Leis da Tentação - Saints of Denver #02 - Jay Crownover

Avett é uma verdadeira “filhinha de papai”, já que tem tudo o que quer, é uma pessoa privilegiada e ainda possui uma família boa e um pai amoroso e incrível. Mas não consegue retribuir a vida boa que tem, sendo uma rebelde sem causa, fazendo as piores burradas e tomando decisões prejudiciais a si mesma e também a outras pessoas. Até que algo terrível acontece, que poderia fazer com que ela mudasse de comportamento para melhor, mas só faz com que ela afunde mais ainda na rebeldia.
Depois de escolher um namorado errado (que ela tinha plena consciência de que não valia nada) e traficante, ela acaba apanhando e passando por uma situação complicada, que a faz parecer cúmplice de um crime contra pessoas importantes para sua família e, com isso, vai parar atrás das grades. E é assim que ela conhece o delicioso e competente Quaid Jackson, advogado criminalista de sucesso que não tem escrúpulos ao defender criminosos e consegue livrar alguns bem ruins da prisão.
É claro que uma atração entre os dois logo surge, mas o caso que estão enfrentando juntos faz com que a relação seja apenas profissional. Porém, apesar de opostos em muitas coisas, eles também têm muito em comum. E conforme o tempo passa e podem se conhecer melhor, os sentimentos acabam surgindo nesta equação. Agora eles precisam lidar com seus próprios fantasmas pessoais antes de embarcarem numa relação. Mas, quando há disposição e força de vontade, duas pessoas podem encontrar uma forma de ficarem juntas. 
E mais uma vez mergulhei numa das obras de Crownover e fiquei encantada. Ainda que Avett não tenha sido uma personagem da qual eu tenha gostado, a autora conseguiu construir uma boa trama, um pano de fundo incrível, e um romance quente e envolvente. Sua narrativa é leve, direta, gostosa e bem desenvolvida, fazendo com que o leitor tenha facilidade em se prender nas páginas e aproveitar a experiência de forma bem agradável.
Antes de iniciar a leitura, a autora comentou na Introdução que a protagonista era mimada e irritante, e que ela só lhe deu uma história porque gostaria de vê-la virar sua vida de cabeça para baixo e se mostrar mais do que a princípio aparenta ser. Devo confessar que já fiquei com um pé atrás com essa informação, porque eu faço parte do grupo que não necessariamente gosta desse tipo de pessoa.
E Avett é realmente bem mimada, filhinha de papai, egoísta, uma rebelde sem causa, de classe média e privilegiada, que tem o amor e o apoio incondicional do pai, mesmo errando e fazendo besteira atrás de besteira somente porque quer (ela admite isso), que não tem motivo algum para ser como é, sabe que está sendo irresponsável, sem noção, etc. E, mesmo assim, não faz nada para mudar isso e nem tem costume de pagar pelos seus erros ou ações (o que foi ainda pior na minha opinião). Então isso foi meio chato e irritante. E mesmo entendendo um pouco do motivo de ela ter ficado pior, e de podermos ir vendo uma evolução do seu caráter quando a leitura vai avançando, infelizmente não consegui simpatizar muito com ela mesmo no final da leitura, o que é uma pena.
Gosto bastante da escrita de Jay Crownover, inclusive porque ela consegue nos apresentar uma protagonista desagradável e ao mesmo tempo faz com que a gente se encante com a leitura, mergulhe nas páginas querendo mais e ainda termine a obra gostando bastante do resultado. Isso só nos prova o quão boa ela é como autora e espero que continue nos entregando cada vez mais tramas apaixonantes.
Como já comentei antes aqui no blog, uma das características de que mais aprecio em suas histórias é o fato de nos apresentar personagens complexos e reais, que são muito mais do que aparentam mediante os preconceitos da sociedade de maneira geral. Eles têm defeitos, dificuldades, erram e pagam por isso. Depois aprendem, acertam, estão em constante evolução e mudanças, como qualquer um de nós.
Algo que gostei bastante de ver foi a evolução de Quaid. Ele é encantador, tem um passado difícil, deu a volta por cima e também é um indivíduo intrigante, porém tinha algumas atitudes nada bacanas e negativas, que podem acabar incomodando algumas pessoas (eu, inclusive), como, por exemplo, ajudar os piores criminosos a escapar da prisão sem pagar por seus crimes. Então vê-lo mudando e começando a crescer como um ser humano mais empático foi realmente algo gratificante.
E também curti o pano de fundo familiar da obra, que mostra como é importante apoiarmos os entes queridos, ainda que eles estejam passando por uma fase não muito boa (de propósito ou não), pois assim eles podem encontrar um bom caminho e dar a volta por cima. E também o fato de que para essas pessoas o dinheiro e o status não é o mais importante na vida de alguém e muito menos numa relação.
Porém, um ponto que realmente me incomoda nas obras de Jay Crownover é que ela é muitíssimo repetitiva. Todos os pontos centrais e características mais marcantes dos protagonistas, assim como seus desejos físicos intensos um pelo outro, são altamente citados o tempo todo. São os mesmos argumentos página após página, mudando só qual é o foco da vez e as palavras. Então acaba ficando um pouco chato e cansativo. Se ela só falasse esses argumentos de vez em quando, o texto fluiria melhor e também o livro ganharia muitas páginas a menos, ficando até mesmo mais dinâmico.
Como já esperado dos exemplares de Jay, esse também é quente. Os personagens se conectam bastante também no lado físico com muitas cenas explícitas e sensuais. Quem gosta desse estilo de leitura vai encontrar um prato cheio, mas quem não curte aconselho que simplesmente pule as cenas porque não vai atrapalhar no entendimento do enredo. Afinal, hoje em dia é bem difícil encontrar livros de romance sem cenas de sexo, mas é só pulá-las para poder ter a chance de aproveitá-los também.
Para quem já leu a série anterior da autora publicada no Brasil, “Homens Marcados”, e também o volume anterior dessa, “Paixão & Liberdade”, tem uma ótima notícia! Mais uma vez há participações de personagens/protagonistas de outros volumes nessa história, fazendo com que possamos revê-los para matar a saudade e ver o que estão fazendo da vida. E também conhecemos um pouco dos próximos protagonistas dessa série.
“Leis da Tentação” é um ótimo romance com personagens com problemas e questões a serem resolvidas, que evoluem e acabam encontrando um tipo de redenção quando ficam juntos. Com uma trama bem desenvolvida e cenas quentes, indico bastante essa obra para quem gosta desse tipo de Romance Contemporâneo. 

Avaliação




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário