Egomaníaco - Vi Keeland


Drew Jagger é um advogado de divórcios que não acredita no amor e nem no casamento por conta de uma experiência ruim que vivenciou em seu passado com uma mulher que quase destruiu o seu mundo. E por conta de todos os seus clientes com casamentos mais do que fracassados. Depois de uma viagem de férias, ele retorna ao seu local de trabalho para encontrar uma jovem bonita que por acaso acaba acusando-o de invadir o seu próprio escritório na cobiçadíssima – e cara – Park Avenue.
Depois de ouvir algumas palavras ríspidas e ser ameaçado, ela ainda tentou atacá-lo com um golpe de Krav Maga, que não deu muito certo. O problema é que a moça realmente acreditava que ele estava invadindo o espaço que ela havia alugado, porém acabou descobrindo que na realidade caiu num golpe e ainda perdeu 10 mil dólares por conta de sua ingenuidade.
Emerie Rose é uma mulher alto astral, que acredita no amor e por isso seguiu como profissão ser psicóloga de casais. Ela coloca muito amor nas suas consultas, ajudando casais a perceberem o que precisa ser mudado/adaptado nas relações conturbadas a fim de fazer seus clientes se unirem novamente e voltarem a ter um relacionamento bom e saudável.
Depois dessa grande confusão e do golpe que sofreu, Drew acaba oferecendo ajuda para ir até a polícia fazer uma denúncia contra o verdadeiro culpado. Com isso, ele fica com pena dela e acaba oferecendo uma proposta: ela pode ficar com uma sala do escritório dele por um tempo, já que sua secretária está de licença médica e ele ainda não encontrou ninguém para substitui-la. Então Emerie utiliza o espaço para atender seus pacientes enquanto também atende as ligações e agenda compromissos para Drew até a verdadeira secretária retornar.
Dividindo o espaço, eles percebem que não têm quase nada em comum. Na verdade, são até mesmo bastante opostos. Porém, quando um passa a conhecer melhor o outro, também começa a perceber que o diferente pode ser muito bom. No meio de inocentes disputas verbais, a atração física e o interesse pela personalidade do outro ficam cada vez mais fortes. Resta saber se Drew conseguirá confiar novamente em uma mulher ou essa relação nunca poderá se tornar algo realmente verdadeiro.
Como já comentei algumas vezes aqui no blog, Vi Keeland é uma das minhas autoras favoritas. Se eu quero encontrar um delicioso romance contemporâneo, já sei que posso pegar qualquer um de seus livros, pois com certeza vou me apaixonar. Pelo menos isso aconteceu até o momento e eu já tive o prazer de ler sete de seus títulos (quase todos que foram publicados no Brasil até o momento). Então dessa vez não foi diferente e fiquei encantada pela história de Drew e Emerie, e adorei conhecer mais esses personagens criados por ela.
A parte que mais me agrada na escritora é que, ainda que utilize clichês de obras literárias e histórias de amor (o que hoje é quase impossível de não acontecer, visto que há muita variedade no mercado e parece que tudo já foi trabalhado em algum lugar e/ou de alguma maneira), ela ainda consegue sair um pouco do lugar comum e trazer coisas novas e inovar em alguns aspectos. Então é uma boa mistura que funciona muito bem.
Tudo isso ainda somado ao fato de que seus personagens são adoravelmente encantadores, a trama é deliciosa e há uma pitada de diversão que eu simplesmente amo demais. Além do mais, temos a chance de conhecer um pouco mais dos passados deles, principalmente do de Drew, que o fez não acreditar em casamentos e mulheres. Então há uma pitadinha de drama que faz com que as coisas fiquem ainda melhor trabalhadas e mais interessantes.
O romance é do jeito que eu gosto, os personagens se conhecem, se interessam um pelo outro fisicamente, mas não se envolvem logo de cara. Eles passam um tempo juntos, aprendendo mais sobre a outra pessoa, descobrindo novas coisas e características, para depois os sentimentos irem surgindo e passando a ficar mais fortes, e só então o envolvimento romântico acontece. Eu adoro quando o casal passa por todas essas fases porque eu consigo sentir junto com eles todas aquelas emoções enquanto torço para que fiquem juntos.
Amei ambos os protagonistas, tanto juntos quanto separados. Mas Drew conquistou um lugar especial no meu coração por conta de suas atitudes com outra pessoa no livro, que eu não posso comentar porque pode ser um spoiler. Porém, ele é amoroso e, diferentemente de diversos homens que vemos por aí na vida real, tem um coração muito bom com relação a algo que muitos não teriam nem mesmo a mínima chance de ser semelhante. Muitos pontos positivos para ele.
A narrativa de Keeland é deliciosa, leve, ágil, direta e envolvente. Sua escrita flui maravilhosamente bem e, essa soma de características positivas faz com que a leitura nos envolva de uma forma bem gostosa e a gente nem vê o tempo passar. Quando nos damos conta, a leitura já chegou ao fim e deixou um gostinho de quero mais.
Se você quer obras de romance contemporâneo que são leves e divertidas, então Vi Keeland é uma opção certeira. Em “Egomaníaco” ela só volta para nos provar que pode escrever tramas incríveis e apaixonantes, com protagonistas maravilhosos e uma trama bem gostosa.
Avaliação




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário