O Feitiço Azul - Bloodlines #03- Richelle Mead

Quando você acredita que uma autora já complicou a vida da protagonista o suficiente é porque você não conhece a senhora Richelle Mead, que em seu livro O Feitiço Azul, terceiro volume da série Bloodlines, publicado pelo selo Seguinte, conseguiu fazer todos os problemas possíveis para uma pessoa só rs! Por tratar-se de uma sequência contém spoilers.

Depois de tanto tempo ao lado dos vampiros Sydney Sage já não os olha da mesma forma, ela nem sequer tem mais a mesma fidelidade ao grupo dos alquimistas depois de descobrir que ex-alquimistas existiam. Determinada a descobrir a verdade a respeito deste grupo ela parte em busca de Marcus Finch. Sua tarefa já seria difícil sozinha, mas agora além desta busca ela deve evitar ser morta por uma bruxa que suga a energia de jovens. No final desta jornada qual será a verdade que permanecerá?

Não foi exagero começar essa resenha dizendo que a pobre Sage está com mais problemas do que o normal, ela além de buscar pelos ex-alquimistas, e buscar por essa bruxa sugadora de garotas, ela ainda deve cumprir seu trabalho junto a Jill e sua equipe, Eddie e Angelina, que não param de dar trabalho, e claro lidar com o seu sentimento por Adrian. Quando alguns destes problemas não resolvem se cruzar, e deixar ela mais perdida ainda!

Com tudo isso Sydney evolui cada vez mais de alquimista fiel a ordem, para um dissidente em busca de si mesma. Como ela cresceu dentro das regras dos alquimistas ela nunca teve espaço para ser ela mesma, ela sequer sabe do que gosta ou o que quer. Logo gostar de Adrian, um vampiro, um alvo proibido mexe demais com ela. Sua transformação é lenta, e pode cansar aos que torcem pelo casal, e pelo avanço da trama, mas esta característica só mostra a veracidade dos fatos, ninguém muda velhos hábitos e crenças da noite para o dia.

Se eu tinha birra com Andrian Ivashkov em Academia de Vampiros, e aos poucos estava cedendo a ele com esta série, neste livro entrego os pontos, o vampiro está a coisa mais fofa. Protetor e fiel a Sydney, ele não mede esforços para ajudar a mocinha, ao mesmo tempo em que investe na relação. Torci muito, muito mesmo para essa relação desenrolar, não só porque torço pelo amor, mas porque depois de tudo que ambos passaram eles merecem um alguém para chamar de 'seu'. Os dois juntos fazem muito bem um ao outro, eles se tornam pessoas melhores pela relação que estabeleceram de cumplicidade e honestidade.

Não gostei do clã dos dissidentes, eles são muito extremistas, e embora tragam verdades a Sydney não ganharam minha consideração. O contrário ocorreu com o núcleo bruxo, que tem apenas a Sra. Terwilliger que tem bastante enfoque neste volume, já que elas estão em busca desta bruxa má, ao mesmo tempo que a Sra. Terwilliger ensina cada vez mais feitiços para Sage. Adorei todas as sequências de magia, especialmente a invocação de um pequeno demônio!

O trio Adrian, Sydney e Terwilliger é muito bom junto! Eu gosto muito quando um autor consegue juntar 'raças' diferentes em um grupo de forma homogênea, eles se complementam e evoluem bem.
A narrativa de Mead como sempre é fluida e deliciosa, faz você avançar no livro sem se dar conta. É muito envolvente e conseguiu seguir para caminhos que não esperados. O final do livro é de deixar o leitor louco! Em outras palavras, mais problemas rs! Além do fato de a bruxaria ter ganho espaço definitivo na vida de Sage.

O Feitiço Azul é uma sequência repleta de acontecimentos e descobertas, tanto externas quanto internas. Não dá descanso ao leitor, mas é muito gratificante de ler ao ver quão talentosa Mead é no que se propõe. Coração Ardente sequência da série já está publicado no Brasil, e não vejo a hora de ver o que mais Richelle aprontará com Sage em suas próximas páginas!

Avaliação









Comente com o Facebook:

Um comentário: