Olympe de Gouges – Catel Muller & José-Louis Bocquet

Marie Gouze, nome original de Olympe, nasceu na cidade de Montauban em 1748, fruto de um caso extraconjugal de sua mãe com um homem nobre que amava, mas que nunca assumiu a paternidade de sua filha no papel. Marie sempre foi dona de uma personalidade forte e marcante e era apaixonada por leitura.
Ela acabou casando muito cedo com um homem de quem não gostava porque sua família o aprovava e foi violentada por ele. Após o nascimento de seu filho, ela ficou viúva e resolveu que nunca mais ia se casar novamente, porque acreditava que o matrimônio era "o túmulo do amor".
Depois deste período, aos 18 anos e já viúva, ela se mudou para Paris com seu filho e foi morar próximo à irmã, com quem teve uma relação muito boa. Lá ela adotou o pseudônimo Olympe de Gouges e também conheceu o amor através de Jacques Bétrix, um homem rico que a ajudou financeiramente com uma renda, fazendo com que ela tivesse uma vida estável e confortável, mas foi mal vista pela sociedade por conta desta relação.
Em Paris, Olympe também participou ativamente da vida política e cultural, conheceu e fez amizades com pessoas importantes e influentes de áreas intelectuais, como filosofia, literatura e política, mas também conquistou inimigos e enfrentou a sociedade e seu conservadorismo.


Fascinada pelas obras de Rousseau e pelas ideias libertárias, ela se dedicou à escrita pelo resto de sua vida, atividade que acabou causando diversos problemas para si própria, mas também conseguiu conquistar grandes feitos para a época. Foi ela que, em 1791, redigiu a Declaração dos direitos da mulher e da cidadã, reivindicando a igualdade entre os sexos e o direito ao voto.


Gosto bastante de HQs, mas não sou especialista e nem nada perto disso, apenas me interesso por esta forma de leitura, que acho bem prazerosa. E eu nunca tinha lido uma história em quadrinhos que trouxesse pessoas reais que fizeram parte da História mundial, e gostei muito da experiência. Espero poder ler outros volumes neste estilo.


Confesso que não conhecia Olympe de Gouges e nem sabia que ela viveu parte de sua vida em Paris e na mesma época de Maria Antonieta. Digo isto porque este ano eu li a biografia de Maria Antonieta, então achei interessantíssimo poder vê-la, mesmo que por pouco tempo e quase nenhuma cena, nesta HQ também. Além de conhecer um pouco mais da mesma parte da História, a Revolução Francesa, mas só que por outro ângulo.


A leitura desta obra é bem dinâmica e recheada com diversos diálogos inteligentes, o que deixou o texto ainda mais rico e gostoso de acompanhar. A narrativa é cronológica, mas não é linear, o que acabou sendo um ponto negativo, pois há muitos cortes, então eu me confundia às vezes e precisava reler para entender aquele pulo na passagem de cena ou tempo.


Olympe foi e ainda é uma mulher admirável que estava muito a frente de seu tempo e nunca abaixou a cabeça para o que achava errado, escrevendo peças de teatro, panfletos e cartazes com críticas sociais, como ideias antiescravistas, igualdade entre sexos e divórcio.
Gostei muito de poder acompanhar a evolução de Olympe, que está bem evidente conforme as páginas vão avançando. Também achei incrível que, mesmo passando por inúmeras dificuldades e proibições por conta de suas ideias libertárias, ela nunca deixou seus ideais de lado até o fim de sua vida, dizendo o que achava que deveria dizer sem se preocupar consigo, somente com o melhor para os outros. Além de acompanharmos sua vida e seus feitos, também são citados momentos históricos muito importantes.


Enquanto de um lado há coisas bonitas sendo representadas, como a luta pela melhoria por parte de Olympe, e o amor entre mãe e filho, que achei simplesmente lindo, também há cenas mais pesadas e, portanto, não é voltado para o público infantil, inclusive há cenas de sexo e abuso, mesmo que não tão explícitas.


