Leon - Angie Mello

Leon vivia um sonho. Sua família estava prestes a ganhar mais um membro, já que sua amada esposa estava grávida, o trabalho ia bem, morava num dos locais mais cobiçados do mundo, Nova York, e seus familiares podiam não ser os mais unidos, mas havia amor. E eles tinham um lindo futuro pela frente. Mas, como num piscar de olhos, tudo mudou. Durante um assalto, Melissa foi usada como escudo, sua pressão arterial subiu e ela foi levada às pressas para o hospital, onde fez um parto de emergência. Porém, ela não aguentou e seu filho teve o mesmo destino pouco depois.
Completamente perturbado, desorientado e arrasado, Leon não consegue mais enfrentar a vida e decide ir embora. Ele agora é um morto vivo e se transformou num ermitão, morando numa cabana afastada da civilização, sem energia elétrica, água encanada ou internet, e está completamente isolado do mundo. E passa três longos anos assim. Até que recebe uma carta da mãe, pedindo seu retorno, já que seu pai está bastante doente e com pouco tempo de vida.
Zayla é uma jovem independente e ambiciosa, que não tem interesse em relacionamentos sérios e nunca pensou em casar ou constituir uma família. Tudo o que ela quer é trabalhar, juntar dinheiro, conquistar uma brilhante carreira e construir seu próprio negócio. Um belo dia, ela é “atacada” por uma fofura em forma de cachorro quando está no Central Park e acaba conhecendo Leon.
A atração física entre eles é forte, e, num segundo encontro naquele mesmo dia por conta do destino, acabam ficando juntos. Até que Zayla descobre um segredo sobre ele. E agora precisa decidir se quer ir em frente com o que quer que seja que eles começaram. Enquanto Leon também precisa lidar com uma novidade que ela está vivendo para decidir se quer embarcar num relacionamento depois de tudo o que já viveu e sofreu na vida.
Em meio a muitas reviravoltas, intrigas, máscaras caindo, acontecimentos de abalar as estruturas, e muito mais, a relação entre Leon e Zayla vai se fortalecendo cada vez mais. Até que percebem que o que sentem pode ser mais forte do que esperavam. Mas será que o amor é suficiente para quebrar as barreiras que ambos trazem em seus corações? Ou o relacionamento está fadado ao fracasso, já que eles podem ainda não estar preparados para enfrentar o que estiver pelo caminho?
Confesso que eu ainda não conhecia a autora Angie Mello, porém, desde que eu vi este seu livro no catálogo da Rico Editora, fiquei completamente encantada pela obra e desejando ler tudo de sua autoria o quanto antes. A primeira oportunidade que tive foi com “Leon”, que, assim que tive em mãos, corri para ler, devorei e simplesmente me apaixonei! Com certeza essa autora já entrou na lista de escritores nacionais que eu definitivamente vou acompanhar!
Algo que realmente adorei foi o fato de Angie nos entregar respostas originais para os clichês. Afinal, hoje em dia não há como escrever um livro livre de clichês, pois tudo já foi escrito anteriormente, e alguns dos pontos acabam virando lugar comum e presença certa em histórias de gêneros iguais. Então eu gosto de clichês, porque são inevitáveis e também muitas vezes funcionam nos entregando aquilo que queremos. Porém, o mais bacana da autora é que, mesmo nessas situações clichês, ela acabou entregando uma reação um pouco diferente do esperado ou do que é mais comum em diversos momentos e isso me pegou de surpresa positivamente. Ou seja, juntou o útil ao agradável.
A narrativa é em terceira pessoa, porém em alguns momentos muda para a primeira pessoa para podermos adentrar os pensamentos dos protagonistas. Achei isso bem interessante, pois conseguimos ter uma visão ampla das cenas e, quando havia algo importante ou algum pensamento relevante, tínhamos a possibilidade de entrar em suas mentes para podermos entendê-los melhor e de forma mais próxima.
