Como Se Vingar de Um Cretino - Lessons in Love #01 - Suzanne Enoch

Lady Georgiana Halley está cansada dos homens e da maneira que tratam as mulheres. Mas não está sozinha nessa, afinal suas melhores amigas, Evelyn Ruddick e Lucinda Barrett, pensam o mesmo. Por isso, em uma conversa que as três têm, decidem criar uma lista com regras que acreditam que os homens deveriam seguir para poder aprender a tratar melhor as mulheres. Depois, percebem que precisam colocá-la em prática e decidem escolher um homem cada uma para darem uma lição neles que os faça aprender a ser um perfeito cavalheiro e tratar qualquer pessoa bem.
A primeira a colocar o plano em ação é Georgie, que escolhe ninguém menos que Tristan Carroway, visconde de Dare, com quem ela já teve um tipo de relacionamento no passado, mas que resultou em algo ruim e que trouxe consequências para a jovem. E tudo por causa de uma aposta que ele fez e que ela descobriu, ficando arrasada. Agora, com um misto de desejo por vingança para fazê-lo pagar pelo que fez anteriormente, e vontade de consertar a personalidade dele para que trate melhor suas próximas pretendentes, lady Georgiana volta a se aproximar de Dare com o intuito de fazê-lo se apaixonar por ela para depois abandoná-lo, ensinando a ele uma lição para que nunca mais brinque com o coração de nenhuma mulher.
Enquanto Tristan está passando por um momento bastante conturbado em sua vida pessoal, afinal sua família está à beira da falência e ele, como visconde de Dare, terá que fazer de tudo para ajudá-los. Por isso terá que se casar com uma mulher que esteja interessada no título de viscondessa, por mais que ele não consiga nutrir sentimentos por nenhuma delas. Porém, tudo fica bastante complicado já que, mesmo que ele tenha um alvo, lady Georgie volta a fazer parte de sua vida e está sempre atrapalhando seus avanços com outras mulheres, seja porque essa seja justamente a sua intenção, atrapalhá-lo, ou porque ele não consegue resistir a ela, não importe o quanto tente ou o quanto relembre que Georgie o odeie.
Mas ninguém manda no coração. E, por mais que a razão possa fazer qualquer um resistir, a emoção não consegue o mesmo desfecho. Então, por mais que Georgiana acredite que vá sair impune de tudo isso, seu coração definitivamente discorda. Resta saber se Tristan conseguirá reconquistar sua confiança e se tudo isso no final vai valer a pena.
Primeiramente gostaria de dizer que estou bem contente que a Harlequin ainda esteja investindo em romances de época e tenha decidido voltar a publicar os do período regencial como fazia alguns anos atrás, mesmo que o modelo de suas publicações tenha se modificado e agora eles sejam lançados em formato de livraria, o que é ainda melhor porque alcança um público mais amplo, para se apaixonar cada vez mais pelo gênero, fazendo com que ele cresça ainda mais e ganhe mais espaço no Brasil. Isso porque esse é meu gênero preferido, e não consigo enjoar dessas obras leves, divertidas e que trazem protagonistas à frente de seu tempo, donas de seus próprios narizes, ainda que a época não tenha sido a melhor para as mulheres. Ou seja, só tenho a ganhar, assim como todos os leitores que curtem essas obras, com novos títulos lindos e maravilhosos sendo publicados por aqui.
Dessa vez a escolha foi Suzanne Enoch, bem renomada lá fora, com mais de trinta livros publicados, mas que aqui no Brasil ainda não tinha muito destaque. Eu ainda não tinha lido nenhum livro da autora, mas já conhecia um pouco de seu trabalho através de um conto que li numa antologia, pelo qual fiquei apaixonada e se tornou um dos meus preferidos daquele exemplar. Então é claro que estava empolgadíssima para ler uma história longa dela e posso dizer que ela entregou o que prometeu e fiquei muito encantada por sua escrita e pela trama que construiu.
Georgie é uma protagonista fantástica, forte, decidida e com uma personalidade muito boa. Mesmo vivendo uma grande decepção amorosa no passado, conseguiu dar a volta por cima e lidar com as consequências de seus atos muito bem, não culpando Tristan por decisões que ela própria tomou. Também achei ótimo poder acompanhá-la lidando novamente com seus sentimentos por ele e com o fato de que o coração tem sua própria escolha, mas não deixando a razão de lado e lidando de forma bem madura com tudo isso, sem se deixar levar por Tristan só porque ele é bonito e irresistível e nem passa a confiar nele sem que ele faça por merecer. Pelo contrário, ela sabe se impor e sabe quando não aceitar o que ele diz ou faz. E, quando decide algo, faz porque quer.
Também gostei muito de Tristan. Ele é uma pessoa responsável e resignada, que sabe que deve cumprir seus deveres com a família por mais que tenha que sacrificar sua própria felicidade para o bem alheio. Ele sempre trata todos muito bem, é uma pessoa madura, apaixonante e dono de uma personalidade incrível. Gostei muito de poder conhecer seu eu verdadeiro e vê-lo tentando provar que não era exatamente o que muitos pensavam dele.
E algo que gostei bastante é que a autora soube trabalhar muito bem com os sentimentos dos personagens de uma forma natural, que não ficou forçada. Eles sabem o que fizeram no passado e entendem que tiveram suas próprias parcelas de responsabilidade e depois precisaram lidar com elas e as consequências de suas atitudes, tudo de forma bem madura e discreta. Fora que achei bem interessante como lidaram com o que sentiam um pelo outro depois de tantos anos, tentando se segurar e agindo racionalmente, mesmo que depois percebam que o amor é mais forte e acabem cedendo. Porque de vez em quando me incomoda quando determinados casais só conseguem se comportar baseando-se na parte carnal da relação, como se tudo não passasse de sexo. Enquanto aqui o amor é mais importante, mesmo que a parte física não fique de lado e, inclusive, também esteja presente em cenas explícitas na obra.  
Diversos personagens ganharam destaque. Entre eles, os irmãos mais novos de Tristan, em especial Robert, que vamos conhecer melhor no terceiro volume, como já era de se prever, pelo qual estou muitíssimo ansiosa, porque adorei o personagem com seu lado todo misterioso. Assim como as tias de Tristan, que por sinal são divertidíssimas, e de Georgie, e também suas melhores amigas, protagonistas das continuações.
A edição da Harlequin está bem bonita! Adoro essa capa, a lombada é da mesma cor do nome da autora, a folha de guarda é laranja com detalhes gráficos, as páginas são amarelas e o texto conta com uma diagramação confortável para leitura.
Como costume em obras do gênero, esta é uma série independente, na qual cada volume ganha seu próprio casal de protagonistas e trama com começo, meio e fim. No caso desta trilogia, nós temos uma ideia inicial, que foi desenvolvida nesse primeiro livro, já que três amigas se unem com o intuito de bolar planos para fazer os homens aprenderem como devem tratar uma mulher adequadamente, pois estão cansadas de pessoas do sexo masculino fazerem o que bem entendem, enganando mulheres e se safando de tudo. Então nessa obra inaugural conhecemos lady Georgiana Halley, enquanto nas sequências, “London's Perfect Scoundrel” e “England's Perfect Hero” vamos acompanhar Evelyn Ruddick e Lucinda Barrett respectivamente. Já conhecemos um pouco das duas neste primeiro livro, mas vamos conhecê-las mais a fundo nas continuações protagonizadas por cada uma delas.
“Como Se Vingar de Um Cretino”, como a maioria dos títulos do gênero, é leve, divertido, envolvente, que te prende nas páginas de um jeito delicioso, enquanto passamos bons momentos com os protagonistas e torcemos para que tudo dê certo em suas vidas e também no amor. Recomendo demais!
Avaliação





Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário