Simplesmente o Paraíso - Quarteto Smythe-Smith #01 - Julia Quinn

Honoria Smythe-Smith sabe que é péssima como violinista, mas ainda assim adora que sua família tenha uma tradição por tantos anos e se sente feliz por poder participar dela, mesmo sabendo que o público que as assiste preferia ficar surdo por algumas horas só para não ter que enfrentar aquela tortura. Para estar “preparada” para a apresentação, ela e suas primas aptas – as jovens solteiras da família – ensaiam bastante, mesmo que isso não sirva de muita coisa. E nossa protagonista sabe que não adianta em nada reclamar de alguma coisa, então nem o faz. Durante o espetáculo, ela sempre mantém um sorriso no rosto como se estivesse fazendo algo lindo de se ver, mesmo que não seja nada bom de ouvir, enquanto deseja fortemente encontrar um marido ideal que não queira uma esposa com talento musical, com quem possa ter uma grande família feliz.
Marcus Holroyd é um tímido conde, melhor amigo do irmão mais velho de Honoria, Daniel, para quem fez uma promessa muito importante alguns anos antes. Daniel Smythe-Smith foi para o exílio, mas, antes disso, lhe pediu para cuidar de Honoria e impedir que ela se casasse com pretendentes inadequados. O problema é que aos olhos de Marcus, todos eles são de fato inadequados e ele sempre tem que espantá-los, de uma forma discreta, claro. Até que Marcus começa a perceber que talvez a razão de não achar alguém bom o suficiente para Honoria não seja por conta da personalidade deles (mesmo que algumas delas sejam bem ruins), mas devido a seus próprios sentimentos. Será ele capaz de se declarar ou pelo menos dar o primeiro passo, ou perderá ela para sempre?
Depois de ter lido todos os nove livros e me apaixonado pela família Bridgerton, estava ansiosa para conhecer novos trabalhos e personagens criados por Julia Quinn, que desde o começo da primeira série que li dela já se tornou uma das minhas autoras favoritas da vida. Então, quando a Editora Arqueiro anunciou a publicação dessa nova série, sabia que precisava tê-la para ler o quanto antes.
Duas coisas me animaram muito a respeito do “Quarteto Smythe-Smith”. A primeira foi que na verdade nós já conhecíamos essa família tão famosa há muito tempo, justamente porque em diversas obras dos Bridgertons ela aparece com seus membros tocando no quarteto, ano após ano, mesmo com sua fama de as moças do mesmo serem péssimas. Então pudemos compartilhar os momentos com os personagens, que vivenciaram cenas hilárias e outras penosas nessas apresentações. Foi bem bacana saber que agora teríamos a oportunidade de conhecer algumas das meninas responsáveis pelas apresentações e saber o que elas sentiam com essa tradição familiar que era imposta a elas.
A segunda foi que a editora publicou todos os quatro volumes de uma única vez aqui no Brasil e isso nunca tinha acontecido antes. O que é maravilhoso porque não temos que esperar um tempo muito longo para conferir as demais histórias. Então fiquei realmente muito empolgada para conferir esse quarteto.
Como eu já imaginava, adorei essa leitura! É possível sentir a atmosfera divertida e leve de Julia em todas as suas obras e dessa vez não foi diferente. Os personagens são carismáticos e donos de diálogos inteligentes e interessantes, as situações são envolventes e o romance faz nosso coração palpitar. Em comparação com os meus preferidos de Quinn, este não está entre os que mais amei, então ganhou quatro casinhas de avaliação final, mas, mesmo não estando dentre os melhores, continua sendo sensacional.
O romance foi bem desenvolvido e aconteceu aos poucos e foi se desenvolvendo de uma forma deliciosa, daquele tipo que nos faz torcer pelos personagens e desejar que fiquem juntos o quanto antes. E, quando finalmente isso acontece, que nunca mais se separem. O mais legal de tudo é que eles eram amigos de infância e essa amizade foi dando lugar para sentimentos mais fortes antes de surgir o amor. Honoria é maravilhosa e Marcus com sua timidez é um fofo apaixonante.
Esse livro começa quando a série “Os Bridgertons” ainda não tinha sido finalizada (ocorre em 1824, mesma época de “Os Segredos de Colin Bridgerton”, quarto volume), e nem todos os irmãos estavam casados ainda. A própria Honoria, protagonista aqui, estava interessada em ninguém menos do que Gregory, o último dos irmãos a continuar solteiro. E ainda tivemos algumas ilustres participações de personagens que já conhecíamos e amávamos, como Lady Danbury (que é tia-avó de Marcus), o próprio Greg e seu irmão mais velho, Colin Bridgerton.
Uma curiosidade é que há um erro cronológico nessa história, que a própria autora admitiu que nem percebeu isso, assim como seu editor, revisores, irmã, etc. O que acontece é que o Colin primeiro apareceu casado e depois solteiro. E os leitores dela foram os primeiros a notar essa distração, apenas oito horas após o lançamento do livro nos EUA (!!).
Devo dizer que simplesmente AMO quando escritores criam histórias diferentes de séries distintas no mesmo universo, ou seja, que são independentes, mas podem aparecer personagens que já conhecíamos e amávamos de outras de suas obras. Dá a sensação de que aquilo tudo é mais real, além de ser maravilhoso poder rever aquelas pessoas tão especiais que parecem que fazem parte de nossas vidas.
A narrativa da autora é descontraída, envolvente, alegre e gostosa. É difícil eu pegar um de seus livros para ler sem mergulhar na trama e ficar completamente envolvida até acabar. Mesmo que demore dias para isso, como acontece normalmente, não consigo me desligar totalmente de suas histórias em nenhum momento.
Amo as capas da série, que combinam entre si, fazendo com que a gente consiga perceber que pertencem a um mesmo universo. E também porque são lindas visualmente falando e as edições físicas contam com acabamento soft touch (textura aveludada) e título em dourado. A diagramação do texto é confortável para uma leitura prazerosa e as páginas são amarelas.
Com “Simplesmente o Paraíso” Julia Quinn começa mais uma de suas séries com o pé direito. Ri, fiquei encantada e me apaixonei outra vez por seus protagonistas, personagens secundários, cenários, cenas, romance, época e trama. Então tenho que indicar essa leitura para todos os amantes do gênero, para os que ainda não embarcaram nessas histórias e para todos os que adoram uma deliciosa e divertida história de amor.
Avaliação



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário