Só Garotos - Patti Smith

Há quase um ano atrás eu conhecia Patti Smith, e me apaixonaria por sua personalidade peculiar por motivos que a maioria que gostam dela talvez não se atenham, mas o fato é que eu adoro o modo como ela escreve e consegue falar a cerca de si mesma, fato que conheci através do seu livro mais recente Linha M, mas depois desta leitura descobri que seu livro mais conhecido é Só Garotos, publicado por aqui pela Companhia das Letras.

Neste livro Smith se propõe a contar sua história com Robert Mapplethorpe, fotógrafo e artista que ela conheceu da maneira mais inesperada quando ela resolve tentar a vida em New York deixando em New Jersey sua faculdade e família. Ao chegar na cidade ela procura por amigos, e ao chegar ao apartamento de um deles descobre que este se mudou, mas um jovem a leva em seu atual endereço.

Mais tarde este mesmo jovem a salva de uma situação arriscada, e depois disso foram mais de vinte anos de amor e amizade entre Patti e Robert. E quando falo em amor é daqueles verdadeiros e inspiradores! Com apenas vinte anos ela era muito aberta as possibilidades que a vida lhe davam, mas foi Robert quem a inspirou a ser ela mesma sempre, foi ele quem cultivou nelas as sementes que mais tarde renderiam árvores. E foi ela quem deu apoio condicional a ele para que sua obra prima nascesse. Arrisco dizer que nenhum dos dois seria o mesmo, e seria quem foi sem o outro!

O final dos anos 60 e começo dos anos 70 é o pano de fundo destas narrativas em primeira pessoa, e digo nunca mais aquela loucura vai ser vista como foi! Um hotel que hospedasse tantos indivíduos criativos e problemáticos como foi o hotel Chelsea, local onde o casal morou por um período. Jimi Hendrix e Janis Joplin foram alguns dos que surgiram nestas memórias. mas muitos outros músicos, poetas, artistas e etc são citados e personagens das situações narradas.

De aspirante a artista através de desenhos, passando por seu crescimento poético até chegar a cantora tudo está escrito nestas páginas. E não foram tempos fáceis, já que até dormir na rua e passar fome Smith foi capaz para alcançar seus sonhos, e tudo com resiliência de que dias melhorem viriam desde que Robert estivesse com ela. E isso durou mesmo quando eles não eram mais um casal. A ligação que eles tinham era muito estável e era como uma âncora que permitia que eles dessem mergulhos fundos sem medo.

Nesta época de sua história podemos conhecer alguns de seus primeiros contatos com o que seriam algumas de suas maiores características, como o café, a polaroid e os túmulos. E também com a incrível capacidade desta mulher de ser ela mesma, mesmo que as vezes fosse encarada como mais parecida com um homem do que uma mulher, ou que fizesse combinações de roupa suspeitas. Ela sempre bancou suas escolhas, sejam elas de vida ou atitude, e de tão autêntica e espontânea, sempre despertou carinho em que a conheceu.

Ambos tiveram carreiras bem sucedidas, mas não é spoiler dizer que Robert infelizmente perdeu aos 41 anos a guerra para a aids, que na década de 80 ainda fazia muitas vítimas. Seu pedido antes de morrer foi que Patti contasse a história deles, e que digo vale a pena ser lida! Mas já digo as páginas finais desta dupla é de arrancar lágrimas mesmo que desde o começo do livros já é sabido sobre sua morte.

Como em Linha M, este livro é repleto de fotos em preto e branco que fogem ao lugar comum, as poses e ordem. Robert desperta para fotografia mais tarde, e Patti é sua modelo. A última foto da dupla que Robert tira de Patti com sua filha é linda, e o mais incrível que durante o livro Patti diz que seus amigos dizem que em suas fotos ela sai parecida com Robert, e isso é verdade, a simbiose deles é tão forte que eles parecem um! As fotografias dizem mais do que o esperado!

Mais uma vez Patti foi capaz de dizer muito em sua escrita, daquilo que não é substancial, e que faltam palavras para ser dito. Ao término do livro você se sente preenchido destes itens que muitas vezes nem sabe nomear, mas que é capaz de sentir! Além da enorme empatia e carinho que é despertado ao longo da leitura por estes dois maluquinhos!

Só garotos inspira a autenticidade, a busca pela verdade interior e a persistência nas relações. É um trecho de uma história de vida, e o nascimento de uma história de amor sem todos os clichês. Além de uma história sobre o nascimento de várias manifestações artísticas nas sujas ruas de New York. Leia por Smith, leia pela inspiração, leia pelo amor! Sim ele tem sexo, drogas e rock 'n'roll, mas este é um mero detalhe nestas páginas regadas de emoção.

Avaliação









Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. For your personal decorative motifs, please download the lid template and insert your motif using a CAD program. If you’ve seen our launch video for the Sonic Mighty 8K, you should have seen the three primary models that we choose to symbolize the powerful particulars ... You Bluetooth Headsets will need to|might need to} check for any damages, scratches, or bumps in your FEP or PFA film. Isn’t out there on the Slicer Software, you will need to manually type within the print parameters. For all Phrozen 3D Printers, please click on hereto find out which numbers to key in. Clickherefor a extra detailed blog post on the significance of setting helps.

    ResponderExcluir