No final da leitura há duas partes que achei muito interessantes. A primeira, denominada “Cronologia”, traz todos os momentos importantes da época, tanto os que pudemos acompanhar na leitura, alguns com Olympe como protagonista ou peça fundamental, quanto outras de suma importância para a sociedade que ocorreram no mesmo período de tempo. Talvez, se eu tivesse lido isto antes do resto da leitura, me perderia menos com os acontecimentos. Depois há uma parte chamada “Pequenas Biografias”, que, como o título sugere, nos apresenta biografias reduzidas de personalidades importantes que apareceram em algum momento durante a leitura dos quadrinhos.


O trabalho gráfico está incrível, a HQ é grande e tem um formato maior do que o padrão dos livros, com 16 x 24 cm, além de ser enorme e contar com quase quinhentas páginas. As folhas são bem grossas e amarelas, e a fonte e espaçamento do texto estão em ótimo tamanho facilitando a leitura por um período maior de tempo. No início de cada capítulo há uma ilustração com o nome do local e o ano para onde seremos levados naquele momento.


Acho esta capa linda, mesmo que simples, e a versão impressa está bem legal com verniz localizado tanto na ilustração quanto no título. Os traços são simples, mas detalhados, e todas as ilustrações internas são em preto e branco. O único problema é que algumas pessoas são muito parecidas com outras, e, por não ser colorido, muitas vezes eu acabava me confundindo em quem era o personagem que estava aparecendo naquele momento.


Apesar de ser um livro bem grosso, a leitura é bem rápida e fluida. E, por se tratar de quadrinhos, há pouco texto por página, o que deixa tudo ainda mais ligeiro, e quando percebemos já chegamos ao final da obra e ficamos com vontade de voltar e ler tudo novamente.
Com certeza recomendo a leitura desta HQ fantástica para todos os amantes de História, para conhecer (ou reler) uma parte fundamental da Revolução Francesa e dos direitos das mulheres, protagonizada por uma mulher forte e corajosa, e narrada de uma forma diferente, ágil e fascinante.

 Avaliação








Comente com o Facebook:

13 comentários:

  1. Olá meninas!
    Tbm não sabia nada sobre Olympe. Mas gostei da resenha e do livro que por sinal é lindo demais. Nunca vi nenhum livro com personagens reais em HQ! Adorei mesmo! Mas não sei se leria! rsrsrsrsr

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.facebook.com/rockanapcm/posts/696275677076906

      Excluir
  2. Hey girls :D
    Caramba, eu não fazia ideia que a história contasse com alguém como a Olympe *-*
    Como as aulas de história da escola seriam tão melhores se ao invés de só decorar conteúdos a gente também tivesse contato com nomes que realmente fizeram história lutando por direitos, nesse caso o das mulheres. História é uma área fascinante, e só consigo ter vontade de pesquisar hoje, que já saí do colégio há muito tempo. Super curto HQ's, apesar de não ter muito contato com elas achei que esse formato deu uma certa "mobilidade" para história, ao invés de um texto duro e cheio de datas, temos a história de alguém se misturando aos acontecimentos.
    Super curti :D
    Amei as fotos e a resenha, bem recheada de opinião, parabéns :D
    Beijoux ;*
    @pirulitolimao | http://agarotadalivrariia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela ótima resenha, ficou explicativa e detalhada o suficiente, sem ser demasiado extensa e cansativa. O que não é uma tarefa muito fácil ao descrever uma obra tão extensa e de conteúdo histórico, político e filosófico.
    Eu não conhecia Olympe de Gouges e estou impressionada com isso! Adoro ler pensadoras feministas, conhecia a famosa e também feminista e francesa Simone de Beauvior. A conheci quando estudei Sartre (seu marido).
    Seus escritos sobre liberdade, política, feminismo e velhice são inspiradores! É uma mestre!
    E por isso estou ansiosa para conhecer também Olympe. Saber se sua linha de pensamento se assemelha à de Simone. Você diz na resenha que uma de suas bases filosóficas é Rousseau, com o qual não me identifico muito e por isso mesmo a curiosidade em ler os escritos dela.
    É sempre inspirador conhecer estas mulheres gigantes que enfrentaram toda uma sociedade conservadora para defender os ideais que consideravam ser justos. Elas falam de liberdade!
    O livro é delicado e atrativo! Capas brancas sempre são apaixonantes.
    Achei a ideia dos quadrinhos genial, pois às vezes ler tais histórias com conteúdo filosófico e político pode ser massante.
    Enfim, este livro é o meu mais recente de cobiçado sonho de consumo e de leitura! (Sério, me apaixonei).
    Beijos, beijos ;*
    http://vanille-vie.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Bem diferente de tudo que eu já li, por isso mesmo acredito que essa leitura vai ser uma agradável surpresa.
    kmfortes28@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito do universo de quadrinhos e nem conhecia esse livro e o trabalho que a editora fez com ele. Achei pela resenha que a história é sobre superação e direitos e para um livro desse tipo acho um tema forte, não é meu tipo de leitura mas aprecio o bom trabalho da editora.

    ResponderExcluir
  6. Acho HQ lindo demais *-*
    tenho aqui um da Agatha Christie que é lindo demais *-*
    o livro quando tem umas figuras da um toque diferente na leitura né, as vezes é bom ler um livro assim pra relaxar.
    Douglas Fernandes
    douglas_bouvier@yahoo.com.br
    https://www.facebook.com/douglas.fernandes.16

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://twitter.com/doug_fo/status/483734447368310784

      Excluir
  7. Caraca, não imaginava que esse livro era um HQ e que falasse sobre isso, achei super bacana a história ser sobre essa mulher que lutou tanto por direitos, é ótimo conhecer a história, mais ainda por meio de livros assim, pois acaba sendo mais agradável, não é? Eu realmente fiquei fascinada com a história, fico imaginando o quanto essa mulher foi forte, desde o casamento dela. Imagine só ter 18 anos, ser viúva, ter um filho para criar e se mudar para outra cidade? Deve ser muito difícil, o bom é que ela contou com a ajuda da irmã e também com a do Jacques, caso contrário acredito que a vida dela iria ser mais difícil ainda do que já foi... Bom, eu adorei esse livro mesmo, por que não os professores não usam livros assim para ensinar seus alunos? Seria tão mais dinâmico e fácil, apoio o uso desse livro na aula de história kkkkk Embora eu tenha gostado de tudo, devo confessar que fiquei meio assim quando vi que o livro tem quase umas 500 páginas, gente, que gordão que ele é kkkk Mas como você disse, por ser u m HQ não tem muito texto, o que é bacana, fiquei um tanto desanimada também por você ter dito que o livro possui cortes e com isso nos confunde, mas fiquei feliz ao ver que a leitura flui fácil e gostei das ilustrações também, embora elas sejam em preto e branco e você tenha dito que isso tambpem causa uma certa confusão em relação aos personagens, acho que ficaria bom se fosse colorido, não é? Assim conseguiriamos identificar mais fácil os personagens e tudo mais kkkkk Por fim, devo dizer que realmente adorei essa resenha, amei as fotos, como falei estava sentindo falta delas nas resenhas (pelo menos em duas que eu vi não há fotos) pois com elas, a gente acaba conhecendo mais o livro, dá para ver bem a diagramação e tals, eu apoio vocês sempre estarem fazendo resenhas com fotos u.u kkkkkkk Bom, eu falo demais :c É isso, a resenha ficou ótima mesmo, bem explicativa e acredito que acabou deixando todos interessados :3

    Beijos :*
    Larii.rock@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://twitter.com/Larii_Telles/status/485782730220003328

      Excluir
  8. Oiee ^^
    Não conhecia esse livro, mas gostei bastante da premissa dele. Uau, viúva aos 18?
    Não gosto muito de quadrinhos, mas com certeza leria Olympe.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Fiquei encantada em conhecer a história dessa personagem ilustre. Não esperava que este livro tivesse uma trama tão interessante assim. Uma personagem fora dos padrôes e cheia de personalidade. Isso sim que é uma mulher decidida e com personalidade. Deve ter sido difícil pra ela naquela época. Viver fora das normas da sociedade e ser uma mulher ativa e com pensamentos que divergiam com sua época, era causa de discriminação e reclusão social. Fiquei mais que satisfeita ao conhecer este livro e vou querer ler. Beijos.
    elizabethmsalles@hotmail.com

    ResponderExcluir
  10. Compartilhei: https://twitter.com/NewboldMachado/status/488467846750801921

    ResponderExcluir