Outlander #4.1: Os Tambores de Outono - Diana Gabaldon

Desde que comecei a assistir a série de televisão homônima e me viciei em Jamie Fraser, não consegui deixar de ler a série de livros, e, por esse motivo, sempre que é possível embarco em uma dessas leituras, que não são nada pequenas. Agora, depois de ter terminado a primeira parte do quarto volume, venho compartilhar com vocês tudo o que achei. Lembrando que essa é a resenha de um volume adiantado nessa série, por esse motivo pode conter spoilers dos livros anteriores.
Em “Os Tambores de Outono” vemos como Claire e Jamie Fraser estão construindo suas vidas nas colônias da América do Norte em 1767, século XVIII. Embora Claire fique muito feliz em ter reencontrado o seu amado, ela sente muita falta de sua filha, Brianna, que ficou no século XX. Com a ajuda de Jocasta Cameron, tia de Jamie e dona de uma grande propriedade, vemos que eles conseguem se firmar em um local para construírem as suas vidas e têm que aprender a viver com as diferenças deste novo lugar, já que é uma cultura totalmente distinta da que estão acostumados.
Enquanto isso, no futuro, vemos com Brianna Randall se une ao jovem professor de história Roger Wakefield (descendente do clã Mackenzie) para encontrar respostas sobre sua própria origem e saber mais sobre Jamie Fraser, o seu pai biológico que ela nunca conheceu. Com essa união, vemos que eles acabam em um relacionamento no qual um se preocupa bastante com o outro.
Em meio as buscam a respeito do passado, ambos descobrem informações sobre um incêndio que pode ter causado a morte dos pais dela, porém um não conta para o outro, já que ela tem medo de que ele a impeça de tentar ir ajudar os seus pais, e ele tem medo de contar e ela largar tudo e correr perigo para ajudar a salvá-los.
Vemos, então, uma grande aventura do jeito que Diana consegue nos contar, fazendo com que a gente não consiga parar de ler nem por um segundo. Com ação, brigas, conflitos e tudo o que se tem direito, acompanhamos a continuação dessa saga que tanto amamos, e vemos como Jamie continua cada vez mais lindo e amoroso.
O livro, como nos demais volumes, é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Claire, o que é realmente bem legal, já que gosto de acompanhar as suas opiniões e sentimentos, que de alguma forma, me deixam ainda mais próxima da trama, principalmente por ser uma protagonista de quem eu gosto bastante. A obra também tem algumas partes narradas em terceira pessoa, que são aquelas onde a Claire não está presente, ou no futuro, onde acompanhamos mais sobre a sua filha.
Com uma linguagem rápida e fluida, essa história consegue sempre nos cativar com ótimos personagens, que nos fazem torcer por eles em todos os momentos, sendo cada um bem especial do seu jeito de ser. Gostei bastante deste exemplar e não vejo a hora de poder continuar a série e ler a sequência para saber mais sobre os protagonistas que tanto amo, como estão vivendo e o que andam fazendo.





Baile dos Deuses - Trilogia do Círculo #02 - Nora Roberts

Estava procurando alguma coisa para ler que eu tivesse certeza que me faria bem, e são poucos autores que proporcionam esta sensação. Uma que tem funcionado muito bem para mim é a Nora Roberts, pelo menos em todos os romances sobrenaturais dela que eu li. Então embarquei na leitura de Baile dos Deuses, segundo volume da trilogia do círculo da autora.

Neste volume o círculo, composto por seis integrantes (um feiticeiro e uma bruxa, um metamorfo e uma guerreira, uma princesa e um vampiro) corre contra o tempo para vencer o exercito vampiros de Lilith. Para alcançar seu objetivo os integrantes ficam sabendo através da deusa Morrigan que devem ir para outra dimensão em Geall. Para vencer essa guerra eles tem que vencer suas próprias guerras e serem capazes de levar outros consigo, seriam eles capazes de vencer o mal?

O primeiro volume da série é focada no casal Hoyt e Glenna, já este livro embora continue em cima da mesa história é sob a perspectiva de Blair Murphy, a caçadora de vampiros do século XX e seu romance com Larkin, o metamorfo. Blair é uma mulher endurecida por sua história, foi treinada pelo pai para lutar contra criaturas sanguinárias, mas o que marcou sua vida foi o abandono do mesmo. Ao contrário do que deveria não são os vampiros quem ela mais teme, mas sim entregar seu amor para alguém e ser rejeitada.

Larkin é um homem de modos antigos, já que seu mundo é como uma idade média bem organizada. Não esconde seu jeito galanteador, e nem a paixão que descobriu ao passar mais tempo com Blair. É divertido e leve, um bom partido para uma guerreira de coração partido, porque ao contrário dos tradicionais mocinhos ele não quer protegê-la simplesmente, ele quer lutar ao seu lado, e eles de fato forma uma dupla mortal!

Hoyt e Glenna aparecem pouco na trama, uma pena porque gosto muito deles, mas parece que a relação e seus papéis na guerra estão bem delimitados e aceitos por eles. Já Cian, o vampiro e Moira, a princesa ganham mais espaço ao longo da narrativa e imagino que sejam o foco do próximo volume.

É incrível, quando eu penso nos personagem não encontro um que eu não goste, gosto de todos, e não existe aquele momento que queremos que passe logo para saber mais de outro personagem. Roberts tem uma narrativa em terceira pessoa que prende em seus detalhes e fluidez, na sua paixão e profundidade. A impressão que tenho ao ler seus livros é que suas ideias vem a partir de pesquisa e não apenas de criatividade. Eu me sentia na Irlanda, e depois em Geall, tudo parecia rico, vivo e real.

A autora tem a capacidade de trabalhar com sexo sem que ele seja o foco ou fique escrachado, ao contrário ele aparece como mais um elemento na vida dos personagens. Sua ação não demora a desenrolar, assim a angústia tem começo, meio e fim em poucas páginas. Outra característica sua é a modernidade quando ela trabalha com personagens femininas, elas as dota de capacidades, sem o famoso mimi do feminismo, elas são fortes sem perder suas capacidades femininas, elas sangram mas não tem tempo para lamentar sua falta de sorte.


Minha Vida (Não Tão) Perfeita - Sophie Kinsella

Já que Sophie Kinsella é uma das minhas autoras favoritas de toda a vida, sempre que um novo lançamento da mesma chega ao Brasil, saio correndo para começar a ler. E com “Minha Vida (Não Tão) Perfeita” não foi diferente. Assim que tive a oportunidade de ter esse livro em mãos, comecei minha leitura e agora venho compartilhar com vocês tudo o que achei.
Neste volume conhecemos a história de Cat Brenner, uma jovem do interior que foi para Londres atrás de uma vida perfeita, porém as coisas não são bem como ela imaginava. Seu quarto é tão pequeno que todas as suas roupas ficam em uma rede; para chegar ao trabalho ela demora muito tempo e sempre pega o metrô lotado; seu emprego na agência de publicidade é burocrático e chato; e, para completar, seu nome não é nem Cat, é Katie, mas ela queria ter um nome mais glamoroso. Sua amiga de faculdade está nos EUA e parece estar levando uma vida ótima; sua chefe tem a vida dos sonhos, a casa perfeita, o marido e os filhos perfeitos e o emprego perfeito.
Mas, para parecer que a sua vida está ótima, Katie sempre posta fotos no Instagram do que acha legal. Por exemplo, quando passa em frente a um café e a pessoa deixa o copo só um minutinho, ela tira foto dele e monta a sua vida como se tudo o que postasse fizesse parte de sua realidade. Paralelo à sua vida, seu pai e sua madrasta estão querendo abrir um novo negócio. Como ela recebeu uma herança, os dois planejam transformar a fazenda da família em um glamping, uma espécie de camping de luxo, porém eles não sabem bem por onde começar e Katie consegue ajudar os dois. Colocando em prática tudo o que sabe, ela tem várias boas ideias e até mesmo faz um panfleto perfeito com as fontes certas e não vê a hora de mostrar para a sua chefe para que ela possa ver o seu trabalho.
Quando finalmente tem a oportunidade de entregar o seu panfleto para Demeter, sua chefe bem-sucedida, a mesma nem olha direito para o que Katie lhe entregou, e acaba demitindo-a. Agora, nossa protagonista se vê com pouco dinheiro, sem trabalho e com a vida nada perfeita. E não quer contar para o seu pai ou para sua madrasta o que aconteceu, pois tem certeza de que vai conseguir outro emprego antes de realmente precisar contar. Mas, quando sua madrasta lhe convida para ajudá-la no glamping e tirar um período sabático do seu emprego, Katie vê a oportunidade de fazer algo enquanto não arranja outra coisa.
Estava tudo indo muito bem na fazenda, até que ela recebe uma hóspede inesperada: ninguém menos do que sua antiga chefe, a ridícula que lhe demitiu do nada. Agora, Katie vê uma chance de se vingar de tudo o que passou. Porém, nem tudo é o que parece, e vemos que a vida dela dá muitas e muitas voltas.
Curti muito a leitura desse livro, que trouxe uma história deliciosa e fluida. Katie conseguiu me conquistar com o seu bom coração e com o seu jeito de ser. Gostei bastante do romance que, apesar de leve e secundário, foi bem gostoso e fez com que eu ficasse torcendo pelo casal o tempo todo. Achei bem legal o fato de o tema central desse livro não girar em volta do romance em si.
A história consegue nos mostrar que muitas vezes julgamos um livro pela capa, e o que parece perfeito para a gente nem sempre é. Gostei bastante dessa obra e de tudo o que ela conseguiu transmitir. É um título que fala sobre aparências, julgamento e que devemos ser fiéis a nós mesmos, sem precisar ficar mudando quem somos pelos outros.


Enraizados - Naomi Novik

Em “Enraizados” conhecemos Agnieszka e Kasia, duas melhores amigas que vivem em um vilarejo calmo e tranquilo, porém, às margens deste local, encontra-se uma floresta corrompida e, por essa razão, muito temida por todos, já que ela possui um poder maligno desconhecido. Todos os que acabam entrando no bosque, mesmo que sem querer, forçado, ou até mesmo por acidente, terminam corrompidos pelo local, e com isso tornam-se verdadeiros animais sanguinários, que ganham uma força e uma crueldade muito grandes. Para o povo estar protegido desse tal poder, eles contam com a ajuda de um mago muito ambicioso e bastante frio denominado Dragão, que a cada dez anos exige que uma jovem do vilarejo seja entregue para ele, para servi-lo. Ninguém sabe o que acontece ao certo com as meninas, porém, quando retornam, voltam bastante diferentes, mais refinadas, com roupas caras, e não conseguem mais suportar viver no antigo povoado, sempre preferindo ir para outro lugar e viver longe dali.
Vemos que Agnieszka, assim como todas do vilarejo, imaginam que a próxima a ser escolhida será Kasia, uma menina bela e corajosa, porém, quando o Dragão chega, é ela que é a escolhida para ser levada para a sua Torre, o que assusta todo mundo, já que a garota é a mais simples do grupo. Lá, ele espera que ela canalize a magia existente no vale e potencialize a sua própria magia, porém ele descobre que a menina tem uma certa aptidão, e, por este motivo, resolve torná-la sua aprendiz, para que um dia, juntos, eles possam deter o terrível bosque que avança implacavelmente.
Acompanhamos, então, nossa protagonista aprender com esse mago tudo sobre magia e vemos que nem sempre ele é um amor de pessoa ou delicado para ensinar, já que é bastante duro e distante. Vemos como Agnieszka vai aprendendo a lidar com a sua magia, que é totalmente diferente da do Dragão, mas cada vez mais tem que tentar aprender mais rápido por conta de muitos acontecimentos.
Assim que eu vi este volume pela primeira vez, fiquei louca pela capa, que, além de linda e maravilhosa, parecia trazer uma história incrível. Porém, foi apenas após a leitura da sinopse que vi que realmente trazia uma história totalmente do meu estilo, a qual fiquei muito curiosa para ler.
O livro é narrado em terceira pessoa, o que foi bem interessante, já que assim conseguimos entender a história de uma forma mais ampla. E o que gostei bastante dessa narrativa foi que a autora se preocupou em passar os sentimentos de nossa protagonista em todos os instantes, para que a gente conseguisse entender melhor tudo o que ela estava passando e vivendo.
Com uma história cheia de ação e aventura, esta obra consegue nos conquistar de tal maneira que não conseguimos parar de ler nem por um segundo. Gostei bastante da construção dos personagens, sendo que cada um, de sua própria maneira, conseguiu fazer com que eu ficasse cada vez mais encantada, e torcesse em todos os momentos para que tudo desse certo.


Os Segredos do Signo Solar - Amy Zerner & Monte Farber

Eu não sei tanto assim sobre signos, mas desde o ano passado tenho me interessado bastante pelo assunto, e, por conta disso, tenho procurado informações e livros. Foi por esse motivo que me interessei muito por “Os Segredos do Signo Solar”, publicado pelo Grupo Editorial Pensamento, que reúne informações bem úteis e interessantes sobre cada um dos signos solares.
Como o próprio subtítulo já sugere, este é um “Guia Astrológico Completo para o Amor, o Trabalho e o Sucesso”, ou seja, vamos encontrar características e dicas relacionadas a esses assuntos divididos em cada um dos doze signos do zodíaco.
Na introdução, encontramos uma breve explicação sobre o “Signo Solar”, ou seja, “o segmento do zodíaco pelo qual o Sol, visto do local exato da Terra onde a pessoa nasceu, estava passando no momento em que nasceu”. Sobre a astrologia, que nada mais é do que “o estudo da relação entre as posições dos planetas e as pessoas e acontecimentos na Terra”.
E também nos fala que as previsões encontradas em jornais e revistas não são possíveis, afinal a astrologia não serve para isso, mas, sim para nos ajudar a entender melhor nossas forças e também nossas fraquezas, para podermos saber como utilizar nossos pontos fortes para compensar os fracos, auxiliando-nos a sermos quem realmente devemos ser. E achei isso muito bacana mesmo.
Os capítulos seguem um padrão igual entre si, sendo que cada um fala sobre um dos signos, na ordem mais comum, Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes.
Dento de cada capítulo, encontramos: uma “ficha” breve sobre o signo em questão, seguida por informações divididas por tópicos, como Palavras-Chave, Sentido Simbólico, Como Reconhecer, Comportamento, Traços de Personalidade, Motivação, Amizade, Amor, O Que Procura, Se Soubesse, Casamento, Compatibilidades, Signo Oposto, Trabalho, Dinheiro, Casa, Lazer, Saúde, Sobre a Criança e os Pais do Signo, Nomes de Famosos, entre outros.
A artista Amy Zerner e o escritor Monte Farber já desenvolveram diversos livros e oráculos sobre temas esotéricos, como meditação, tarô, cristais e astrologia, com uma tiragem conjunta de mais de dois milhões de exemplares no mundo todo. Como comentei anteriormente, não sei muito sobre o assunto ainda, então não os conhecia, mas gostei bastante de conferir o trabalho deles e espero ter oportunidade de conhecer outras obras de ambos futuramente.
Algo que vale a pena ser citado é que a linguagem desse exemplar é de fácil compreensão, com textos diretos e bem informativos, além de trazer curiosidades bem interessantes. O mais legal disso é que você não precisa ser conhecedor do assunto para entender as explicações, tornando o livro algo de acesso simples e descomplicado.