Deixada Para Trás - Charlie Donlea

“Deixada Para Trás” nos apresenta basicamente a história de três moças, que serão envolvidas em toda a trama. Primeiro, vamos saber sobre o desaparecimento de duas dessas garotas, estudantes do ensino médio, Nicole e Megan. Tudo ocorreu quando ambas estavam numa festa à beira do lago, numa cidadezinha na Carolina do Norte. Ninguém viu o ocorrido, até que semanas depois, Megan escapa do cativeiro, enquanto sobre Nicole nada é revelado, só lendo até o fim para obtermos a resposta. A terceira personagem principal deste enredo é Lívia, a irmã mais velha de Nicole, que é aluna de patologia forense e será de suma importância no decorrer da trama.
Uma no depois, Nicole, a jovem que desaparecida, ainda não retornou. E Megan, a que fugiu do cativeiro, continua passando por dificuldades psicológicas e é acompanhada por seu psiquiatra, que faz com ela várias sessões de hipnose para tentar reaver sua memória dos acontecimentos daquela fatídica noite. E com ele escreve um livro que vira sucesso e logo depois se torna um best-seller, fazendo com que ela passe a ser considerada uma heroína local e celebridade nacional, o que não necessariamente é algo bom para essa moça que passou por um trauma terrível e ainda se encontra confusa a respeito dos acontecimentos, precisando urgentemente de respostas, depois de tanto tempo no vazio.
Por outro lado, vemos Lívia acompanhar a autópsia de muitos casos semelhantes ao de sua irmã, que foram de moças sequestradas que apareceram mortas. Com a intenção de descobrir mais sobre o que poderia ter acontecido com Nicole de verdade, já que até então ninguém tinha nenhuma pista do que de fato houve, ela começou a associar outros casos em cidades próximas e foi fundo neles para descobrir alguma coisa. Então acaba pedindo ajuda a Megan, que, aos poucos, recobra suas lembranças que estavam adormecidas em algum ponto que não conseguia decifrar. E, cada vez que uma nova e arrepiante revelação surge, elas percebem que o perigo pode vir disfarçado e estar mais perto do que imaginam. Resta saber se todos sairão vivos desta.
Esse livro foi dividido em seis partes e os capítulos alternam passado e presente, fazendo com que o leitor tenha a possibilidade de adentrar em diversos pontos do enredo. Graficamente falando, os capítulos de cor clara retratam a atualidade, como estão sendo as vidas dessas pessoas depois do ocorrido, enquanto Megan tenta relembrar lacunas de sua memória perdida e vive atormentada com o que lembra, e Lívia faz de tudo para desvendar o paradeiro de sua irmã ainda desaparecida.
Já as páginas de cor escura falam do passado, do que aconteceu naquele dia e também de como eram suas vidas antes de tudo aquilo virar realidade. Inclusive, vamos poder entender mais a respeito de Nicole e de tudo o que ela estava envolvida e o que estava passando. E o que acontecia entre ela e Megan e como o relacionamento entre elas era de verdade.
A intensidade de alguns capítulos movimenta o psicológico de cada leitor, fazendo com que tenhamos uma reflexão mais profunda de todo o ocorrido. Para entendermos melhor, ele apresenta vários flashbacks, nos mostra cenas de personagens secundários que tiveram muita importância na trama principal, e ainda revela coisas que nunca imaginaríamos sem ter “visto”.
Em minha opinião, este é um livro perfeito, repleto de suspense e muita emoção. Com muitas reviravoltas e muito pedaços narrados com narrativas bem pesadas, adentramos no terror que algumas pessoas vivenciaram e em como tudo aquilo afetou e ainda afeta a vida delas. O caso torna-se impressionante e a maior surpresa virá quase no final do livro. E é para qualquer cabeça pirar.
O autor mexe fundo no emocional do ser humano e busca dentro de cada personagem suas descobertas e escolhas. A história vai e vem, presente e passado, configurados em uma teia de aranha, que terá seu fim muito bem esclarecido, tendo suas arestas muito bem aparadas. Gostei bastante de como ele nos entregou o final bem revelador e surpreendente, mostrando como a mente do ser humano pode ser doentia.
Charlie Donlea é um escritor quase estreante, já que este é apenas seu segundo livro publicado. Mas, desde o primeiro, já deu para notar quão bom ele é na profissão. Suas tramas de suspense são incríveis, bem estruturadas, construídas magnificamente e com resoluções inesperadas. A narrativa flui muito bem e nos deixa interessados a cada virada de página, tentando desvendas o que aconteceu e buscando avidamente por mais respostas.
Li sua primeira obra, “A Garota do Lago”, não menos emocionante do que esta, que já possui resenha aqui no blog e vocês podem conferir minhas opiniões clicando no título para ser redirecionado. Vale muito a pena, porque é um exemplar maravilhoso, que mostra o nível alto de capacidade de escrita de Donlea logo em sua estreia.
A capa é bem bonita e chama bastante atenção. O título está em alto relevo, a maioria das páginas é amarela, enquanto outras, sobre o passado, ganharam coloração cinza. A folha inicial de cada parte tem uma imagem de gotas de água ou de um mar sob o sol.
Em maio deste ano, seu novo livro, “Don't Believe It”, será publicado no exterior, e mal vejo a hora de a editora trazer para os leitores nacionais também. Já estou contando os dias, pois esse escritor já conseguiu entrar no meu hall de favoritos de todos os tempos.
A Faro Editorial mais uma vez está de parabéns por ter apostado no autor e publicado ambos os seus títulos no Brasil, e sinto mais uma vez uma imensa gratidão de poder compartilhar com vocês essa leitura e esta resenha. Espero que possam ler e apreciar essa magnífica obra tanto quanto eu. Recomendo demais a todos que buscam obras se suspense bem escritas, com ótimos desenvolvimentos e um final de tirar o fôlego.
Avaliação



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário