Encontro com Livreiros Editora Arqueiro/ Sextante - Março 2017

Suilad!!

No último dia 21 de março ocorreu o primeiro encontro com livreiros do ano da editora Arqueiro/ Sextante, no Shopping Frei Caneca aqui em São Paulo. Como de costume fomos recebidos por um café da manhã, e quase quarenta minutos depois do horário marcado começaram as apresentações em uma sala de cinema.

Os donos da editora estavam presentes na apresentação e tinham acabado de voltar de uma feira literária em Londres (isso deve ser um sonho de consumo para qualquer bookahlic não?!). Desde a primeira vez que os vi sempre senti empatia pela dupla que parece realmente gostar do que faz, e fazer bem em memória do pai falecido que fundou a editora.

Ao contrário da última edição do evento em que eu estive presente no semestre passado não houveram muitos livros citados, até me perguntei se isso tem haver com crise ou apenas com um planejamento de uma apresentação mais breve, visto que livros de fantasia nem sequer foram citados, por exemplo. E a Arqueiro acabou de lançar um livro do gênero, Jardins da Lua, e eu gostaria de saber mais a respeito, já que a série têm nada menos que 10 livros!

Citando alguns do futuros lançamentos da editora Arqueiro que me despertaram atenção temos Boneco de Pano, um triller policial com um serial killer. Na trama é encontrado um corpo costurado a partir de outros cinco corpos, e agora a policia é avisada quem serão as próximas seis vítimas, ou seja, uma corrida contra o tempo para descobrir o assassino! Achei bastante criativo e a cara de um bom seriado! A nova série da Nora Roberts, Sete Irmãos também foi citada, o primeiro livro, Irmãos de Sangue já foi lançado e os demais livros sairão todos até o fim do ano. Se a série for como tudo que a Nora escreve vai ser uma romance sobrenatural excelente!

Outro livro que me despertou interesse foi Um Menino em um Milhão, que é sobre um menino especial que morre, e que tinha como tarefa antes da sua morte ajudar uma senhora idosa. Ele havia estipulado várias metas para ela, como tirar uma carteira de motorista. Depois de sua morte o pai resgata a missão filho, e assim acaba por resgatar também a sua estória com o menino. O livro tem um conto que será distribuído gratuitamente, e fala sobre a velhinha de 90 anos que ele ajuda, e segundo os editores é uma peça rara!


Lançamentos de Março e Abril da Harlequin


Oii, gente! Como vocês estão? Hoje é dia de post de lançamentos de uma editora muito querida, a Harlequin. Trouxemos as novidades de dois meses de uma só vez e estamos muito empolgadas, porque são vários títulos maravilhosos. Os que mais estou ansiosa são “Todos os Sonhos Dele” e “Um Amor Inesperado”, ambos da série Família Kowalski, de Shannon Stacey, que estou adorando acompanhar.
MARÇO

Todos os Sonhos Dele - Família Kowalski #06 - Shannon Stacey
O despertar do amor!
A bela Katie Davis cresceu com os Kowalski e sempre foi considerada “um dos rapazes”. Porém, seus sentimentos por Josh Kowalski não são nada fraternais. E ele também parece estar começando a enxergar a mulher que Katie se tornou. Ela esperou muitos anos para que Josh a notas¬se, mas talvez seja tarde demais. Entregar seu coração para um homem que quer deixar a cidade o mais rápido possível é um jeito fácil de se decepcionar. Contudo, Josh continua inventando motivos para ficar… E ele logo per¬ceberá que tudo o que precisa para realizar seus sonhos é ficar ao lado de Katie.
As Noivas Balfour #02 - India Grey & Kim Lawrence
 Herdeira da Inocência - India Grey
A sedução de um príncipe!
Ela fugiu de sua vida perfeita ao descobrir que foi construída em cima de mentiras. Porém, como estava sem dinheiro, Emily Balfour não pôde recusar a oferta do príncipe Luis Cordoba. Ela precisava de um teto sobre sua cabeça, mesmo que significasse ter de dividir a cama com esse notório playboy. Para Luis, conquistar essa bela herdeira é um desafio. Por mais que ela o deseje, seu coração está relutante. Afinal, Emily não quer se tornar apenas mais uma das conquistas do príncipe...
Herdeira da Sedução - Kim Lawrence
Amor verdadeiro?
As Balfour são belas, extravagantes e glamourosas… exceto Sophie. Convencida de que é comum e sem atrativos, ela foge dos holofotes. Contudo, seu pai está cansado de vê-la se esconder. Por isso, encontra um emprego que ajudará a aumentar a autoconfiança dela. Trabalhar para o irresistível siciliano Marco Speranza é uma revelação. Sophie sabe que não é bonita o suficiente para atrair a atenção de um homem tão poderoso. Ainda assim, ele parece determinado a seduzi-la. Mas será que o interesse desse estonteante bilionário carrega motivos ocultos?

Desejo & Conquista - Kate Hewitt & Michelle Conder
 Tempestade de Paixão - Kate Hewitt
Uma esposa temporária?
Hannah Stewart fica surpresa quando seu chefe exige que ela o acompanhe em uma importante viagem de negócios… até Luca Moretti apresentá-la como sua noiva! Ele não permitirá que nada, nem mesmo sua adorada vida de solteiro, fique no caminho de seu sucesso. Por isso, expandir temporariamente as funções de Hannah era a solução perfeita. Contudo, ele não esperava que o charme da assistente testaria tanto seu notório autocontrole. A paixão proibida que existe entre eles é intensa demais para ser ignorada. Mas o que acontecerá quando a viagem terminar?
Teia de Atração - Michelle Conder
Inimiga ou amante?
Dare James está furioso. Uma mulher conseguiu colocar as garras em seu avô! Dominado pela raiva, ele retorna à propriedade da família pronto para resolver o problema…apenas para se ver completamente encantado pela garota que planejava despejar. Carly Evans fica horrorizada ao descobrir o que Dare pensa. Afinal, ela é médica, não uma interesseira. Tudo o que Carly quer é apagar o sorriso pretensioso do rosto de Dare. Porém, antes que percebesse, ela estava presa a uma inescapável teia de atração. E, de repente, desafiar esse poderoso bilionário era a última coisa que Carly desejava fazer.


As Minhas Receitas Japonesas - Mari Hirata

Tenho certeza que já comentei em resenhas (acredito que no livro Kaori) que amo cultura japonesa né? E logo a culinária japonesa não fica atrás, claro não foi sempre assim, e eu costumo dizer a quem diz que não gosta que é uma questão de acostumar o paladar a tantas texturas e temperaturas. E quando eu me refiro a culinária japonesa não são apenas a suhis e sashimis, mas toda a sorte de comidas do dia a dia como um bom lamen ou gyudon.

Na minha última bienal em São Paulo esbarrei com o livro As Minhas Receitas Japonesa, da autora Mari Hirata, publicado pela Publifolha, por apenas cinco reais, junto ao fato do meu gosto pela comida também vem o fato de eu amar cozinhar, logo esse livro foi amor a primeira vista!

Embora pareça que trata-se de um livro tradicional de culinária não é esse apenas o objetivo da autora, sim ele tem muitas receitas, mas antes disso é uma obra recheada de cultura e costumes japoneses, isso porque Hirata é uma colunista gastronômica e chef de cozinha que mora fazem muitos anos no Japão. Ela é nascida no Brasil, depois foi estudar gastronomia em Paris, mas foi no Japão, terra de seus descendentes, que parece que ela encontrou seu lugar.

O livro é a reunião de alguns de seus textos publicados em sua coluna juntamente com uma receita dentro da temática que ela aborda. Assim conhecemos a origem de alguns pratos, tanto de seu preparo quanto de seus ingredientes, e a relação que os japoneses têm com a comida. E por mais estranho que pareça Hirata dá aulas de culinária japonesa, e com isso acabou criando alguns pratos onde funde as duas cozinhas, como é o caso do pão de 'queijo' de gergelim que tem sua receita no livro.

E antes que você pense que trata-se de receitas elaboradas e difíceis, não se engane uma ou outra pode dar certo trabalho, mas todas são acessíveis, e essa foi uma preocupação da autora na seleção para o livro. Ela diz ter feito todas as receitas em sua última visita ao Brasil para ter certeza que os ingredientes podiam ser encontrados aqui. E assino embaixo quanto a isso aqui na cidade de São Paulo. Para os menos experientes ainda com os nomes dos alimentos ela criou ao final do livro um glossário com os respectivos termos.


E Se For Você? - Rebecca Donovan

Cal leva uma vida bem diferente de seus tempos de colégio, afinal naquela época ele era mais quieto e não tinha sorte com as garotas. Agora, na faculdade, ele ganhou massa muscular e novos amigos, frequenta várias festas, e de quebra conquistou a atenção das mulheres, apesar de ainda não saber como lidar com elas realmente. Mas uma coisa nunca mudou: ele ainda não esqueceu da menina que fazia seu coração balançar desde que ainda era bem novinho, Nicole Bentley.
Sua vida segue normal, sem que ele tenha qualquer informação a respeito dela há mais de um ano, quando se formaram no ensino médio, e não fala com ela há anos, desde que Nicole parou de falar com ele e seus antigos amigos para andar com novos e mais populares.
Até que ele encontra uma garota nervosinha, dona dos mais belos olhos azuis, e percebe que aquela é Nicole. Mas, ao mesmo tempo, não é, já que essa garota se chama Nyelle Preston, tem uma aparência desleixada, completamente diferente da que conhecia em seu passado, que sempre vivia arrumada impecavelmente, e uma personalidade oposta a dela, sendo impulsiva, ousada, meio doidinha e dona das ideias mais inusitadas de todas.
Mas Cal fica intrigado. Quem será essa garota que se parece tanto com Nicole em alguns aspectos, mas é totalmente diferente na maioria deles? Ela só quer aproveitar a vida e o convida para curtir com ele, e, claro, Cal aceita, fascinado pela bela mulher à sua frente e empolgado por compartilhar com ela alguns momentos que com certeza serão memoráveis. Enquanto isso, tenta desvendar seu passado, afinal ela é completamente misteriosa e evasiva quando se trata de sua vida pessoal. Mesmo assim, Cal não vai desistir de encontrar respostas. Só que, talvez, ele não esteja preparado para as revelações que virão com isso.
Desde que a Globo Alt publicou “E Se For Você?”, em 2015, tenho vontade de ler este título, já que trata de um assunto que muito me interessa e me faz ter vontade e grandes expectativas de ler: uma pessoa que você não vê há anos reaparece em sua vida, mas com outra personalidade e outro nome. Será que é a mesma pessoa? Se sim, o que pode ter acontecido? Ela perdeu a memória ou está apenas fingindo a coisa toda? Ou será que há alguém tão semelhante a ela no mundo que lhe faça questionar se há uma irmã gêmea que você nunca conheceu? Com esse enredo bem intrigante que nos faz querer desvendar tudo enquanto criamos as mais diversas teorias, esta obra me chamava para si.
Porém, algum tempo se passou sem que eu tivesse a oportunidade de lê-la. Até que finalmente este dia chegou e posso dizer que gostei bastante, mas minhas expectativas estavam bem altas, então acho que ficou devendo um pouquinho para o que eu esperava. Talvez por conta de alguns comportamentos de Cal, que vou explicar mais abaixo. Mas, resumindo, eu gostei muito do que encontrei, só não vai disputar a vaga de melhor leitura do ano até o momento.
Uma das coisas que mais curti no livro é a amizade nele retratada, já que nos apresenta pessoas que se conheceram ainda na infância, que viviam fazendo tudo juntos, e continuaram (ou ao menos alguns deles) muito unidos no futuro.
A leitura flui muito bem e a narrativa de Rebecca, que eu não conhecia até então, é realmente muito gostosa e nos prende com facilidade, fazendo com que nem percebamos a leitura avançando e, quando enfim nos deparamos, já estamos nos aproximando do fim.
Além do mais, essa pontinha de mistério faz com que a gente se envolva muito com a trama, desejando saber o que realmente aconteceu ali, quais são os segredos escondidos por trás de cada resposta de Nyelle, e o que ela vai revelar a Cal com o passar das páginas e com a interação entre eles aumentando. É muito instigante esperar por mais informações enquanto bolamos nossas próprias teorias a respeito de tudo.


A Garota do Lago - Charlie Donlea

Depois de viver uma experiência dolorosa em sua vida, a repórter investigativa Kelsey Castle, se afasta de seu emprego por um tempo. Até que decide voltar à ativa, mesmo que não seja inteiramente recomendado, e seu chefe, Penn, lhe conta de um acontecimento que pode vir a ser enorme, caso respostas sejam encontradas. Sabendo do grande talento de sua melhor profissional, e querendo lhe ajudar a superar o que vivenciou, ele decide mandá-la para lá, pois ao mesmo tempo em que ela poderia relaxar um pouco com a beleza do local, estaria atrás de uma história muito importante.
O caso consiste em um assassinato que ocorreu semanas atrás, de uma jovem de nome Becca Eckersley, que era estudante de direito e filha de um poderoso advogado. O problema é que a moça levava uma ótima vida e o crime foi em uma linda cidade pacata onde todos se conheciam, chamada Summit Lake, um local entre as montanhas, à beira de um lago, e este é o único homicídio documentado na história do lugar. Até o momento, não há grandes evidências que levem as autoridades à resolução do caso, e com o passar do tempo, vai ficando mais complicado chegar ao verdadeiro culpado.
É aí que entra Kelsey, que tem uma grande determinação e se empenha completamente neste trabalho para desvendar o crime e, assim, conseguir seu furo de reportagem. Ela talvez tenha uma sorte muito grande, ou é uma ótima manipuladora, e consegue fazer com que as pessoas lhe contem coisas que antes não contavam a ninguém, e inclusive omitiam informações importantes para desvendarem o mistério do assassinato de Becca.
Até mesmo o delegado, que tinha poucas evidências, lhe contou tudo, mesmo que vários outros repórteres antes dela tenham tentado obter informações com ele em vão, e entregou-lhe uma pasta com todas os arquivos que possuía, pois ela prometeu que o contataria novamente quando soubesse de algo.
Outra moradora da cidade, que era dona de uma lanchonete, na qual Becca passou sua última noite, também revelou um segredo a ela, que sua filha havia lhe contado e pediu para não expor a ninguém. Há também um médico, para quem ela pede informações, que mesmo não sendo do setor, acaba descobrindo muitas coisas e as revela para Kelsey. E ainda existe uma jovem, que trabalhava no café, que também faz parte destas pessoas que ajudaram a desvendar a trama.
Essa facilidade que Kelsey tinha em obter e desvendar informações importantes que ninguém revelava a outras pessoas, soou um pouco forçado para mim. Coisas como esta destreza e “sorte” que a protagonista tinha eu não entendi muito bem. Como assim?! Por que escolhiam contar tudo a ela não tendo contado para ninguém mais? Tirando isso, o livro foi incrivelmente sensacional.
Kelsey se aprofunda muito nesse caso, pois viveu uma terrível experiência bastante semelhante à de Becca, com a diferença de que ela sobreviveu, enquanto a outra, não. Por conta disso, nossa protagonista se empenha mais e mais na busca por respostas e não descansa até encontrá-las.
Gostei muito de Castle, pela sua determinação em chegar ao desfecho desta trama, a maneira como ela conseguiu atrair para si as pessoas ao seu redor, fazendo com que confiassem nela o suficiente para ajudá-la na resolução de um caso que mudaria sua vida (apesar de no começo ter achado isso um pouco forçado), sua garra para dar a volta por cima depois de ela própria ter enfrentado algo muito ruim em sua vida, e sua personalidade forte.  
Este, como vocês podem perceber pela resenha, é um livro de suspense, porém, como uma pessoa que adora uma pitada de romance, posso afirmar que ele está presente na obra, apesar de bem sutilmente, o que me fez gostar mais ainda.
Não consegui parar de ler o livro, e a cada página virada, ele se tornava mais emocionante, porque gosto de desvendar mistérios e fico ansiosa para encontrar a resolução logo. Por incrível que pareça, e por conta da minha curiosidade, já estava imaginando quem havia matado a moça, só que a pessoa que eu estava acreditando que fosse a culpada, provavelmente não poderia ser, já que descobrimos algo a respeito dela que impossibilitaria isso. Porém, como um bom livro, há muitas reviravoltas, e talvez eu estivesse certa o tempo todo. Mas não vou comentar quem ou o porquê de eu achar isso, e nem se eu estava mesmo correta, porque poderia ser spoiler.
Essa obra foi muito bem desenvolvida, com todos os pontos encaixados perfeitamente no desfecho, então posso afirmar que o final me surpreendeu muito. E o autor soube manter a atenção do leitor de uma forma impressionante, característica que nem todos conseguem, fazendo com que a gente sinta vontade de devorar todas as páginas para chegar ao tão desejado final o quanto antes, e ainda podemos contar com uma narrativa fluida e interessante.


Ninguém Vira Adulto de Verdade – Rabiscos da Sarah #01 – Sarah Andersen

Hoje eu vim falar de um exemplar muito fofo que não conta uma história, mas momentos que a maioria de nós provavelmente vai passar em nossas vidas. “Ninguém Vira Adulto de Verdade” é uma coletânea de tirinhas ilustradas e escritas por Sarah Andersen, que traz situações do cotidiano de uma forma cômica e completamente identificável. Eu duvido que o leitor não vá se “enxergar” em pelo menos uma das cenas ali representadas. Eu pelo menos me identifiquei com várias delas e sorri todas as vezes.
Como o próprio título já sugere, vamos encontrar neste livro tirinhas relacionadas com a transição da fase adolescente para jovem adulta/new adult, quando as coisas começam a mudar de verdade, e precisamos lidar com algumas questões. Então vamos encontrar cenas a respeito de autoestima, relacionamentos, responsabilidades novas, amizades, aprender a lidar com nós mesmos, o que gostamos e o que não gostamos, e muito mais.

E Sarah faz tudo isso com muito humor, mostrando que ela e muitas outras pessoas são gente como a gente, sentem coisas parecidas, agem de maneira semelhante e também têm dificuldades de realizar determinadas tarefas na vida. Ela mostra dificuldades, peculiaridades, entre outros, de maneira dinâmica e fluida, com ilustrações engraçadas e fofas.

Tirei algumas fotos para ilustrar o post com tirinhas variadas, inclusive a que eu mais gostei e me identifiquei muito (hahahaha), mas vou comentar sobre algumas outras aqui também. Há páginas com situações envolvendo leituras, como habilidades que nós, leitores, desenvolvemos, por exemplo, ler andando na rua, arrumar locais confortáveis para relaxar com nosso livro, passar horas além do esperado lendo porque está tudo muito bom para largar. Também há questões sobre arrumar a casa e o quarto. Sobre descobrir se o garoto que você gosta sente o mesmo por você, sobre o seu futuro e mais.


A Casa Assombrada - John Boyne

Londres... século 19, sob um céu poluído e entre ruas violentas começa nossa estória no livro A Casa Assombrada, do irlandês John Boyne, publicado pela editora Companhia das Letras. Eliza Caine é uma jovem que acaba de perder seu pai, sem dinheiro e perspectivas em uma cidade onde tudo lembra seu pai, ela resolve se candidatar a um cargo de governanta na região de Norfolk. Gaudlin Hall parece uma propriedade extraordinária com uma bela paisagem. Tudo correria bem senão fosse o fato de ao chegar Eliza encontrar apenas dois moradores na casa, Isabella e Eustace, duas crianças. Sem compreender quais são suas funções e onde os pais das crianças estão esta jovem governanta começa procurar por respostas, e as encontra da maneira mais sobrenatural possível!

Sou suspeita em falar da narrativa de Boyne, que neste volume é feita em primeira pessoa através da jovem Eliza, porque eu simplesmente adoro o modo como ele consegue nos envolve nas estórias que conta, sejam elas quais forem e sobre o que forem, ele consegue como em um conto de mil e uma noites nos despertar a curiosidade e empatia por seus personagens. Neste livro em especial onde o mote é o suspense, a expectativa e um pontinha de medo pela personagem foram companheiros constantes.

Eliza embora seja de uma época onde mulheres eram hostilizadas e menosprezadas tem uma alma diria feminista, ela não sabe mas tem! A frente do seu tempo ela desperta certa tensão em que a conhece, tanto pelo seu comportamento decidido e marcante quanto pelo fato de todos saberem da estória ocorrida em Gaudlin Hall, e ela ser a nova governanta do local. Ao descobrir o mistério que cerca a casa, ao contrário do que a grande maioria das mulheres de seu tempo fariam ela parte para luta, mesmo que ela tenha como destino a morte.

Isabella é a irmã mais velha, com doze anos parece uma adulta e não demonstra quase sentimentos. É direta e diz aquilo que lhe vem a mente sem filtros, diante de tanta dor e perda ela se fecho em si. Já seu irmão Eustace, com oito anos é muito diferente da irmã, mais sensível ele procura por proteção e amizade. Enquanto ela tenta fazer o que a mãe e o pai acham correto, ele é inocente e impulsivo.


A Química - Stephenie Meyer

“Crepúsculo” foi um dos meus livros preferidos de todos os tempos, e mesmo muita gente falando que não foi uma boa história e coisas do tipo, foi uma obra que me prendeu bastante e me fez ficar acordada até altas horas da manhã lendo. Desde então, eu não havia lido mais nada da autora, somente essa série. Foi por isso que resolvi voltar a ler algo de sua autoria, e escolhi seu último lançamento, que é “A Química”, o primeiro volume da autora que é inteiramente inédito em seis anos.
Nesta trama, conhecemos a história de Juliana, uma ex-agente do governo, que é especialista em seu campo de atuação, onde ela é responsável pelos interrogatórios. A agência é tão secreta, que poucos sabiam de sua existência, e a mesma não tinha nem nome. Quando perceberam que nossa protagonista sabia demais e que isso poderia vir a ser um problema, passaram a persegui-la para dar um fim em sua existência. E, para piorar as coisas, a única pessoa em quem confiava foi assassinada. Agora, ela está sendo caçada por aqueles que considerava seus colegas de trabalho. Sempre muito experta, Juliana começa a fugir e a ter vários nomes diferentes. O mais utilizado durante toda a trama é Alex, por esse motivo vou chamá-la desse nome daqui para a frente.
Certo dia, ela recebe um e-mail do seu ex-chefe, Carston, marcando um encontro, para que faça um último trabalho, e depois disso não precisaria mais fugir, pois estaria livre de tudo. Mesmo desconfiada de que poderia ser uma armadilha, ela resolve aparecer nesse encontro e acaba aceitando o desafio proposto. Então, acompanhamos nossa protagonista em sua jornada, que é mandada atrás de um cara que aparentemente vive uma vida certinha, sendo professor e fazendo trabalho voluntário, mas que na verdade tudo isso é uma fachada, e ele é um terrorista prestes a matar milhares de pessoas.
Esse livro foi bem gostoso, já que nele temos uma narrativa fluida, com uma linguagem mais cômica e uma leitura despretensiosa, que consegue nos conquistar do início ao fim com muita ação e suspense, que não deixam a trama ficar parada nem por um segundo. Além do mais, os personagens são muito bem construídos, nos conquistando, cada um com o seu jeito de ser, em todos os momentos. E ainda contamos com um toque de romance.


O Navio das Noivas - Jojo Moyes

Desde que li o primeiro livro de Jojo Moyes, virei uma viciada em sua escrita, e logo quis ler tudo dessa autora que estava na minha frente. Isso porque suas obras maravilhosas me conquistam cada vez mais devido a seu estilo de narrativa e escrita, que sempre mexem comigo de alguma maneira. Sendo assim, sempre que vejo o nome desta escritora na capa de algum exemplar, já fico morrendo de vontade de ler o volume, sem nem mesmo ler a sinopse, pois sei que provavelmente vou gostar.
Em “O Navio das Noivas” vemos que a Segunda Guerra acabou, e mais de seiscentas mulheres estão a bordo de um navio, indo da Austrália à Inglaterra, para encontrar os soldados ingleses com quem se casaram durante o conflito. E é nesse navio que conhecemos quatro mulheres com personalidades totalmente diferentes que dividem a mesma cabine.
São elas: Jean, uma jovem garota, a mais nova das quatro, que nunca mede suas palavras e nem suas atitudes. Ela está muito feliz por ter se livrado das garras de sua mãe, e, mesmo com sua pouca idade, é a mais sedutora do grupo, sendo a que sempre mais dá em cima dos homens.
Avice, uma mulher mimada e arrogante, que, por ter uma situação financeira muito boa, se acha melhor do que as outras. Ela resolveu levar todos os seus sapatos para causar inveja, achando que iria viajar em uma cabine de luxo, mas, quando viu que a realidade era diferente, quase que entrou em pânico, mas manteve as aparências, principalmente para a sua família, para quem escrevia com frequência.
Frances, uma mulher misteriosa que guarda muitos segredos, que são revelados no decorrer da trama, e é dona de uma personalidade fechada. Ela está indo para Inglaterra em busca de um novo emprego como enfermeira e tem uma grande experiência pelos campos de batalha.
E Margaret, uma mulher simples que cresceu em uma fazenda. Ela está grávida e quase dando à luz, e é quem torna a convivência de todas melhor, já que se dá bem com todo mundo e intermedia os problemas. Com medo de não ser tão bem recebida pela sogra e triste por ter deixado seu pai sozinho com os irmãos mais novos, Margaret comete uma infração grave e leva escondido em sua bolsa uma cachorrinha, a quem ela ama bastante.
Vemos como as quatro deixam as suas diferenças de lado, e passam a apoiar e ajudar umas as outras, tornando-se cada vez mais próximas, e auxiliando cada uma nos momentos de dificuldade.


30 e Poucos Anos e uma Máquina do Tempo - Mo Daviau

A primeira coisa que me chamou bastante atenção neste título foi a capa, já que ela parecia trazer uma história incrível. Claro que fui correndo ler a sinopse, e só constatei que provavelmente eu estava certa: a trama realmente parecia ser ótima, principalmente por se tratar de viagem no tempo, tema que eu adoro. Por este motivo, e pelo fato de que fiquei doida para ler, comecei a minha leitura o quanto antes.
Neste volume conhecemos a história de Karl Bender, um ex- guitarrista de uma banda chamada Axis, que fez muito sucesso no final dos anos 90, mas, quando o grupo estava no auge do sucesso, eles tiveram um desentendimento e se separaram. Agora, Karl tem quarenta anos, é proprietário de um bar em decadência na cidade de Chicago, e vive pensando no seu passado. Certo dia, ao procurar os seus antigos coturnos, ele acaba sendo transportado para um show no qual esteve meses atrás, e é transportado de volta para o presente quando tenta mexer no celular.
Intrigado com o ocorrido, nosso protagonista liga para o seu amigo, Wayne, um nerd de computadores, e lhe conta sobre a sua viagem no tempo. Esse amigo, então, cria um programa no computador que permite voltar no tempo de acordo com as coordenadas e datas determinadas por eles, e ainda constrói um aplicativo para que sempre possam voltar ao presente.
Karl então cria algumas regras para poder voltar no tempo e até resolve ganhar dinheiro com isso. Portanto ele começa a agenciar viagens onde a pessoa vai para outra data para assistir determinado show, mas ela não pode interagir com ninguém, e quando o show acaba deve voltar para o presente, para assim não alterar o passado.
Depois de um tempo, Wayne começa a agir estranho e achar que a máquina poderia ser utilizada para o bem, ele quer voltar ao passado para salvar John Lennon em 1980, só que, por um erro de Karl, ele vai parar no ano de 980, onde nada do que está acostumado existe, já que nem energia elétrica existia nessa época. Com isso, ele fica preso neste período, sem conseguir voltar para a atualidade, fazendo com que Karl precise procurar ajuda para salvá-lo de lá, e é assim que ele conhece Lena, uma física brilhante.


O Clube de Leitura de Jane Austen - Karen Joy Fowler

Sempre gostei dos livros de Jane Austen, e sempre achei que suas histórias ultrapassam a barreira do tempo e são ótimas leituras para todas as pessoas. Considerada uma das maiores escritoras, ela tem inúmeros fãs ao redor do mundo, além de ter suas obras publicadas em diversas línguas e edições, e todos os seus livros foram adaptados para filmes ou séries e arrastam multidões de fãs ainda hoje, duzentos anos após sua morte. Quando vi o título deste volume, a primeira coisa que me veio na cabeça é que eu adoraria fazer parte de um clube de leitura sobre a Jane Austen, então certamente eu iria curtir bastante esse exemplar, por este motivo resolvi começar esta leitura e agora venho compartilhar com vocês tudo o que achei desta história escrita por Karen Joy Fowler.
Nesta obra, como o título sugere, somos levados para um clube de leitura sobre a Jane Austen, e a cada encontro vemos os seus integrantes discutirem sobre os clássicos da escritora. Tudo começou quando Jocelyn percebeu que precisava ocupar a cabeça da sua melhor amiga, já que ela acabou de passar por uma separação dolorosa, e essa foi a forma que Jocelyn achou que poderia ajudar Sylvia, criando, assim, um clube do livro. Vemos, então, seis pessoas, sendo cinco mulheres e um homem, se reunirem mensalmente para discutir sobre essas obras, e achei que Karen Joy, conseguiu passar esse clima dos encontros de uma maneira bem legal.
No livro, a cada mês eles discutem sobre uma obra da autora diferente, e cada integrante do clube apresenta uma história, já que conhecemos a vida deles, e vemos a relação que cada um tem como a obra. O mais bacana é que cada obra escolhida representa algum momento em que algum dos integrantes está passando ou já passou.
Em meio a várias discussões sobre as obras de Jane, conhecemos mais sobre a vida dos protagonistas, assim como acontecimentos da juventude de Jocelyn e Sylvia, e até mesmo analisamos questões da vida com Prudie e Bernadete, além de conhecer mais sobre os pontos de vista de Allegra e Grigg.
Esse volume consegue nos prender do início ao fim, com um clube do livro bem legal, que nos faz ver discussões das quais eu adoraria participar. Pontos de vistas levantados como o fato de que Charlotte Lucas talvez fosse Gay, ou sobre como os personagens do filme ficaram diferentes em relação aos livros, ou até mesmo questões sobre os melhores personagens, melhores casais, etc. foram discutidos.


Thomas e sua Inesperada Vida Após a Morte - Emma Trevayne

O que uma capa bonita e uma proposta de uma estória envolvendo fadas, magia e espiritualistas pode gerar em que vos escreve? Necessidade imediata de leitura! Entretanto venho aqui dizer que a propaganda foi um pouco enganosa, e faltou um pouco de todas estas coisas em Thomas e sua Inesperada Vida Após a Morte, da autora Emma Trevayne, pelo selo Seguinte.

Thomas Marsden ainda é uma criança mas já ajuda o pai com o trabalho. Isso não seria estranho se o negócio em questão não fosse o de abrir túmulos e roubar seus pertences. O menino sabe que precisa fazer para ter o que comer, e embora a ideia seja bizarra ele vê o cemitério como seu lar. O trabalho só passa a ser assustadora quando em uma cova recente ele encontra um corpo idêntico a si mesmo enterrado, e com ele uma pista sobre quem ele é. Seu passado vem a tona, e sua família conta sobre sua origem, mas desesperado para descobrir mais ele parte em busca das migalhas deixadas em seu caminho em uma Londres repleta de ferro e antigas lendas.

O título desse livro e sua capa me atraíram muito juntamente com sua proposta na sinopse, é com muita tristeza que digo que o potencial deste volume foi mau explorado pela autora. Com uma narrativa feita em terceira pessoa, Trevayne foi muito superficial em sua estrutura, e demorou muito para desenvolver sua estória, perdendo diversos ganchos e momentos em devaneios desnecessários. A pedra bruta estava lá a todo momento, mas quando parecia que um mergulho além da superfície iria ser dado ela se limitava a pouco, muito pouco.

Explorar a revolução industrial que trouxe consigo o ferro e afastou a natureza da cidade de Londres foi ótimo, mas porque não dar mais vida as fadas? Porque limitá-las a criaturas acanhadas em um porão? Sim elas estavam sofrendo, mas retratadas como foram poderiam ser qualquer outro tipo de criatura que não faria diferença, a magia delas se perdeu. A estória por trás da missão que Thomas tem pela frente também é boa, mas mais uma vez foram páginas de mais em nada, e poucas no que interessa. E vejam bem eu não tenho problemas com livros descritivos ou mais lentos, mas o caso é que as descrições foram breves e a estória simplesmente não andava, os personagens muitas vezes soavam perdidos e confusos. E mesmo para um público juvenil, que é o público alvo da obra, a enrolação da ação pode afastar os leitores.


Crave a Marca - Crave a Marca #01 - Veronica Roth

Eu já havia lido a outra série dessa autora, “Divergente” (clique no título e confira as resenhas de todos os volumes), e me apaixonado tanto pela escrita quanto pelos personagens criados por ela. Confesso que o final da série me deixou um pouco triste, mas ainda amo a narrativa de Veronica, por este motivo, logo que vi que a nova série dela estava sendo lançada aqui pela Editora Rocco, selo Rocco Jovens Leitores, fui correndo começar a minha leitura assim que tive o exemplar em mãos.
Neste volume, conhecemos a história de Cyra Noavek e Akos Kereseth, dois jovens que têm a vida muito diferente um do outro, isso porque ela é irmã do tirano Rizek (governante de Shotet), e ele vive em Thuvhe (planeta-nação inimiga dos Shotet). O universo onde vivem é totalmente diferente do que estamos acostumados, já que eles vivem em uma galáxia onde tudo está conectado por uma espécie de força maior chamada de a corrente, e essa força dá poderes para algumas pessoas, sejam elas boas ou não.
Nossa protagonista sempre viveu no luxo de sua família por ser da realeza, e ela tem um poder onde seu toque causa dor nas pessoas, fazendo com que o seu irmão se aproveitasse disso, e acabasse usando-a como uma arma. Além disso, ela também sentia dor o tempo todo, o que era bem ruim. Já Akos, vive com os seus pais e irmãos em bastante harmonia, até que um grupo de Shotet o captura juntamente com o seu irmão mais velho, Eijeh. Akos tem o dom de anular outros dons, fazendo com que o toque de nossa protagonista não cause dor nele, e dando uma pausa de dor para ela, lhe causando um alívio, mesmo que temporário.
Podemos acompanhar quando eles acabam se conhecendo e quando Akos é obrigado a ficar o tempo todo ao lado de Cyra. Vemos que ambos acabam criando uma bela amizade, inclusive porque, antes dele, ela era uma menina solitária, que possui uma família tirana e bem ruim, e ainda por cima tinha que lidar com toda a dor sozinha, já que ninguém iria querer encostar na mesma e sentir uma dor terrível, fazendo com que ele seja a única pessoa que possa conhecê-la realmente por quem ela é, e não pelo que causa. E, para Akos, Cyra é a sua chance de fugir e encontrar o irmão para o salvar, além disso, ele consegue enxergar quem ela realmente é.
Paralelo à história dos dois, vemos que o um grupo de cidadãos insatisfeitos com a forma de governar tirana de Rizek resolvem se unir para achar uma forma de tirá-lo do poder. Em meio a tudo isso, podemos ver como a história dos nossos protagonistas acaba se entrelaçando com tudo o que está ocorrendo, nos trazendo uma aventura de tirar o fôlego, repleta de ação.