Auggie & Eu - R. J. Palacio

Depois de me encantar com a história de Auggie, um menino de aparência incomum e de um enorme coração, resolvi ler esse novo livro da autora, pois traz a narrativa de Julian, Christopher e Charlotte, personagens da vida de Auggie, em três contos que relatam os encontros e desencontros com nosso querido extraordinário.
Esse volume não é uma continuação de “Extraordinário”, mas, sim, um livro que se passa no mesmo período, porém com outras narrativas. No primeiro conto, onde temos a visão de Julian, entendemos um pouco mais sobre o menino e sua família. Claro que nada justifica as atitudes que ele teve com o nosso protagonista, mas ao entendermos um pouco sobre sua história, vemos que a família tem uma grande parcela de culpa e que ele não é tão malvado como pensamos. Vemos também como ele aprendeu a lidar com as diferenças e conhecemos a história de sua avó durante o período nazista.
No segundo, encontramos a visão de Christopher, também conhecido como Plutão, melhor amigo de Auggie, que ele conheceu desde bebê. Nesse conto entendemos o motivo da separação dos dois amigos durante um tempo, sendo um enredo mais focado na amizade e nas dificuldades que a distância ocasionou. Vemos também um pouco sobre como Chris se sentia em relação ao nosso protagonista e a sua aparência.
No terceiro e último conto, temos a narrativa de Charlotte, uma das garotas que fez parte do grupo de boas-vindas a August Pullman. Ela é daquele tipo de menina que nunca fez nenhuma maldade com o nosso protagonista, sendo uma pessoa doce, porém também se mantém distante dele. Vemos também como ela queria fazer parte do grupo das populares, mas sempre se manteve fiel aos seus princípios. Através da sua narrativa, entendemos um pouco sobre como ela se sentiu ao ser deixada de lado. Esse conto não fala tanto de nosso protagonista extraordinário, mas, sim, sobre a importância da amizade e também aborda um pouco sobre essa questão da popularidade.
A escrita de R. J. Palacio continua deliciosa, nos prendendo em todos os momentos com muita suavidade e leveza. Essas são três histórias bem bacanas, que conseguem nos emocionar e conquistar, além de nos deixar vários ensinamentos.
Esses contos explicam um pouco sobre fatos importantes que tiveram que ficar de fora do livro “Extraordinário”, mas que a autora acha de suma importância todos ficarem sabendo, até para entendermos que toda história tem uma história por trás, e que as vezes nem tudo é o que aparenta ser.
Eu já sou uma grande fã de R. J. Palacio e fico triste em saber que ela não quer escrever uma continuação da trama de August Pullman, mas consigo entender perfeitamente bem os seus motivos, e acho bem bonito a sua explicação na entrevista que ela deu no início do livro, onde fala a respeito dessa decisão.


Low Carb: A Dieta Cetogênica - Leanne Vogel

Devo confessar que apesar de ter vontade de emagrecer e fazer dietas, nunca tentei nenhuma. Porém, desde que a Faro Editorial anunciou a publicação deste título, fiquei com vontade de tentar a Dieta Cetogênica. E nada melhor do que conhecê-la através do livro escrito pela voz mais respeitada sobre o tema nos EUA e Canadá, Leanne Vogel.
Leanne é uma nutricionista holística e criadora do site e canal no Youtube Healthful Pursuit. Logo no começo do exemplar, somos apresentados a ela, que também conta um pouco de sua história. Foi em 2014 que Vogel começou de fato com a Dieta Cetogênica, quando passou a comer mais gorduras e menos carboidratos, a qual a ajudou a melhorar diversos aspectos de sua vida, como, por exemplo, ter voltado a menstruar depois de ter sido diagnosticada com menopausa precoce aos 24 anos de idade, se livrou de seu déficit de atenção com hiperatividade, ganhou energia e autoconfiança, estabilizou o ânimo, ajudando-a a melhorar numa leve depressão que tinha, e, claro ainda perdeu muitos quilos.
Tudo isso começou porque, quando mais nova, Leanne teve uma história bem turbulenta com relação a alimentação e hábitos saudáveis, o que resultou em distúrbios alimentares. Teve bulimia e anorexia, abusava de remédios, fazia dietas muito severas, assim como atividades físicas intensas, e chegou até a ortorexia (obsessão por comer apenas alimentos “certos”). Como tinha muitas obsessões e sempre buscava uma “perfeição”, ela nunca não ficava satisfeita, então tinha muitas inseguranças e falta de amor ao corpo.
Até que percebeu que tudo aquilo não estava de fato adiantando, já que ela acabou engordando e acumulando gorduras que acreditava que tecnicamente não deveria ter. Então resolveu procurar outras formas de encontrar o que estava buscando. Em uma dessas ocasiões, descobriu sobre a Dieta Cetogênica, mas inicialmente ela ainda se restringia muito e queria seguir tudo à risca. Conforme seus pensamentos foram clareando e ela começou a entender melhor tudo aquilo, percebeu que poderia encontrar um equilíbrio nessa dieta e a transformar em algo bom e saudável, que lhe entregasse os objetivos que queria. Então, por meio de erros e acertos, ela chegou a dieta ideal, que vem apresentar a nós através desse exemplar.
Por isso, se você também busca encontrar uma forma de perder peso, aumentar sua autoconfiança e ainda reequilibrar seu organismo, “Low Carb: A Dieta Cetogênica” com certeza vai te ajudar a seguir um ótimo caminho. Essa obra é realmente muito completa e traz todas as informações que você precisa para encontrar seu equilíbrio e melhorar seus hábitos alimentares e de vida, transformando-se em alguém mais saudável.
A autora primeiramente nos explica mais sobre a Dieta Cetogênica, o que acontece com seu corpo quando você começa a mudar seus hábitos para se adaptar a ela, nos explica sobre colesterol e a ingestão de gorduras, como podemos customizar a nossa própria dieta, como equilibrar o consumo de proteínas, como até mesmo comer carboidratos (evitando abusos).
Depois nos ensina a colocá-la em prática, como nos monitorar, fazer jejum, o que esperar dessa dieta, quais exercícios você pode/deve fazer, como resolver alguns problemas que podem surgir nessa transição de alimentação e a mudança dos hábitos, como fazer para se manter pelo caminho quando for comer fora e em viagens, etc. E cada um desses tópicos é bem explicado, com detalhes comprovados, assim como mitos e verdades.
Em seguida, chegamos a Segunda Parte do livro, na qual somos apresentadas à Alimentação Keto. Quais comidas são boas e quais são ruins, a qualidade dos alimentos, listas, explicações sobre Adoçantes, Álcool, Produtos Derivados do Coco, Alimentos em Conserva, Sal, e até mesmo alguns ajustes que podem ser feitos.
Ela também fala sobre Gorduras: as que podemos amar, odiar ou abandonar. E explica sobre cada tipo de gordura separadamente. Saturadas, Monoinsaturadas, Poliinsaturadas, Trans. Assim como em Alimentos Naturais, Óleos e Azeites. E finaliza falando sobre abandono de grãos e laticínios.
A escrita de Leanne Vogel é simples, direta e bem explicativa. Você vai achar tudo o que procura nesse exemplar, assim como tirar dúvidas e encontrar a melhor maneira de lidar com seu corpo se decidir seguir a Dieta Cetogênica. E tudo de uma forma bem fácil de entender, fazendo com que uma pessoa que nunca tenha ouvido falar sobre essa dieta antes possa segui-la de maneira fácil.


Lugares Escuros - Gillian Flynn

Depois de me aventurar em “Objetos Cortantes” e ter amado a narrativa de Gillian Flynn, resolvi que já estava mais do que na hora de ler os outros títulos da autora. Por esse motivo, mergulhei em “Lugares Escuros”, e agora venho compartilhar com vocês todas as minhas opiniões.
Nesse volume conhecemos a história de Libby Day, uma mulher que tinha apenas sete anos de idade quando testemunhou o terrível assassinato da mãe e das duas irmãs na fazenda de sua família. Seu irmão, Ben, acabou sendo o acusado do crime, pegando como pena a prisão perpétua graças ao seu testemunho. Desde então, nossa protagonista vive uma vida sem rumo, sem amigos, família ou trabalho. Agora, aos trinte e dois anos, ela tem uma vida de depressão, sendo uma mulher mentirosa, cleptomaníaca, que vive de auxílio desemprego e de um fundo de doações que recebeu quando o caso de sua família foi parar no jornal e chocou a cidade.   
Quando Libby é procurada por um grupo de pessoas que estão convencidos da inocência do seu irmão, vemos que nossa protagonista vê esse fato como uma oportunidade de conseguir dinheiro, já que seu fundo está quase no fim, fazendo com que ela tenha que começar a pensar na ideia de procurar um emprego.
Com isso, ela vai na reunião desse grupo, pois lhe ofereceram quinhentos dólares, e passa a vender para essas pessoas fotos, bilhetes e as memórias de sua família. Com essas novas pessoas em sua vida, nossa protagonista passa a se perguntar coisas que nunca se questionou e tenta desvendar se foi mesmo a voz do seu irmão que escutou no passado.
Com uma narrativa um pouco diferente, já que não é linear, vamos para o ano de 1985, onde encontramos um narrador onisciente contando o dia de Ben e de Patty Day para entendermos um pouco mais da história. E depois voltamos para a data atual da trama, com uma narrativa em primeira pessoa pelo ponto de vista de nossa personagem principal, Libby Day.


As Garotas Spring - Anna Todd

Desde que eu li a sinopse desse volume pela primeira vez, fiquei com uma vontade enorme de ler esse título, pois sempre escutei que a escrita da autora é viciante e que te prende de uma forma que não dá para parar até chegar ao fim. Sendo assim, quando tive a oportunidade de ter esse livro em mãos comecei a minha leitura e agora venho compartilhar com vocês tudo que achei a respeito de “As Garotas Spring”.
Nesse volume, que é uma releitura do clássico “Mulherzinhas”, de Louisa May Alcott, somos apresentadas a história de quatro irmãs, Meg, Jo, Beth e Amy, que vivem em Nova Orleans e são criadas pela mãe Meredith, desgastada por suas responsabilidades familiares, enquanto o pai, um militar combatente no Iraque, é bem ausente do núcleo familiar. 
Meg, com os seus dezenove anos, é a filha mais velha. Sonhadora e vaidosa, ela sonha em se casar com um militar como sua mãe e fazer parte da sociedade como muitas mulheres que ela admira. Jo é a apaixonada por livros e deseja ser uma jornalista famosa. Ela não se importa com a opinião dos outros, sonha alto e nada pode detê-la para alcançar os seus objetivos.
Beth é a mais quieta das irmãs. Ela não gosta de conviver com outras pessoas, sendo um pouco antissocial, e é a faz tudo da casa, já que está sempre procurando consertar as coisas, além de adorar se dedicar a cozinha e a alguma nova receita. E Amy é a mais nova das irmãs. Ela sempre está observando as outras e quer ser como a sua irmã mais velha. É a mais mimada e, para chamar a atenção, sempre se envolve em várias confusões.
A história gira em torno dessas jovens que estão descobrindo o amor e estão tendo que lidar com as questões da vida. Com isso, temos tensão, suspense, angústia, romance, dramas, risadas, momentos leves, etc. Foi uma história que conseguiu despertar diversos sentimentos em mim durante toda a leitura. Com algumas reviravoltas, vemos o amadurecimento dessas irmãs que têm sonhos e objetivos distintos e são completamente diferentes umas das outras, vivendo cada uma sua própria aventura, dramas e problemas.
O livro é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de cada uma das quatro irmãs e também da mãe delas, fazendo com que a gente conheça um pouquinho de cada uma individualmente e também de sua perspectiva em relação as outras, nos dando um entendimento mais amplo da história e nos aproximando cada vez mais de todas. O livro é bem leve, com alguns tons realísticos e tem uma linguagem simples e envolvente.



Artemis Fowl - Uma Aventura no Ártico - Artemis Fowl #02 - Eoin Colfer

Embora boa parte do que leio sejam livros de séries raramente consigo ler os próximos volumes, seja porque eu não tenho a continuação, seja porque ela não foi lançada. E verdade seja dita eu gosto também de transitar entre mundos, e não ficar muito tempo presa em lugar nenhum. Mas quando surgiu a oportunidade de já ler o segundo volume da série Artemis Fowl, Uma Aventura no Ártico, do autor Eoin Colfer, publicado pela editora Record, eu não me fiz de rogada e parti para a leitura.
Embora continue conseguindo dinheiro Artemis ainda não conseguiu encontrar seu pai. Obcecado pela busca ele está investindo seu tempo e dinheiro para encontrá-lo. Pronto para ir a Rússia atrás de uma pista, ele acaba sendo convocado pelo seres feéricos para ajudá-los em uma missão, e acaba também encontrando ajuda em sua busca. Em uma jornada de tramas políticas e poder, Holly, Artemis, Butler e Comandante Raiz viajam pelas entranhas da terra para descobrir quem está por trás de uma rebelião de goblins, e ao mesmo tempo resgatar o pai do menino.
Neste volume conhecemos com mais detalhes os goblins, criaturas mais rústicas e ignorantes, conhecidas por serem burras e incapazes de criar um plano sozinhas. Elas são usadas pela mente criminosa como massa de manobra, mas sua falta de inteligência acaba sendo sua falência.
Em comparação com o livro anterior Fowl está bem mais introvertido e calado, podemos atribuir isso a dois fatores, primeiro ele está ficando mais velho e ganhando um pouco de conhecimento. Segundo como a aventura envolve seu pai isso o deixa mais vulnerável emocionalmente, afinal por mais que ele seja um gênio ainda é um jovem de treze anos que não sabe se o pai está vivo.
A interação do grupo, Holly e Comandante Raiz com Artemis e seu guarda-costas Butler é bastante interessante, já que existe um equilíbrio entre os personagens, o que possibilita agirem bem juntos. Os duendes acabam por ver o lado mais humano de Fowl que era tido por eles antes como alguém terrível e sem coração. Já o menino começa a respeitar mais o mundo das fadas, já que começa respeitar e admirar seus integrantes.
O livro se demora para revelar todos os lados da trama, a narrativa é feita em terceira pessoa por uma testemunha ocular, que narra sob diversos ângulos os acontecimentos, as vezes até mais de uma vez o mesmo trecho da estória para que possamos ter uma ampla visão de tudo. Embora detalhada em seu desenrolar achei o desfecho um pouco simplista, especialmente no trecho que se refere ao pai de Artemis.