A Inesperada Herança do Inspetor Chopra - Vaseem Khan

Desde que a editora Morro Branco apareceu eu espio seus lançamentos, e a lista de desejados da editora sempre cresce, alias se tem uma coisa que cresce em escala desproporcional é minha lista de leitura!. O escolhido da Morro Branco desta vez foi A Inesperada Herança do Inspetor Chopra, do autor Vaseem Khan.

Depois de muitos anos de serviço dedicado e integro o inspetor Chopra se vê obrigado a se aposentar precocemente, e em seu último dia de trabalho ele recebe duas heranças inesperadas, primeiro um caso de um jovem pobre que aparentemente morreu afogado e que ninguém tem interesse em investigar, e depois nada menos do que um filhote elefante. Através das populosas ruas de Mumbai, Chopra vai investigar os lugares que este jovem esteve e descobrir que este é um caso muito mais perigoso do que imaginava, ao mesmo tempo que em que aprender a lidar com um elefantinho que parece ser qualquer coisa menos comum!

Antes de dizer algo sobre a narrativa em si devo começar elogiando o trabalho da editora Morro Branco, que livro mais fofo, que trabalho gráfico delicado e bem executado! Desde a capa que reflete bem o clima do livro, a sua capa interna e marcador de páginas, tudo muito lindo com este pequeno elefantinho em tudo! Fiquei apaixonada por este livro fisicamente.

A narrativa de Khan foi feita em terceira pessoa em sua maior parte do tempo sob o ângulo do inspetor Chopra, os que não eram sobre seu ângulo eram sob o de sua esposa Poppy. A maior característica de sua escrita é a cultura indiana que aparece em cada página narrada desde seus costumes passados até como a Índia moderna se encontra. Khan consegue com suas palavras simples nos transportar para este país tão diferente do Brasil. Senti também que a medida que ele conta sua estória ele também trás um crítica a sociedade moderna, aos jovens que moram na Índia e que aderiram a modernidade deixando para trás os valores da cultura indiana, ao mesmo tempo que ele também questiona o status das castas e classes sociais.

Chopra é um homem certinho, daqueles que de tão certos geram piadas ao seu redor. A aposentadoria forçada não fez com que ele parasse, logo ele não hesita quando se depara com um caso de injustiça. Para resolve-lo ele terá que quebrar as próprias regras, e enfiar seus pés na lama em busca de pistas. Com a saúde frágil ele ousa mais do que deve, e isso me soou um pouco forçado, já que até então ele não havia quebrado regras para nada, e agora que não pode não só por princípios, mas por saúde ele as quebra. Algo no desenvolvimento do personagem escapou, e terminou estranho. Seu desfecho parece ter acontecido longe das páginas do livro, logo quando ele explica algumas de suas atitudes você sente que perdeu alguma parte de sua estória.

Poppy sua esposa embora siga os costumes é ao mesmo tempo entusiasta da modernidade, do que a televisão e as revistas ditam. É uma esposa dedicada, mas nunca pode dar filhos ao marido, o que gera seu maior trauma, e ao mesmo tempo medo que seu problema acabe fazendo com que o marido a abandone. Ela é um personagem leve, que vezes soava ligeiramente engraçada com sua tendência ao exagero e escândalo, mas senti falta de mais páginas com seu desenvolvimento, ela traria maior riqueza a trama.

Ganesha é o bebê elefante que Chopra herda do tio. Ao recebê-lo o tio envia uma carta dizendo que o bebê não é comum, mas é só com o tempo que o investigador começa a tomar a dimensão que este fato tem. O fato é que ter um elefantinho na estória deixa tudo mais doce e criativo, e claro demarca também a cara indiana que a trama tem. Ganesha é muito fofo, como um filhote deve ser!

O mistério da morte em si é interessante, mas têm falhas na linha do tempo, já que em determinado momento não sabemos nada sobre a verdade, e depois tudo nos é despejado de uma vez, como no final que é revelado com o inspetor conseguiu ligar todos os pontos do quebra cabeça. Acho que a falha é devida a inexperiência do autor que tem potencial para melhorar suas ideias, assim espero que sua sequência seja mais convincente.

Outro ponto que me incomodou foi a falta de explicações quanto a cultura indiana em si, fez falta notas de roda pé onde lugares, pessoas e costumes fossem explanados. Acho que o autor quando fez um livro para o mundo se esqueceu que o resto do mundo não sabe as mesmas coisas que ele sabe. Talvez a edição poderia ajudar com isso?

Este livro faz parte da série Agência de Detetives Baby Ganesha e no exterior têm outros quatro livros publicados, The Perplexing Theft of the Jewel in the Crown, The Strange Disappearance of a Bollywood Star, Murder at the Grand Raj Palace e Bad Day at the Vulture Club, mas ainda não soube nada de a Morro Branco continuar a série por aqui.

A Inesperada Herança do Inspetor Chopra é um livro leve para aqueles momentos que você quer uma leitura descomplicada. Nos imerge entre as cores e sons de uma cidade distante e exótica da qual apenas ouvimos falar mas nunca tocamos. É um passeio entre ruas sujas e ruas modernas, entre jovens ambiciosos e antigos que segue o costume. É um convite a terra de lorde Ganesha, Om Shri Ganeshaya Namah!


Avaliação













Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário