A menina que roubava livros - Markus Zusak

                                                 
   “A menina que roubava livros”, best-seller escrito pelo australiano Markus Zusak, rapidamente alcançou sucesso em todo o mundo. Ambientado na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, a narrativa é contada por uma personagem surpreendente: a Morte. Essa improvável narradora mostra-se surpreendentemente afável ao narrar a vida de Liesel Meminger, uma garota de 9 anos que mora com os pais adotivos após ser obrigada a se separar de sua mãe, que era comunista. Além disso, seu irmão, Werner, que seria recebido pela mesma família, morre durante o trajeto, e ela nunca teve contato com o pai. Cercada pela hostil atmosfera desse momento histórico, Liesel encontra refúgio nos livros que, depois de muita persistência dela e de Hans Hubermann, seu carinhoso pai adotivo, finalmente aprende a ler. Cada vez mais fascinada pela literatura, a menina passa a roubar livros dos mais diversos temas – o primeiro deles pertencia ao coveiro que enterrou Werner, e representa o último vínculo com sua realidade anterior. Assim, a partir das relações que Liesel estabelece com os moradores da Rua Himmel, é escrita uma história que emociona grande parte do público leitor.
   Desde que o li, esse livro permanece como um dos que eu considero mais tocantes. A temática, que é bastante delicada, é transmitida de modo muito suave, o que não o torna menos comovente. Seu sucesso absoluto é reflexo da qualidade da escrita: por mais de 200 semanas, "A menina que roubava livros" esteve na lista dos mais vendidos do The New York Times.
   Durante a narrativa, a Morte se apresenta como mais uma vítima da violência humana: embora sua imagem seja sempre associada à dor e tristeza, o trabalho de recolher almas não é pouco doloroso. Outros personagens também são muito bem construídos, como Rudy Steiner, que se torna um grande amigo de Liesel, e Rosa Hubermann, a rígida mulher que assume o lugar de sua mãe. Hans, marido de Rosa, conquista os leitores com sua imensa doçura.
   O trabalho gráfico também é fantástico.  A capa é lindíssima, e os livretos e ilustrações que Max, o judeu que é abrigado na casa de Liesel, faz são brilhantemente colocados no livro, dando uma impressão ainda maior de proximidade com o contexto.
   Em certos momentos da história, os comentários e reflexões da Morte sobre a Guerra são capazes de transbordar os olhos de lágrimas. No fim da leitura, é impossível não se sentir envolvido com a dura realidade vivida pela população da época. De modo muito intenso, é natural desejar que outras meninas que ainda hoje compartilham vidas tão difíceis possam encontrar salvação no poder transformador das palavras.

Quote
"Na última vez que a vi, estava vermelho. O céu precia uma sopa, borbulhando e se mexendo. Queimando em alguns lugares. Havia migalhas pretas e pimenta riscando a vermelhidão. 
Antes, houvera crianças pulando amarelinha ali, na rua que lembrava páginas manchadas de gordura. Quando cheguei, ainda era possível ouvir seu eco. Os pés batendo no chão. As vozes infantis rindo, e os sorrisos feito sal, mas se estragando depressa.
Depois, bombas.”
(P. 17)


UPDATE: Para ler a resenha de outro excelente trabalho de Zusak, "Eu sou o mensageiro", que recentemente foi postada aqui no House of Chick, clique aqui.

Avaliação





>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 03 - FORMULÁRIO


Comente com o Facebook:

25 comentários:

  1. Ess é um dos meus livros favoritos. Eu lembro que no começo não estava com muita vontade de ler, comprei porque a vendedora falou que era bom. Ele ficou na minha estante por alguns meses até que minha mãe leu e falou maravilhas, eu resolvi dar um,a chance e acabei parando na página 50 e minha mãe: calma, ele melhora. Depois eu não conseguia largar o livro, fora que chorei horrores no final.
    Não tenho palavras para descrever esse livro.
    Beijos,
    Rafa
    http://laviestallieurs.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafaella, que bom que você insistiu na leitura e acabou gostando do livro! Obrigada por comentar!

      Excluir
  2. Eu havia visto esse livros em muitas prateleiras, mas nunca tive vontade de comprá-lo, mas depois dessa resenha espetacular acho que entrou na minha Wishlist *-*
    Sério ! A resenha ficou ótima e como você descreveu o livro pareceu bem mais interessante...

    wwwflavynhasz.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anna Flávia, muito obrigada! Fico feliz que você tenha gostado da resenha, rs.

      Excluir
  3. Amo esse livro! É um dos meus favoritos, já li 3 vezes. haha Apesar de muitas pessoas não gostarem eu adoro o estilo e a escrita dele :D Gostei da resenha. Parabéns *o*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ingrid, eu também sou louca pelo livro, mas estou relendo-o pela primeira vez, rs. Fico feliz que tenha gostado da resenha, obrigada!

      Excluir
  4. eu tenho um pé atrás com esse livro , sei lá quem sabe um dia eu o leia , mas a temática não me encanta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo, Marcelo. Mas, caso o leia algum dia, tenho certeza de que irá gostar! Obrigada por comentar!

      Excluir
  5. É um dos meus livros favoritos! Li há uns anos, mas ainda lembro perfeitamente de como amei esse livro. É realmente muito intenso, mas, mais do que isso, é único...

    Ótima resenha, ótimo livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Letícia, realmente, o livro é muito marcante. Que bom que você gostou da resenha, rs! Obrigada por comentar!

      Excluir
  6. Ganhei esse livro de um colega de trabalho, ele ganhou na escola, mas ainda não relei nele, e ainda não sei qd vou ler, mas quero mto ler =]

    Miquilis:
    Bruna Costenaro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia-o sim, a história é muito emocionante! Tenha certeza de que você vai gostar!

      Excluir
  7. Aiiiin eu adore esse livro, é um dos meus favoritos por que é tão verdadeiro e cheio de passado, mas ao mesmo tempo divertido que não tem como dizer que não é PERFEITO! A resenha ficou ótima, de verdade. É dificil falar de livros bons, sem ser boazinha demais com a resenha, mas o que é bom tem que ser dito!

    beijos

    www.mdelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maisa, muito obrigada por ter gostado da resenha! E, sim, o livro é mesmo perfeito!

      Excluir
  8. Li esse livro em 2009,e até hoje me lembro dos detalhes,sabe aquele livro que te marca poor a vida toda e entra no seu hall dos melhores livros da sua vida? poisé,esse sem dúvida é um deles,acho que TODOS que AMAM literatura deveria ler,que livro fantástico,não tenho nem palavras pra descrever o sentimento que o mesmo provoca!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paula, concordo com você! A história é mesmo muito marcante. Obrigada por comentar!

      Excluir
  9. Eu apesar de bem familiarizada com o título, que pode ser encontrado em qualquer lugar de grandes livrarias a bancas de revistas, nunca tinha de fato lido a sinopse ou ouvido qualquer informação a respeito.
    Pensava que era uma coisa completamente diferente, mas agora estou querendo lê-lo.

    @sophia_samhan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sophia, fico feliz que você tenha se sentido estimulada a lê-lo! Tenho certeza de que você irá gostar muito.

      Excluir
  10. Um dos melhores livros escritos no mundo. A cada parte temos várias mensagens importantes. Cada pedaço transmite uma emoção que só quem lê com cuidado percebe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. O livro realmente é muito intenso. Obrigada por comentar!

      Excluir
  11. Nossa amo esse livro ,que pena que de cada 100 livros que leio somente uns 10 fazem a diferença como esse fez .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Michele. Seria bom se todos os livros nos encantassem desse modo, não é? Obrigada por comentar!

      Excluir
  12. Ganhei este livro da escola este ano, não o li ainda, mas vou ler juro
    todos falam bem dele e a capa é bem legal

    rodrigobill10@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia-o mesmo, você irá gostar! E a capa é mesmo linda, rs. Obrigada por comentar!

      Excluir
  13. Bom, na época que li A Menina que Roubava Livros não possuía maturidade suficiente para tal leitura e acabei não gostando da história, mas uma coisa que permanece até os dias atuais é a narrativa lenta do autor. Eu gostei muito dos temas abordados, Hitler, nazismo, morte, exército, guerras, tudo mesmo. Liesel é uma personagem encantadora, só faltou mais trabalho de agilidade por parte do autor em toda a narrativa.

    ResponderExcluir