Lançamentos da WMF Martins Fontes

Oii, gente! Hoje vamos falar dos lançamentos da editora WMF Martins Fontes, que está trazendo vários títulos muito legais, além de várias edições de colecionador LINDAS de “Quem é você, Alasca?”, de John Green.
Primeiro vou começar falando dessas edições maravilhosas de “Quem é você, Alasca?” que serão lançadas este mês. Todas elas são limitadas, ou seja, corre para comprar as suas preferidas antes que fique sem! Hahaha
Eu adorei as opções, mas minhas preferidas foram a capa versão estilo quadrinhos e a que já existia preta, porque desta vez ela vai vir em CAPA DURA e eu adoro, mas também achei super legal que aquela última ali vem com uma sobrecapa! <3 Ai, vai ser difícil escolher, né?! E vocês, de qual gostaram mais?
Capa Estilo Quadrinhos       |        Capa Dura                       
Capa Ganhadora do Concurso          |          Capa Especial com Sobrecapa
__________________________________________________________________________
Agora vamos falar dos lançamentos da editora? Adorei todos! E vocês, estão ansiosos por quais?

Quadrinhos – História Moderna de uma Arte Global – Dan Mazur e Alexander Danner
Narrando as últimas cinco décadas dos quadrinhos em todo o mundo - com aproximadamente 300 ilustrações retiradas de revistas em quadrinhos, comics, mangás, bandes dessinées, fumetti e historietas -, QUADRINHOS, de Dan Mazur e Alexander Danner, é revolucionário tanto em sua abrangência como em seu nível de detalhe. R. Crumb e Gabrielle Bell, Jack Kirby e Alan Moore, Moebius, Yumiko Oshima e Osamu Tezuka são só alguns nomes das centenas de artistas incluídos neste livro, o que faz dele uma obra sem precedentes. Este relato pioneiro integra a história dos quadrinhos na Europa, na Ásia e nas Américas desde 1968, em narrativa abrangente e de perspectiva global.
A Raposa e o Porco-Espinho – Justiça e Valor – Ronald Dworkin
Segundo os gregos da Antiguidade, a raposa sabe muitas coisas; o porco-espinho sabe uma só, mas muito importante. O valor é uma coisa muito importante. Em sua obra mais abrangente, Ronald Dworkin defende a tese de que o valor, em todas as suas formas, é uma coisa muito importante: o conteúdo da verdade, o sentido da vida, as exigências da moral e os requisitos da justiça são aspectos diferentes de uma única grande questão. Dworkin desenvolve teorias originais sobre grande variedade de assuntos raramente abordados num único livro: o ceticismo moral, a interpretação literária, artística e histórica, o livre-arbítrio, as teorias morais dos antigos, o ser bom e o bem viver, a liberdade, a igualdade e o direito, entre muitos outros tópicos. O que pensamos sobre cada uma dessas coisas tem de resistir, no fim, a qualquer argumento referente às demais que nos pareça convincente.

Tempo do desprezo – Saga do Bruxo Geralt de Rívia #04 – Andrzej Sapkowski
Tempo do desprezo é o quarto livro da saga do bruxo Geralt de Rívia. Geralt lutou contra monstros e demônios por todo o país, mas até ele pode não estar preparado para o que está acontecendo com seu mundo. Há intrigas, divergências e rebeliões por todo lado. Os Elfos e outros seres não humanos vivem sob repressão há décadas. Os Magos brigam uns com os outros, alguns a soldo dos reis, outros simpatizantes dos elfos. E, nesse cenário de medo e desprezo, Geralt e sua amante Yennefer precisam proteger Ciri, herdeira órfã e procurada por todos os lados. Ela tem o poder de salvar o mundo ou, talvez, acabar com ele.
Gatos guerreiros #05 – Caminho Perigoso – Erin Hunter
Esta é a quinta aventura da incrível série Gatos guerreiros (Warriors), que teve mais de 17 milhões de exemplares vendidos no mundo todo.
Gatos guerreiros descreve a saga de quatro clãs de gatos selvagens que lutam pela sobrevivência numa floresta. Este volume, Gatos guerreiros: caminho perigoso, mostra a preocupação de Coração de Fogo com a líder do clã e a sua coragem e determinação para enfrentar as misteriosas ameaças que paira sobre o Clã do Trovão.


União dos Autores - Bate Papo com os Autores - Parte #02

Suilad!!

Vamos a segunda parte da breve coletiva com todos os autores do grupo União dos Autores?, lembrando as perguntas feitas foram:

1 - Que conselhos você daria para quem está iniciando a carreira de escritor?
2 - Qual gênero/ estilo você escreve?


