Óculos, aparelho e Rock’n’Roll – Meg Haston


Vi esse livro pela primeira vez na Bienal de São Paulo, e a capa me encantou bastante. Achei super linda e divertida e logo me peguei virando-o para poder ler a sinopse do livro. Essa me deixou ainda mais curiosa sobre esta história que parecia ser muito agradável e me render boas risadas. Não poderia estar mais certa. A história me proporcionou ótimos momentos de um jeito leve e descontraído.
“Óculos, Aparelho e Rock’n’Roll” conta a história de Kacey Simon, uma garota de 13 anos que estuda na Escola Marquette e, além de ser popular, também tem o seu próprio programa de televisão na escola denominado Simon Falando, onde dá conselhos um pouco inusitados para as pessoas que lhe escrevem. Com suas lentes de contato violeta ela começa a sentir muita coceira na vista e até repara que seus olhos estão totalmente vermelhos no lugar que era para estar branco. O resultado disso foi uma grave inflamação ocular que a leva a usar óculos fundo de garrafa nada populares.
Claro, que como era de se esperar de uma menina popular e tal, ela não iria querer usar o seu par de óculos, e isso acaba rendendo muita confusão para a protagonista e umas boas risadas para a gente. E quando parece que nada podia ficar pior na vida de Kacey, seu dentista acabou descobrindo um problema em seus sisos que estão empurrando os outros dentes e consequentemente entortando os demais, fazendo com que ela tenha que usar um aparelho.
Agora com óculos e aparelho, nossa protagonista acaba sendo obrigada a ver a vida de uma forma diferente do seu habitual, descobrindo quem são seus verdadeiros amigos e que a vida é muito mais do que ser um rostinho bonito.  Se você gosta de meninas malvadas, um cenário bem adolescente, muitos dramas, erros e acertos e tudo bem divertido está é uma leitura quase que obrigatória.
Os personagens são super bem trabalhados e representam bem pessoas desta idade. Achei um certo personagem muito fofo e ele acabou ajudando bastante a nossa protagonista nessa sua nova fase, assim como uma antiga amiga que se mostrou mais verdadeira que as atuais.
Típico livro adolescente que trás uma história fofa e descontraída com bastante drama, comédias e uma pitada de romance. Ele é narrado em primeira pessoa, e a forma que a autora escreveu ficou muito gostosa de um jeito que prende a gente até a última página. Sei que esta narrativa tem todo o tipo de história que daria um bom filme de adolescente (que eu ficaria louca para assistir assim que eu visse o trailer) e eu realmente gostaria que ela virasse um, tenho certeza que daria uma boa bilheteira.
Sem ficar cansativo, a autora conduziu tão bem a história com bastante originalidade em meios a tantos clichês que quando cheguei no final nem acreditei que eu não tinha o próximo volume em mãos tipo para ontem para saber o que iria acontecer, já que algumas coisas ficaram no ar para a continuação.  
Sobre a capa só tenho que dizer que eu amei. Ouvi algumas pessoas dizendo que ela estava meio infantil e tal, mas eu particularmente gostei e não achei ela assim tão infantil não. A diagramação como sempre está perfeita (a Intrínseca sempre se preocupa bastante com a qualidade dos livros) e as páginas são amarelas.
Super recomendo este livro a todas as pessoas que, assim como eu, gostam de uma boa história descontraída e que nos rende muitas risadas, sendo um ótimo passatempo.
Avaliação



>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 06 - FORMULÁRIO


Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. Adorei a resenha e acho que vou amar o livro. Me parece uma leitura leve e divertida, nada muito profundo, mas que rende muitas risadas e muita diversão.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei encantada com essa capa desde que a vi, principalmente que tem esse ROCK'N'ROLL estampado na capa de todo tamanho. É tão dificil achar livros que fazem alusão ao Rock hoje em dia. E a historia realmente parece divertida, tipo aquelas que você lê num feriadinho prolongado na rede do sitio. Adorei a sua resenha e espero conseguir esse livro o mais rapido possivel.

    Beijos, Júlia
    Declarações de Inverno

    ResponderExcluir
  3. Às vezes faz falta um livro com uma história assim, mais leve, para distrair e descansar a mente. Acho que esse serve bem a esse propósito. É a primeira resenha que leio dele, mas já está anotado aqui.

    ResponderExcluir
  4. A capa não me chamou muito a atenção, mas muitas pessoas que leram esse livro também fizeram resenhas positivas sobre ele, aí eu comecei a ficar interessada, pois realmente a história parece ser boa e gostosa de ler :D

    http://monstroc.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Não sei se vou gostar desse livro, alguém como eu que acabou de ler um livro que goteja sangue como A Companhia Negra não tende a gostar mto de um livro tão teen, massss meu lado psico tende a se interessar para ajudar na expansão do pensamento clínico rs...quem sabe um dia leio.

    Boa Resenha Moça!

    Miquilis: Bruna Costenaro

    ResponderExcluir
  6. A capa é gracinha, achei super bem pensada e harmônica. Porém, a história em si não me interessou nadinha...infantil demais. ^^' Mas tudo bem, cada autor tem seu estilo e cada livro é para um tipo de público, e eu definitivamente não sou o público-alvo desse livro em específico. De qualquer forma, parabéns pela ótima resenha.

    ResponderExcluir
  7. Me apaixonei pela capa no primeiro momento em que a vi, no entanto pensei que o livro era muito bobinho pela idade da protagonista. Abandonando meus pré-conceitos, pensarei em ler mesmo não sendo o público alvo. Uma tarde de sábado pede um livro teen como este, então vou atender a esta vontade! hahaha
    A personagem parece ser aquela que se mete em inúmeras confusões que nos fazem rir, mas que acabam fazendo com que ela amadureça um pouco.
    Torço para que não seja uma série muito extensa e as capas continuem sendo tão lindas.
    Adorei a resenha e me encantei com um livro tão "sessão da tarde".

    Beijos,
    Samy Aquino. (@umalimonada)
    http://samyaquino.blogspot.com

    ResponderExcluir