Uma Noiva Para Winterborne - Os Ravenels #02 - Lisa Kleypas

Rhys Winterborne é ambicioso, inteligente e sagaz. E, por conta disso, conseguiu se erguer na vida, deixando de ser o filho de um comerciante para se tornar o dono de um império com uma fortuna incalculável, já que se tornou o dono de uma grandiosíssima loja de departamentos e se envolve com diversos investimentos que geram cada vez mais lucros. Tendo quase tudo o que desejava, ele só não tinha um título ou qualquer envolvimento com a alta sociedade londrina.
Então, quando surge a chance de se casar com a aristocrata lady Helen Ravenel, ele agarra essa oportunidade com mãos e lábios. Porém, ela é realmente muito tímida e acaba se assuntando inicialmente. Depois, no entanto, essa moça angelical acaba desabrochando, assim como as flores pelas quais tem tanto carinho, e decide procurá-lo para reverter uma situação mal-entendida.
Como um já começa a nutrir sentimentos pelo outro, vão correr atrás da felicidade e decidem ficar juntos. Mas nem tudo são flores. Enquanto Rhys possui um inimigo em especial que vai acabar fazendo parte da vida deles, Helen tem um segredo que pode destruir tudo de bonito que estão construindo. Resta saber se o que sentem será suficiente para enfrentar qualquer possível barreira.
Amo Romance de Época, meu gênero favorito atualmente (como já comentei algumas vezes aqui no blog), então sempre que um novo livro do estilo é publicado, já o coloco na minha pilha de desejados e leio assim que posso. Mesmo assim, algumas autoras eu ainda não conheço ou conhecia seu trabalho até recentemente. E esse é o caso de Lisa Kleypas. Mesmo que ela já tenha duas séries completas publicadas aqui no Brasil, somando um total de dez exemplares, todos lançados pela Editora Arqueiro, foi somente agora, com essa nova série, que pude conhecê-la mais profundamente.
Então, meu primeiro contato foi com “Um Sedutor sem Coração” (clique no título para ser redirecionado para minha resenha), primeiro volume da série Os Ravenels. E, como comentei na resenha da obra, não gostei muito assim deste início com a autora, não porque sua escrita tenha sido ruim, pelo contrário eu amei sua forma de narrativa, que é leve e envolvente, porém não gostei tanto dos protagonistas, que são chatos (principalmente ela), na minha opinião.
No entanto, naquela primeira obra já conhecemos os protagonistas dessa continuação, lady Helen Ravenel e Rhys Winterborne. E as cenas deles lá foram maravilhosas e também instigantes, afinal algumas coisas bem importantes aconteceram e a gente fica repleta de curiosidade para saber como vai ser o desenrolar e o desfecho daquilo tudo. Fora que, mesmo não gostando dos protagonistas em si naquele livro, amei todos os secundários, o cenário, o pano de fundo e a narrativa de Kleypas, então não via a hora de ter essa sequência em mãos.
Minhas expectativas estavam bem altas e o sentimento de que elas foram superadas é bem satisfatório. Primeiramente, amei, amei, amei Rhys Winterborne! Claro que um homem maravilhoso desses não poderia existir na vida real, então a gente só se contenta com personagens masculinos incríveis assim nos livros. Helen também não fica para trás e realmente amei a personagem.
O romance foi se desenvolvendo aos poucos, desde que eles começaram a se envolver no primeiro volume da série, e foi ficando cada vez mais intenso e bonito de se ver. Gostei muito de acompanhar esses dois, suas cenas juntos eram espetaculares, a maneira como se preocupavam com o bem-estar do outro, como queriam compartilhar carinho, ainda que ambos não tivessem isso em suas vidas anteriormente – foi algo lindo de se ver. E também foi quente. Quem gosta de cenas desse estilo, vai curtir que há algumas delas na obra, quem não gosta pode pulá-las, já que não acrescenta nada importante ao enredo.
Como costume nos livros do gênero, temos a oportunidade de acompanhar cada protagonista individualmente através de capítulos intercalados com a perspectiva de cada um em terceira pessoa. Gosto bastante desse tipo de narrativa, já que nos aproxima bastante de ambos os personagens ao mesmo tempo em que nos apresenta uma visão mais ampla de detalhes e acontecimentos.
Amo diversos personagens criados por Kleypas. A tímida Helen, que se mostrou uma moça bem ingênua e ousada ao mesmo tempo, que tem sua independência e toma atitudes para correr atrás do que quer, seguindo suas próprias decisões e lidando com as consequências da mesma da melhor maneira. E Rhys, com sua personalidade forte, dono de um coração maravilhoso, grande inteligência, tino para negócios, uma ótima intuição, forte, grande, bonito, rico, decidido, esforçado, justo, admirável, que quer sempre fazer o melhor para o próximo, principalmente aqueles que trabalham para ele, inclusive dando cargos de responsabilidade e/ou importância a mulheres (o que ainda não era tão comum na época).
Também pudemos rever pessoas importantes, como os protagonistas do primeiro livro, Devon e Kathleen, as gêmeas, Pandora e Cassandra, e West. E conhecer a médica Dra. Garrett Gibson, que será protagonista do quarto volume da série, além de Lady Eleanor Berwick, que cuidou de Kathleen desde menina.
Um ponto de destaque nessa série é o pano de fundo. A autora nos insere bastante nos acontecimentos da época, como desenvolvimentos da sociedade, a existência de ferrovias e como funciona, os banheiros com encanamento e água encanada, o surgimento de lojas de departamento, a mudança da moda com a diminuição do uso de anquinhas, mulheres podendo exercer profissões que antes eram destinadas apenas a homens e se destacando em seus cargos, a construção de mais prédios para abrigar mais pessoas, inclusive em locais pobres, a grande diferença entre riqueza e pobreza, entre muitos outros pontos. Deu para notar que Lisa fez uma grande pesquisa da sociedade e das mudanças e/ou evoluções daquele período, a fim de utilizá-las da melhor forma no texto, mostrando que as coisas estavam se modificando, muitas delas para melhor, outras nem tanto. E tudo foi apresentado de forma bem natural, fazendo parte do cenário e do dia a dia daquelas pessoas.
Só teve uma coisinha que me incomodou muito, muito mesmo. Não é algo que tenha algum efeito direto na trama, vá melhorar ou piorar algo, no entanto eu realmente queria que a autora tivesse feito alguma coisa com relação a isso. Vou explicar um pouco, mas não posso dar maiores detalhes já que seria spoiler. Há uma cena muito comovente acontecendo em um orfanato. E o mesmo é decadente, com péssimas condições sanitárias, de saúde e de tudo. Fora que há um comentário de que o governo prefere esses locais cheios para utilizar a mão de obra dessas crianças por conta de menores gastos.
Ou seja, é uma tristeza sem limites ver e saber que todas aquelas crianças e jovens estão passando por momentos terríveis e sofrendo maus tratos, além de viver na imundície e suscetíveis a tudo de ruim, inclusive doenças, podendo até mesmo chegar a morte. E sabe o que os protagonistas fizeram para ajudar? Absolutamente NADA! Pelo amor, Rhys é realmente muito rico, tão rico que nem deve saber onde enfiar mais dinheiro. Helen e ele têm corações muito bondosos. Então por que não juntaram essas duas características e fizeram doações e melhorias no local? Por que não ficaram comovidos e tentaram ajudar aqueles pequenos indivíduos com alimentos, roupas, remédios, materiais de limpeza, de estudo, etc.? Isso foi realmente muito, MUITO decepcionante. Estou torcendo com todo o meu coração para que isso mude no futuro da série e esse orfanato volte a ser citado e alguém faça alguma coisa.
Essa é uma série independente e, portanto, cada volume apresenta um casal diferente como protagonista. Como fazem parte de um mesmo núcleo de pessoas, há participações de um ou mais personagens principais de um exemplar nos demais, o que deixa tudo ainda mais legal e interligado. Portanto, tecnicamente, a leitura de cada obra é independente das demais e pode ser lida fora da ordem, já que cada uma tem seu próprio desfecho. Porém, alguns detalhes importantes desse livro começaram a aparecer no primeiro e, por mais que a autora tenha conseguido explicar algumas partes aqui para nos situar, tudo ficou bem básico, sem o aprofundamento que a gente consegue ter se ler os livros na ordem. Então eu recomendo que leia na sequência para ter uma experiência mais agradável e completa.
“Uma Noiva Para Winterborne” veio para me mostrar como Lisa Kleypas é maravilhosa! Esse livro é encantador, romântico, divertido, com momentos leves e outros de tensão, ótimas reviravoltas, personagens carismáticos e um casal extraordinário e apaixonante. Definitivamente é uma indicação certeira para amantes de Romances de Época ou para aqueles que querem começar a se aventurar no gênero.
Avaliação





Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário