendizados, ambos vão mergulhar no conhecimento com muita boa vontade.

Durante a leitura acompanhamos os personagens intercalando seus dias durante um ano pelo domínio do outro, então passamos por vinhedos, adegas, papos informais com pessoas da área – tanto vinicultores quanto outros autores –, por gráfica, editora, restaurantes, convenções, entre outros, tudo isso regado a muito vinho e vários quadrinhos.

Ambos os personagens são bem curiosos, e suas dúvidas, que são as mesmas do leitor leigo em pelo menos um dos assuntos, são sanadas com respostas inteligentes e simples pelo outro, então acabamos descobrindo sobre o plantio das videiras, a forma de poda, os cuidados que precisa ter com o terreno, o processo de fermentação, etc., e do outro lado aprendemos sobre principais autores do gênero de quadrinhos, o motivo dos traços serem tão diferentes e com a capacidade de encantar alguns leitores e fazerem outros odiarem, como é o processo de impressão de uma HQ, entre outros.

Só acho que, apesar de encontrar partes das duas iniciações, os relatos sobre a vinicultura ganham muito mais destaque do que o mundo literário, principalmente porque Leroy participa ativamente da produção dos vinhos desde o comecinho até a distribuição. Não que isto seja ruim, pelo contrário, para mim foi ótimo porque eu não sabia absolutamente nada sobre este mundo, mas sabia um pouco sobre o outro, e agora, junto com Davodeau, aprendi bastante! E sempre que for beber vinho com certeza vou me lembrar desta experiência de leitura e de todo o processo que foi necessário para a bebida chegar até mim.

Os autores que nossos protagonistas visitam são bem diferentes entre si no que diz respeito ao seu trabalho como quadrinistas, mas entendemos um pouco mais sobre seus processos de escrita e ilustrações e, apesar de não conhecê-los antes de ler este livro, fiquei maravilhada com as conversas citadas.
Também é interessantíssimo conhecer as vidas dos vinicultores que nos foram apresentados, cada um tem uma história sobre como entrou para esta profissão e gostei muito de poder conhecê-las.

Esta é uma leitura rápida, inclusive por conta de seu formato, que permite pouco texto por quadrinho, mas também porque a narrativa do escritor é simples, envolvente, gostosa e fluida. O texto complementa maravilhosamente as ilustrações, mas também há aqueles quadrinhos em que somente as imagens valem mais do que mil palavras.
Os traços de Étienne, que além de escritor é o ilustrador por trás da obra, é magnífico! Ele traz muita realidade para seus desenhos e pensa seriamente em todos os detalhes, então se você prestar bastante atenção vai perceber tudo o que ele está vendo naquela cena, desde a parte principal, que é o foco, até tudo mais que compõe o cenário, inclusive as expressões faciais bem reais. Eu realmente adorei e ficava analisando todas enquanto ia lendo.

Tanto Davodeau quanto Leroy são apaixonados pelo que fazem, por mais que suas tarefas sejam, em parte, solitárias ou árduas, elas têm a capacidade de fazer as pessoas se aproximarem uma das outras, e podemos sentir a dedicação e o carinho que os dois sentem ao realizá-las e mais ainda com aquela sensação de dever cumprido no final do livro.

Esta edição, lançada recentemente pela WMF Martins Fontes, está sensacional. O livro é em formato grande e tem 19,50 cm X 26,50 cm, as páginas, amarelas, são grossas, todas as ilustrações estão em preto e branco (infelizmente algumas páginas da minha HQ estão com falha de impressão, então o preto saiu claro), como as da capa, que por sinal é linda. A fonte do texto está ótima e grande, e com um bom espaçamento. A única coisa que faltou foram as orelhas, porque eu não gosto de livros sem orelhas, principalmente porque é mais fácil amassar as pontas da capa.
Uma coisa que achei excelente é que, depois do final da história, há uma lista com vinhos e livros citados durante toda a obra, separados por ‘Bebemos’ e ‘Lemos’.

Mesmo que, com o término desta experiência e também da leitura, nem Étienne, Richard, ou o leitor vire um especialista em nenhuma das duas artes, pelo menos agora já fomos introduzidos em ambos os assuntos e com certeza terminamos a leitura mais sábios e ficamos com uma vontade enorme de aprender cada vez mais. Super recomendado!
Avaliação



Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Nossa, realmente o livro é lindo! Não o conhecia e fiquei super curiosa!
    Amei a resenha e as fotos, ficaram perfeitas como sempre!

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir