O Deputado - Entre o Amor e o Poder #01 - Fernanda Terra

Quando eu li a sinopse deste título pela primeira vez, ele chamou bastante a minha atenção, isso porque parecia trazer uma história encantadora, daquele tipo cheio de altos e baixos, que nos prende em todos os momentos com personagens maravilhosos em um conto de fadas moderno. Por este motivo, assim que tive a oportunidade, comecei a ler este livro. Agora, venho compartilhar com vocês as minhas opiniões.
Neste primeiro volume da trilogia “Entre o Amor e o Poder”, conhecemos a história de Linda Marilyn, uma jornalista conceituada que trabalha no New York Times. Ela resolveu fazer direito político por conta de Artur Sebastian Scott, por quem é apaixonada desde os doze anos. Muito inteligente e responsável, ela tem uma carreira uma sólida e admirada, e, por este motivo, fica responsável de cobrir o evento onde seria anunciada a candidatura de Artur Scott como Senador.
A família Scott está há anos na política, já que várias gerações dos mesmos governaram o país e sempre tiveram um bom nome, pois nunca se envolveram em nenhum escândalo, nem nada do tipo. É nessa festa da candidatura que nossa protagonista acaba conhecendo Arthur, já que ele quer conhecer a jornalista que sempre escreve tão bem sobre sua carreira. E, quando os dois acabam se conhecendo, ele repara que ela não é nem um pouco como havia imaginado.
Linda, com seus apenas vinte e dois anos, nunca sequer imaginou que alguém como Arthur poderia estar interessado nela, inclusive porque ele é um bilionário muito bonito, daquele tipo que todas as mulheres desejam. Então, quando Arthur a chama para jantar, ela acaba vendo sua vida mudar totalmente.
Dono de uma arrogância sem limites, Arthur gosta de fazer tudo do jeito dele, sendo autoritário e mandão, mas bastante honesto. Ele é um bilionário que acabou tendo bastante interesse em Linda, e, por isso, faz de tudo para conquistá-la. Vemos, então, como se forma a relação entre os dois, sendo que muitas coisas podem ficar no caminho deles, mesmo ambos se apaixonando.
A história é muito interessante, e, apesar de ser tudo bem rápido, eu curti bastante. Acho que por ser o primeiro volume de uma trilogia, ela representou bem o seu papel, mostrando o que podemos esperar dos próximos volumes, assim como nos deu uma base sobre o futuro do casal, e os problemas que eles podem enfrentar.


Uma Noite com Audrey Hepburn - Libby Lomax #01 - Lucy Holliday

Libby Lomax tem vinte e nove anos e leva uma vida diferente do que esperou para si, afinal segue uma carreira de atriz, para a qual nem tem vocação, e nunca nem ganha papéis importantes, apenas pontas e figurações sem falas em projetos que ela também não se importa. Para piorar ainda as coisas, tem uma mãe terrível, que por acaso é sua empresária e a grande não incentivadora de sua carreira, já que quer que a filha continue seguindo essa profissão, mas sempre a faz perceber que não tem talento ou que vai conseguir algo a mais do que os papéis ruins que consegue para ela; e ainda há a sua irmã mais nova, mais bonita e dona de uma personalidade um tanto fútil, que gosta e quer ser sempre o centro das atenções de tudo, e é a grande amiga de sua mãe, que a auxilia e incentiva na carreira de atriz.
A sorte de Libby é que ela tem Olly e Nora, seus dois melhores amigos desde a adolescência, que a ajudam a enfrentar tudo de ruim que acontece ao seu redor. Apesar de Nora estar morando longe e não ter tanto tempo assim para ela, já que é uma médica de emergências e está sempre ocupada.
Sua vida seguia normal, como sempre, até que, no set de filmagens de um dos seus novos trabalhos, em que ela é uma figurante usando uma fantasia nada agradável, Libby passa por uma situação completamente constrangedora. E, pior de tudo, bem na frente de Dillon O’Hara, um ator lindo e bem cobiçado que está trabalhando no mesmo projeto. Como se seu dia não pudesse piorar, eis que ela ainda por cima é demitida e expulsa do local, sendo facilmente substituída por outra pessoa. Depois de um dia péssimo, tudo que ela quer é deitar no sofá e assistir a “Bonequinha de Luxo” mais uma vez, afinal mesmo nas telas de uma televisão, Audrey Hepburn sempre será seu porto seguro.
O que Libby  não poderia prever é que este dia não seria igual a todos os outros mesmo, afinal, de repente, ninguém menos que Audrey Hepburn está sentada ao seu lado em carne e osso – e viva! – com seu vestido preto, óculos escuros clássicos e sua cigarrilha vintage, como se tivesse saído das telas para o pequeno apartamento de Libby, e se torna sua grande amiga rapidamente, servindo de conselheira, falando palavras de incentivo, passando bons momentos juntas e fazendo com que nossa protagonista se sinta melhor a respeito de si mesma e de tudo o que vive. Mas será que Libby será capaz de transformar o desastre que é sua vida em algo cheio de glamour e acontecimentos espetaculares? Isso só o tempo irá dizer.
Desde a primeira vez que me deparei com esta capa lindinha, fiquei super curiosa para ler este livro, já que uma mistura de chick-lit + Audrey Hepburn prometia ser algo maravilhoso. Depois de lido, concluí que realmente foi muito bom, e mal vejo a hora de poder ler as continuações, que contam com “participações” de outras famosas tão incríveis quanto Audrey, Marilyn Monroe e Grace Kelly.
Como nos bons chick-lits, a protagonista daqui, Libby Lomax, é atrapalhada e vive enfrentando diversas situações nada agradáveis, além de passar bastante vergonha em muitos momentos, e ainda continua seguindo com a cabeça erguida, tudo num tom bem divertido e fazendo com que o leitor possa dar boas gargalhadas. Libby também enfrenta várias questões que todos nós, principalmente as mulheres, passam em suas vidas, o que cria uma forte identificação no leitor.
Adorei as participações de Audrey Hepburn, mas tenho que admitir que pensei que seriam diferentes. Cada hora ela estava vestida com alguma de suas roupas icônicas, usadas nos filmes que fez, e pudemos conhecê-la mais a fundo, já que ela estava sempre comentando algo sobre sua vida ou a respeito de pessoas que conheceu – o que faz com que a gente perceba o ótimo trabalho que Lucy Holliday teve pesquisando a vida da atriz para acrescentar, inclusive, fatos reais sobre a mesma na história. E eu ri bastante com a personagem, principalmente com ela aprendendo a usar coisas mais recentes como Twitter, compras online, máquina de café com cápsulas, entre outros. Ainda não houveram explicações a respeito de suas aparições, nem quando ou quanto tempo elas durariam e nem se Audrey irá reaparecer nos próximos volumes, mesmo que brevemente, o que eu espero que, sim, aconteça.


A Profecia de Mídria - Os Mistério de Warthia #01 - Denise Flaibam


A Fantasia no Brasil não tem quase meio termo, ou é uma releitura pobre dos gringos, ou um livro criativo e tão bom que surpreende, que por sinal ainda não são muitos mas têm sido cada vez mais frequentes! A Profecia de Mídria, livro 1 da série Os Mistério de Warthia, da autora Denise Flaibam, publicado pela editora Mundo Uno entrou para lista dos bons, e dos que me surpreenderam!

Serafine Delay irá completar dezoito anos, ela vive em uma pacata vila com seus pais adotivos, e não pode ter uma vida mais comum e cética. Entretanto na sua festa de aniversário uma ataque sanguinário acaba com sua paz, e a força fugir do único lugar que conhece. Agora ela deve fugir destes monstros que querem sequestrá-la.

Mas sua estória tem mais camadas, e ela é confrontada com o seu passado e sua origem que nunca quis saber antes. Suas marcas na pele e uma profecia antiga parecem ser mais do que ela imagina, e Serafine deixa de ser uma garota comum para ser a esperança de um mundo que quer fugir das trevas.

Fui ler este livro sem qualquer expectativa, eu sabia que era uma fantasia e apenas isso, por isso fico feliz em dizer que foi uma leitura envolvente e agradável, como uma boa fantasia deve ser. Flaibam não mostra em sua narrativa seus poucos anos de idade ( ela publicou o livro com apenas dezoito anos!), já que ela foi capaz de construir um universo mágico muito criativo e bem amarrado. Sem excessos de descrição, ou lamentos por parte da jovem protagonista, ela soube dosar bem a ação e as explicações, embora eu como Serafine desejasse por mais respostas, e esta seja a falha do livro ao meu ver.

Serafine tem um perfil que me lembrou o jovem Potter, assim como ele, ela sabe que está destinada a grandes feitos, porque não há quem mais possa fazê-lo, mas ainda não é capaz de encontrar em si ou no que a cerca o poder que dizem ter. Com uma forte dose de sorte e acaso ela acaba por desenvolver um pouco de seu poder, mas ainda está muito distante de conhecer quem é, e como vai exatamente vencer uma bruxa poderosa. É muito fechada porque ter vivido seus dezoito anos se escondendo por debaixo de maquiagens, mas não sabia que suas marcas seriam sinônimo de orgulho um dia.

Quanto aos seus guardiões, primeiro temos Jarek Hargon, que é um guerreiro que não teme o perigo, menos ainda a morte. Tem um passado que esconde de sua protegida, e  o dom de tirá-la do sério. Eles passam boa parte de seus diálogos se provocando, e demoram até perceber o que isso significa. Ele é um pouco chato, não faz o típico mocinho, ao contrário, embora saiba que ela é a escolhida tem suas dúvidas por muito tempo sobre ela ser capaz de fazer o que deve, e isso faz com que a relação deles sofra.


RESULTADO – Promoção Aniversário de 6 Anos do House of Chick


Oii, gente! E chegou o tão esperado dia do resultado das promoções em comemoração aos 6 anos do House of Chick! Foi lindo ver as participações de vocês, e até selecionamos alguns ganhadores a mais do que o previsto para receber prêmios lindos! Então corram para saber quem foram os ganhadores! <3
INSTAGRAM



1º Sorteado: Escolhe 4 livros da foto;
2º Sorteado: Escolhe 3 livros da foto, exceto os que foram escolhidos pelo ganhador anterior.
3º Sorteado: Fica com os 3 livros da foto que sobraram, ou seja, que não foram escolhidos pelos ganhadores anteriores.


Dragões, Maçãs e uma Pitada de Cafuné – Contos e Contadoras #01 - Helena Gomes & Susana Ventura

Sou uma grande fã de histórias infantis, principalmente aquelas que ajudam o desenvolvimento intelectual e pessoal de cada indivíduo, mesmo quando ainda muito pequeninos, de maneira sutil e prazerosa. E foi exatamente isso que a dupla Helena Gomes e Susana Ventura fez com esta coleção, que por enquanto só tem o primeiro volume publicado, mas os próximos dois já possuem título e subtítulo, os quais vou comentar mais abaixo.
Neste primeiro volume, como o próprio subtítulo, “Contos de Fadas Para Pensar Sobre Ética”, já revela, vamos encontrar alguns contos de fadas, sendo uns mais curtos do que outros, para fazer os mais novos (e, por que não os mais velhos também?!) pensarem sobre o certo e o errado de uma forma maravilhosa.
São oito contos e vou comentar um pouco sobre cada um deles agora, mas de maneira breve para a resenha não ficar muito extensa e também para não soltar nenhum spoiler. Além deles, há uma apresentação curta escrita pelas autoras e o posfácio “Certo ou Errado?”, onde Giselle Soares comenta um pouco sobre cada conto e a lição escondida nas entrelinhas deles.
O primeiro, “Três, Seis e Nove Cabeças de Dragão”, fala de um rei muito malvado, que possui três dragões e os usa para castigar seus inimigos. Quando seu filho acaba fazendo algo para ajudar um prisioneiro, ganha como penitência ser expulso do reino, o que faz com que ele descubra algo muito melhor e consiga lutar pelo que é certo. O segundo é “O Lenhador e o Troll”, que fala de uma família cujo pai é lenhador, e quando adoece pede auxílio aos filhos, que precisam encontrar uma forma de seguir cortando árvores para continuar o trabalho do pai, só que a tarefa acaba sendo bastante complicada porque há um troll cuidando da floresta com a intenção de protegê-la da destruição.
O terceiro, “O Anel Mágico”, fala de um menino bem pobre, que vive com seus avós num local bastante humilde, e tem um ótimo coração. Quando surge a oportunidade de mudar de vida, ele fica deslumbrado com tudo de novo que conquista, até que alguns problemas surgem em seu caminho, fazendo com que ele possa amadurecer e enxergar o que é verdadeiramente importante. Em seguida acompanhamos “O Avarento”, onde conhecemos um mercador rico que prefere guardar seu dinheiro e não ajudar o próximo necessitado, o que pode ser um erro.
Em “Os Trigêmeos”, conhecemos três irmãos fortes e destemidos que enfrentam uma loba e dominam seus três filhotes. Com isso, conquistam fortuna e fama. Porém, dominar outro alguém pode não ser a melhor escolha e as consequências podem tardar, mas não falham. “O Resgate das Princesinhas” é o sexto conto e traz a história de um rei e uma rainha que não podiam ter filhos, até que alguém lhes oferece uma magia capaz de mudar tudo, mas ela precisa ser seguida à risca ou terão consequências. Quando as três princesas ignoram as regras, sofrem com isso. Até que um bom coração corajoso decide consertar seu erro e parte em uma aventura para resgatá-las.


Os Protegidos – Sérgio Chimatti

A trama de “Os Protegidos” começa no ano de 1968 e narra, principalmente, a vida das amigas Amanda, Sara e Gratiel, cada qual vivenciando uma existência e um destino diferentes, e seus caminhos voltam a se cruzar novamente no futuro. Amanda logo encontra sua alma gêmea, Sara muito cedo vivencia algo terrível com uma consequência ainda pior, e Gratiel perde sua alma gêmea para voltar a reencontrá-la muito tempo depois, passando por muitas coisas neste meio tempo, e ainda seguindo firme, forte e decida até poder revê-lo.
Esse livro mostra a história destas três amigas e suas três jornadas diferentes. Nas suas histórias, elas estiveram sempre entrelaçadas de alguma forma. Por conta disso, a chance do reencontro e a descoberta de novas oportunidades nesta vida estavam sempre presentes. Podemos acompanhar seus anjos da guarda ajudando, apoiando aos seus protegidos, e se comunicando entre si para a proteção de todos os amigos.
“Obrigada, primeiramente, a Deus, por nos permitir este destino e obrigada aos anjos, que se fazem instrumento para Sua obra.”
Todos nós temos livre arbítrio, mas todas as pessoas que cruzam nosso caminho têm um motivo. E este motivo está escondido de nós para que tenhamos a chance do acerto. A maioria das coisas em nossas vidas não é como gostaríamos que fosse, porque precisamos entender e procurar resolver tudo o que passamos, mesmo achando que é muito difícil, porque cada passo que damos faz parte da nossa jornada como um todo.
E aqui não foi diferente. Sobre Amanda e Júlio, além do encontro de almas que têm, pois estavam na mesma sintonia, não acompanhamos com tanta profundidade suas vidas na maior parte do tempo, como com as demais protagonistas, mas gostei da presença deles e de conhecê-los melhor. Sara se envolveu com um homem casado, mesmo que no começo não quisesse que isso acontecesse, mas acreditou nele porque tinha um bom coração e uma boa índole, e queria ajudar sua mãe que estava muito doente. Quando descobriu suas verdadeiras intenções, quis se separar dele, mas acabou sendo tarde demais, e algo muito grave aconteceu com ela.
Já Gratiel foi a que conhecemos mais a fundo. No início do livro, a vemos se envolvendo com Noel, que era o amor de sua vida, porém, por causa de atitudes errôneas, ela acabou jogando-o diretamente nas mãos de outra mulher, com quem ele se casou e sofreu muito durante todo o tempo. Em sua jornada longe do rapaz, Gratiel conheceu Priscila, uma moça que acabou se tornando sua grande amiga, e trouxe muitas mudanças na vida da protagonista rumo a evolução espiritual e ao reencontro com seu único e grande amor.
Além destes, há vários outros personagens com suas tramas, que fazem parte, direta ou indiretamente, da vida de cada uma das protagonistas, modificando alguma coisa em suas existências. E as vidas de todos acabam se entrelaçando de alguma forma.
Apesar de ter gostado muito das três, foi Gratiel que mais me comoveu, pois, ela era uma pessoa maravilhosa, que inclusive cuidava de seu avô, era determinada e inteligente, e não deixou a vida lhe tirar a alegria, mesmo enfrentando muitas coisas. Além de tudo, mesmo tendo “perdido” o seu verdadeiro amor, não o esqueceu e também não quis ficar com ninguém mais.


A Jovem Alessia - Louise Bennett

E estamos na França do século XVIII, quando a paz e a prosperidade finalmente reinam depois de décadas terríveis devido a embates sangrentos. O rei Henri VIII tem um bom coração e um reinado agradável, e vive recebendo outros nobres de diversas partes para festas e comemorações. Em uma destas, mais precisamente no aniversário de Anna, sua filha, a princesa decide que sua “irmãzinha” (afilhada de seu pai) compareça ao evento, já que as duas não se veem há anos por conta do pai da garota que vive recluso e maltratando-a. Para satisfazer, como sempre, as vontades da filha, o rei consegue uma forma de fazer Alessia comparecer. E as vidas de todos acabam mudando bastante, e para melhor.
Alessia vive isolada do mundo há muitos anos, vivendo na fazenda vinícola da família, e seu pai, um conde amargurado, não a trata nada bem, inclusive proibindo-a de fazer muitas coisas. Em uma ida a um mercado ao ar livre com sua criada, ela acaba vendo um rapaz que lhe agrada muito, mas ele é apenas um capitão da guarda real, ou seja, qualquer envolvimento com ele está fora de questão. Mas, mesmo que não estivesse, Alessia nem poderia sonhar com algum tipo de relacionamento com ele, afinal é muito tímida e não se aventura por aí.
Até que seu destino acaba mudando com o convite de Anna para passar uma temporada no castelo, quando ela se vê frente e frente com Marcus e, conforme eles passam a se conhecer cada vez mais, os sentimentos de ambos começam a se fortalecer, fazendo com que eles façam de tudo ao seu alcance para ficarem juntos, independentemente de qualquer coisa: níveis sociais e monetários, pessoas que não querem a felicidade de um ou outro, situações perigosas e muito mais. Só o amor verdadeiro poderá modificar a história destes dois, basta saber se tudo o que sentem é real ou não passa de uma paixão da adolescência.
Como sempre comento aqui no blog, de uns anos para cá um dos meus gêneros favoritos é o romance de época, então sempre que vejo algum lançamento do estilo, fico louca para conferi-lo. Inclusive este ano estou lendo diversos títulos e, se não me engano, peguei pelo menos um exemplar por mês do gênero para me deliciar. E não tem um que não tenha gostado muito. Com “A Jovem Alessia” não poderia ser diferente, Louise Bennett conseguiu me conquistar e não vejo a hora de ler mais de suas obras.
Adorei os protagonistas, apesar de ter preferido a doce e querida Alessia a Marcus, que me irritou em alguns momentos; assim como alguns dos personagens secundários que, muitas vezes, roubavam a cena. Entre eles: Anna, princesa da França e “irmãzinha” de nossa protagonista, como carinhosamente é chamada e tratada, que apesar de mimada tem um enorme e bom coração, e é alguém muito à frente de seu tempo; o rei Henri VIII, amigo de seu pai e padrinho da moça, que é maravilhoso, divertido e alto astral; e Louis, tenente da guarda real e melhor amigo de Marcus. Além destes, também tiveram alguns outros com menos participações, que também serviram com algum propósito na história ou aos personagens principais, dos quais gostei bastante.
Apesar de ter lido muitos romances de época ao longo destes últimos anos, posso afirmar que este é o mais diferente de todos que já li. Então, aos leitores que querem descobrir histórias do gênero com aquele ar único, esta é uma ótima opção. A trama é toda permeada de sentimentos fortes e muita inocência, daquele tipo de história de primeiro amor bem bonitinha e ingênua.
A escrita da autora é leve, envolvente e bem detalhada. Além do mais, o enredo é bastante desenvolvido e nos mostra diversas etapas do relacionamento entre o casal principal, desde antes de se conhecerem, passando por como começaram a se interessar um pelo outro, se encontrando e cada um dos novos sentimentos surgindo e amadurecendo. Os vemos enfrentando muitas coisas, algumas difíceis, outras mais fáceis, algumas divertidas, outras complicadas, etc., vemos os questionamentos que passam a fazer sobre a rapidez das coisas e como eles antes nunca haviam acreditado que algo tão forte poderia nascer e se desenvolver com tão pouco tempo, mas que agora sabem que existe algo como amor à primeira vista. Acompanhamos o amadurecendo do relacionamento, a força de vontade que têm de ficarem juntos, eles namorando, noivando, casando, vivendo lua de mel, tendo filho, depois do nascimento do mesmo, e anos mais tarde, também acompanhamos revelações e descobertas fundamentais e inesperadas para eles, e cada etapa entre estas situações importantes.


O Ano da Leitura Mágica - Nina Sankovitch

As vezes o universo é engraçado, semana passada eu tinha acabado de ler o livro Ficções do Borges, ou seja uma leitura densa, e estava buscando pela minha estante uma leitura leve, mas tudo que eu esbarrava era de alguma forma reflexivo ou denso, então olhei para o livro O Ano da Leitura Mágica, da autora Nina Sankovitch, publicado pela editora Leya, e achei que seria o que eu precisava, mas como disse o universo tem suas ironias...

Nina perde sua irmã rapidamente depois da mesma descobrir um câncer, inconformada com a perda ela procura por uma saída para voltar para vida. Os anos que se seguem ela vive intensamente por ela e pela irmã que se foi, mas percebe que não estava lidando com a perda, e sim vivendo uma vida de exageros, assim Nina se volta para sua paixão desde que se conhece por gente, os livros! Ela se desafia a ler um livro por dia, durante um ano e assim encontrar a sua vida novamente.

Este não é um livro de ficção, é uma narrativa em primeira pessoa biográfica, que a autora conta em detalhes sobre seu luto, assim ao mesmo tempo em que temos parágrafos e mais parágrafos de livros, autores e estórias sobre como eles chegaram até Nina, temos tantas linhas quanto sobre a irmã, tanto de quando esta era viva, quanto em relação ao que ela sente sobre sua morte.

O luto é um processo lento, dolorido, e que tem suas fases para elaboração: mais exatamente, primeiro a Negação, Sankovitch passou anos sem compreender porque uma mulher de apenas 46 anos morreu de forma tão rápida quando tinha tanto a viver e a acrescentar ao mundo, mais que isso ela se pergunta porque não foi ela quem morreu e sua irmã quem ficou, e essa raiva e revolta é a segunda fase do processo.

Depois vem a barganha, e no caso da autora ela se deu através de seu pensamento mágico de que um dia chegaria em casa e encontraria a irmã de volta, e que ela poderia voltar a abraçá-la. É quando a depressão se instaurou, a quarta fase, é que ela se deu conta que precisava fazer algo por si mesma, já que havia passado dois anos e suas tentativas não tinham dado conta de viver o luto. E foi através dos livros, durantes esses 365 dias e livros que ela conseguiu enfim aceitar, no último estágio que conclui a elaboração do luto.

"Leituras no presente, memórias no passado, sabedoria no futuro." (pg 48) Essa frase resume bem o que é o livro, já que ela escolhe alguns livros para comentar como em uma resenha, faz paralelos a sua vida presente e resgata momentos de seu passado, não só de sua infância, como também da história de vida dos pais e avós que eram europeus, e viveram as dores e perdas da guerra.


Garota Desaparecida - Garota Desaparecida #01 - Sophie McKenzie

A sinopse deste volume me chamou bastante atenção, principalmente por me lembrar de uma série de televisão que eu comecei a assistir há pouco tempo, chamada Finding Carter (sei que ela foi lançada um tempinho atrás e até já foi finalizada, mas ainda não tive muito tempo de assistir muito mais do que a primeira temporada). Claro que a sinopse não é a mesma, mas o enredo é próximo, já que lá uma menina foi roubada de sua família e não sabia que a sua mãe não era a sua verdadeira mãe. Aqui também temos uma menina que foi roubada de sua família e, por este motivo, quis começar a ler esta história para saber como ela iria terminar.
Em “Garota Desaparecida” conhecemos Lauren, uma menina que mora na Inglaterra e que sempre soube que foi adotada, mas, ao fazer uma pesquisa sobre o seu passado, ela acaba descobrindo algo que poderia mudar toda a sua vida, já que descobriu a possibilidade de ter sido roubada de uma família americana quando ainda era bebê. E esse fato fica consumindo-a, fazendo com que ela precise de mais respostas para poder saber mais sobre si mesma, e aquelas perguntas que sempre passaram por sua cabeça, e agora também os novos questionamentos que vieram com a descoberta de sua pesquisa, como: o motivo de ter sido posta para adoção, se ela realmente foi sequestrada, e, se sim, quem foram os culpados? Seus pais estariam envolvidos neste crime?
Lauren, então, convence sua família de fazer uma viagem para os Estado Unidos, e, quando chega lá, foge atrás de respostas sobre o seu passado. O que ela nunca poderia imaginar é que as circunstâncias de seu desaparecimento são sombrias, e os seus sequestradores ainda estão à solta, dispostos a fazer qualquer coisa para mantê-la calada, mesmo que tenham que sequestrá-la de novo.
Com bastante suspense, este volume consegue nos prender do início ao fim com muitos acontecimentos que não deixam a trama ficar parada nem por um segundo. Eu não conseguia desgrudar os olhos das páginas para saber o desfecho.


Um Beijo Inesquecível - Os Bridgertons #07 - Julia Quinn

E chegou a vez da irmã mais nova ganhar sua própria história. Hyacinth Bridgerton é uma força da natureza: dona de uma personalidade forte, pensamentos rápidos, língua afiada e comentários francos, essa moça sempre tem uma resposta pronta para quem for, independentemente da situação em que se encontra. E é difícil encontrar alguém que esteja no mesmo nível da garota, e, ainda mais complicado, alguém que a faça se sentir desafiada.
Mas não é que Gareth St. Clair, ninguém menos do que o neto favorito da adorada/temida Lady Danbury, consegue esse feito? Além de ser capaz manter uma conversa adequada com Hyacinth, ser muito atraente e ter uma grande fama de libertino, ele consegue deixá-la sem fala em algumas ocasiões, e até com um certo frio na barriga.
Gareth é um rapaz bom e inteligente, e possui um grande amor por sua avó, mas viveu muitos momentos tensos durante toda a sua vida por conta de sua relação completamente conturbada com o pai, que o faz se sentir inferior e desprezado até hoje.
Quando Gareth descobre um diário escrito por sua avó paterna, e que lhe foi deixado por seu irmão antes de morrer, ele decide lê-lo e investigar os escritos mais a fundo. Porém, o diário está todo escrito em italiano, língua que Gareth não conhece absolutamente nada. Mas, para a sorte do rapaz, Hyacinth consegue entender a língua (mesmo que não completamente) e acaba ajudando-o na tradução.
E é com este material que muitos segredos serão revelados, e Gareth poderá entender melhor sobre sua origem e sua família. E, mais ainda, é o diário que o aproxima cada vez mais de Hyacinth, fazendo com que uma grande amizade surja ali, que, futuramente, acaba dando lugar a algo muito mais forte. E então os sentimentos se intensificam e os dois acabam percebendo que um beijo pode mudar tudo.
Sabe quando a gente começa a sentir saudade de uma coisa antes mesmo de precisar se despedir dela? É como estou me sentindo com relação aos Bridgertons, essa família da literatura tão querida por mim. Este é o sétimo volume e depois deste só vou encontrá-los mais duas vezes: no oitavo e “último”, “A Caminho do Altar”, que traz a história do irmão do sexo masculino mais novo (a Hyacinth é a filha mais nova da família), Gregory, que fecha o ciclo de volumes onde acompanhamos cada um dos oito irmãos; e “E Viveram Felizes Para Sempre”, que na verdade é uma coletânea com segundos epílogos de cada uma destas histórias e mais um conto extra com a vida da matriarca da família, Violet, com o já falecido Edmund.
Isso por enquanto, já que a autora está escrevendo uma nova série com parentes um pouco mais distantes, mas que devem contar com as participações de alguns destes Bridgertons, e não vejo a hora de tê-los em mãos também (ainda não há data de publicação nacional).
Achei muito interessante este diário da avó de Gareth, as coisas que ali estavam escritas, e a forma como ele ficou responsável por mudar toda a dinâmica da história, tanto em relação aos acontecimentos e segredos que vamos descobrindo junto com os protagonistas, como o relacionamento que eles começam a desenvolver um com o outro, primeiro em busca de respostas para suas perguntas em relação aos escritos, depois fazendo com que gostem cada vez mais de passar momentos na companhia um do outro, até que eles passam a trocar confidências, e depois se veem tão envolvidos que a amizade precisa avançar para outro nível.
E amo a ligação dele com a Lady Danbury, já que Gareth é neto dela, e a senhora foi tão famosa e importante durante toda a série, que já era hora de ela ter alguma ligação mais forte com nossa família amada. E nada melhor do que um romance seguido de casamento para isso.


Lúcida - Ron Bass & Adrienne Stoltz

Quando eu li a sinopse deste volume pela primeira vez, fiquei impressionada com o que parecia ser a história. Fiquei tão vidrada, que não via a hora de poder ter esse título em mãos para poder começar a lê-lo o quanto antes. Sendo assim, passei-o na frente na minha pilha de leitura e, agora, venho compartilhar com vocês as minhas opiniões sobre esse thriller psicológico eletrizante.
Este volume traz a história de duas garotas, Sloane e Maggie, que, apesar de serem bem diferentes, guardam um segredo que as aproxima, já que toda a noite cada uma sonha que é a outra. Os sonhos são tão vívidos que elas sentem e experimentam o que a outra está passando naquele momento.
Sloane é uma aluna exemplar, daquelas que sempre tiram nota alta. Com uma grande e amorosa família, ela é daquela típica adolescente cheia de drama, que acaba tendo muitas vezes discussões com os seus familiares, mesmo sendo todos muito amorosos, e que vive pensando em meninos e tendo paixões platônicas. Já a Maggie é uma aspirante a atriz em Nova York, que para conseguir alcançar os seus objetivos luta muito e trabalha arduamente. Bastante realista, vemos uma menina bem madura para a idade, já que ela tem apenas dezessete anos, mas que é firme, forte e determinada.
O problema é que ambas, desde que se lembram, têm o sonho onde vivem a vida da outra, ou seja, quando Maggie dorme, ela assiste a vida de Sloane como se fosse uma telespectadora, e vice-versa. Agora, isso está começando a atrapalhar muito as duas, já que essa situação está afetando o psicológico das meninas e nos deixando super curiosos para saber o que é na verdade real e o que não é.
Este título é delicioso. A história consegue prender a gente de um jeito que é difícil conseguir largar. Em todos os momentos temos que prestar bastante atenção aos detalhes, já que esse é um volume complexo, cheio de surpresas, além de vários questionamentos e enigmas para desvendarmos. Acho que os autores conseguiram trazer com sucesso uma história diferente, inovadora, e, mesmo que a gente, em alguns momentos, já saiba como vai ser o rumo do livro, ele não fica chato nem cansativo, pois nos deixa intrigados para saber se estávamos certos ou não.


No Limite da Loucura - Sombras de Londres #02 - Maureen Johnson

Desde que li o primeiro volume desta trilogia, “O Nome da Estrela”, fiquei encantada com o estilo da narrativa da autora, que consegue nos prender com ótimos personagens e um bom pano de fundo. Sendo assim, virei uma fã de suas obras e, logo que me foi possível, resolvi começar a ler seu novo título. Agora, venho compartilhar com vocês as minhas opiniões. Esse é o segundo volume, mas vou tentar não trazer nenhum spoiler do anterior.
Neste volume continuamos com a história de Rory Devereaux, uma jovem adolescente que descobriu ter dons sobrenaturais, e que, por conta dos acontecimentos do primeiro livro, volta para Bristol para se recuperar junto de seus pais. Ela tem que enfrentar terapia para conseguir superar o que aconteceu consigo, mas se sente muito sozinha por não poder nem compartilhar tudo o que sente e o que vê, pois não acreditariam nela.
Tudo o que a nossa protagonista mais queria era voltar a ter uma vida normal e esquecer que existe uma polícia secreta que combate os fantasmas, mas as coisas não são tão simples assim, e vemos que ela não pode deixar de abraçar o seu verdadeiro eu. Quando Julia, a terapeuta de Rory, afirma que ela está pronta para retornar às aulas em Wexford, e que isso vai acabar ajudando a mesma a conseguir superar os seus traumas, ela volta a frequentar as aulas e rever os seus amigos da agência secreta, assim como uma nova terapeuta.
Além disso, Rory se torna essencial para a equipe por conta do seu dom, sendo que ela pode ajudar a encontrar esses fantasmas para que eles possam despachar os mesmos. Para piorar toda a situação, um novo assassino está a solta, fazendo com que a trama fique bastante movimentada.
O livro é narrado em primeira pessoa pelo ponto de nossa protagonista, o que foi muito legal, já que ela é inteligente, engraçada e dona de um senso de humor incrível. Além do mais, Rory consegue nos conquistar em todos os momentos com suas ações e sentimentos. O final acaba de um jeito que precisamos ler urgentemente o próximo volume, que será o desfecho da trilogia, já que temos um gancho enorme para essa história. Por isso, estou contando os dias para o seu lançamento.


Ficções - Jorge Luis Borges - Parte 02


Seguimos com a resenha de Ficções, do autor Jorge Luis Borges, publicado aqui no Brasil pela editora Companhia das Letras. Nesta segunda parte da resenha do livro abarca a parte do livro intitulada Artifícios, que foi publicada originalmente em 1944.

O primeiro conto é Funes o Memorioso que após um acidente não consegue mais se esquecer do que vê ou aprende, mas com uma falha ele não é mais capaz de ter pensamentos de generalização, por exemplo ele não é capaz de entender que cachorros de raças diferentes fazem parte do grupo da raça canina, ele os enxerga de forma individual. É narrado por um escritor argentino que se propõe a contar seu breve contato com Funes, primeiro quando este ainda era jovem e depois em um único momento depois do acidente que modifica seu cérebro, na casa do mesmo quando ele vai até lá buscar por um livro que emprestou.  Borges diz que este conto é uma alegoria da insônia, ele escreve no conto " Para ele, dormir era muito difícil. Dormir é distrair-se do mundo;...".

Segue com o conto A Forma da Espada, com dois narradores em primeira pessoa, primeiro narrado pelo Borges, supostamente o autor mesmo, depois a palavra é passada para o senhor que ele encontra e resolve contar a ele a estória da cicatriz que tem em seu rosto. O desfecho é inesperado e muito interessante! Depois surge o conto O tema do Traidor e do herói, que é bem curto, é outro conto onde ele é o narrador, e a temática é a independência irlandesa. O personagem principal é Ryan que quer descobrir mais sobre a morte de seu avó Fergus Kilpatrick. Durante suas pesquisas ele descobri paralelos da estória com a estória de Júlio César e com elementos da literatura.

Em A Morte e a Bússola, temos um conto policial, que é por sinal meu conto favorito de todo o livro. Acompanhamos dois policiais tentando desvendar uma série de mortes, que juntos começam a especular os possíveis motivos do crime. O judaísmo é citado, já que o primeiro morto é um rabino e escritor de diversos livros do tema.  O desfecho como já é recorrente do Borges não é o esperado.

Um escritor judaico é preso em Praga na segunda guerra mundial, durante sua prisão ele está escrevendo, e ao mesmo tempo deliberando sobre a sua morte. De repente ele se dá conta de que o tempo que lhe resta não é suficiente para o término do livro dramático que ele deseja,  e assim ele barganha com Deus por mais um ano para terminar sua obra e redimir sua carreira literária, essa é a premissa do conto O Milagre Secreto. Esta narrativa de Borges trabalha o tempo, alias tema muito explorado de discutido por Borges de formas muito diversas. O realismo fantástico é muito presente neste conto.


Lançamentos de Novembro da Harlequin


Oii, gente! Vamos falar os lançamentos do mês da Harlequin? Tem várias obras maravilhosas, mas confesso que fiquei muito indecisa em qual ler primeiro: “Tudo por Você”, que é o quarto volume da série “Família Kowalski”, que estou acompanhando e adorando, e “Ousada Debutante”, que é um romance de época, um dos meus gêneros literários favoritos. Minha dúvida foi grande, porque a Harlequin não publica um romance Regencial há uns 2 ou 3 anos (!!!) – e espero que agora continuem –, o que me deixou mais louca ainda para tê-lo, porém acabei optando pelo outro, por fazer parte de uma série que adoro.

Tudo por Você - Família Kowalski #04 - Shannon Stacey (Skoob)
O maior desafio de suas vidas!
Estar sempre viajando a trabalho é a desculpa perfeita para Mitch Kowalski se livrar de mulheres que desejam prendê-lo. Contudo, ele fica extremamente intrigado quando volta para sua cidade natal e conhece Paige Sullivan.Depois de uma infância nômade, Paige está feliz em fincar raízes. Determinada a ser independente, ela acredita que não precisa de homem algum. Porém, quando Mitch oferece seis semanas de sexo sem compromisso, Paige fica tentada a aceitar. Ter um caso passageiro parecia o acordo perfeito... até perceberem que esse relacionamento não tinha nada de casual.
Ousada Debutante - Ann Lethbridge (Skoob)
A noiva indecorosa do duque!
Frederick, o duque de Falconwood, jurou nunca se casar. Em vez isso, ele se dedicou a proteger seu país. Contudo, ao ser pego com uma ousada jovem em uma posição bastante comprometedora, Freddy precisa desposá-la para preservar a reputação de Minette Rideau. Por mais que anseie pelos toques sensuais do rigoroso duque, Minette sabe que não pode se tornar sua esposa. Afinal, render-se ao desejo revelará um segredo vergonhoso, que colocará em risco muito mais do que apenas sua virtude.

Emoções Secretas - Michelle Conder & Rachel Thomas (Skoob)
Caminho Para A Felicidade - Michelle Conder
Hedeiro secreto!
O romance do príncipe Nadir com a inocente dançarina Imogen Reid foi tão breve quanto intenso. Porém, ela acabou indo embora carregando algo muito precioso. Agora que foi coroado sheik, Nadir precisa encontrá-la e trazê-la para Bakaan… e convencê-la a se tornar sua esposa. Contudo,Nadir não esperava que a presença de Imogen fosse mexer tanto com seu autocontrole. E quando resistir ao desejo se torna uma tarefa impossível, ambos decidem se entregar de corpo e alma a essa paixão!
Cercados Pelo Desejo - Rachael Thomas
Seduzida pelo playboy!
Ao ser contratada para trabalhar na festa de réveillon do bilionário Xavier Moretti, a doce Tilly Rogers acredita que sua sorte está mudando. Porém, ela não esperava que uma nevasca a deixaria presa com seu chefe irresistível! Após a meia-noite, o contrato que fizera com Tilly terminara, e Xavier estava livre para seduzi-la. Esse notório playboy adora um desafio, e está disposto a realizar os desejos sensuais da inocente Tilly… Mas será que esse relacionamento terminará assim que a neve derreter?


Ficções - Jorge Luis Borges - Parte 01


Já fazem alguns anos que estava ensaiando para ler Jorge Luis Borges, sempre esbarrava com ele como referência aos contos fantásticos, mas nunca de fato tive um livro dele em mãos. Meio no escuro resolvi que começaria lê-lo com Ficções, publicado pela Companhia das Letras, afinal um livro de contos é sempre um meio mais acessível ao escritor certo? Errado, com Borges tudo é diferente!

Ficções é um livro que abarca duas partes, a primeira publicada sob o nome de O Jardim das Veredas que se Bifurcam, publicado em 1941, e outras dez narrativas organizadas sob o título de Artifícios. Trata-se de um livro pequeno porém denso, muito denso, não pense que ao ler um conto você vai entendê-lo de primeira, boa parte deles requer novas leituras e material de apoio. E por tamanha complexidade e para fazer uma resenha mais digna vou dividi-la em duas partes como no livro.

O conto que inaugura esse compêndio é Tlön, Uqbar, Orbis Tertius, é um conto sobre um livro imaginário, mais especificadamente uma enciclopédia, que é narrado em primeira pessoa, através do próprio autor Borges que relata sua conversa com seu amigo sobre um país desconhecido Uqbar. Intrigado ele busca a respeito em sua enciclopédia, não encontrando nada a respeito, assim eles descobrem que apenas na enciclopédia do outro existe esta citação. Investigando ele se dá conta que não é apenas este lugar desconhecido que existe, mas existe um planeta inteiro, Tlön. Durante a narrativa o autor evoca muitos pensadores e autores reais, o que acaba por confundir até que ponto vai a ficção e onde é realidade. É um conto difícil, e com certeza não é um bom começo para quem nunca leu Borges, pelo menos para mim foi confuso.

O segundo conto Pierre Menard - autor do Quixote, trabalha com um autor francês, o Pierre Menard que pretende reescrever Dom Quixote como foi feito pelo Miguel Cervantes. Borges elenca logo no início de sua escrita uma longa lista bibliográfica de Menard, tal atitude juntamente com a ideia bizarra da reescrita de um livro que já foi feito sem mudar nada nele cria uma atmosfera esquisita, já que não compreendemos onde o autor pretende chegar. Borges faz uma análise da obra do francês, com ênfase em aspectos filosóficos, e mais uma vez me senti falha na interpretação do conto, para lê-lo não parece ser suficiente que você se dedique a lê-lo, mas que tenha certos conhecimentos prévios que fazem as ligações e os jogos que Borges propõe.

Ruínas Circulares, é um conto breve sobre um mago que vai até uma ruína e resolve dormir para sonhar, sonhar um homem inteiro até que ele ganhe vida. Já em A Loteria da Babilônia, um ex-morador da cidade narra como é a loteria em seu país que ganha características um tanto inusitadas com o tempo. Existem características marcantes de reflexões políticas e de preconceito, mas não creio que tenha sido o objetivo do autor. O interessante é que nesta loteria não se ganha apenas prêmios, mas também punições.


Um Teto Todo Seu - Virginia Woolf

Eu sempre quis ler um livro escrito por Virginia Woolf, já que ela foi uma das grandes feministas de sua época (e de todos os tempos), e o seu nome até hoje tem bastante peso. Então, resolvi começar por “Um teto todo seu”, um volume baseado nas palestras feitas por Virginia nas faculdades de Newham e Girton em 1928, e, agora, venho compartilhar com vocês tudo o que achei dessa obra.
Neste volume somos transportados para a década de 20, onde vemos como a mulher era tratada, através de algumas histórias ficcionais para entendermos melhor o que acontecia, e temos uma reflexão sobre a voz feminina em uma época onde a maioria dos autores era do sexo masculino, e as do sexo feminino eram consideradas intelectualmente inferiores, sendo apenas vistas como musas inspiradoras.
Virginia Woolf chegou à conclusão de que uma mulher precisa ser financeiramente independente, ter um local sossegado onde possa escrever, e uma validação social. Ela também apresenta sua visão sobre relacionamentos abusivos e o motivo de os homens tentarem sempre nos diminuir, já que, para eles crescerem, “precisam” fazer isso.
Esse exemplar é uma reflexão das condições sociais da mulher e sua influência na produção literária, sendo daquele tipo de livro que consegue nos conquistar até hoje e que com certeza também no futuro vai continuar conquistando, já que mesmo sendo um livro que foi escrito anos atrás, ainda traz problemas que nós, mulheres, enfrentamos em pleno século XXI. É incrível ler como Woolf, mesmo vivendo em uma sociedade muito machista, conseguiu utilizar a sua voz para levantar uma bandeira que foi muito importante para todas nós, já que foram mulheres como ela que conseguiram alguns direitos que temos nos dias de hoje.





O Livro Delas – Várias Autoras

Desde que vi a capa deste volume pela primeira vez, ele me chamou bastante atenção, principalmente pelo seu título, despertando bastante meu interesse. Quando vi que tinha a escrita de algumas autoras que eu já conhecia e que gostava bastante, assim como a possibilidade de conhecer novos talentos brasileiros, resolvi começar esta obra. E agora venho compartilhar com vocês as minhas opiniões.
Para quem ainda não sabe, esse é um livro de contos, que traz nove histórias de nove autoras brasileiras, que vão do sobrenatural ao chick-lit, passando por romance, aventura, drama e denúncia social, ou seja, uma obra que vai agradar todos os gostos. Por serem contos, é um pouco mais difícil escrever a resenha, mas vou falar um pouquinho de cada um para vocês saberem o que esperar deste título.
O primeiro conto é “Ao Anoitecer”, escrito por Bianca Carvalho, e conta a história de Daniela, uma menina que sofreu um acidente de carro junto com o seu namorado e seus amigos, mas que teve um destino diferente deles, já que foi a única que acabou saindo viva dessa tragédia. Ela resolve ir atrás de um serial killer e temos um conto sobrenatural bem gostoso, com uma pitada de romance e personagens incríveis.
O segundo é “Os 6 Piores Dias da Minha Vida”, escrito por Carolina Estrella, que aborda violência doméstica, já que a protagonista Sandra vivia em um relacionamento abusivo e, cansada dessa rotina, resolveu pegar sua filha e fugiu para a fazenda dos pais.
O terceiro, “Era Amor”, de Cris Melo, é onde conhecemos a história de Marcela, uma mulher que precisa superar o fim do casamento com o seu ex marido, já que ela o pegou lhe traindo, fazendo com que nossa protagonista tenha que acabar indo se consultar com um terapeuta. O conto é bem legal e fala sobre o amor.
O quarto conto, “Por Acaso”, foi escrito por Fernanda Belém, e temos um conto em formato de cartas e e-mails, que narra o romance entre Samantha e André. Nesta história, Sam estava escrevendo uma carta para Eduardo, um amigo de infância do qual perdeu o contato por vinte anos, mas quem acaba recebendo e respondendo essa carta é o Edu, o novo morador daquele endereço. O destino, então, faz com que eles passem a conversar. E foi bem gostoso ler sobre ambos.
“Eu Vou Te Esperar”, de Fernanda França, é o quinto conto, e nele conhecemos um mundo onde as pessoas não sabem o que é o amor, não sabem nem do sentimento e nem da palavra. É nesse contexto que conhecemos Fred, que, diferente das outras pessoas, possui um sentimento que não sabe explicar. E, achando as cartas do seu bisavô, viu que o mesmo também tinha esse sentimento. Então vemos nosso protagonista em busca do amor, tentando encontrar alguém para dividir esse sentimento que ele tinha.
Depois vem o sexto conto, “Baile de Formatura”, escrito por Graciela Mayrink, onde vemos um grupo de jovens que acabaram de se formar na faculdade, e agora estão pensando no futuro. Gostei bastante dos personagens, e foi bem difícil quando cheguei ao final porque não havia mais páginas para eu poder continuar lendo.


Lançamentos - Editora Charme

Oii, gente! Como vocês estão? Hoje tem post sobre os lançamentos da Editora Charme, que, claro, já entraram para a minha lista de desejados! Ainda mais porque amo romances de época, e também porque o “Provocante #1.2” é a continuação de “Provocante #1.1”, que li e resenhei ontem (clique no título para conferir minhas opiniões). E vocês, gostaram?
Uma Dama Imperfeita - Os Preston #02 - Lucy Vargas (Skoob)
Os Preston estão de volta a Londres! E eles jamais passam despercebidos. Então é claro que suas garotas, Lydia e Bertha, se tornam parte do grupo mais rebelde da temporada.
Com seu futuro e sua reputação em risco, Bertha Gale descobre que nem a dama mais perfeita do baile consegue fugir do escândalo quando ele quer tomar seu coração e revirar sua vida, despertando paixão e ruína por onde passa.
Determinada a viver o seu primeiro amor, mas com o coração despedaçado, Bertha decidirá entre fugir ou se entregar e sobreviver às consequências.
Eric Northon, Lorde Bourne, é um escândalo ambulante. E tem mais problemas do que conta. Último herdeiro dos Northon, ele podia aprontar de tudo na temporada. Desde que se casasse no final. Ele só não podia se encantar pela dama mais perfeitamente imperfeita da cidade. E decidir arrebatá-la. Para sempre. Sem medir esforços ou consequências.
Divirta-se com o grupo mais mal falado e cheio de apelidos que Londres já viu. Ninguém sairá impune da inesquecível temporada de 1816.
Provocante - Provocante #1.2 - Paola Scott (Skoob)
Paola vê seu mundo ruir ao descobrir os meios que Pedro utilizou para se aproximar. Afinal, aquele homem que parecia ser tudo o que ela sempre quis, teria sido apenas uma fantasia? Ou ela estaria sendo injusta e o amor que ele dizia sentir era verdadeiro? Será que a loba ferida conseguirá perdoar o garanhão?
Pedro, arrependido de seus atos, agora mais do que nunca precisa provar à sua loba que a ama realmente. E mesmo ciente do seu erro, não deixará de utilizar o que descobriu para tê-la em seus braços novamente e ser o homem que ela tanto deseja.
Porém, não são apenas mágoas e decepções que esse casal provocante terá que superar. Problemas muito maiores serão enfrentados nessa continuação.
Antes que possam se acertar, uma descoberta deixará a contadora apreensiva, pensando até que ponto esse amor tão recente pode suportar tanta dor.
>> Para conferir a resenha de “Provocante #1.1”, clique AQUI.


Provocante - Provocante #1.1 - Paola Scott

Quando li a sinopse deste volume pela primeira vez, me interessei bastante pela obra e fui procurar opiniões de outras pessoas para ver se era meu tipo de leitura. Particularmente, gosto bastante de ler resenhas para conseguir entender mais sobre o livro antes de lê-lo e decidir se, no meio de tantas opções, aquela vai ser uma boa escolha. E, como só encontrei coisas boas a respeito desse exemplar, comecei a leitura assim que me foi possível.
Em “Provocante” conhecemos a história de Paola Goulart, uma mulher de quarenta anos, que trabalha como contadora, e que é muito bem resolvida. Divorciada e com uma filha adolescente, de nome Alana, nossa protagonista é bastante segura de si e adora ler. Conhecemos também Pedro Lacerda, um advogado solteiro e bem-sucedido de quarenta e dois anos, que gosta de aventuras sexuais com mulheres mais jovens, e não se deixa envolver com nenhuma delas. Sua vida é dividida pelo trabalho e por diversão, e nunca teve nenhum relacionamento bem sério.
A vida dos dois se cruza quando Pedro tem um problema financeiro e precisa da ajuda de um contador, e é por este motivo que um dos seus amigos indica os serviços de contabilidade de Paola. Certo de que vai encontrar uma mulher rabugenta, ele se surpreende quando vê o quão bonita é essa contadora, e, por sua vez, Paola também fica impressionada com ele e sua beleza, despertando nela vários desejos.
Assim que Pedro conhece nossa protagonista, já sabe que aquela mulher iria marcar sua vida de alguma maneira. E, tomado pelo desejo de tê-la, acaba tendo algumas atitudes precipitadas, que vão acabar tendo consequências no futuro. Já Paola não imaginava que um advogado lindo como ele pudesse estar interessado nela, mas ao ver que isso realmente estava acontecendo, entramos em um jogo de sedução, até porque ela não se rende tão fácil, onde temos muitas cenas bem sensuais.
Os personagens são ótimos, muito bem construídos, cada um com seu jeito de ser. Adorei os personagens secundários, pois eles deram muita graça à trama. Foi ótimo conhecer Maitê, uma das amigas de nossa protagonista, pois ela é muito divertida e arranca várias risadas do leitor, e também Rodrigo, que é um grande amigo de Pedro, e muito importante para o mesmo. Também adorei as cenas com a Alana, já que ela é bem divertida.
Com uma linguagem rápida e fluida, esse livro conquista a gente do início ao fim com cenas envolventes e mais quentes, e com muita química entre os protagonistas. Gostei bastante do fato de eles serem mais velhos, pois ainda não tinha lido nenhum livro do gênero romance erótico assim.


A Garota do Calendário #08: Agosto - Audrey Carlan

Em janeiro Mia começou a trabalhar como acompanhante de luxo para poder pagar uma grande dívida em jogos de seu pai, salvar a vida dele, a de sua irmã e a sua própria no caminho. Ela conheceu diversas pessoas, visitou muitos lugares e está entrando na reta final do ano, com muitas experiências, boas lembranças e diversos novos amigos no currículo.
Agosto é o mês de ir a Dallas, quando Mia precisará fingir ser a irmã mais nova de Max, um jovem caubói magnata. Ela está preparada para passar este tempo em sua fazenda, conhecendo a família dele, mas não está exatamente pronta para todas as descobertas que vai fazer neste período. Será que sua vida vai melhorar ou piorar completamente depois de tudo isso?
E chegamos ao último livro da série que li até o momento, mas já estou com as continuações na lista de próximas leituras e não vejo a hora de recebê-las para voltar a encontrar Mia e os demais personagens da série “A Garota do Calendário”, que já virou uma queridinha na minha estante, porque é simples, leve, divertida, envolvente e, claro, viciante. Agora entendo o sucesso da série, afinal, quando a gente começa a acompanhar, não consegue mais parar e, de repente, já estamos no oitavo livro e desejando que os quatro últimos cheguem logo para sabermos como tudo termina.
Para quem tiver interesse, tem resenha dos livros anteriores aqui no blog: Janeiro, Março, Abril, Maio, Junho e Julho (clique nos títulos para ser redirecionado para cada resenha e descobrir minhas opiniões).
A vida de Mia está mudando bastante e este mês só vem confirmar isso, já que acontecem várias descobertas cruciais que envolvem ela e também outras pessoas próximas. Achei muito interessante ver como a autora trabalhou tudo isso, e ainda deixando a força e determinação de Mia em primeiro lugar, fazendo com que, mesmo com tudo dando certo e entrando nos eixos, ela ainda decida continuar sua jornada de um ano como acompanhante de luxo, porque foi isso o que se propôs a fazer no começo do ano, então se coisas ruins que apareceram em seu caminho não a fizeram mudar de ideia, as boas também não irão.
Considero que este volume tenha tido também uma grande carga emocional, tanto por coisas boas como ruins, mas na maioria do tempo felizes, apesar de no final uma grande notícia ruim tenha chegado para abalar tudo novamente, e fiquei com o coração apertado e precisando ler Setembro para descobrir o que vai acontecer. Mia teve que lidar com sentimentos variados, e isso inclui em relação a amizade, amor e família, mas considero que ela saiu bem por cima de tudo até agora.
Confesso que tinha pegado um pequeno spoiler deste livro uma vez, quando li algumas resenhas da série por aí, o que foi bem chato, já que eu não curto spoilers (a menos que eu queira muito saber de algo e eu mesma corra atrás de informações, o que não foi o caso), mas acabou não sendo assim tão ruim ter descoberto antes, já que era meio óbvio desde o começo desta leitura, devido a forma como os personagens agiam. Eu só não entendo como Mia, sempre tão inteligente e sagaz, tenha demorado tanto para perceber. Porque, mesmo sem certeza, ela poderia ter desconfiado de algo, achado algumas atitudes/comentários esquisitos ou suspeitos, o que não fez, apesar de ter achado certas coisas estranhas, mas não de um jeito revelador.
E, apesar de o mês de Julho ter sido meu livro preferido, este também foi muito bom. Principalmente porque desta vez a autora decidiu sair totalmente da zona de conforto e de sua fórmula, e Mia não ficou babando de maneira sexual pelo seu cliente no primeiro momento em que o vê (como fez com quase todos os outros – exceto o de Maio, que babou pelo modelo com quem trabalhou, e Junho, que ela babou pelo filho dele), mas isso é algo muito positivo, porque seria estranho, já que ele a contratou para fingir ser sua irmã. E Max também já era esperto e inteligente o suficiente para saber lidar sozinho com tudo ao seu redor e não precisou que Mia estivesse lá lhe dando conselhos que mudassem sua vida completamente – apesar de ter mudado mesmo assim, só que tem tudo a ver com o contexto e não com o que ela diz.


A Garota do Calendário #07: Julho - Audrey Carlan

Há sete meses, Mia Saunders trabalha como acompanhante de luxo com o objetivo de, ao final de um ano, conseguir pagar toda a dívida de seu pai com jogos, que o fez parar no hospital e em coma e com ameaças à vida dele e de suas duas filhas, caso o dinheiro não fosse pago.
No mês atual, Mia viaja para Miami para ser a estrela principal do videoclipe do famosíssimo cantor de hip-hop Anton Santiago, que está em alta no momento. Ele é mulherengo, confiante e sabe dançar de um jeito tão sensual que leva todas as mulheres à loucura. Com Mia não é diferente, porém, devido a terríveis acontecimentos no mês anterior, a mente dela parece não querer concordar com o corpo, então as coisas acabam saindo um pouco diferente do esperado. Mas, mesmo assim, ela vai aproveitar cada momento desta experiência, conhecer novas pessoas e se divertir o máximo que conseguir.
Até o momento li oito volumes desta série e o meu preferido é, sem sombra de dúvidas, o deste mês, Julho. Ainda há quatro livros, que podem tirá-lo desta posição, mas por enquanto este está no topo. Quem quiser saber minha opinião sobre os antecessores, clique nos títulos para ser direcionado para as minhas resenhas de: Janeiro, Março, Abril, Maio e Junho.
Eu gostei mais deste porque o achei mais real, mais sincero e mais profundo. Todo e qualquer ser humano passa por dificuldades e tristezas e acaba tendo que aprender a lidar com elas da sua maneira. Mia, apesar de ter tido vários problemas antes, nunca demonstrou nada disso com sentimentos ruins, nem mesmo com sua voz interior, que temos a oportunidade de acompanhar devido a narrativa ser em primeira pessoa. Eu sei que algumas pessoas são simplesmente mais felizes do que as outras, mesmo que suas vidas não sejam melhores (até porque cada um sabe o que é melhor ou pior para si), mas eu confesso que tenho uma preferência maior por personagens que demonstram que a vida não é só felicidade e que podemos, sim, demonstrar as coisas ruins que sentimos, mesmo que seja só dentro da nossa cabeça, para nós mesmos.
Neste volume aqui, por conta de coisas ocorridas no anterior, vamos conhecer um lado mais machucado dela, tentando se recuperar daquela experiência ruim, mas falhando algumas vezes. E isso é normal. Mia está com receio de aproximações masculinas e toda hora tem lembranças daquela situação terrível, que acabam afetando a sua vida e suas ações momentâneas. Mas com a ajuda de seu cliente, pessoas próximas a ela este mês, e um personagem muito querido que conhecemos antes e faz uma reaparição aqui, vemos que ela consegue ir lidando melhor com seus monstros interiores.
E também há lados completamente positivos e que encheram meu coração de alegria – e o de Mia mais ainda, claro. Isso porque ela finalmente tomou uma decisão – a qual curti muito –, e eu estava esperando por isso há muito tempo, assim como muitos de vocês, que eu também sei. Não vou me aprofundar neste comentário, pois seria spoiler, mas tenho certeza de que a maioria das pessoas que acompanha a série vai curtir.
Gostei muito do Anton, acho que foi o homem perfeito para ajudar Mia neste mês, pois ele é adorável, tem uma personalidade muito boa, sabe de dificuldades que uma pessoa pode enfrentar na vida, tem o pé no chão, um ar mais alegre, etc. Também adorei a Heather e a Maria, uma dançarina profissional que é contratada para ajudar na coreografia do clipe, que fez toda a diferença. Com certeza foram alguns dos personagens que mais gostei da série inteira (dos que eu li até Agosto), e vou ficar desejando por mais participações deles nos demais livros, assim como desejei mais páginas neste volume.