A escrita da autora é bem gostosa, envolvente e flui muito bem. Gostei bastante que temos a oportunidade de acompanhar diversas reviravoltas e muitos acontecimentos importantes – alguns deles inclusive me pegaram de surpresa, pois dessa forma a trama ficou bem movimentada e nada cansativa.
Adorei o Leon e a Zayla, e conhecê-los melhor foi maravilhoso. Suas personalidades são incríveis, eles não são daqueles tipos de pessoas que enrolam muito ou que escondem as coisas, pelo contrário, são sinceros, decididos, fortes e encaram os problemas de frente. Algo que gostei muito é que Angie Mello teve um cuidado especial com os discursos de todos os personagens, evitando comentários irritantes ou diálogos vergonhosos para os dias atuais, coisas que encontramos aos montes por aí.
Confesso que achei que o relacionamento entre Leon e Zayla ficou muito forte rápido demais para o meu gosto pessoal. Gosto mais quando há um pouco mais de exploração deles se conhecendo antes de nutrirem sentimentos tão intensos para eu também ter a possibilidade de sentir junto com eles. Porém, depois que me acostumei com isso, achei esse casal simplesmente maravilhoso. Eles combinam completamente, têm uma química incrível e são realmente adoráveis juntos. Virou um casal queridinho, com toda certeza.
Também achei especial a forma como lidavam com os problemas e as questões que apareciam pelo caminho, de forma madura e responsável. Claro que os sentimentos também estavam presentes, mas não houveram dramas desnecessários ou brigas por falta de comunicação, já que eles sempre colocavam tudo em pratos limpos. E, o melhor, pediam desculpas quando havia necessidade.
E amei que o Leon é um homem interessantíssimo e não esses machistas disfarçados que encontramos aos montes tanto na vida real quanto na ficção. Fora que ele saiu totalmente do padrão clichê geralmente encontrado na literatura, com homens mulherengos, donos de empresas, que maltratam as pessoas, etc. Ele é humano, real, fofo, decente, trabalhador, responsável, amoroso e carinhoso. Mulheres fortes são mais fáceis de encontrar em livros, por isso que, mesmo adorando Zayla, foi o Leon que mais fez meu coração ficar quentinho e feliz.
Só acho que ficou faltando um pouco de maior exploração nas personalidades anteriores de ambos os personagens. Zayla com sua falta de interesse em relacionamentos amorosos e Leon com a questão terrível que aconteceu em seu passado. Nós fomos informados de ambas as coisas e elas foram citadas em alguns momentos, mas acho que poderiam ter sido mais exploradas.
Eu sou totalmente a favor de os autores escreverem o que quiserem e em qualquer cenário. Acho muito válido quando escritores nacionais saem de suas zonas de conforto e exploram outros lugares, cidades e países. A única coisa que eu acabo esperando é que os personagens construídos tenham ações, reações e discursos baseando-se na realidade e na cultura em que estão inseridos (se a nacionalidade deles, por exemplo, for coreana, espero que tenham hábitos do seu país de origem – a menos que não tenham sido criados lá ou que tenham contato próximo com pessoas de outras culturas ou pelo menos demonstrem interesse por algo assim). Porém, em alguns momentos não consegui ver isso neste livro. Pelo contrário, em diversas situações, pude ver o modo de falar e pensar dos brasileiros, e até mesmo algumas das ações são semelhantes as nossas e diferente das dos americanos. Então passa um ar um pouco irreal para a trama. Penso que os personagens poderiam ser brasileiros vivendo nos EUA ou pelo menos terem famílias ou pessoas próximas de nosso país para poderem soar como nós.
Se você gosta de Romances Contemporâneos, realmente indico “Leon”, obra da autora nacional Angie Mello. Além de embarcar numa trama deliciosa e envolvente, vai ser surpreendida em alguns momentos, se encantar pelo casal de protagonistas e ver como são maduros, se apaixonar por Leon e Zayla, passar com eles por diversas reviravoltas e ainda terminar com um final de alegrar o coração. E de bônus ainda ganha a chance de prestigiar mais um talento nacional!
Avaliação




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário