Não Confie Em Ninguém - Charlie Donlea

Adoro livros de suspense e mistérios, pois fazem a gente ficar pensando sobre o que realmente pode ter acontecido e nos prende na leitura, fazendo com que a gente não consiga parar de ler. Quando me deparei com a sinopse de “Não Confie Em Ninguém” sabia que esse título seria um desses volume para mim, então precisava urgentemente mergulhar nas suas páginas para desvendar todos os mistérios. Foi assim que comecei essa obra maravilhosa e agora venho compartilhar com vocês todos os detalhes do que achei desse volume escrito por Charlie Donlea e publicado aqui no Brasil pela Faro Editorial.
Nessa trama conhecemos a cineasta Sidney Ryan, uma mulher que dirige documentários de crimes que foram julgados de maneira errada, prendendo pessoas inocentes ao invés do verdadeiro culpado. Quando ela se depara com o caso de Grace Sebold, uma jovem que foi condenada dez anos atrás por ter assassinado o seu namorado e ainda ter jogado o seu corpo de um penhasco durante uma viagem para a ilha do Caribe, resolve pesquisar mais sobre esse caso para o seu próximo documentário.
Durante a investigação a gente vai acompanhando suas descobertas e também vamos conhecendo um pouco mais sobre a vida de Grace antes desse fatídico ocorrido e também após ele, e vemos que sua vida mudou completamente. Então temos uma visão mais ampla sobre os fatos de tudo o que ocorreu e está acontecendo para que a gente vá elaborando nossas próprias opiniões e conclusões.
A medida que Sidney vai investigando e vai atrás de pistas, como os motivos que fizeram a polícia acreditar que a Grace era a culpada, ela acaba encontrando novas informações com as quais o futuro de Grace possa mudar totalmente. Todo o documentário é gravado em tempo real, ou seja, A Garota de Sugar Beach (nome do documentário) é colocado no ar à medida que Sidney descobre novas evidências, sendo que ninguém sabe qual vai ser a proporção disso tudo, uma vez que o público vai desvendando a verdade junto com o documentário e ninguém sabe quem é o verdadeiro culpado.
O livro é narrado em terceira pessoa, nos dando uma melhor visão de tudo que está ocorrendo na história, já que assim conseguimos entender de forma mais extensa todos os detalhes. A narrativa tem como foco a Sidney, porém em alguns momentos também temos a perspectiva de alguns personagens secundários e também trechos do roteiro da série que mostra o que aconteceu. O livro tem uma linguagem rápida e fluida, além de uma trama complexa e bem articulada com um ritmo muito frenético.
Devo confessar que detestei essa capa! Achei a imagem feia, a cor péssima e fiquei bem triste com isso porque gosto muito das demais capas do autor publicadas no Brasil, e a Faro Editorial sempre publica ótimas capas. Mesmo que a ideia tenha sido boa, a execução me decepcionou. A diagramação está bem espaçada e com fonte em tamanho ideal para uma leitura mais fácil, além de contar com páginas amarelas.
Recomendo “Não Confie Em Ninguém” para todos que gostam de histórias cheias de mistérios, que nos prendem do início ao fim com personagens complexos e marcantes, cada um com o seu jeito de ser, em um pano de fundo maravilhoso, que faz com que a gente não consiga parar de ler e tente descobrir cada vez mais a verdade por trás do crime. Foi eletrizante ler cada página e criar diversas teorias, assim como acompanhar o desenrolar da trama, que foi cheia de reviravoltas e com um final surpreendente que sem sombras de dúvidas fechou esse volume com chave de ouro.
Avaliação




Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Gosto de livros de mistérios e este parece ser o tipo de estória que eu vou gostar. Já está adicionado na minha lista de futuras leituras com certeza.
    Abraços!
    Van Carlos

    ResponderExcluir