Toda Luz Que Não Podemos Ver - Anthony Doerr

Quando me falaram a respeito deste livro, fiquei encantada com a sinopse, que parecia ia despertar em mim muitas emoções por causa de um enredo incrível. Lógico que assim que me foi possível comecei esta leitura. E agora, depois de ter lido esta obra maravilhosa, venho escrever para vocês a respeito desta trama escrita por Anthony Doerr, e publicada aqui no Brasil pela Editora Intrínseca.
Em “Toda Luz Que Não Podemos Ver” conhecemos um pouco mais sobre a história da Segunda Guerra Mundial, só que na visão dos alemães e de outras nações afetadas por essa grande guerra. Por conta disso, conhecemos Marie-Laure, uma menina que vive em Paris com o pai, já que perdeu a mãe bem cedo, e que com apenas seis anos de idade acabou ficando cega. Para ajudá-la a memorizar o caminho e ser independente de seu pai, o chaveiro chefe do Museu Nacional de História, ele criou maquetes bem detalhadas do bairro onde moram. Mas, com o começo da guerra, eles acabam se mudando para a cidade de Saint-Malo no norte da França, onde levam consigo um precioso tesouro.
De outro lado da história também conhecemos Werner, um órfão que vive com a sua irmã, Jutta, e outras crianças em um orfanato na Alemanha sob a supervisão de Frau Elena. Ele é bastante inteligente, e quando encontrou um pequeno rádio conseguiu desmontá-lo e montá-lo, e, assim, acabou melhorando-o. Por este motivo o seu destino acaba mudando, já que todos passam o chamá-lo para concertar seus respectivos rádios. Quando, por este motivo, Werner acaba conhecendo alguém importante, ele o indica a escola Hitlerista, onde acaba aprendendo sobre captações de ondas de rádios, para, junto de uma equipe, captar e desativar a comunicação entre os inimigos.
Essas duas tramas acabam se entrelaçando de uma forma inesperada, o que foi bem bacana, pois ambos tiveram uma vida totalmente diferente, e nos mostram como a guerra afetou também essas pessoas, já que a maioria dos livros que li foca mais em como ela afetou os judeus, que tanto foram perseguidos.
O livro é narrado em terceira pessoa, e eu curti bastante esta forma de narrativa, já que assim conseguimos ter uma visão mais ampla de tudo que está ocorrendo na história. Além disso, este volume também fica alternando entre as visões de nossos protagonistas Marie e Werner, nos dando assim um maior entendimento do enredo e também outra face deste período tão sofrido, nos trazendo uma visão sensível, dolorosa e muitas vezes cruel de tudo que ocorreu nesta guerra tão injusta e devastadora.
Este volume tem um pouco mais que quinhentas páginas, mas não foi nem um pouco cansativo, já que encontramos capítulos curtos e bem ricos em detalhes, que nos fazem ficar vidrados nas páginas e querendo saber o que vai acontecer a seguir.
O final, apesar de bem triste, é bastante realista, já que este exemplar retrata sobre a guerra e como ela afeta as pessoas de um modo geral. Esta obra é daquele tipo que nos faz pensar bastante em diversas questões relacionadas à vida do ser humano e suas escolhas.
A capa é simplesmente maravilhosa demais para eu conseguir colocar outros adjetivos para descrevê-la aqui. Gosto muito das cores utilizadas, com ênfase no azul. A diagramação interna é simples e a fonte do texto não é muito grande, mas é bem espaçada, o que facilita na hora da leitura, além de contar com páginas amarelas.
Para quem não sabe, este título foi o grande vencedor do Prêmio Pulitzer de Ficção de 2015 e com certeza foi completamente merecedor. É uma trama linda e merecedora de toda a atenção que conseguir conquistar.
Se você gosta de um livro que consegue tocar a gente com uma história profunda, marcante, cheia de injustiças e crueldade, sobre a Segunda Guerra Mundial e como ela afetou a vida de várias pessoas, e sobre como ela deixou marcas em toda sociedade, este livro é para você. Ele traz personagens incríveis e um pano de fundo tocante, que com certeza vai agradar a todas as pessoas que gostarem do gênero.


Avaliação



Comente com o Facebook:

11 comentários:

  1. Já vi muitas pessoas falando bem e deste livro e fiquei muito curiosa.Amei a resenha e minha curiosidade cresceu muito mais.Nunca li nada que falasse sobre a guerra e sobre como era viver naquela época. Com certeza deve ser uma leitura maravilhosa!!!

    ResponderExcluir
  2. EU confesso que não sou muito de ler e nem ver filmes com essa temática, mas tem uns que acho muito interessante, esse por exemplo gostei da resenha, gostei de saber que tem capitulo pequenos, acho os livros que tem capitulos grandes cansativos.

    ResponderExcluir
  3. JA FAZ BASTANTE TEMPO QUE QUERO LER ESSE LIVRO, E ESSA RESENHA LINDA SO ME DEIXOU COM MAIS VONTADE, VAI ENTRAR NA MINHA LISTA DE DESEJADOS RS

    ResponderExcluir
  4. Toda vez que passo numa livraria este livro fica flertando comigo, acho que ele quer ser lido por mim...
    Depois dessa resenha, quero ler agora!!!

    Abraços ^_^

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Esse livros está em minha meta 2015, quero ler desde o inicio do ano, mais acabei não lendo, sei o que me espera, toda carga emocional que ele traz em suas paginas, sua resenha ficou ótima , tenho visto muito falar dele essa semana e decidi que vai ser minha próxima leitura.
    Bjocas

    ResponderExcluir
  6. Adooorei a resenha!
    Amo livros e mê deu uma super vontade de lê-lo.
    Parabéns :D

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post! Fiquei encantada com esse livro desde que fiquei sabendo do lançamento, não vejo a hora de lê-lo!
    Bjs
    doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Adorei o post! Fiquei encantada com esse livro desde que fiquei sabendo do lançamento, não vejo a hora de lê-lo!
    Bjs
    doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Eu simplesmente amei esse Livro, ele é perfeito. Essa resenha descreveu exatamente como eu me senti com esse livro. Leitura maravilhosa!

    ResponderExcluir
  10. A cada nova resenha que leio sobre ele livro, mas me encho de vontade, cada novo detalhe comentado mais tenho certeza da delicadeza e grandeza que pode ser essa historia, embora já tenha ouvido criticas negativas dele. Mas não importa, quero ler assim que tiver oportunidade.

    ResponderExcluir