L. L Alves - Mudanças

1. Tenha paciência! É sério. Tenha muuuuita paciência. E tenha esperança, Vai parecer difícil, quase impossível às vezes, mas um dia você chega lá. Se você tem certeza que esse é o seu caminho, não desista, nunca! Todo seu suor e sacrifícios valerão a pena no futuro. É como eu costumo dizer: ser escritor não é nem um pouco fácil, não é só sentar e escrever, mas no fim do dia, valerá a pena passar por todas essas situações. 

2. Gosto de "brincar" com vários gêneros rs Fantasia e Aventura (Instituição para Jovens Prodígios e alguns contos), Romance Juvenil (Mudanças e Sebo Fernandes), chick-lit e hot (As GRANDES Aventuras de Daniella), e também já me aventurei no suspense (alguns contos).


Carla Montebeler - O Vale de Elah

1- escreva com o coração e seja fiel a você mesmo, não ao "estilo do momento"!

2- Escrevo crônicas, (no Arca Literaria) estudos teológicos (Os Semeadores de Contendas) e romance (Quem Salvará o Herói?) mas a Série AS CRÔNICAS DE ADULÃO, é uma ficção histórica baseada na vida do Rei Davi. 







Márcia Pavanello Pires - Abismo Sangrento


1-Nunca desista dos seus sonhos e objetivos. Nunca desista no primeiro não que receber. Persistência é o lema de quem está iniciando. A recompensa vem com o recado de cada leitor que gostou de ler seu livro.

2- Escrevo romance sobrenatural e romance. Acima de tudo, sou uma romântica assumida, uma das últimas (rsrs). Tenho uma alma adolescente e quando entro no mundo mágico dos meus livros sinto que sou livre para ir onde bem entender.






Mariana Sgambato - Lembre-se de Morrer

1- Que conselhos você daria para quem está iniciando na carreira de autor? O conselho mais valioso que posso dar é estude, estude estude, escreva, escreva e escreva. Escreva sem parar. Tornar-se um autor profissional requer dedicação, é metade criatividade e metade esforço, você precisa se policiar, cumprir metas e planejar bastante, mas também tem que deixar fluir e se expressar.

 2- Qual gênero/ estilo você escreve? Romances Jovem-Adulto e Fantasia Urbana.





Jéssica Anitelli - Volúpia


1- sempre escreva, só com a prática é possível aperfeiçoar. Ter alguém para fazer uma leitura crítica também é muito importante. 

2- Não gosto de dizer que escrevo um determinado gênero ou tema, eu apenas escrevo. Não gosto de me limitar, simplesmente deixo as ideias surgirem. Mas já escrevi fantasia, erótico, romance e juvenil.








Silvia Fernanda - A Inacreditável Arte de Ser um Capacho


1. Cabeça fria. É a primeira coisa que qualquer autor iniciante precisa ter. Nada acontece do dia para a noite e perseverança é fundamental. A gente erra aprende e sobrevive no meio para errar um pouco mais. A construção de um público é algo que leva tempo, logo não pense que você vai lançar um livro e ele vai emplacar de cara. Isso acontece com poucos sortudos.


2. Romances e Romances sensuais!






Cristina de Azevedo - Nacqua


1.Ser escritor vai muito alem do que simplesmente escrever, é amar o que faz, pois o caminho é cheio de pedras, tem muitos desafios, e quando se faz algo por amor é mais fácil de superar as adversidade, então meu primeiro conselho é tenha certeza de que é exatamente isso que quer, se for caso, enfie a cara e vá em frente e não desista nunca. 

2.Eu escrevo fantasia, romance, sobre-natural, aventura e ficção.







Tatiana Amaral - Função CEO


1.Primeiro eu diria para ele não cansar de revisar o material. Eu detesto esta parte, mas é tão importante quanto a venda do livro rsrsrsrsrs É necessário buscar ajuda. Quando eu comecei nem desconfiava da existência de técnicas para escrever, que deixam o livro mais bonito e leve, menos cansativo. Procurei um curso de como escrever um romance e simplesmente amei tudo o que aprendi, além de entender que sem isso o livro não é nada. Meu segundo conselho é: Não tenha pressa. Pesquise, pergunte, procure saber sobre a editora que você teve proposta, pois muitos autores morreram em seu primeiro livro por ter feito a bobagem de entregá-lo a quem não sabe trabalhar. O terceiro é: não desista. Nunca.

2.Eu escrevo romances. Não sei escrever nada diferente disso rsrsrsrs





Os Amores de Lú - LM Gomes

1- Leia bastante, ler te traz perspectivas diferentes. Seja humilde e aceite conselhos, sejam eles sobre ortografia ou enredo. Nunca pense que sabe de tudo. Constante aprendizado são as palavras de ordem.

2 - Meus livros publicados são do gênero erótico, mas escrevo romances também.







Maribell Azevedo - Amor no Ninho


1- Vai ser difícil. Muito difícil. Escolha cautelosamente com quem trabalha, editoras sérias e bons profissionais fazem toda diferença. E se você não for completamente apaixonado pela profissão, desista agora. Ela exigirá cada grama da sua fé e trabalho.

2- Romance, drama, sobrenatural.




Espero que tenham gostado! Até a próxima divulgação!





Novidades – Editora Rocco


Oii, gente! Tudo bem? Hoje vou falar sobre vários lançamentos incríveis da Editora Rocco que estão chegando por aí. E também sobre o selo ‘Fantástica’, destinado à literatura de fantasia, terror e ficção científica, e as primeiras obras que serão publicadas pelo selo! Confiram!
O selo Fantástica, que será lançado em agosto, vai ficar responsável pelas publicações de fantasia, de épica à urbana, além de grandes clássicos cult, tanto de autores nacionais quanto internacionais. Adorei a logo do novo selo Fantástica e achei simplesmente incrível, principalmente porque tem tudo a ver com os livros que serão publicados. <3
Os dois primeiros lançamentos do selo são de autores nacionais e vocês podem conferir abaixo! :D
O Reino das vozes que não se calam – Carolina Munhóz e Sophia Abrahão
Se você encontrasse um lugar onde todos o aceitassem… Seria capaz de abandoná-lo?
Sophie se esconde de todos e de si mesma: insegura, não consegue enxergar sua beleza e talento, e sente dificuldade em se relacionar com os outros.
Seu dia a dia se perde entre os caminhos tortuosos dos que convivem com a depressão e o bullying, e a jovem aos poucos vai se fechando na escuridão de seus pensamentos. Desamparada e sem coragem de lidar com seus problemas, ela acaba descobrindo um lugar mágico: um Reino onde as vozes não se calam e as criaturas encantadas se tornam reais. Um local colorido onde ela finalmente poderá se encontrar. Dividida entre a realidade e a fantasia, Sophie contará com a ajuda preciosa de um rapaz comum e uma guardiã encantada, que lhe mostrarão os segredos da alma e a farão decidir se vale a pena enfrentar seus medos ou viver em um eterno conto de fadas.
Cemitérios de Dragões – Legado Ranger #01 – Raphael Draccon (Skoob)
Um soldado de elite do exército americano desaparecido em uma missão no Afeganistão. Uma africana guerrilheira crescida em meio a conflitos étnicos de Ruanda. Uma garçonete irlandesa praticante de artes marciais mistas. Um hacker brasileiro descendente de orientais. Um dublê francês mestre em Parkour. Cinco realidades distintas. Um fenômeno desconhecido faz cinco pessoas, sem qualquer conexão e espalhadas pelo planeta Terra, acordarem em diferentes regiões de uma realidade devastada por um império de reptilianos e assolada pela escravidão.
Os cinco iniciam uma jornada em busca de respostas para sobreviverem no centro de uma guerra envolvendo criaturas fantásticas e demônios dispostos a invocar perigosos seres abissais para servirem a seus propósitos.
Porém uma entidade pretende conectar o destino dos cinco humanos e armá-los com uma tecnologia construída à base de metal-vivo, magia e sangue de dragões. Uma tecnologia jamais vista naquela ou em qualquer outra dimensão, capaz de gerar heróis de metal.
Batalhas empolgantes, romance e magia. Esse é o universo épico de Cemitérios de Dragões, inspirado em uma visão adulta e sombria das antigas séries Tokusatsu, como Jaspion, Changeman, Flashman, Ultraman e tantas outras, que marcaram a infância de toda uma geração.
___________________________________________________________________
Agora vamos falar dos lançamentos de julho da Rocco e da Rocco Jovens Leitores que mais queremos ler. E vocês, se interessaram por quais?
Luva vermelha - Mestres da Maldição #02 - Holly Black (Skoob)
Após descobrir que é um mestre da transformação, capaz de fazer uma pessoa virar um animal ou objeto, o adolescente Cassel Sharpe está de volta para desvendar mais um mistério envolvendo sua família. Em Luva vermelha, segundo livro da trilogia Mestres da Maldição, iniciada com Gata branca, Holly Black mostra o protagonista às voltas com a máfia e o FBI, enquanto tenta cuidar da própria vida e se manter longe de problemas.
Nascido em uma família de mestres da maldição, Cassel Sharpe sempre pensou que fosse um ser humano comum, sem habilidades especiais, até perceber que suas memórias estavam sendo manipuladas por seus irmãos. Na verdade, ele é um mestre de um tipo raro e bastante poderoso, que consegue transformar objetos ou seres vivos em algo completamente diferente. Para isso, basta se concentrar e tocar o alvo escolhido.
Sabendo de seus poderes, Cassel prefere não usá-los, ao menos de forma consciente. Afinal, ele ainda não se recuperou do trauma de ter sido levado a acreditar que havia matado Lila, a amiga de infância por quem é apaixonado. A adolescente, filha de Zacharov, o chefe da temida máfia russa, acabou transformada em uma gata branca, recuperou a forma humana e foi enfeitiçada pela mãe de Cassel para corresponder aos sentimentos do filho. Mas o jovem decide se afastar de Lila por não querer um amor que não seja espontâneo.
Paralelamente, os agentes do FBI pretendem forçar Cassel a trabalhar para eles. A isca é o assassinato de Philip, integrante da máfia russa e irmão mais velho do rapaz: a única pista do crime é uma mulher de luvas vermelhas. Só que Zacharov também deseja ter o mestre da transformação a seu serviço e fará de tudo para conseguir isso. Sem a menor vontade de colaborar com os federais ou o crime organizado, o jovem se arrisca para estar sempre um passo a frente de ambos, tendo a ajuda do casal Sam e Daneca, seus colegas de colégio.
Conseguirá Cassel escapar das garras da lei e da máfia, terminando o ano letivo na exclusiva escola Wallingford como a maioria dos outros alunos, cujas grandes preocupações são a formatura e a matrícula na faculdade? A amizade com Sam e Daneca resistirá aos segredos que envolvem o jovem mestre da transformação? Em uma narrativa recheada de ação e mistério, Holly Black prende a atenção dos leitores e mostra que o amor pode ser uma maldição e a confiança o único caminho em um universo onde nem sempre as coisas são o que parecem.
Duas verdades e uma mentira - The Lying Game #03 - Sara Shepard (Skoob)
Dois meses após a morte de Sutton Mercer, sua irmã gêmea, Emma, ainda tenta solucionar o crime, que envolve segredos, mentiras e muito mistério. No terceiro volume da série The Lying Game, da bestseller Sara Shepard, Emma parece encontrar um aliado, mas tem que conviver com um novo suspeito da morte da irmã: Thayer Vega.
Depois de passar algumas semanas na pele de Sutton, Emma pôde entender melhor porque a irmã gêmea colecionou tantos inimigos no curto período de vida. Além de uma personalidade dominadora e difícil, Sutton passava, com a ajuda das amigas, trotes cruéis chamados de Jogo da Mentira. A relação ambivalente das melhores amigas de Sutton – que vai da admiração à desconfiança – faz com que a tarefa de solucionar o crime se torne ainda mais difícil.
Em Duas verdades e uma mentira, no entanto, Emma não está mais sozinha. Ethan, seu novo namorado, ajuda a órfã a tentar compreender o passado da irmã. Mas, quando o misterioso Thayer retorna à cidade, Emma tem que juntar as peças de um intrincado quebra-cabeça para descobrir se ele está de volta para se vingar ou se esse foi o motivo que o fez partir. Para complicar, Thayer é irmão da melhor amiga de Sutton e, ao que tudo indica, tinha um caso com ela.
Resenhas dos volumes anteriores: “O Jogo da Mentira” e “Eu Nunca...”.
Scarlet - Crônicas Lunares #02 - Marissa Meyer (Skoob)
Scarlet, segundo livro da saga, é inspirado em Chapeuzinho Vermelho e mostra o encontro da heroína ciborgue que dá nome ao romance anterior com uma jovem ruiva que está em busca da avó desaparecida.
Criada em Rieux, na França, pela avó Michelle Benoit, Scarlet levava uma vida tranquila na fazenda da família. Quando Michelle desaparece misteriosamente e a polícia arquiva o caso por falta de provas, a neta não se dá por satisfeita e decide fazer o possível para descobrir o que aconteceu. Mas uma outra surpresa aguarda a jovem: um lutador de rua apelidado de Lobo cruza seu caminho e se oferece para ajudá-la.
Paralelamente, a ciborgue Cinder escapa da cadeia na companhia de Carswell Thorne, ex-cadete da Força Aérea condenado a seis anos de prisão. A bordo de uma nave que Thorne roubou das Forças Armadas da República da América, seu país natal, os dois partem para a Europa. Cinder, cuja verdadeira identidade é Selene, uma princesa do povo lunar e legítima herdeira do trono, quer encontrar Michelle Benoit na esperança de saber mais sobre a própria vida. Afinal, ela foi levada para a Terra ainda criança após sofrer uma tentativa de assassinato comandada por Levana, a atual rainha de Luna.
Que segredos guarda Michelle Benoit? Ela está viva ou morta? Quem a levou? Caberá ao quarteto formado por Scarlet, Lobo, Cinder e Thorne arriscar a vida em busca de respostas. Em uma trama recheada de ação e aventura, com um toque de sensualidade e ficção científica, Marissa Meyer prende a atenção e deixa os leitores ansiosos pelos próximos volumes das Crônicas Lunares.


