O Rosto que precede o Sonho – Mauricio Gomyde

"O Rosto que precede o Sonho" conta sobre a história de Tomas Ventura, morador de um veleiro oceânico de 36 pés que flutua sobre o lago de Brasília, ancorado na Marina Norte. É um homem solitário e procurava por isso. Depois da morte de seus pais, ele sempre se culpou, pois tinha sinais de coisas que iam acontecendo, só não conseguia entender, e foi ele que falou para seus pais irem à viagem que causaria seus óbitos. Com o tempo isso foi melhorando, apesar de não deixar de ser algo importante em sua vida.
Como é um compositor de trilhas, seu violão, sua vitrola e seus discos sempre o acompanham. Conheceu uma jovem chamada Aurora, com os olhos cor de mel que o encantou muito. Ela era fotógrafa do National Geographic em Washington, e a matéria que a levou à Brasília foi “Borboletas do Cerrado Brasileiro”, sugestão dela já que seu pai morava lá. O encontro dos dois, a convivência, foi algo mágico. Acho que muitas mulheres gostariam que fosse assim com elas, um encontro de almas, afinidades, afins.
“Não passe a vida esperando por seu grande amor. A hora sempre chega. Quando você menos imaginar, lá estará ele exatamente dentro de seus próprios olhos.”
Quando começo a ler um livro tento logo entrar na história, como se fizesse parte dela, só assim entendo melhor e me coloco muitas vezes no lugar de um personagem. Não precisei ir muito longe com “O Rosto que precede o Sonho”, pois tudo foi se encaixando perfeitamente no decorrer da leitura, e fiquei extasiada e feliz por participar, mesmo que por fora, apenas com o papel de observadora, desse incrível romance.

Logo no começo somos apresentados a um segredo, mas é só bem para o final que vamos saber que segredo é esse, visto que ele guardou a caixa com papéis que o revelavam e disse que não a abriria mais. Então vamos esquecer também, pois segredos são segredos, quem não os tem?
Tudo se encaixa muito bem e logo “descobrimos”, com as deixas que o autor solta com o passar das páginas, como vai se desenrolar e terminar a história, mesmo deixando uma dúvida em nossa cabeça. Mas teve um momento que eu não queria acreditar no que lia, apesar de estar ali nas entrelinhas, bem explicado para um bom entendedor.
“– Acho que borboleta mesmo. Não importa que não esteja no topo da cadeia alimentar. Olha só, no Japão elas significam Espíritos Viajantes; no Vietnã, Longa Vida; pros egípcios antigos, a forma da alma como a pessoa morria; e, nas culturas mexicanas antigas, a representação do amor.”

Que história sensacional e muito bem escrita! Adorei o protagonista, que é um homem sensível, romântico, inteligente, vibrante, bem sucedido, e por causa dos diálogos e das cenas vivenciadas por ele, me senti bem próxima. Também gostei muito de Aurora, já que me identifiquei com ela, também a achei bem sensível e carismática, e acho que ela formou um par perfeito com Tomas. Além dos dois protagonistas, curti todos os outros personagens, mesmo que eles tenham aparecido pouco, como Benjamin, seu melhor amigo, e outros amigos, que foram bem importantes na trajetória do personagem principal.
O livro é curto, tem apenas 174 páginas, a leitura é fluida e não cansa, a narrativa é rápida, inclusive porque há muitos diálogos, o que eu achei bem legal porque deixa o livro mais dinâmico, e ainda é bem envolvente.
Vários trechos são letras de músicas e, como são em inglês, sempre vem com a tradução. Acho isso muito importante porque tem leitor que não sabe a língua e muitos livros de diversos autores não apresentam tradução.
Não sei se mudaria o final, pois tudo se encaixou perfeitamente conforme o livro, mas eu esperava ter visto uma reviravolta, inclusive porque o autor passou uma sensação de que isso aconteceria, e porque eu, particularmente, prefiro finais mais felizes.

“Quero ser de forma completa esse em quem me transformei. Ou no que me transformarei a cada novo instante. Porque não sou mais o que era há alguns minutos antes de começar a escrever. Somos fruto das nossas escolhas, e o que se apresenta é resultado de cada decisão que tomei ao longo da minha trajetória.”
A capa, mesmo simples, é bonita e passa a mensagem do livro, mas eu não gostei do rosto da mulher atrás do cenário, acho que ficou poluído e teria ficado mais bonito se fosse apenas a cena com o barco. O nome também tem bastante a ver com o conteúdo.
A diagramação está ótima, com fonte e espaçamento muito bons para a leitura fluir melhor. Em cada capítulo, ou mesmo na passagem da história para outros diálogos ou momentos, há uma nota musical, que achei fofa. E na última folha há uma caricatura do rosto do autor, que adorei.

Uma frase muito bonita de Gomyde, antes mesmo de começar a história deste livro que acho legal citar para vocês: “Meus livros não são sobre minha vida. Minha vida, sim, que é toda feita pelos meus livros.”
Essa é uma história muito bonita, poderia até dizer, maravilhosa. Vida e morte, tudo entrelaçado, em suas páginas, junto com um enredo marcante, uma narrativa emocionante e gostosa de se acompanhar, com personagens ótimos e carismáticos. Tenho certeza que os fãs de Nicholas Sparks vão se apaixonar por Mauricio Gomyde e sua deliciosa escrita, e mesmo os que não são fãs, e gostam de um lindo romance, muito bom e gostosinho de ler, recomendo essa leitura.
Avaliação





>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 16 - FORMULÁRIO


Comente com o Facebook:

13 comentários:

  1. Possivelmente não é um livro pra mim, mas acho que faria o estilo da minha mãe. Gosto de ler resenhas e tentar identificar um leitor para a obra, se não for do meu gosto com certeza será do gosto de alguém que eu conheça.

    Quando formos na feira de POA esse ano, se eu encontrar esse livro vou comprar pra ela. Já faz um tempo que ela reclama que não pode ler meus livros porque ela não gosta deles, e os dela ela já leu quase todos, ehehehe.

    Att.,
    Eduarda Henker
    http://blogsomaisum.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Chance Extra – Estou seguindo todas as contas no Twitter e quero mais uma chance para concorrer ao sorteio!” @somaisumblog

      Excluir
  2. O livro é bem curtinho, não é? Não fazia ideia que eram tão poucas páginas e apesar disso, o autor consegue desenvolver uma linda história que, a julgar pela sua resenha, emociona e encanta. Pra falar a verdade, a sua resenha já me deixou encantada e totalmente absorta na história que parece mesmo ser bem ágil e fluida na maneira como o autor desenvolveu o enredo. Quando vi as cinco casinhas na avaliação, tive certeza que a resenha não foi nem um pouco exagerada em recomendar com tanta veemência esse livro.

    vanildarm@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Realmente, falam muito bem do Maurício Gomyde! Inclusive acho muito bacana dele criar histórias originais que não seguem determinada fórmula que muitos autores usam porque sabem que vende. Acho muito bacana da parte dele esse autenticidade, ele tem seu estilo próprio e não são modinhas que o fazem mudar!
    Com relação ao livro de fato parece ser uma história muito bem feita e enigmátoca onde cada coisinha culmina em uma rede de acontecimentos. Discordo de você com relação a capa, acho que se tirasse o rosto da mulher ia ficar muito vazia e sem graça, mesmo que menos poluída.

    Inês Gabriela A.
    gabiserelepe@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Chance Extra – Estou seguindo todas as contas no Twitter e quero mais uma chance para concorrer ao sorteio!” @46Kju

      Excluir
  4. Hum... eu gostei da capa, achei tão linda...

    Tive o prazer de conhecer o Gomyde em um evento que fui em São Paulo e ele é uma pessoa fantastica! Fala de seus livros com paixão, e isso me cativou! Ainda não tive a oportunidade de ler um livro dele, mas quero muito, ainda mais agora com a leve menção de Sparks!

    Parabéns, adorei a resenha!

    bjo^^

    rockanapcm1@gmail.com
    rock_anapcm
    https://www.facebook.com/rockanapcm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ps: Estou seguindo todas as contas no Twitter e quero mais uma chance para concorrer ao sorteio! @rock_anapcm

      Excluir
  5. Uma história que se passa em Brasília!? Com um barco ancorado do Lago Paranoá!? Sim, esse livro eu preciso ler. Gosto de romances marcantes, daqueles que me arrancam lágrimas, e esse livro parece perfeito pra isso. Uma leitura de um fim de semana, que eu preciso.
    Hey, acho que tá na hora de começar a deixar contato dos autores, ou locais onde podemos encontrar os livros, nas resenhas. Eu adoraria adquirir esta obra.
    As quotes que você deixou deixaram um gostinho de quero mais.
    Depois dessa semana, vou acabar falindo! Meu salário vai ser todo gasto em livros! (De novo.
    Mas esse é um dos que se vale a pena comprar.

    Rita Cruz
    ritacruz17@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PS: Estou seguindo todas as contas no Twitter e quero mais uma chance para concorrer ao sorteio! @RitaCruz666

      Excluir
  6. Primeiro, frase ótima do Maurício! amei! Segundo tenho esse livro aqui, ainda não peguei (novidade =P). Mas devo, pq ele parece trabalhar luto, e eis a psicóloga que gosta de trabalhar com luto, sabe-se lá pq. Acho que é pelo mistério que a morte tem...

    Divagações a parte espero que eu consiga ler em breve, assim que parar de saltar livros na fila, furando fila! =D

    miquilis: Bruna Costenaro

    ResponderExcluir
  7. P.s Estou seguindo todas as contas no Twitter e quero mais uma chance para concorrer ao sorteio! @BruFinland

    ResponderExcluir
  8. Eu conhecia o livro, mas nunca me interessei a ler.... Até agora.. Que lindo esse quote da borboleta!!! Me interessei muito, super sensível e fofo!!!

    ResponderExcluir
  9. Outro autor nacional que me causa curiosidade é o Mauricio!!Amei a resenha e me passou um romance muito lindo e apaixonante *-* Com os varios quotes que vc postou já fiquei emocionada imagine lendo o livro que de tão fininho mais muito envolvente eu leria num piscar de olhos!!Concordo sobre a capa gostaria mais sem esse gosto de fundo!!Mais um pra minha listinha!!
    Bjus

    ResponderExcluir