Em Algum Lugar nas Estrelas - Clare Vanderpoll


Não é novidade para nenhum leitor que os livros da Darkside Books são obras de arte do ponto de vista gráfico não é? Eu estou começando minha coleção destes lindos hardcover de forma tímida, mas com o objetivo de ter quase todos eles na minha estante. Ainda bem as livrarias virtuais têm contribuído para isso, e minha recente compra deles foi Em Algum Lugar nas Estrelas, da autora Clare Vanderpoll.

Neste volume que está entre as capas mais lindas da minha estante conhecemos a estória do jovem Jack que acabou de perder sua mãe de forma repentina, e é mandado pelo pai do Kansas para o Maine para estudar em um colégio interno para meninos. Tentando compreender os eventos que avassalaram sua rotina, Jack conhece um estranho garoto que não frequenta aulas, Early, que embora seja diferente é muito inteligente e repleto de rotinas peculiares. Juntos eles partem na semana de férias em uma busca pela estória de Pi, ou do urso Apalache, que mais do que um animal grande e perigoso, vai representar o troféu depois de uma jornada interna.

Minha dica para quem deseja ler este livro é não busque compreender esse livro com a razão, ele é um convite a subjetividade e ao coração. Não siga as lógicas conhecidas de uma narrativa feita em primeira pessoa sob o ponto de vista de Jack, quee segue os estágios de dois garotos inocentes que tentam compreender porque a vida tirou deles aquilo que muito de seus colegas têm, suas famílias.

Eu me peguei buscando adjetivos que expressassem o que este livro trabalha, achei tudo muito superficial, nada trás a dimensão do que ele se propõe de maneira tão simples e única. A autora é delicada ao falar de temas tão doloridos como a morte da mãe de Jack que ele ainda não compreendeu e se sente culpado por não poder ter podido evitar; a relação de Jack com seu distante pai militar que assim como ele não soube o que fazer com a morte da esposa; a condição especial de Early de enxergar a vida com sua lente que alguns chamam de autista, e por fim sua busca determinada pelo irmão que todos acreditam ter morrido na guerra na Europa.

Jack cresceu muito próximo de sua mãe já que o pai nos últimos anos estava a serviço distante, assim toda sua referência é sua mãe e suas frases metafóricas que são constantemente usadas como consulta do menino. Quando ele parte com Early ele acredita que está apenas evitando estar sozinho na escola, mas aos poucos ele percebe depois de muito se perguntar que ele também está em uma busca.

Early é dono de uma mente muito poderosa, compreende a matemática de forma diferenciada através de cores e estórias, e vê no Pi uma estória de vida bonita ao mesmo tempo em que faz cálculos extraordinários de cabeça. Mas quando a questão é a vida real sua interpretação do que acontece nem sempre está correta. A inocência é sua marca mais forte, e não abre mão do que acredita muito fácil, aliás é muito difícil alguém convencê-lo do contrário do que pensa. É difícil determinar quando ele está na vida real e quando está perdido na estória de Pi.



O Conde Enfeitiçado - Os Bridgertons #06 - Julia Quinn

“Em toda vida ocorre um momento decisivo. Um instante tão extraordinário, tão claro e tão nítido que temos a sensação de havermos sido golpeados no peito, deixados sem fôlego, sabendo, sabendo, sem a menor sombra de dúvida, que nossa vida jamais será a mesma. Para Michael Stirling, esse momento aconteceu ao pôr os olhos em Francesca Bridgerton.”
Só tinha um problema: isso aconteceu logo quando ela estava noiva. De ninguém menos do que John, seu primo querido, a quem ele considerava como um irmão, de tão próximo que era, e por quem nutria tanto carinho. Então, mesmo sendo um libertino que não se apaixonava e nem se prendia a  nenhuma mulher, Michael finalmente estava pronto para entregar seu coração, mas não podia, e nem faria isso de maneira nenhuma, afinal nunca poderia cometer tamanho ato de traição a John.
Viveu à margem daquele relacionamento deste então, mantendo uma amizade próxima com seu primo e com a agora esposa dele, Frannie, como é carinhosamente chamada. Os três passaram a ser um trio inseparável, grandes e melhores amigos. E até mesmo confidentes. Michael sempre a divertia contando sobre suas conquistas e aventuras.
Até que tudo muda. Um dia, sem mais nem menos, John está com uma dor de cabeça e decide se deitar, porém o pior acontece e ele nunca mais acorda. A tristeza agora paira sobre essa família, e Michael não consegue suportar viver naquele ambiente e sai para uma longa viagem, deixando de assumir o seu posto como novo conde de Kilmartin durante esse período, e é Francesca quem tem que assumir as coisas por enquanto, por ser a condessa de Kilmartin.
Quatro anos se passam sem que se vejam, mas o amor que Michael sempre sentiu por Frannie ainda está ali, dentro dele, apenas adormecido. E a culpa por esse sentimento lhe consome, afinal ele desejara a esposa de John e agora ela estava ali, livre, enquanto o primo não se encontrava mais no mundo dos vivos.
Até que um encontro inesperado acontece, algumas situações se desenvolvem, Francesca toma uma decisão que vai mudar tudo, e depois acaba se envolvendo com Michael. Mas ela ainda está relutante com tudo isso e não vai conseguir se entregar a essa paixão, portanto, caberá a ele provar que nenhum outro homem vivo poderia fazê-la mais feliz do que ele. Resta saber se Frannie entenderá que a felicidade pode sem encontrada duas vezes ou se irá preferir manter-se afastada para preservar a ideia de que só existe uma pessoa para cada um de nós.
Este era um dos volumes que eu estava mais curiosa para ler, visto que Francesca é a filha mais distante da família, então foi a que menos conhecemos com o passar dos exemplares. Se eu não me engano, não teve muita participação em nenhum outro livro (em alguns ela ainda era bem jovem, nos outros já morava em outro país), então é como se fosse alguém por fora. Além do mais, ela já foi casada, como soubemos em obras anteriores, só que não tínhamos conhecido seu marido, a história entre eles, o romance, como se conheceram, etc. E ela tinha ido morar com a família dele na Escócia, então eu realmente queria conhecer tudo isso. Apesar de o passado não ter sido tããão apresentado assim, deu para ter uma noção do que aconteceu, e também do que ela sentia por John, seu marido.
Frannie sempre foi mais “na dela”, mais quieta, independente, teimosa e afastada dos demais irmãos e familiares, porém ainda assim apresenta características semelhantes aos outros Bridgertons, como o bom humor permeando seus pensamentos e ações, seus diálogos afiados, e sua determinação. Gosto muito da personagem, mas ela não é uma das minhas personagens femininas preferidas da série, e algumas vezes suas atitudes me incomodavam um pouco.
Já o Michael é maravilhoso! Ele definitivamente entrou para o meu hall de mocinhos preferidos de romances de época. Um fofo, romântico, determinado, paciente, leal, divertido, e ainda tem muitas outras características marcantes e apaixonantes, que o fazem ser especial e encantador. Terminei a leitura desejando um Michael para mim! Hahaha


Notas Quentes - Homens Marcados #02 - Jay Crownover

Ayden Cross deixou seu passado para trás, junto com toda a sua história e coisas que fez das quais se arrepende, e agora sustenta uma imagem de boa moça, estudiosa e comportada. Ela decidiu ser assim, porque considerava o aceitável e não queria reviver tudo aquilo.
Jet Keller é um roqueiro, vocalista de uma banda que faz sucesso local, mas que poderia ganhar notoriedade mundial se assim desejasse. Mas Jet não quer isso. Sua família é totalmente disfuncional e ele sabe o que o deslumbre da fama pode fazer com uma pessoa e não vai aceitar isso em sua vida. Além do mais, ele precisa ficar de olho na mãe, que sofre muito por conta de seu pai terrível.
Enquanto ambos tentam esconder suas verdadeiras histórias de vida, Ayd não quer se aproximar dele para não estragar a ideia de futuro certo que planejou para si, que por enquanto está nos trilhos que deveriam seguir, enquanto Jet não quer ter qualquer tipo de relacionamento com ela, nem mesmo físico, porque a coloca num pedestal, como se ela fosse uma princesa indefesa que não sabe se defender e ele poderia estragar tudo com um simples toque.
Só que, quando a faísca está queimando há muito tempo, uma hora vira fogo. E os dois não terão recursos suficientes para apagá-lo. Mas decidem deixar que isso seja só combustão física e instantânea, do tipo que cresce e eles apagam até a próxima vez de recomeçar o clico.
Tudo poderia funcionar perfeitamente bem, mas os sentimentos não podem ser apagados com a mesma facilidade. E, quando segredos veem à tona, junto com o passado de ambos batendo com força em suas portas, eles não conseguem evitar a torrente de coisas que acontecem. Resta saber se isso irá fazer com que tudo seja apagado de vez ou se o que sentem será forte o suficiente para enfrentar qualquer coisa.
Gosto muito da escrita da autora, que flui muito bem, é leve ainda que tenha pontos de drama, é divertida e deliciosa. Adoro a construção dos personagens, sua forma de nos apresentar suas vidas, incluindo seus passados, e de desenvolver a trama, e curto muito todo esse clima de amizade que os personagens principais nutrem entre si. É realmente muito gostoso “conhecer” pessoas tão unidas e preocupadas umas com as outras, sem que isso fique meloso ou cansativo.  E acho que Jay sabe colocar o tom certo para conhecermos os personagens principais e seus amigos.
A narrativa é em primeira pessoa, com capítulos alternados entre os pontos de vistas dos dois protagonistas, Jet e Ayden. Já conhecíamos ambos do primeiro volume, "Na Sua Pele" (clique no título para conferir a resenha), pois ela é a melhor amiga da personagem principal de lá, Shaw, e ele é um dos amigos dos garotos, e é vocalista de uma banda de heavy metal.
Ayden é uma personagem admirável. Enfrentar tudo o que passou na vida de cabeça erguida e depois ainda conseguir sair deste ambiente, se livrar das coisas e escolhas ruins e começar de novo, num ambiente diferente, de uma forma mais “normal” e positiva para si, não é algo que muita gente faça. Pelo contrário, a grande maioria das pessoas que passa por algo semelhante na juventude e acaba tendo um futuro obscuro e cheio de péssimas decisões, o que acaba afetando terrivelmente sua própria vida e a de muitos ao seu redor. Mas ela conseguiu se reerguer e começar de novo, então não tem como não desejar ter um pouquinho de Ayden dentro de mim mesma.
Mesmo com sua aparência de homem fechado, e seus gritos estridentes no palco, junto com toda a sua emoção e presença, Jet é um fofo. Talvez, quando as pessoas tenham a oportunidade de assisti-lo em uma apresentação com sua banda não percebam isso, mas ele é realmente um doce, preocupado com as pessoas próximas de si, carinhoso, leal, tem boa índole e muitas outras características que o fazem ser especial. E tenho que confessar que adoro homens tatuados, então fico babando nos personagens masculinos dos livros da autora, apesar de eu não curtir tantos piercings assim, como Jet possui.


Últimos Lançamentos – Editoras Butterfly & Petit


Oii, gente! Como vocês estão? :D Hoje vou falar dos lançamentos de duas editoras que gostamos muitos: Butterfly e Petit. Os três livros parecem incríveis e já quero ler todos! E vocês, o que acharam?
Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo...
Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo dos mortais do Outro Mundo, a jovem liberta antigos deuses. E dois mundos distintos estão prestes a colidir, quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade.

O consagrado escritor Lauro Trevisan, desta vez, quer provocar no leitor a reflexão e o sorriso. Com uma linguagem bem-humorada, ele nos apresenta uma espécie de “guia do alto-astral”, com 52 capítulos, que podem ser lidos a cada semana do ano, convidando-nos a desenvolver um olhar positivo perante a vida e a descobrir sempre o lado bom das coisas.
Entre outras palavras de ânimo, o autor dá dicas de como se libertar do estresse cotidiano e como ter pensamentos positivos diante dos obstáculos da vida. Ele deixa claro que apesar de ser uma tarefa desafiadora, é possível sim, superar os obstáculos da vida. Afinal, rir é o melhor remédio, sempre!

Bruna e Armando estavam muito felizes com a chegada de Luciene, a primeira filha do casal. No entanto, a alegria durou pouco. Aquele anjo, ainda no começo da estrada, volta ao mundo espiritual com apenas quatro anos de vida terrena. A tristeza tomou conta daquele lar. Deus, porém, presenteia-os com a vinda de Alice, trazendo novamente alegria àqueles pais.
Com o passar do tempo, eles começam a observar na menina um comportamento muito semelhante ao da primeira filha. Vão então em busca de respostas para poder entender o que está acontecendo. Nessa trajetória, começam a compreender que a vida não é apenas esta pálida imagem terrena que temos, e que há muito mais coisas importantes para descobrir.


Filha da Floresta - Sevenwaters #01 - Juliet Marillier

Não existe nada melhor do que ler um livro bom, aliás um livro perfeito, é uma experiência única e intima que espero que todo mundo já tenha passado. Mesmo sabendo como é, quando isso acontece comigo eu ainda fico muito tempo pensando no que li. Quem foi o culpado pela experiência? Filha da Floresta, da autota Juliet Marillier, pela editora Butterfly.
Sorcha é a sétima filha de um sétimo filho, Lorde Colum em uma região celta na velha Irlanda, Sevenwaters. Com a perda da mãe no seu nascimento ela cresceu com seus seis irmãos, com modos não muito femininos, ao mesmo tempo em que aprendeu o dom da cura com seu povo e um padre.
Entretanto a paz de Sevenwaters é abalada quando seu pai resolve se casar novamente e uma maldição se abate sobre Sorcha e seus irmãos: os seis são transformados em cisnes, e sem poder falar Sorcha tem uma missão: deve criar seis camisas de estrela- d 'água e fugir das garras de sua madrasta.
Baseado no conto dos Seis Cisnes dos irmãos Grimm, Marillier criou uma fantasia medieval com pitadas características dos contos de fadas (a repetição dos eventos por exemplo). Sua narrativa é em terceira pessoa, a mas a narração é feita pela própria Sorcha, só que de algum lugar do futuro. Ela mesma nos dá spoilers ao longo da trama, então quando as coisas ficavam feias ela já ia logo avisando, o que trazia certa angústia antes mesmo de acontecer qualquer coisa. A capa é linda, a diagramação é bem feita. O único problema da editora foi por conta da tradução e revisão, alguns erros são encontrados, e até atrapalham a leitura.
Sorcha começa a narrar os fatos de sua vida aos treze anos, e desde já é uma garota dona de uma personalidade doce, pura e sincera. Não conhece a maldade e acredita que a magia e os seres da floresta são uma verdade para todos. Quando seu mundo vira de cabeça para baixo, ela se mostra dona de uma persistência invejável e uma coragem sem igual. Amadurece para o mundo na marra, e de forma até cruel. Sua marca registrada é seu dom com a cura através das plantas, fiquei até tentada a fazer um curso a respeito!
Seus irmãos são das mais variadas personalidades, e interessantes aos seus modos. Entre meus preferidos fico com Conor, um druida sábio, e Finbar o irmão mais próximo de Sorcha que divide com ela a capacidade de se comunicar por telepatia. Entre os demais personagens que surgem ao longo da história Red é sem dúvida um ruivo fofo! Embora lute contra o que sente e com a mudança que se dá em sua vida quando conhece Sorcha apresenta uma devoção a ela de arrancar lágrimas.


Lançamentos – Grupo Editorial Pensamento


Oii, gente! Como vocês estão? :D Hoje vou falar sobre os lançamentos do mês do Grupo Editorial Pensamento. Estou bem empolgada por vários, principalmente os dois da Jangada, meu selo preferido. E vocês, gostaram de quais?

Transcendente - Starling #03 - Lesley Livingston (Skoob)
A série Starling chega a seu desfecho épico neste terceiro volume. A ancestral profecia nórdica do Ragnarök está prestes a se cumprir. Mason Starling tem nas mãos o destino do mundo, enquanto Fennrys, seu amor, jaz a seus pés sangrando, com a vida por um fio. No entanto, o que quer que esteja por vir não ocorrerá por causa de uma profecia ou dos planos maquiavélicos do seu pai. Tudo depende apenas das decisões de Mason e Fenn. E o mundo deve torcer para que ambos alcancem aquilo que suas almas e suas espadas mais almejam: evitar o fim do mundo.




Cidade dos Fantasmas - Daniel Waters (Skoob)

Após uma catástrofe que matou milhões de pessoas, uma fenda se abre entre as dimensões e as cidades passam a ser assombradas por fantasmas. Verônica não passa um dia sem ver um fantasma, mas eles não a assustam. Porém, os fantasmas estão ganhando força e começam a aparecer com muito mais frequência. Ela e seu colega de classe Kirk, investigam por quê e descobrem uma história sinistra: August, seu professor de história, não se conforma que a sua filha não voltou do mundo dos mortos como fantasma e acha que para isso acontecer ela precisa primeiro se apossar de um corpo, e que Verônica é a pessoa certa para abrigar o espírito da filha. Mesmo que esteja errado, que mal há em criar mais um fantasma, se já existem tantos!

Almanaque Wicca 2017 – Guia de Magia e Espiritualidade

Este é o Guia de Magia e Espiritualidade mais completo do Brasil. O Almanaque Wicca 2017 é uma fonte de informações sobre a vida, a magia e o mundo espiritual, que nos convida a utilizar esse conhecimento para sermos pessoas mais íntegras, felizes e próximas da nossa essência divina. Repleto de diferentes artigos, você vai aprender um ritual para atrair dinheiro, encantamento para combater a insônia, uso avançado de ervas e pedras, magia da arrumação da casa, entre outros. Como de costume, traz ainda o calendário 2017 com as fases da Lua e datas comemorativas pagãs.


O Livro Completo das Correspondências Mágicas - Sandra Kynes
Agora, além de consultar o horóscopo ou tirar uma carta de tarô para prever como será o seu dia, você também saberá qual runa, número, cor, cristal e divindade está mais alinhada com a energia desse dia. Utilize as tabelas de correspondências mágicas e descubra as associações que existem entre todas as artes esotéricas. Um guia prático e acessível a todas as pessoas que querem aumentar seus níveis de energia, proteger-se da negatividade e fazer rituais e práticas mágicas realmente poderosas.




Um Amor do Passado - Marlene Saes

“Um Amor do Passado” conta a história de uma jovem de nome Mariana, que no auge de sua inocência (quando era adolescente) se apaixona por Renato, um jovem sedutor que é o irmão de sua grande amiga. Com o envolvimento, ela fica grávida e ele a abandona. Sua mãe, Joana, consegue, então, uma fazedora de anjos (mulher que faz o aborto em quem quiser, sem medir esforços). Este bebê, que não nasceu, era um espírito revoltado, e começa a perseguir todos os envolvidos que viveram para concretizar esta história.
Com o passar dos anos, nossa protagonista se vê casada com José, homem bom com ótima índole, só que nunca conseguiu engravidar dele. E ele também nada sabia sobre a história do aborto. Nesse ínterim, Renato voltou à cidade e quis se relacionar novamente com Mariana, só que ela, com medo, acabou por contar toda a história de seu envolvimento da juventude para o marido, que a perdoou e a entendeu, pois já estava acompanhando a doutrina espírita, o que o ajudou neste processo.
Mariana tem uma irmã, Elisa, que estava no convento desde a morte de sua mãe, pois queria ser noviça, porém descobriu que não tinha vocação. Então, voltou para a cidade e foi morar com Dona Tereza, que vem a ser a madrinha de Mariana, uma alma boníssima, que amava estas irmãs com muita força, e que teria grande influência na vida das duas.
O destino quis que Elisa se apaixonasse por Renato e ele por ela. Eles se casaram, mas algo terrível aconteceu e é Mariana e José que ficaram com o bebê deles, o acolheram, o amaram e cuidaram da criança como um filho próprio e muito querido. Só que este garoto acabou sendo justamente o mesmo espírito que ela havia abortado anos antes. E, mesmo com muitos anos de revolta, no astral ele recebeu muito auxílio e alguns espíritos de Luz o ajudaram a perdoar, fazendo com que ele deixasse de ser o espírito revoltado que era anteriormente.
Agora que já se passaram muitos anos, ele teve uma nova oportunidade de reencarnar e pôde retornar para esta família. Resta saber se seu espírito realmente conseguiu progredir de forma satisfatória para trazer alegria a esta família, ou tudo não se passou de uma tentativa frustrada e ele ainda vai conseguir sua vingança terrena.
Gostei muito de conhecer e acompanhar estes personagens criados por Marlene Saes. Essas pessoas tiveram suas vidas entrelaçadas muito antes de começar esta história, e é através do deslocamento do espírito, ou seja, durante o repouso do corpo, que o mesmo se desprende e acontece o encontro entre Mariana, José e Elisa. Com isso, vamos conhecer o porquê de tudo ocorrido nestas vidas. Neste encontro também estarão presentes Virgínia, mãe de José, já desencarnada no seu novo Lar, e Irmã Amélia.
“Reconcilia-te com o teu adversário enquanto está lado a lado com ele”. (Mestre Jesus)
Ao longo do livro, entre o plano terreno e o plano espiritual, vão ser explicadas várias passagens destes personagens, de suas vidas passadas, e o porquê de tudo acontecer. Nada é por acaso, tudo tem uma razão de ser. Se estamos numa família, é porque tivemos ligações em outras existências. E, sim, em muitos casos estamos aqui para reparar nossos erros, mas será uma tarefa fácil, já que nossa memória não nos deixa saber o porquê de estarmos numa determinada família?


Lançamentos - Mundo Uno Editora


Suilad!!

Hoje trago para vocês os lançamentos recentes da Editora Mundo Uno que aconteceram na Bienal do Livro de São Paulo 2016. Pode querer todos eles?! rs

MAGIA - TRILOGIA MÍSTICA- LIVRO 01 - JÉSSICA MACEDO


Sempre disseram que ela não pertencia àquele lugar. Não sabiam o quanto estavam certos!

Ela era diferente, todos sabiam disso. Todos viam isso. Chorar, rir, sofrer por amar silenciosamente o melhor amigo e não ser correspondida, isso é normal para uma adolescente de 16 anos. Ter olhos lilases, ser chamada de aberração e ser perseguida por desastres, não. No entanto, a vida de Anabelle muda radicalmente quando seu pai, de quem herdou os estranhos olhos lilases, diz quem ela verdadeiramente é. Estará Anabelle preparada para aceitar tamanha reviravolta, e aceitar que nunca foi e nunca será normal?





BECO DA ILUSÃO - MALLEREY CÁLGARA

Meu nome é Sarah Wainness, mas este nem sempre foi o meu nome. É apenas mais um, entre tantos que já tive. Minha infância foi feliz e simples, como a de qualquer criança da minha idade e do meu bairro em Karnobat, Bulgária. Éramos uma família de cinco irmãos, incluindo eu. Papai, um homem muito bom, enérgico e religioso, frequentava a sinagoga, enquanto mamãe trabalhava em casa, cuidando de tudo e de todos nós. Após recebermos uma herança de um tio falecido que morava em Berlim, mudamos para lá e, ao chegar, deparei-me com uma realidade totalmente diferente da que eu conhecia. Meus sonhos desabrocharam em contato com a cidade. Um deles, tive que manter em segredo: eu queria ser bailarina. Sempre pegava as roupas da mamãe, escondida, e rodopiava no fundo do quintal, vendo tudo ao meu redor mudar. Isso me fazia feliz. Mas, um dia, meus sonhos desmoronaram e minha vida mudou completamente: os nazistas invadiram nossa casa, e fui levada para um lugar de prostituição.
Meu nome é Sarah Wainness, e já morei no Beco da Ilusão.


Uma Canção de Ninar - Sarah Dessen

Remy Starr não acredita no amor. Mas ela tem experiências (apesar de não serem dela própria) suficientes para confiar firmemente nesta frase, afinal sua mãe já está indo para o quinto casamento, e, se o amor deveria durar para sempre, como ela poderia ter trocado alianças e votos com tantos homens assim? A própria Remy não consegue se manter num relacionamento amoroso com ninguém por muito tempo; quando as coisas começam a ficar mais sérias ela enjoa de tudo e decide dar um ponto final na relação antes que haja algum envolvimento emocional mais profundo. E a vida vai seguindo normalmente assim mesmo.
Mas agora, prestes a entrar para a faculdade, a vida de Remy, que parecia que seria bem monótona neste verão, acaba mudando. Ela conhece Dexter, o vocalista de uma banda que não poderia ser mais diferente dela: desajeitado, fofo e impulsivo. Remy, que é prática, fria e gosta de tudo planejado, tinha certeza de que nunca se envolveria com alguém que estivesse em uma banda, já que seu próprio pai pertencia a uma e abandonou a família antes mesmo do nascimento da filha, e ela queria manter distância de alguém semelhante.
Só que Dexter não é nada parecido com ele, e vai acabar quebrando as barreiras que Remy construiu ao redor de si aos pouquinhos, fazendo com que ela passe a questionar seus verdadeiros sentimentos e passe a entender melhor os dos outros, principalmente quando o assunto é sua mãe. Resta saber se já será tarde demais para consertar as coisas ou se ainda há chance para o amor em sua vida.
Quando o assunto é livro contemporâneo voltado para o público jovem adulto, Sarah Dessen é, definitivamente, uma das minhas autoras preferidas. E com “Uma Canção de Ninar” ela só veio comprovar, mais uma vez, que tem um lugar cativo no meu coração. Amei a leitura e não vejo a hora de ter mais de suas obras traduzidas para o português do Brasil (ainda faltam seis mais um conto), então tenho que basicamente implorar: por favor, Editora Seguinte, publique mais títulos de Dessen!
“Ela caiu, ela se machucou, ela sentiu. Ela viveu. E, mesmo com todos os tombos, ainda tinha esperança. Talvez na próxima vez desse certo. Talvez não. Mas, sem entrar no jogo, não dá para saber.”
A leitura é muito fluida ao mesmo tempo em que parece durar bastante, nos inserindo naquele cenário e contexto, como se realmente fizéssemos parte da história junto com os personagens. Sarah nos faz refletir em cada página sobre a vida, o amor, a família, e muitas outras coisas, sua narrativa é deliciosa, leve, envolvente, e suas palavras conseguem nos prender de uma maneira que nem todos os autores conseguem.
Gostei muito da Remy, ela tem um ar mais blasé em relação às coisas, mas como a narrativa é em primeira pessoa, podemos conhecê-la muito bem e entender seus sentimentos e o que pensa sobre o mundo e o que vivencia. Posso, inclusive, dizer que ela é diferente de muitas protagonistas que já conheci e isso só fez com que eu gostasse ainda mais dela.
Dexter é outro caso à parte que merece ser citado. O garoto é ótimo e gostei muito dele, inclusive por ser tão diferente de Remy, mas mesmo assim igualmente adorável. Curti sua determinação e também seu jeito estabanado, daquele tipo que suas “imperfeições” o tornam alguém mais legal. Além do mais, ele sai do estereótipo de vocalista de banda que estou acostumada a conhecer nos livros.
“Eu sabia que não havia garantias. Não tinha como saber o que viria a seguir para mim, ou para ele, ou para qualquer um. Algumas coisas não duravam para sempre, mas outras, sim. Como uma boa música, ou um bom livro, ou uma boa lembrança que se pode pegar e desdobrar nos piores momentos, segurando pelos cantos e olhando bem de perto, esperando reconhecer a pessoa que se vê ali.”


O Morro dos Ventos Uivantes - Emily Brontë

Apesar de “O Morro dos Ventos Uivantes” ser uma obra clássica e muito famosa, eu ainda não havia lido essa história, que conquistou inúmeros fãs em todo o mundo e que já até ganhou várias adaptações ao longo dos anos. Como estou em uma fase de ler clássicos, já que me peguei apaixonada por esse tipo de livro, tento intercalar sempre algo deste estilo com alguma coisa atual em minhas leituras. Por este motivo, venho compartilhar com vocês em forma de resenha as minhas opiniões sobre este título belíssimo que a Zahar lançou há pouco tempo, e que vale muito a pena de ser adquirido.
Neste volume conhecemos a história de duas famílias: os Earnshaw, que são donos de Wuthering Heights, e os Linton. Logo no início da trama vemos que o patriarca da família Earnshaw encontra um menino “cigano” nas ruas de Liverpool e resolve levá-lo para casa, para ser criado junto com a sua família, já que o mesmo tinha dois filhos, Hindley e Catherine.
Esse menino cigano batizado de Heatcliff causou ciúmes em Hindley por se tornar o preferido de seu pai, fazendo com que este nutra certo ódio pelo garoto. Porém, sua irmã tem um sentimento totalmente diferente, já que a mesma sente adoração por ele, e por isso vive para cima e para baixo com o mesmo, nutrindo entre eles um amor estranho, intenso e até mesmo um pouco doentio, já que muitas vezes inclusive o confundimos com ódio.

Heatcliff sempre sofreu muito, já que Hindley sempre o maltratou e o humilhou durante toda a sua infância, tornando-se um homem amargo e egoísta. Mas tudo piorou quando o Mr. Earnshaw acabou falecendo, já que seu primogênito retornou dos estudos casado, e ainda com muito ódio por seu irmão de criação, tratando-o da pior maneira possível, e atribuindo ao mesmo os serviços mais penosos da propriedade. Porém, a gota d’agua para ele foi quando Cathy decidiu se casar com Edgar Linton, morador e herdeiro de Thrushcross Grange. Cansado de ser maltratado e agora com o coração partido, Heatcliff vai embora da propriedade e volta somente 3 anos depois, rico e educado.

Quando Heatcliff foi embora, passou, então, a odiar Catherine tanto quanto a amava, dedicando seu tempo em uma vingança doentia, onde ele pretendia arruinar a vida da mesma e de todos ao seu redor. Esta é, portanto, uma história cheia de maldade e vingança, onde o protagonista, tomado pelo seu amor obsessivo e possessivo, faz atrocidades sem limites, atingindo até mesmo os filhos de ambos. Mas a história não para por aí, e vemos que um verdadeiro amor pode nascer mesmo de um ambiente não tão propício.

Todos os personagens criados por Emily Brontë são muito interessantes e bem escritos, despertando no leitor diversos tipos de sentimos por conta do jeito de ser de cada um. Somos capazes de sentir amor e ódio pelo mesmo personagem devido a tamanha complexidade que a autora utilizou em sua narrativa. Diferente de tudo da época, ela retratou as atrocidades que um homem pode cometer e também suas falhas de caráter. Mostrou, inclusive, como a personalidade de uma pessoa pode se transformar negativamente, principalmente quando há muito sofrimento em sua vida; dor, rejeição, morte, e coisas semelhantes, podem modificar uma pessoa de maneira irreversível.


Linhagens - Uma Geração, Todas as Decisões #02 - Eleonor Hertzog

Você percebe que um livro é complexo quando de repente você se dá conta de que não sabe por onde começar a sinopse. O que dizer sem precisar de muitas linhas? Linhagens, segundo volume dá série Uma Geração - Todas as Decisões, da autora gaúcha Eleonor Hertzog, pela editora Letra Impressa, é um livro assim que eu não tenho a mínima ideia de como começar a contar rs! E pode conter spoilers...

A família Melbourne segue em seu navio de pesquisas no Mar Negro, eles chegam próximos a uma ilha para pesquisar focas, um alerta de morte surge para Peggy, mas ela não compreende, porque ela não sente perigo no mesmo local. Ao descerem na ilha dezenas de focas estão mortas, e nada parece explicar as mortes. Algumas horas depois seres estranhos surgem das águas, Senira parece estar por trás do evento. Os Melbourne agora devem desvendar mais este mistério e sobreviver em alto-mar sem comunicação com o mundo!

Estes são os primeiros eventos que este livro enorme apresenta. Mas antes de mais nada a autora fez um breve resumo do livro anterior, Cisne através do Dr. Henry, esse resumo devo dizer é excelente não só do ponto de vista da memória, como também para organizar e compreender todas as informações deste universo, que não são poucas!

Embora a trama se inicie no navio, boa parte do livro e as partes mais importantes acontecem longe do navio. Agora o foco são as linhagens, que são as diversas raças terráqueas ou alienígenas que habitam a terra ou os planetas. Cada uma destas raças têm seus talentos, capacidades e limitações, e compreender cada uma delas é a única saída para todos os personagens conseguirem ajudar Peggy e seu imenso poder.

A narrativa de Hertzog é muito particular, é descritiva mas com uma linguagem muito particular desta mitologia que ela criou, assim o livro tem um ritmo bom, mas por vezes pode ter enroscos devido a quantidade de novos conceitos que ela apresenta e que só existem em seus livros. Acredito que neste sentido a autora poderia ter sido mais direta em algumas partes, a impressão que eu tive é que os diálogos dos personagens eram transcrições de seus pensamentos para explicar sua narrativa. Como os diálogos são predominantes não existe muita ação depois que a família sai do Mar Negro, o que não foi problema para mim.

Muitas explicações são dadas sobre o passado do personagem Giles, por exemplo, que muda radicalmente de postura. Os irmãos Melbourne não tiveram muito espaço, mas seguiram firmes em sua postura faz tudo. Já os pais Henry e Doris são uma dupla de fazer qualquer criatura do universo cair de queixo! Como especialistas em elos mentais são personagens centrais para ajudar Peggy e Peter que tem um elo muito forte.

Peggy é ainda uma garota muito misteriosa até para si mesma, ao poucos seus potenciais são mostrados, assim como Peter outro jovem portador de muita força para mudar tudo ao seu redor. Minha raiva ficou toda para os pais de Peter, Robert e Diure, os senhores de Merine que são muito cegos mesmo para aquilo que o sol ilumina!



Lançamentos – Faro Editorial


Oii, gente! Como vocês estão? Hoje vamos falar de livros bem especiais: os últimos lançamentos do ano da querida Faro Editorial, que serão publicados em outubro. Em novembro eles lançam boxes de obras já publicadas, como “Amor e Mentiras” e “Marked” para fechar o ano com chave de ouro.
Marca do Caos – Marked #03 – Sylvia Day (Skoob)
Como contar ao Diabo que você atropelou o seu cão?
Ao passar uma noite incrível de amor com Alec Caim, Evangeline não tinha ideia de que seria punida com uma Marca e empurrada para uma vida em que teria de caçar demônios como penitência. Agora ela está em sérios apuros. Viver como uma marcada, entre dois irmãos sensuais, deveria ser problema suficiente. Mas Eva conseguiu a atenção do próprio Satanás.
Irritado com a morte de seu animal de estimação, o Diabo inicia uma verdadeira caçada em busca de Eva, oferecendo recompensas por sua cabeça. E, em massa, todo o Inferno decide entrar na disputa pelo prêmio.
Então, novos fatos surgem, que parecem confirmar a verdadeira origem de Eva… Algo que pode finalmente colocá-la numa nova posição para lutar contra a horda de demônios. E, porque não, trazer para a sua vida um pouco mais de prazer?
Neste livro, Sylvia Day entrega uma história ainda mais quente. Grandes revelações e reviravoltas, cercadas de sensualidade e inúmeras batalhas.
>> Confira as resenhas de: “Marca da Escuridão” (#01) e “Marca da Destruição” (#02)
Horror na Colina de Darrington – Marcus Barcelos (Skoob)
Em 2004, Benjamin Simons deixa o orfanato em que viveu desde a infância para ajudar alguns parentes num momento difícil: com sua tia debilitada e o tio trabalhando dia e noite, precisavam de alguém para tomar conta de sua prima Carla, de apenas cinco anos de idade.
No entanto, certa madrugada, a tranquilidade da colina de Darrington é interrompida por um estranho pesadelo, que vai tomando formas reais a cada minuto. Logo, Ben descobre-se preso numa casa que abriga mistérios, onde o inferno parece mais próximo e o mal possui uma força evidente.
Passaram-se mais de 10 anos. Isso tudo aconteceu quando Ben estava com dezessete anos, e foram experiências das quais ele preferia esquecer completamente…
Mas aquele passado o acompanha de perto. Ben sente que precisa voltar e sabe que, ou desvenda tudo ou sempre viverá com medo. Então, ele decide contar, e traz numa narrativa angustiante e rica em detalhes tudo o que viveu e todas as batalhas impensáveis que travou para tentar manter a si próprio e a jovem prima em segurança. E se descobre no centro de uma conspiração capaz de destruir até a sua própria sanidade.
Onde termina o inferno e começa a realidade?
>> Esta edição teve uma pequena edição e acréscimos em seu texto. Em todo capítulo há pelo menos duas ilustrações e uma série de aditivos de projeto gráfico. Além do mais, as bordas das páginas são negras.


Marca da Destruição - Marked #02 - Sylvia Day

Assim que acabei de ler o primeiro volume desta série, fiquei louca com a história e quis ler a sua continuação, sem nem dar um espaço de tempo entre um e outro, o que geralmente faço. Isso porque, apesar de ser o primeiro título que leio de Sylvia Day, gostei bastante da narrativa da autora, que criou um universo bastante interessante e personagens incríveis, sobre os quais queremos saber ainda mais em todos os momentos. Sendo assim, comecei a minha leitura, e agora, depois de ter terminado mais esta obra, venho compartilhar com vocês as minhas opiniões sobre esse título.
Em “Marca da Destruição” vemos que após Eva ter recebido a Marca e com isso ter se tornado uma caçadora de demônios, tenta se adaptar cada vez mais nesse novo universo e, apesar de ter mais experiência do que qualquer outro novato marcado, já que teve experiências em campo, ela tem que se juntar a eles para uma semana de treinamentos no Forte McCroskey, sendo o arcanjo Raguel Gadara o responsável, já que é quem treina os novos marcados, só que ele é bastante manipulador e sempre está pensando no seu próprio interesse.
Porém, algo muito estranho está ocorrendo durante os treinamentos, já que recrutas marcados começam a morrer misteriosamente, e, para piorar as coisas, eles não estão conseguindo identificar o Demoníaco que está fazendo isso, já que, diferente dos outros que cheiram igual as almas putrefatas, esse não exala cheiro nenhum, sendo difícil sua identificação, uma vez que também não tem nenhuma marca característica. Agora, com a classe ainda em treinamento e com um demônio infiltrado matando todos de um a um, nossa protagonista se vê envolta em um grande mistério e muitas aventuras.
E para completar ainda vemos que, com Caim longe, Abel fica cada vez mais perto de Eva para protegê-la, fazendo com que eles se aproximem muito mais. Além disso, ela está passando por um momento de transição causado pela Marca, já que seu corpo está passando por diversas mudanças, onde ela sente um profundo desejo quase que insaciável por algo mais profundo, sentindo um desejo ardente e irresistível. Mas será que Abel vai querer Eva consumida pelo desejo causado pela Marca, ou vai esperar que esse efeito passe e ela queira com ele algo por livre e espontânea vontade? Vemos como se desenrola essa situação bastante complicada e como nossa protagonista está mais indecisa do que nunca, já que mesmo tendo um relacionamento com Alec (Caim), sua atração por Reed (Abel) é enorme.
Esse volume continua com uma narrativa rápida e fluida, que consegue prender a gente com uma história cheia de ação, mistérios, pistas, cenas mais quentes, uma pegada sobrenatural e personagens incríveis que conquistam a gente, cada qual com o jeito de ser, fazendo com que a gente torça por todos eles. A narrativa continua em terceira pessoa, o que eu curto bastante, já que assim conseguimos acompanhar de forma mais ampla tudo o que está ocorrendo na história, até porque temos mais de um protagonista, o que nos permite entender melhor o que está ocorrendo com cada um deles em diferentes tempos.


Marca da Escuridão - Marked #01 - Sylvia Day

Apesar de eu não ter tido nenhuma experiência anterior com algum livro de Sylvia Day, conheço várias pessoas que leram e que amaram as suas histórias, dizendo que ela é uma autora incrível e que sabe envolver a gente em suas tramas como ninguém. Lógico que quando a gente escuta tão bem de uma autora, fica com vontade de ler os seus títulos o mais rápido possível. Eu resolvi começar por “Marca da Escuridão”, já que a sinopse me chamou bastante atenção, me prometendo uma trama incrível.
Neste volume conhecemos Evangeline Hollis, também conhecida como Eva, uma designer de interiores que, 10 anos atrás, acabou conhecendo e se apaixonando por Alec Caim, um motoqueiro sexy. E após uma noite com ele, nunca conseguiu esquecê-lo, mesmo que ele tenha sumido de sua vida. O que não poderia imaginar é que agora ela acabaria se envolvendo com outro cara, e, após esse envolvimento, começa a se sentir diferente. É então que surge Alec, explicando que o novo homem com que ela havia se envolvido era o seu irmão, Abel, e que ele a havia marcado.
Essa marca significa que Eva agora deve se tornar uma caçadora de demoníacos, seres sobrenaturais que quebram as regras impostas pelos Arcanjos. E, para isso, ela começa a ganhar poderes superiores aos humanos e tem como chefe Abel, e como protetor e professor Caim. Acompanhamos em todos os momentos como nossa protagonista está lidando com essa transição, já que seu mundo mudou completamente. E foi bem gostoso acompanhá-la, já que a moça aceita os desafios e vai à luta, sem ficar fazendo drama por aí.
Vemos também como o relacionamento dos irmãos, que já não era dos melhores, acaba piorando de algumas formas, já que eles ficam se provocando, e a rivalidade que existia entre os dois aumenta à medida que ambos desejam a protagonista, fazendo com que eles não consigam nem ficar no mesmo recinto sem brigar.
Esse livro consegue prender a gente em todos os momentos com bastante ação na trama, já que temos cenas de lutas, mortes, etc., além de trazer cenas mais quentes, muito bem descritas e bastantes sensuais, tudo isso em um pano de fundo maravilhoso, um enredo atraente e personagens que conseguem nos conquistar, cada um de sua maneira. Gostei bastante de acompanhar Eva, que não é daquele tipo de mocinha indefesa, já que não fica se lamentando por aí e luta até o fim. Além disso, seu humor sarcástico me deliciou em diversos momentos.


Lendas de Itapetininga e Região - Luciane Camargo e Maria Nunes da Costa Menk

Desde que eu nasci até cerca dos meus onze anos de idade eu viajava para uma cidade do interior paulista chamada Itapetininga. Tenho ótimas memórias de infância de lá, e sinto muita falta tanto da fazenda onde me hospedava quanto da cidade, especialmente da sorveteria por kilo que havia no centro rs! Me lembro bem que haviam diversas lendas por lá, a fazenda que eu chegava a passar o mês inteiro tinha várias, e chego a me lembrar de algumas situações de susto por lá. Um dia me deparei com o livro Lendas de Itapetininga e Região, eu não pensei duas vezes que precisava muito de ler. E foi com prazer que uma das autoras Luciane Camargo me presenteou com o livro que foi publicado por ela e Maria Nunes da Costa Menk.

O livro tem como proposta de trabalho o resgate e preservação das lendas e contos da literatura oral do povo de Itapetininga e região, contribuindo para a descoberta da riqueza do folclore narrativo que é tão rico e vivo. Para isso as autoras realizaram uma pesquisa durante anos recolhendo dezenas de lendas e contos que preservam a cultura popular.

Os contos foram narrados por moradores dos locais citados, característica que traz veracidade e autenticidade a cada um dos relatos. Não trata-se de contos genéricos que costumam ser apresentados em livros similares. Cada lenda neste livro conta com detalhes precisos como nome de ruas, nomes dos envolvidos e locais onde se passaram. A riqueza que isso transmite é única, é mágico imaginar cada uma dessas pessoas contando o que elas aprenderam na cidade ou ainda vivenciaram!

Todas as lendas têm uma ilustração de traços finos, mas marcantes que trabalham bem a temática abordada. Fiquei muito surpresa com esse cuidado que nem as editoras grandes têm em seus livros! Camargo me explicou que o livro tem como público alvo as crianças e ter estas ilustrações com certeza faz sucesso entre elas, além de atrair suas atenções. Mas não se engane eu não diria que trata-se de um livro infantil, eu diria que é um livro antes de mais nada folclórico e sem público determinado, é para todos que gostam do tema e querem saber mais sobre sua própria cultura.

Muitas criaturas conhecidas como saci-pererê, mula sem cabeça, boitatá, e lobisomem são protagonistas de algumas destas histórias, mas muitas outras também são relatadas, inclusive lendas que atravessaram a estrada e foram espalhadas aqui pela cidade de São Paulo, como a mulher de branco e a loira do banheiro (honestamente achei que elas não existiam mais por aqui, mas hoje mesmo ouvi uma mãe dizendo que o filho estava com medo da Loira do banheiro!).


6º Aniversário do House of Chick


E mais um ano se passou. Hoje o House of Chick completa seus seis anos de vida! Uau. Já é uma criança serelepe que nos traz alegria desde seu nascimento. Muita coisa já aconteceu por aqui (e muitas outras ainda virão – esperamos que ótimas hahaha) e continuamos firmes e fortes com este espacinho tão adorado por nós para falar de algo que amamos tanto: livros! <3 Já estamos há quase uma década no ar (eu sei que ainda faltam quatro anos, mas agora já passamos da metade do tempo) e é realmente muito gratificante olhar para traz e ver tudo o que realizamos e conquistamos neste tempo.
E essas coisas boas não seriam possíveis sem vocês. Então muito obrigada a todos os leitores que nos visitam, que leem nossas postagens e resenhas, que escrevemos com tanto carinho para vocês, e que acompanham nossas redes sociais, vídeos, fotos, etc. E também queremos agradecer às editoras pelo apoio de sempre, sem vocês o nosso espaço não seria o mesmo. <3
E que venham muitos mais anos! <3
Estamos preparando um sorteio muito especial para comemorar esse aniversário, que vai ao ar ainda este mês, com muitos livros incríveis! Fiquem de olho para participar! Mas hoje vamos começar com um sorteio de um kit especial com muitos marcadores maravilhosos! Então participem bastante! Boa sorte a todos!
SORTEIO DE MARCADORES
Quer concorrer a um kit maravilhoso com 50 marcadores? Então participe do sorteio pelo formulário abaixo!
Qualquer dúvida entre em contato com a gente pelo e-mail houseofchick@gmail.com


A Espada de Shannara - Espada de Shannara #01- Terry Brooks

Imagine que nosso mundo caminhe para um acidente nuclear, e que depois que ele acontece 90% da população morre deixando apenas indivíduos que são afetados por este acidente, tornando-se criaturas como elfos, anões, gnomos, e etc. A magia deixa de ser lenda, e passa ser vigente, e mesmo depois do que aconteceu o mundo ainda caminha pela via da destruição. Conseguiu imaginar? Esse é o mundo em A Espada de Shannara, primeiro volume da trilogia espada de Shannara, escrito pelo autor Terry Brooks, e publicado atualmente pela editora Arqueiro.

Nesse futuro distante Shea Ohmsford vive no Vale Sombrio com sua família, ele não espera sair da hospedaria do pai onde trabalha com o irmão. Mas um visitante inesperado Allanon o desperta para uma missão: o Lorde Feiticeiro, que todos julgavam morto, planeja voltar com força total e destruir o mundo. A única arma capaz de impedi-lo é a Espada de Shannara, mas esta só pode ser empunhada por seu herdeiro, Shea. Sua jornada até a espada e pela sobrevivência do mundo começa!

Quando soube da ideia por de trás dessa série eu fiquei louca para ler o livro, já que estou cansada das propostas distópicas dos livros atuais sobre o assunto. Um futuro onde o que um livro de rpg tinha como fantasia se transforma em realidade após um desastre terrestre! Genial! Brooks em sua narrativa em terceira pessoa, soube muito bem explorar sua ideia, não só do ponto de vista de uma alta fantasia repleta de detalhes, descrições e ritmo mais lento, como também do ponto de vista humano onde explora a natureza humana que persiste nos erros que um dia quase erradicaram sua raça do planeta. Ele por vezes cria diversos pontos narrativos que depois se juntam, por conta desta característica podemos acompanhar diversas frentes da estória ao mesmo tempo, logo não falta informação e explicação para tudo que acontece.

A estrutura do livro é muito similar ao O Senhor dos Anéis, mas o autor já parte desta ideia, fã de Tolkien ele queria explorar um grupo em uma busca neste universo mágico. Não foram poucas as similaridades que surgem, tanto de características de personagens quanto de cenas que estes passam. E talvez você esteja se perguntando se isso é bom ou ruim, eu diria que é neutro, depende da relação que você tem com Tolkien. Para mim, fã confessa, é um pouco chato, e é a única coisa que desabona o livro das cinco estrelas.

Shea é um meio elfo, e como todo herói que parte em uma jornada no susto não está muito certo do poder que possui. Ele é muito humano, embora tenha sangue elfo têm comportamentos depressivos e não se vê como alguém capaz de cumprir sua missão. Seu irmão Flick é seu defensor incondicional e apoio fundamental para que ele persista mesmo quando tudo dá errado. Aqui temos uma dupla muito parecida com as características de Frodo e Sam.

A figura de Allanon, historiador e druida é bastante dúbia, não fica claro até que o livro esteja quase no seu fim porque ele guarda tantos segredos daqueles que pretende ajudar. É dono de muito conhecimento sobre o que aconteceu com o mundo e de todas as raças que surgiram, além de ter poder para enfrentar quase todas as ameaças do lorde feiticeiro. Suas indas e vindas, e o comportamento peculiar é claro lembraram Gandalf, mas este último é muito mais sábio e bondoso comparado a Allanon- prometo vou parar com as comparações rs!



Taint - Sexual Education #01 - S.L. Jennings

As mulheres casadas da alta sociedade gostariam de consertar seus casamentos antes que o divórcio seja inevitável e suas famílias – e também seus confortos – sejam destruídas porque seus maridos decidiram trocá-las por moças mais jovens e mais fogosas. Mas ainda há esperança, e ela atende pelo nome de Justice Drake.
Se seu casamento não está feliz, basta matricular-se no curso intensivo de seis semanas deste tão famoso (e discreto) professor, que ensina tudo o que as mulheres precisam saber para conquistar seu homem – e também nutrirem mais autoconfiança. Em um oásis afastado de tudo e todos, estas mulheres aprenderão tudo o que for necessário para ter uma vida sexual plena.
Para ele, sexo não é nenhum tabu. E ninguém deveria tratá-lo como tal. É por isso que, em suas aulas, ele faz de tudo para que as mulheres ganhem autoestima e confiança suficientes para tratar – e fazer – do assunto de uma maneira mais madura e sensual.
Então é isso, matriculem-se, vistam suas melhores roupas e preparem-se: Justice Drake irá mexer tão bem com a mente de cada uma de vocês que dentro de quatro paredes logo deixarão de ser as adoráveis donas de casa e se tornarão as mais selvagens e fogosas na cama. Mas será que ele é capaz de resistir a tudo isso também? Ou uma certa mulher com cabelos de fogo poderá mexer com nosso arrogante protagonista mais do que ele gostaria?
Tenho que confessar que, da primeira vez que ouvi falar neste livro, não tinha tanto interesse assim em lê-lo, porque não parecia ser algo que eu realmente gostaria, afinal eu gosto mesmo é da parte do romance, não do sexo. E apesar deste último não me incomodar nas leituras, pelo contrário, por vezes acho até que essas cenas são necessárias, eu gosto de encontrá-las apenas como pano de fundo ou consequência do amor. Mas isso é a minha opinião a respeito de livros de romance.
Mas li algumas resenhas falando maravilhas de “Taint”, de que tinha partes românticas, fofas, etc. Então pensei: por que não? As vezes a sinopse só está me enganando, como já aconteceu antes. E é por isso que escolhi ele para ler este mês. Porém, acabou que, apesar de realmente ter trechos beeeem românticos, ainda sinto que esse livro não é para mim. Tenho certeza de que o público ao qual se destina vai amá-lo, mas, infelizmente, não sou uma dessas pessoas.
E, novamente, não é que a história seja ruim, ou que a escrita da autora seja péssima, porque nenhuma destas duas coisas é verdade, eu só não amei a leitura porque eu sou eu. Então se você curtir a sinopse e já sabe o que esperar e parece ser algo que vai lhe agradar, lhe digo: vá fundo! Tenho certeza de que vai apreciá-lo, sim. Até porque, quando a trama é realmente ruim, eu nem mesmo termino de lê-la, e com essa eu li até a última linha.
A narrativa é em primeira pessoa sob o ponto de vista de Justice Drake, o que eu curti bastante porque na maioria dos livros a gente ganha a visão feminina ou a de ambos, então aqui tivemos uma chance de conhecer apenas o lado do protagonista masculino e gostei de sua personalidade, e de saber mais a fundo o que o afligia, o que gostava, o que desejava, seus problemas, etc.
E, para as mulheres que gostam, o Justice é muuito meloso (pelo menos em sua mente). Daquele tipo que fica só pensando na mulher que gosta, refletindo sobre sua beleza, seu carisma, o quão ela é diferente de todas as outras, o quanto ele está “condenado” por desejá-la, já que não pode tê-la, mas precisa dela, o quanto vai sofrer quando não tiver ela por perto, mas que terá que se acostumar porque ele não é – e nem poderia desejar ser – o que ela precisa. E por aí vai.