Como Se Casar Com Um Marquês - Agentes da Coroa #02 - Julia Quinn

Elizabeth Hotchkiss é uma moça solteira que passou por algumas tragédias na vida, ficando como a única responsável por três irmãos mais novos. Sua situação é difícil e eles estão passando por problemas financeiros, mas ela está disposta a fazer o que for necessário para sustentá-los e manter todos unidos, então decide que está na hora de encontrar um marido.
Sem muitas opções e sem saber exatamente como agir direito para conseguir um partido pelo menos aceitável, ela começa a se sentir um pouco desesperada. E é quando encontra um livrinho bem peculiar na estante da biblioteca de sua patroa, Lady Danbury, que promete ajudá-la com esse “probleminha”: Como Se Casar Com Um Marquês.
Intrigada, não pensa duas vezes e resolve escondê-lo dentro de sua bolsa para analisar as regras daquele pequeno manual assim que chegar em casa. Sua irmã o vê e acha que Elizabeth deve testá-lo, afinal mal não fará. E, para isso, aconselha que nossa protagonista pratique com um homem que não sirva para este propósito antes de poder usá-lo com seu pretendente certo.
E é por isso que Elizabeth decide testar aquelas técnicas e dicas secretamente com James Siddons, o novo administrador de Lady Danbury. O que ela não sabe é que essa não é sua verdadeira identidade e ele é, na verdade, o sobrinho de sua patroa, o marquês de Riverdale, que está sob esse pseudônimo para ajudar a tia a encontrar um chantagista que está ameaçando revelar um grande segredo dessa senhora a toda sociedade.
Quando chega ao local, suas suspeitas logo caem sobre a moça, ainda mais depois de perceber que ela tem livre passagem pelos cômodos e está escondendo algo. Então decide investigá-la mais a fundo. E é quando encontra em suas posses aquele livrinho sobre como arranjar um casamento com um marquês. Intrigado, ele oferece ajuda a Elizabeth com o intuito de desvendá-la para descobrir se é realmente a chantagista. Mas as coisas acabam saindo como eles dois não esperavam e um sentimento começa a florescer entre eles. Só que ela não pode se casar com alguém que não seja rico e ele não quer se envolver com uma chantagista. Porém o destino pode pregar algumas peças e talvez Elizabeth acabe conquistando o seu marquês.
Quando li o primeiro volume desta duologia, “Como Agarrar Uma Herdeira” (clique para conferir minha resenha) adorei conhecer James e ficava imaginando como seria sua história. E não é que simplesmente amei?! Fiquei bem feliz de amar mais uma obra de Julia Quinn (minha autora preferida de romances de época e uma das favoritas da vida) tanto quanto as anteriores que amei, já que não tive esse sentimento pelos três últimos livros da autora que li, ainda que tenha adorado todos. Nesta obra ela conseguiu me deixar completamente apaixonada pelo casal, torcendo para que ficassem juntos logo enquanto me divertia com seus comentários inteligentes, suas provocações e maneiras de agir um com o outro.
O enredo deste exemplar é simples e tem aquela pitada de clichê que a gente adora, e acho que ficou perfeito exatamente por conta disso, já que a autora soube trabalhar muito bem essas questões. A trama é bem desenvolvida, muito gostosa e flui maravilhosamente bem.
Os protagonistas são adoráveis e adorei acompanhá-los com a mesma intensidade. Admiro muito as atitudes de Elizabeth, a forma como cuida da família e está disposta a fazer o que for necessário para vê-los felizes, mesmo que tenha que se esforçar mais para isso. James é um fofo, adoro o jeito como trata sua tia, Lady Danbury, e todos com quem se relaciona. O casal é maravilhoso e tem uma química incrível.
Amei as participações de Lady Danbury, personagem icônica de Quinn (se não me engano é a favorita dela e também uma das minhas – queria conhecer mais uma senhora com a personalidade dela na vida, que lembra minha tia avó, que infelizmente já se foi), que também apareceu em vários livros de “Os Bridgertons” e teve participações no “Quarteto Smythe-Smith”. Sempre que ela dá o ar de sua graça, as coisas se tornam ainda melhores, mais divertidas e até mesmo emocionantes. Ela é realmente memorável e merece todo o carinho dos leitores. Acredito que Julia tenha usado a personagem em momentos cruciais de diversas de suas séries (além das que já foram publicadas no Brasil) e mal vejo a hora de encontrá-la novamente.
Outro personagem que ganhou muito destaque foi o Malcolm, o gato de Lady Danbury. Que cenas divertidas ele protagonizou! Sempre que o gatinho aparecia, eu ria e tinha ataques de fofura com ele. Além do mais, quando era algo importante, ele também sabia como agir e foi um dos heróis em um momento de extrema importância na trama. Espero encontrar mais obras com gatos (ou outros animais) sensacionais como este por aí. E adorei os três irmãos de Elizabeth, todos fofos e engraçados. Já queria livros protagonizados por eles quando forem mais velhos.  
O fato de James ter sido um Agente da Coroa, título da série, não foi realmente utilizado neste volume, sendo apenas citado em alguns instantes. Então só pudemos acompanhá-lo em serviço no livro anterior. Eu até entendo essa decisão da autora porque não se encaixaria com a trama deste, mas ainda assim senti falta justamente por sua profissão dar nome a série. Acho que podíamos pelo menos ter visto alguma cena de seu passado, mas isso também não aconteceu.
E também senti um pouco de falta de uma continuidade mais direta com o volume anterior, porque algumas coisas lá ficaram “em aberto” no final e imaginei que seriam trabalhadas por aqui. E, mesmo com protagonistas diferentes, dava para trabalhar essa questão, já que eles são amigos e da mesma profissão. Mas isso, infelizmente, não aconteceu e acabamos ficando sem algumas respostas, mesmo que tenhamos encontrado os protagonistas anteriores, Caroline e Blake, em cenas aqui, que, aliás, fizeram toda a diferença e me diverti bastante com suas personalidades, ainda mais porque Quinn trouxe-os exatamente do jeitinho que eles eram no anterior – algo que nem todo escritor consegue fazer.
Julia Quinn sabe como construir personagens apaixonantes e muita química entre os protagonistas, e mais uma vez conseguiu demonstrar isso nas páginas de “Como Se Casar Com Um Marquês”, uma obra deliciosa, divertida, leve e fofa, que com certeza vai encantar todos os leitores que curtem o gênero e também aqueles que ainda não tiveram a oportunidade de começar a mergulhar neste mundo de outra época, com damas e cavalheiros.
Avaliação



Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Resenha perfeita...Julia Quinn sabe como construir personagens apaixonantes eu sou suspeita para falar adoro esse tipo de enredo. Com toda certeza para mim e uma leitura muito gostosa...Parabéns pela resenha amei...

    ResponderExcluir