Sem Amor - Katy Regnery

Quando a Editora Charme anunciou a publicação deste livro, ainda no ano passado, fiquei empolgadíssima para conhecer a história assim que li a sinopse pela primeira vez, e morrendo de vontade de lê-lo o quanto antes. Então é claro que assim que tive a oportunidade, mergulhei nessas páginas intensas, e agora, depois de ter lido esse volume escrito por Katy Regnery, venho compartilhar as minhas opiniões sobre ele com vocês.
Em “Sem Amor” conhecemos Cassidy Porter, um jovem de vinte e sete anos que vive uma vida tranquila e isolada da sociedade porque há quase vinte anos, quando ele tinha apenas oito anos, o seu pai foi preso e condenado pelo assassinato de doze meninas. Por conta disso, ele cresceu sentenciado por todos, já que as pessoas achavam que era só uma questão de tempo até ele virar um psicopata. Sendo assim, ele cresceu com seu avô e sua mãe em uma cabana isolado de todos, e sempre aprendendo o quanto é importante ser uma pessoa boa. Ele cresceu sozinho e cheio de traumas, acreditando que deveria sempre viver longe das pessoas para não se tornar o mesmo monstro que era o seu pai.
Conhecemos também Brynn Cadogan, uma jovem web designer de quase trinta anos que perdeu o noivo, Jem, de uma forma muito brusca, e, por isso, nunca foi capaz de superar a sua perda, fazendo com que ela não tenha mais vontade de sair com os amigos, afastando-se de todo mundo, e só querendo ficar em casa com Milo, o gato que Jem lhe deu de presente. Ela só continuou com o seu trabalho de casa, pois não queria depender dos seus pais, e as poucas vezes que nossa protagonista sai é para ir à terapia.
Jem era um homem que amava o ar livre, acampar e as montanhas. Ele passou grande parte de sua adolescência como guia no Monte Katahdin, o pico da montanha mais alta do Maine. Então, quando nossa protagonista percebe que está na hora de conseguir dar um adeus para ele, ela resolve viajar para seguir a trilha até Katahdin, já que imaginou que era o que o seu falecido noivo gostaria que ela fizesse.
O que Brynn não imaginava é que ela iria acabar sofrendo um acidente e sendo salva por Cassidy Porter. Ele acaba ajudando-a a se recuperar, e com isso fica cuidando dela. Brynn se encanta por Cass com o seu jeito bondoso de ser, e, à medida que eles vão passando um tempo juntos, os seus sentimentos começam a surgir, mas Cass logo pede que, independentemente do que aconteça, assim que ela estiver curada, deve ir embora e nunca mais procurar por ele.
O livro nos prende do início ao fim com uma história maravilhosa, intensa, fofa, que nos encanta em todos os momentos e nos faz ficar torcendo pelos protagonistas. Gostei muito da escrita da autora, que conseguiu me despertar diversos sentimentos enquanto lia. Esse é um livro no qual a gente acompanha o crescimento dos nossos protagonistas juntos e é simplesmente incrível ver isso acontecendo.
O relacionamento entre eles também foi sendo construído aos pouquinhos, e isso é o que eu mais gosto num romance, quando primeiro a gente vê os dois criando uma amizade, um carinho, depois os sentimentos vão se fortalecendo, para, então, virar amor. Isso torna tudo mais bonito e inspirador, até porque ambos os protagonistas são cheios de cicatrizes e traumas vividos que precisam aprender a lidar.
A história tem várias partes bem emotivas, principalmente quando vemos a infância de Cass, e de como ele sofreu por conta sociedade quando descobriram sobre o seu pai. As pessoas fizeram muitas maldades, como se apenas uma criança tivesse culpa somente por trazer o mesmo sangue em suas veias. Realmente dá vontade de entrar no livro para poder abraçá-lo. E alguns trechos sobre o passado de Brynn também despertam vários sentimentos no leitor.
O livro é narrado em primeira pessoa alternando o ponto de vista dos nossos protagonistas, o que foi bem legal, já que assim conseguimos ter uma visão mais ampla de tudo o que eles estavam vivendo e sentindo, nos deixando ainda mais próximos da trama.
A capa é singela e linda! Fiquei apaixonada por ela, porque tem muito a ver com o enredo, mas sem revelar muita coisa. A edição impressa, publicada pela adorada Editora Charme, conta com uma textura diferente na capa, páginas enfeitadas e diagramação confortável para a leitura.
“Sem Amor” definitivamente deve ser lido por todo mundo que se interessar por um romance lindo, que nos prende em todos os momentos com uma narrativa rápida e fluida, e um pano de fundo de tirar o fôlego, que nos emociona, nos conquista e nos faz refletir em vários momentos. Essa é uma história maravilhosa, arrebatadora, muitas vezes dolorida e emocionante, que todos devem ler, já que fala de amor e de segundas chances de uma forma muito bonita.
Avaliação




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário