The 100 – Os Escolhidos (#01) – Kass Morgan

Uma Guerra Nuclear dizimou a Terra séculos atrás e os únicos sobreviventes foram viver em uma espaçonave a quilômetros de distância, onde vivem e aguardam até o planeta estar em condições de habitar seres humanos novamente. Agora, por conta de alguns problemas e uma busca por salvação, 100 jovens delinquentes que aguardam seus rejulgamentos – nos quais provavelmente serão condenados à morte – são escolhidos para serem enviados à Terra em uma missão perigosa: testar a radiação e as condições do local para saber se há ou não perigo de voltar a ser recolonizada por humanos. E esta é a última esperança da humanidade.
Desde o ano passado, quando vi que uma série distópica iria estrear na CW (emissora de TV americana), fui logo assistir o trailer da mesma e fiquei muito empolgada para que ela começasse logo a ser exibida, porque parecia incrível e com um enredo bem movimentado, como eu gosto. Aí, enfim, chegou a data de exibição e eu pude acompanhá-la. Posso dizer que gostei do piloto (primeiro capítulo) e resolvi continuar assistindo, mas aí vi o que livro iria ser lançado aqui no Brasil pela Galera Record e preferi deixar para continuar a acompanhar após a leitura. Então vi apenas até o terceiro capítulo, mas pretendo retomá-la em breve e depois conto para vocês o que achei.
Foi por conta da série que eu conheci a obra de Kass Morgan, que na verdade serviu de inspiração para a produção exibida pela CW e, como livros são quase sempre melhores, fiquei muito ansiosa para ler o quanto antes, e foi o que fiz assim que tive a oportunidade.
O livro é narrado em terceira pessoa e acompanha a vida de quatro personagens, sendo intercalado em capítulos com o nome de quem iremos seguir naquele momento. São eles: Clarke, Wells, Bellamy e Glass.
Clarke é a primeira que vamos conhecer, ela está presa há alguns meses por traição, enquanto aguarda um novo julgamento que provavelmente a condenará à morte. Ela é de Phoenix e, em seu passado teve um relacionamento com Wells, de quem agora só quer manter distância.
Em seguida somos apresentados a Wells, que é o filho do Chanceler e também foi Condenado, mas seus motivos são outros, já que só fez isso quando soube que Clarke ser mandada para a Terra seria a única maneira de mantê-la viva e ele precisava estar lá com ela para protegê-la, custe o que custar. Ele só deseja que ela possa perdoá-lo um dia.
Depois conhecemos Bellamy, o único dos protagonistas que não é de Phoenix e, sim, de Walden. Ele não havia sido Confinado também, mas era o único na nave que tinha uma irmã, Octavia, a quem ele ama incondicionalmente. Ela estava Confinada e seria enviada ao planeta junto com os outros, então ele precisava entrar no módulo de transporte para não perder a irmã para sempre, assim Bellamy conseguiu montar um plano e invadiu o local nos últimos segundos.
Para finalizar, há Glass, que será responsável pela nossa visão de dentro da nave. Ela também estava Confinada e seria enviada à Terra, mas, nos últimos segundos, graças à oportunidade vinda de Bellamy, ela foge e vai atrás do garoto que ama em busca de perdão.
Quando a gente assiste a série antes de ler o livro, já começamos com a ideia física e da personalidade dos personagens na cabeça, associando-os com atores e suas interpretações, falas e ações (pelo menos isso acontece comigo), e eu, infelizmente, não senti tanta simpatia assim por quase nenhum personagem da série, achei eles bem chatinhos e enjoadinhos em sua maioria (espero que isso mude depois de assistir mais alguns capítulos). E isso acabou refletindo em minha opinião sobre cada um deles no começo da leitura.
Só que, após esta comparação inicial, percebi que os do livro são bem diferentes dos da série, em suas essências, mantendo apenas algumas características superficiais, e isso fez com que eu gostasse mais de todos eles! Ainda não sei quem é meu preferido dos quatro protagonistas, mas achei suas personalidades interessantes e algumas de suas ações bem admiráveis.
A narrativa foca no presente dos personagens, pouco antes de serem enviados ao planeta, e quando eles chegam aqui, onde se deparam com um cenário bem diferente do que imaginaram, com muitas árvores e vida, e, aparentemente, não tóxico. Mas, vez ou outra, há trechos importantes de seus passados, nos levando a conhecer o que aconteceu a eles antes de ir para a Terra e os motivos principais de serem como são, revelando seus segredos aos poucos.
Esse livro é pós-apocalíptico, afinal acontece num futuro bem distante, após uma Guerra Nuclear, e depois que a Terra tinha ficado séculos sem novos moradores, sendo que uma parte da população fugiu e foi viver em naves. Só teve algumas incoerências com a realidade a respeito da nova habitação da Terra por humanos que nunca antes tinham saído da espaçonave e muito menos vivido sob o sol, por exemplo.
E tem indícios de distopia, que não é assim tão explorada, já que sabemos pouco sobre a vida na espaçonave, pois eles são mandados para o planeta logo no começo da leitura e, quando citam ou cenas do passado são relembradas, se focam mais nas tramas pessoais dos personagens e não em como eles vivem em comunidade ali. Mesmo que haja um controle por parte do Chanceler, do Conselho e de outros que têm o poder.
Há uma divisão dentro da espaçonave, a Colônia é dividida em três grupos, como bairros, por exemplo. Sendo Phoenix, de onde vem três dos nossos protagonistas, o de pessoas com melhores condições, Walden e Arcadia, onde a população sofre com muitos racionamentos e condições de vida não muito boas.
Algumas das coisas que dá para notarmos como a forma que eles escolheram para o funcionamento da Colônia de forma mais harmoniosa (na visão dos mais ricos) e para sobreviverem por mais tempo, são, por exemplo, as famílias não podem ter mais de um filho e precisam registrar a quantidade de moradores nas casas, nos grupos Walden e Arcadia as pessoas tem maiores dificuldades de sobrevivência, ficam com os empregos mais difíceis e perigosos, e dos quais não tem muita preferência sobre o que querem fazer, a comida e a água são racionadas, etc.
Em toda a nave, maiores de 18 anos que cometem crimes são punidos com execução, os menores de idade são confinados até completar a maioridade, quando são julgados novamente, recebendo o perdão ou a pena de morte. Mas, desde alguns anos atrás para cá, todos os que passam por julgamento acabam recebendo o pior destino e também são condenados à morte.

Há o início de um triângulo amoroso entre Clarke, Wells e Bellamy e eu posso apostar que estou torcendo pelo pretendente errado. Só preferia que não existisse este triângulo porque não vi necessidade em sua criação e, confesso, não aguento mais!
Como comentei anteriormente, assisti a série, então vou citar algumas coisas de diferente que encontrei entre um e outro, sem spoilers, mas repetindo, só assisti os três primeiros capítulos, então não dá para saber se há muitas outras coisas parecidas. Glass não existe na série, Wells e Clarke foram melhores amigos lá, e nas duas ele só quer protegê-la, colocando sua própria vida em risco por isso, mas a verdade do seu passado no livro é diferente. Bellamy (quem não gosto muito na série) e Octavia realmente são irmãos e ele faz a mesma coisa para poder entrar no módulo de transporte. Há, na série, mais personagens importantes e com destaque. E o pior, em minha opinião, teve uma morte de um personagem que eu gostei muito na série, pelo menos fico contente que no livro ele está vivo e espero que continue assim.
Este volume termina em cliffhanger (aquele recurso em que o autor finaliza no ápice, sem dar respostas do que vai acontecer em seguida, mas deixando o leitor super curioso) e estou bem ansiosa para ler a continuação, “Day 21”! Só que, infelizmente, ainda nem foi publicada lá fora (o lançamento será em setembro deste ano), e ainda não há previsão aqui no Brasil.
Adoro esta capa e a versão impressa está ainda mais bonita! O fundo da capa (a parte branca) é envernizado e o título, subtítulo, nome da autora e logo da editora estão em soft-touch, ou seja, com uma textura emborrachada. E achei isso incrível, acho que é o primeiro livro que eu tenho que a parte emborrachada são os detalhes e não o todo. Adoro que as letras e números do título possuem cenas condizentes com o que se trata a história.
A diagramação interna também está muito bem feita, com fonte e espaçamento confortáveis para a leitura, sendo usada uma tipografia diferente de quando acompanhamos o presente da de quando lemos sobre o passado, nos ajudando a diferenciá-los. Além disso, as páginas são amarelas, o que agrada a maioria dos leitores.
Se você gosta de histórias de ficção científica com um cenário pós-apocalíptico, personagens bem construídos, uma trama envolvente e que te deixa curioso para descobrir mais sobre tudo o que aconteceu no passado e o que vai ser do futuro deles, e uma narrativa bem gostosa de acompanhar, então recomendo bastante a leitura de “The 100 – Os Escolhidos”.
Avaliação



Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Eu tbm quero muito ler este livro! Acompanhei a série até o final de temporada e adorei! Sério, fazia tempo que eu não assistia uma série tão boa! Claro que no começo é chatinho e tals... estamos apenas conhecendo os personagens, mas depois me apeguei de uma maneira que não vejo a hora de voltar a assistir! rsrsrsrsrrs

    Sobre o livro, ainda não li, mas quero! Adorei sua resenha e espero gostar tanto dos personagens do livro qto gosto dos da série!

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.facebook.com/rockanapcm/posts/696528347051639

      Excluir
  2. Ainda nao vi a série, mas depois do lançamento fiquei bem curioso, vou ver se começo a assistir a série e quero muito ler o livro tbm, adoro essas historias pos apocalipticas, é um tema que gosto muito *-*
    Douglas Fernandes
    douglas_bouvier@yahoo.com.br
    https://www.facebook.com/douglas.fernandes.16

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://twitter.com/doug_fo/status/487700891948969984

      Excluir
  3. Opaa \0/
    Esse é o livro do momento graças a série de TV. Assisti aos 2 primeiros capítulos e gostei bastante da premissa da série.
    Acho ela diferente da maioria das distopias, pois ela foge um pouco da "Terra", as pessoas tiveram que se refugiar em uma nave para sobreviver e agora eles estão "arriscando" uns deliquentes ao trazerem de volta a Terra para saber se existe a possibilidade de sobrevivência..Acho interessante como as autoras das distopias enxergam o mundo pós apocáliptico, com os mais fortes (PODEROSOS) colocando os mais fracos na linha de frente como exemplo.
    A capa também me chamou a atenção, achei ela simples e de bom gosto. Mal posso esperar para ler =)

    ResponderExcluir
  4. Esse livro está fazendo um sucesso, em? Por onde olho há leitores querendo ler ele e eu não sou diferente, fiquei super interessada no livro mesmo sem saber o que sobre o que realmente ele era, eu sabia assim por cima, com a sua resenha agora tenho uma visão melhor da história. Achei tão mas tão romântico o Wells, ele quis ser condenado só para poder estar junto com a garota que gosta e protegê-la, olha só quanto amor, embora eu ache um tanto difícil isso, pense comigo: O cara está lá vivendo em um lugar "bom" e então decidi ir até a terra, aparentemente tóxica, só para ficar ao lado de uma garota, acho um tanto difícil, até porque a maioria das pessoas de hoje só pensam em si mesmas :c kkkkk Mas voltando, eu achei bem bacana o livro ser intercalado entre os 4 personagens, eu gosto de livros assim, porque a gente acaba tendo uma visão mais ampla da história, pois conhecemos vários personagens, não fica o foco apenas em um e tals. Também simpatizei muito com o Bellany, achei super bonita a atitude dele de ir junto para a Terra por causa de sua irmã *-* Quanto a série, eu queria assistir ela, mas acabei que não fiquei lá muito interessada, sem contar que eu fiquei sabendo do livro junto com a série, então entre os dois, eu prefiro ler e depois assistir, pois comigo é igual você falou, se eu assisto algo, quando vou ler fico com os atores na cabeça e não consigo imaginar o personagem de outra forma, por essa razão sempre prefiro ler antes de assistir. Por fim, eu devo dizer que adoro a capa desse livro também e não imaginava que tivesse detalhes emborrachados, acho que não tenho nenhum livro assim, poxa, eu quero kkkk

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  5. Quero muito ler esse livro, acompanho a serie e me encantei pela história, é ótimo ver um livro se dando bem nas adaptações televisivas. É uma pena que eu já tenha visto a série, também sou daqueles que se prendem aos personagens, se bem que se tivesse lido o livro e visto que há diferenças também iria ficar dizendo "mas isso nem existe no livro". Sou apaixonado pela Clarke e confesso o Bellany mesmo um anti-vilão é muito show. No triangulo amoroso entre os dois e o Wells torço pelos dois, até por que na serie Wells já se uniu a terra (que Deus o tenha).

    ResponderExcluir
  6. este é um dos livros que mais desejo ler no momento. Pelo seu conteúdo e seus comentários já fiquei mais que entusiasmada. Estou afoita pra ler. Não vejo a hora depoder conferir esta história incrível. Beijos.
    elizabethmsalles@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Compartilhei: https://twitter.com/NewboldMachado/status/488467846750801921
    elizabethmsalles@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Tinha visto algumas pessoas reclamando que o livro não tem foco nos outros personagens, que entre 100 pessoas escolheram colocar quatro em foco, mas seria impossível acompanhar a história de todos e se apegar a algum deles. Na série também acontece isso com alguns em evidência para o público ir se adaptando e torcendo por eles, acho que a autora soube manejar muito bem isso tudo. Sem contar que esses quatro personagens conversam diversas vezes com outras pessoas e para se lembrar de todos e de suas histórias? Não é nada fácil, porém acho que no próximo volume ela dê foco em outros personagens mesmo porque terminou de forma que deixa todos nas expectativas do que irá acontecer com nossos queridos personagens.gostei do seu ponto de vista sobre o volume, ótima resenha =D

    ResponderExcluir