A Princesa Salva a Si Mesma Neste Livro - Women Are Some Kind Of Magic #01 - Amanda Lovelace

“era uma vez uma garota
que era princesa.
a garota cresceu e virou
donzela.
cresceu mais um pouco
e virou rainha.

parece simples,
mas não é.
leva tempo,
amor,
superação e
dedicação para
conhecer a si mesmo.”
Contando uma história – a sua própria história – através de versos, Amanda Lovelace também fala sobre amor e empoderamento, alcançando leitores, principalmente as mulheres, para tratar de temas importantes, e também fala sobre superação e conhecer mais a si mesma, fazendo um misto de contos de fadas com nossa realidade atual, em pleno século XXI.
Com sua linguagem direta, contemporânea e muito emocionante, ela nos apresenta uma garota que se descobre conforme vai vivendo sua vida, enfrentando coisas ruins, levantando depois de inúmeras quedas, se fortalecendo, crescendo, evoluindo. Mostrando que todas somos capazes de encontrar nossos próprios finais felizes, sem depender de nada ou de ninguém e ainda que tenhamos vivenciado situações horríveis, há sempre uma possibilidade de saída.
Devo confessar que eu não sou a pessoa mais indicada para falar sobre poemas e poesias, já que não tenho costume de lê-los com frequência. Pelo contrário, já fazia alguns anos que eu não lia nada do gênero (pelo menos que eu me lembre), mas se tiver lido não foi nada significante, já que nem me recordo. Mas depois de ouvir tantos comentários positivos a respeito desta obra de Amanda Lovelace, fiquei muito interessada por esse volume, principalmente porque traz uma mulher que é, ao mesmo tempo, uma pessoa comum, forte, incrível e feminista. Então não podia deixar de ler!
E agora, depois de finalizada a leitura, não posso deixar de dizer que esta me surpreendeu muito e positivamente. Tanto que fiquei encantada com a escrita da autora e seus textos a ponto de querer ler mais coisas dela e também outras obras do gênero. Então, se você também não tem costume de ler este tipo de material, ou gosta e quer encontrar novos títulos para acompanhar, vem comigo entender o porquê de eu indicar fortemente este daqui, que se tornou um dos meus livros favoritos do ano!
Dividido em quatro partes, vamos conhecer um momento da vida da autora em cada uma delas. Começamos por “Princesa”, que é seguido por “Donzela”, Rainha e Você. Primeiramente, vemos que ela ainda está se conhecendo, começando a saber coisas da vida e dela mesma, a perceber que o mundo não é fácil e que você deve ser mais dona de si. Depois passamos por momentos bem tristes, daqueles que fazem a gente chorar com muita dor, principalmente por saber que tudo aquilo foi real. E depois temos a chance de vê-la enfrentando mais coisas, superando, encontrando sua voz, e entendendo melhor o que quer e quem é. E lutando por isso.
Apesar de curto, esse livro tem uma carga emocional bem intensa. Por ser autobiográfico e tratar da vida da autora, com detalhes sobre sua infância, adolescência e vida adulta, o leitor logo sente empatia por ela e por tudo o que viveu, porque se tem uma conclusão a que podemos chegar é que sua vida foi realmente muito difícil.
Vemos o amadurecimento, a dor, a coragem, a força, a sua volta por cima. Como ela aprendeu a superar cada etapa do que vivenciou, como fez para lidar com a vida e as pessoas e, no meio desse tempo, encontrou sua própria liberdade emocional e aprendeu a se amar.
E Amanda também trata de assuntos importantes e intensos como depressão, aceitação, transtornos alimentares, autoestima, doenças, suicídio, abusos, relacionamentos, morte, perdas.
Seus textos são simples, mas tocantes, emocionantes e reflexivos. E, mesmo que sejam devastadores, também são empoderadores. Ela mostra que ninguém precisa de um príncipe encantado saído dos contos de fadas em seu cavalo branco para te salvar. Você pode (e deve!) fazer isso por si mesma.
Esse livro na verdade faz parte de uma trilogia, cujos dois primeiros volumes já foram publicados no exterior e também aqui no Brasil pela Editora Leya. A sequência tem o título “A Bruxa não Vai Para a Fogueira Neste Livro” e já estou ansiosa para tê-lo em mãos, pois já ouvi comentários de que a autora está ainda mais amadurecida e fala mais sobre o papel da mulher na sociedade e também do feminismo. O próximo exemplar, “The Mermaid's Voice Returns in this One” (ainda sem título nacional) só será publicado na primavera de 2019 (provavelmente em março) nos EUA e já estou contando os dias para chegar por aqui também.
Gosto muito dessa capa e também a da continuação, e acho que a Leya fez uma ótima escolha com essa ilustração em traços finos para compor a mesma, já que a deixa muito mais bonita e chama mais atenção na minha opinião. A diagramação é simples e segue as ideias dos textos, e a fonte do miolo é grande e bem espaçada. As páginas são amarelas.
Para leitores que buscam obras sobre mulheres fortes e empoderadas, que conseguem dar a volta por cima e serem donas de seu próprio nariz, tomam suas próprias decisões e vivem suas vidas da maneira que desejam, sem depender de ninguém para ser feliz, ainda que também seja evoluída para compartilhar a felicidade com alguém, então essa obra é para você. Amanda Lovelace tem o dom das palavras e sabe como tocar a gente, ao mesmo tempo em que nos faz refletir e mostra que, ainda que vivamos algo bem doloroso, todos temos a possibilidade de superar e viver bem.
“se você sempre
olha para
o seu reflexo
& sente o desejo
de dizer a si mesma

que não é
boa o suficiente
bonita o suficiente,
magra o suficiente
gostosa o suficiente,

então acho
que é hora
de você quebrar
esse espelho
em pedaços,

não acha?

– use esses estilhaços para traçar o caminho
para amar a si mesma”

Avaliação




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário