Vocação Para o Mal - Cormoran Strike #03 - Robert Galbraith

Antes mesmo de saber que essa série era escrita por J.K. Rowling, eu me apaixonei pela história. E, depois de finalizar a leitura do primeiro livro, fiquei contando os dias para ter em mãos as continuações e poder ler mais sobre o detetive Cormoran Strike. Agora, já estou no terceiro volume desta série e vou compartilhar com vocês tudo o que achei sobre “Vocação Para o Mal”.
Neste volume vemos que Robin Ellacott, assistente de Strike, recebe um pacote contendo uma perna decepada de uma mulher e um bilhete com a estrofe final de uma canção do Blue Öyster Cult, a banda preferida da falecida mãe de nosso protagonista.
A partir desse terrível recebimento, vemos que nossos investigadores vão à busca para saber quem enviou a caixa e de quem era essa perna. Strike pensa em quatro pessoas do seu passado que seriam capazes de tamanha brutalidade, passando, assim, esta lista para a polícia londrina. Mas eles focam cada vez mais em um dos suspeitos, que é quem nosso protagonista menos achava que tinha cometido o crime. E, quanto mais ele investiga, mas acha que a polícia pode estar indo pelo caminho errado.
Entramos, então, junto com nossos protagonistas, em uma busca pelo suspeito, e passamos por muitas cenas de tirar o fôlego, além de termos muitos segredos revelados e muitas questões pessoais são trazidas a tona, deixando a trama ainda mais surpreendente e deliciosa.
J.K. Rowling, sob seu pseudônimo Robert Galbraith, consegue prender a gente do início ao fim com bastante suspense, ação e várias pistas, em uma leitura bastante fluida, que aborda temas até mesmo mais pesados, como estupro e pedofilia, mas tudo isso sem deixar fugir o foco. Além disso, conhecemos mais sobre Cormoran e Robin, já que parte do passado de ambos são revelados, fazendo com que cada vez mais a gente conheça sobre a vida desses dois.
A narrativa, como nos volumes anteriores, é em terceira pessoa, o que é bem legal, pois assim conseguimos entender tudo o que está se passando de uma forma mais ampla, até porque a autora consegue trazer para a gente os sentimentos dos personagens sem precisar ser em primeira pessoa.


Escolha o Seu Felizes Para Sempre #01: Como Ficar Com Rick - Julie Fison

A série “Escolha o Seu Felizes Para Sempre” possui uma proposta bem bacana e interativa: o próprio leitor é quem vai decidir os rumos tomados pelos protagonistas, baseados em escolhas que os mesmos precisam fazer em diversos momentos de suas vidas. Acho esta ideia muito interessante e dinâmica e sempre quis ler um título neste formato, então fico contente que finalmente tive esta oportunidade.
Mas este livro não é o pioneiro deste estilo publicado no Brasil, e também não foi o primeiro que conheci, mas foi o primeiro que li, e cheguei à conclusão de que mais autores poderiam escrever histórias assim, porque é bem legal a gente poder “ajudar” os personagens a tomar suas decisões, pois parece que estamos inseridos na trama.
No primeiro volume, “Como Ficar Com Rick”, vamos conhecer Kitty MacLean, que passa bastante tempo pensando no menino de quem gosta, Rick Sanchez. Porém, ela é tímida e não tem nem coragem de dar o primeiro passo para conversar com ele, diminuindo consideravelmente suas chances de poder ter alguma chance com o garoto algum dia.
Mas agora sua sorte parece prestes a mudar, pois Persephone, uma das garotas mais populares de seu colégio, a chama para viajar com ela e, o melhor, Rick vai ficar hospedado perto delas. Só tem um pequeno probleminha: Kitty já havia prometido que iria acampar com suas melhores amigas nestas férias.
E agora, o que nossa protagonista deve fazer? Viajar com Persephone e ficar mais perto de Rick e com mais chances de conquistá-lo, ou com Mia e Izzy, suas melhores amigas desde pequenas, e se divertir bastante no acampamento? É você, leitor, que deverá escolher entre estas opções, e depois decidir quais outras atitudes nossa Kitty deve tomar ao longo destas férias maravilhosas que vai viver.
Acho que a trama começou bastante interessante, leve e divertida. Aquele tipo de história adolescente contemporânea, que faz com que a gente logo se identifique com a personagem principal e o que ela está vivendo, seja porque estamos passando por algo semelhante em nossas vidas ou porque nos faz relembrar desta fase da adolescência (para os leitores mais velhos).
Só acho que a autora criou situações demais que precisavam de decisões, então a história acabava ficando muito cortada, e as coisas aconteciam rápido demais para a quantidade pequena de páginas sequenciais, então não dava muito tempo de desenvolver aquela decisão antes de começar uma nova. E ela ainda por cima escreveu TANTOS finais (se não me engano foram sete!!), que quando a gente espera que algo realmente incrível vá acontecer, o livro de repente termina porque já não tinha espaço para mais.


Paixão ao Entardecer - Os Hathaways #05 - Lisa Kleypas

Terminar uma série é um misto de sensações, se por um lado temos o prazer de chegar ao fim de uma longa série, pelo outro temos a tristeza de não mais compartilhar daquele universo que gostamos (afinal se você não gosta você não continua a série não é?!). E é com essa sensação que finalizei a série Os Hathaways, com seu quinto e último volume Paixão ao Entardecer, escrito pela escritora Lisa Kleypas, e publicado pela editora Arqueiro.

Beatrix Hathaway é a mais nova da família, e já está com vinte e três anos. Todos seus irmãos já se casaram, e ela está caminhando para ser titia. Dona de uma personalidade estranha ela teme que nunca irá encontrar alguém que ame, e ao mesmo tempo aceite seu modo de ser, e o seu amor pelos animais e natureza.

Mas sua empatia pelos desafortunados a leva a compartilhar cartas com Christopher Phelan que está em uma guerra. Através das cartas um amor nasce, mas ele não sabe quem é ela, e ela não sabe como lidar com seu sentimento e sua mentira. Phelan volta mas não é mais o mesmo homem que era, Beatrix se vê diante de um homem marcado pela morte, mas que nutre amor pela mulher da carta. O capitão será capaz de encontrar sua amada e Beatrix de ser amada como é?

De todas as mulheres dessa família maluquinha, Beatrix sempre foi minha favorita, com seu jeito doce, inocente e empático, ela me encantou com Medusa, sua porca espinho de estimação. Dizer que ela é diferente de qualquer personagem que eu tenha lido não é suficiente para dar dimensões a essa mulher que tem espírito de criança quando está na natureza. Sua personalidade e modo de existir constitui-se em meio aos animais e ao modo de vida deles, assim tudo para ela necessita e tem paralelos a como ele se alimentam, reproduzem e etc.

Christopher era o mocinho bonito e supérfulo que a todas encantava, mas isso antes da guerra. Depois de acompanhar tantas mortes ele não consegue mais viver na superfície, e pior ainda não consegue viver entre as pessoas que o veem como um herói. O que o sustenta ainda na realidade é o amor e apoio que encontrou na cartas que recebeu de Beatrix, e até que ele compreenda quem ela é ainda vai ter alguns momentos de confusão.



Lançamentos de Julho da Harlequin


Oii, gente! Hoje vim falar dos lançamentos do mês da Harlequin! Está cheio de novidades incríveis e simplesmente quero ler todos! Hahaha Mas confesso que estou mais empolgada por “Sintonia De Corações”, segundo volume da série Rose Cottage Sisters, de Sherryl Woods. E vocês, gostaram mais de quais? :D

Uma receita apaixonante!
Pegue uma dose de Maggie D’Angelo, a crítica culinária que nunca teve um relacionamento sério, e adicione Rick Flannery, um lindo fotógrafo determinado a seduzi-la. Misture tudo e acrescente irmãs intrometidas que acham que ele é o homem perfeito para apimentar a vida de Maggie. Apesar da reputação dele ter deixado um gosto amargo na boca de Maggie, o que sentem um pelo outro é muito mais do que apenas atração. Ela teme que essa receita desande e faça uma verdadeira bagunça em seu mundo metódico. Contudo, Rick está disposto a correr o risco para conseguir o resultado mais delicioso de todos: a conquista do verdadeiro amor.
A grande batalha do viking!
Kara agradeceu aos deuses quando foi desposada por Ash Hringson. Porém, esse destemido guerreiro estava desaparecido havia tanto tempo que a ela restara apenas boas lembranças. Agora, Kara precisa se casar novamente para garantir o futuro de seu filho. Contudo, no dia da cerimônia, o heroico conquistador retorna e é recebido por suspiros de horror e de surpresa. Afinal, todos acreditavam que Ash morrera… Mas aos olhos repletos de desejo de Kara, ele parece tão lindo e sensual quanto no dia em que partira… E também nada feliz por sua bela esposa estar prestes a entregar-se a outro homem.

Amor Raro
Foi preciso apenas um olhar do sombrio e misterioso desconhecido para Indigo Moran perceber que tirar uma foto dele fora um erro. Mas quem era aquele homem? Para o príncipe Lorenzo Torelli de Melvante, o dever com seu reino sempre estará em primeiro lugar. E mesmo que o desejo que sente por Indigo o faça perder a cabeça, Lorenzo sabe que não poderia oferecer a ela nada além de um caso passageiro. Só há um problema: após um beijo inesquecível, Lorenzo tem certeza de que uma noite ao lado de Indigo não seria suficiente!
Começou Com Um Casamento...
Claire Stewart achava que seu dia não podia piorar, mas estava errada! Como se não bastasse perder o vestido de noiva de sua melhor amiga, ela ainda precisava encarar o estonteante e bem-sucedido Sean Farrell, irmão da noiva e o homem pelo qual fora apaixonada. Por mais que Sean tenha recusado um romance no passado, Claire conseguira reconquistar seu coração. E um beijo quente e inesquecível durante o casamento abriria caminho para um desejo insaciável.


A Ilha de Bowen - César Mallorquí

Adoro as publicações da Editora Biruta, e sempre fico babando em todos os livros do catálogo, e com “A Ilha de Bowen” não foi diferente: desde que o conheci fiquei louca para lê-lo. A primeira coisa que me chamou bastante atenção neste título foi a sua sinopse, que parecia me trazer uma história bastante agradável e cheia de reviravoltas, com uma mistura de assassinato e mistérios em uma grande aventura cheia de perigos. Ou seja, tudo que eu amo em uma trama. Por esse motivo, assim que me foi possível, quis começar a ler este volume e agora venho compartilhar com vocês as minhas opiniões.
Nesta obra voltamos para 1920, quando Jeremiah Perkins, um tripulante do navio Britannia, foi assassinado em um pequeno porto norueguês, após enviar um misterioso pacote com um conteúdo desconhecido para Lady Elisabeth Faraday.
Mas a história começa quando Elisabeth e a sua filha, Katherine, procuram o professor Ulisses Zarco, da SIGMA (Sociedade de Pesquisas Geográficas, Meteorológicas e Astronômicas), para pedir sua ajuda para encontrar seu marido, John Foggart, que é um arqueólogo. Zarco é a sua última esperança já que seu marido não dá notícias há um tempo. E, como conselho dele mesmo, caso parasse de dar notícias ela deveria ir procurá-lo. Eles não eram muitos próximos nem nada, mas Elisabeth traz consigo algo que vai fazer com que o professor queira entrar nessa aventura.
Vemos, então, que Zarco, um machista bem grosso e de personalidade forte, acaba aceitando fazer uma expedição a bordo do Saint Michel para encontrar John. E apesar de ir contra as suas vontades, aceita que Lisa, uma feminista bastante sincera, viaje em seu barco juntamente com Kathy, sua filha de apenas vinte anos. Outras pessoas também acompanham eles nessa jornada como Samuel Durango, um fotógrafo recém contratado pela SIGMA, e também um químico que fica responsável por testar as amostras que eles vão coletar durante a viagem.