Só Deus Sabe – Marcelo Cezar

“Esqueceu-se de que estamos em plena ditadura? Eles controlam tudo, inclusive todos os meios de comunicação. Só mesmo quem está envolvido é que pode saber a verdade. A maioria dos brasileiros não tem noção do que ocorre.
[...]
Em Paralelo a essa luta que poucos começaram a travar contra o regime, estamos vivendo a era do milagre econômico. A classe média está podendo comprar seu carro, sua casa, artigos que antes eram de poucos. Quando a família tem conforto e comida na mesa, condições de viajar, de oferecer estudo aos filhos, não vai questionar se o presidente é general ou civil, se há tortura ou não. Não sei o preço que pagaremos amanhã por tudo isso, mas logo essa farsa também vai acabar. Espero que possamos sobreviver a isso.”
Como vocês podem notar no trecho acima, a história desse livro é passada em uma data muito representativa para nós, brasileiros, a ditadura. Mesmo que muitos não tenhamos vivido nessa época, nossos pais e avós, entre outros familiares, viveram nela, que foi um período bem importante até para quem não era nascido, pois marcou a sociedade brasileira e o mundo para sempre.
“O mundo passava por uma das mais profundas transformações sociais, políticas e culturais ocorridas no Século XX”.
Essa foi uma época de inúmeras mudanças e é nesse cenário que encontramos os jovens enamorados Rogério e Leonor, um casal do tipo perfeito, digo em todos os sentidos, no visual e no intelectual também, sendo pessoas do bem. Até que um grave acidente seiva esses jovens do convívio de suas famílias por amnésia ou pela morte. Foram anos de escuridão perante a vida, pois esquecer-se de tudo é muito complicado.
A sorte, porém, sorri por outro lado. Algumas pessoas aparecem no caminho de Leonor, que, como por magnetismo, se encantam pela moça que perdeu a memória. Uma delas, um médico, fazendo de Leonor sua filha que nunca teve. Os anos passam e esse sentimento fica cada vez mais forte, coisa que só podemos tentar compreender, e imaginamos que essa ligação faz parte de outras encarnações, por conta de coisas que haviam ficado inacabadas para nessa vida serem resolvidas.
O autor Marcelo Cezar é um dos meus preferidos quando o assunto é romance mediúnico. Gosto tanto dele que já li todos os seus livros lançados até hoje e tem resenha de alguns deles no blog (para ler, clique nos títulos): A Última Chance, Um Sopro de Ternura, Ela só queria casar..., e O que Importa é o Amor.
Em se tratando de uma obra escrita por Marcelo Cezar, é difícil eu não gostar, mesmo ela sendo a segunda que ele escreveu que, por acaso, era a última que faltava para eu ler (espero muito que ele publique novos livros em breve!). Conheci o autor bem depois de ler todos os romances mediúnicos de Zibia Gasparetto, sua colega de editora, mas seus livros não ficam atrás em termos de qualidade e emoção. São sempre bons e de muito aprendizado para os mais leigos e até para os que sabem mais do assunto espiritismo. São toques profundos que despertam uma gama de sentimentos e descobertas.
Nesta história, são apresentados momentos passados no Rio (antiga Guanabara), São Paulo e no interior de SP, Guaratinguetá. O romance, mais uma vez, nos mostra caminhos diversos, com várias pessoas que acabam se reencontrando e percebendo que já faziam parte das suas vidas passadas por tudo o que está acontecendo.
Paralelamente, em capítulos alternados, conhecemos duas vidas ao mesmo tempo, cada um vivendo com sua família e enfrentando as dificuldades da vida. Até que, por conta do destino, eles se encontram novamente, despertando o amor de um pelo outro.
Esse livro envolve muitos personagens, com famílias que se entrelaçam futuramente, transformando-se em uma só. Como destaque, posso citar Leonor, que é uma protagonista carismática que gostei muito de conhecer, e Dr. Nelson, que se tornou alguém muito importante para ela, ajudando-a quando ela mais precisou e mudando sua vida para melhor naquele período.
A leitura é bem fluida, tranquila, e muito envolvente. É impossível não ter simpatia por algumas das pessoas que conhecemos ao longo da história, que têm muito amor no coração, e também é muito difícil não se sentir conectado com tudo o que está acontecendo com as vidas retratadas no livro.
Uma coisa que muito me emociona, que é mostrada nesse livro, é quando a pessoa ao dormir, ou aquela está em coma, consegue sair de seu corpo espiritualmente e vai ao encontro de entes queridos, que já se foram, em outro plano. Saber que podemos vivenciar essa experiência, mesmo que em sonho, e ir encontrar com essas pessoas nos faz sentir alegria e percebemos que a vida continua, não para por aqui, e somos espíritos eternos.
A primeira edição desse exemplar foi de 2001, mas essa já é a sexta impressão, de maio de 2013, e eu acho que já poderiam ter feito um trabalho gráfico melhor para ela. Para começar, acho essa capa muito feia, infelizmente, e estou torcendo para que a editora possa fazer uma nova edição desse livro com alguma capa que chame mais a atenção do leitor.
A diagramação é boa, com um espaçamento agradável, mas a fonte não é muito grande, o que pode dificultar um pouco a leitura, e o começo de cada capítulo é bem sem graça, já que não há nada além do número correspondente e da palavra ‘capítulo’. A obra possui 340 páginas, que são brancas, o que incomoda alguns leitores, mas não eu. E não gostei muito que não teve nenhuma fotografia ou um detalhe gráfico diferenciado, como os outros livros que a editora publica possuem.
No final da obra há uma lista de autores e seus livros, que já foram publicados pela Editora Vida & Consciência, o que é muito legal porque eu gosto de olhá-la para pensar em qual será o próximo que lerei, pois são obras magníficas que merecem nossa atenção.
“Só Deus Sabe” é um lindo romance que mostra que a vida sempre prega peças nas pessoas, e que mesmo que não estejamos totalmente bens e seguros para embarcarmos nessa longa jornada, viver é a melhor experiência que qualquer ser humano pode ter.
Avaliação



Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Eu tbm adoro romances mediúnicos! Apesar de ser leiga no assunto, todos que li nunca me deixaram desconfortável. Nunca li nada deste autor, mas se vc o compara a Zibia, tenho que ler! Sou fã da série Violetas na Janela e adoro a escrita da autora!
    Parabéns pela resenha! Mais um livro na minha listinha!

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Gente, eu amei a sua resenha! Eu sou muito fã de livros espíritas e sempre quis achar umas resenhas boas como essa para saber quais livros comprar. É meio difícil encontrar opiniões sobre romances mediúnicos por aí, então obrigada por proporcionar essa oportunidade! Não conhecia esse livro, mas já li outro desse autor e fiquei apaixonada, então com certeza vou comprar esse também. Muito obrigada pela indicação. Beijinhos, Kátia

    ResponderExcluir