O Mágico de Oz - L. Frank Baum


Depois da leitura de Onde Habitam os Dragões com tantas referências a autores clássicos resolvi emendar minha próxima leitura em um clássico  publicado em 1900, O Mágico de Oz do americano L. Frank Baum, publicado atualmente pelo selo Barba Negra/Leya.

É preciso explicar antes que eu fale sobre o livro qual era a proposta do autor quando publicou o livro, Baum diz na introdução do livro que pretendia entreter livremente as crianças através da sua obra, ao contrário dos já consagrados contos de fadas que traziam em sua história uma moralidade intrínseca. Baum foi muito feliz com seu trabalho, pois conseguiu alcançar a sua meta, e fez a criança aqui se divertir!

Na trama Dorothy mora com seus tios nas grandes pradarias no Kansas, e depois de um grande ciclone é levada com sua casa e seu cachorrinho Totó pelos ares. Quando finalmente sua casa volta ao chão, ela descobre que sua casa matou a Bruxa Má do Leste que mantinha os Munchkins escravos, e ganha a simpatia deste povo assim como da Bruxa Boa do Norte que a marca com seu beijo.

Ansiando voltar para casa é instruída a procurar pela Cidade das Esmeraldas onde o Grande Mágico Oz governa, e é o único que pode ajudar Dorothy a voltar para casa. Em seu caminho ela ganha companheiros: um espantalho que quer um cérebro, um homem de lata que quer um coração e um Leão que busca por coragem, além de seu fiel companheiro Totó.

Com narração em terceira pessoa, O Mágico de Oz tem os pés no estilo de narrativa dos contos de fadas, não é um conto por conta de sua estrutura, mas tem trechos que nos remetem a eles, como repetições comuns aos contos. Parece ser narrado sob o olhar de uma criança, pois não traz nada além do que é dito, tudo é colocado de forma objetiva, simples e sincera. Os conflitos são resolvidos de maneira rápida, inibindo sofrimentos, que é o objetivo do autor.

Dorothy é uma menina inocente que acredita rápido em todos que encontra, e seu caminho é marcado por sorte e boas pessoas. Nunca desiste de seu objetivo de voltar para o Kansas mesmo diante das dificuldades. É interessante como o Espantalho, O Homem de Lata e o Leão buscam todo tempo fora o que devem buscar dentro de si, e acredito que essa seja a única mensagem não dita.

A diagramação é simples, a capa é diferente e bonita contando com cores em neon. Ao longo do livro  aparecem ilustrações, que devo dizer não me agradaram, lembram os famosos bonequinhos de palito, sou fã das ilustrações bem detalhadas, essas modernas não fazem meu estilo =P

A título de curiosidade a grande diferença que me lembro com o filme de 1939 é que Dorothy não usa sapatinhos vermelhos, eles são na verdade prateados, isso se deu porque o diretor do filme achou que essa cor rubi dos sapatos dariam maior contraste com a famosa estrada dos tijolos amarelos. Baum escreveu continuações para a saga na Terra de Oz, esse livro é o primeiro de quatorze livros (fiquei assustada quando descobri a quantidade de livros?!). Outros autores, inclusive, também escreveram outras continuações.

O Mágico de Oz é leitura obrigatória, um clássico sincero que toca o coração pela simplicidade com que trata a vida. Nos ensina um pouco mais sobre nós mesmos e sobre a amizade, além de um resgate da infância dentro de nós.


Avaliação











Concurso Cultural – Compartilhando Histórias


Oii, gente! Como vocês estão? Este post é para falar de um Concurso Cultural MARAVILHOSO que o Selo Novas Páginas, da Editora Novo Conceito, está fazendo junto com o autor Maurício Gomyde, que lançou recentemente o sucesso "A Máquina de Contar Histórias" (clique no título para ler a resenha).
>> Para participar, você deve enviar para a editora (seguindo as regras) uma foto de um grande momento da sua vida, e contar um pouco sobre este momento.
>> Os prêmios são nada menos do que 02 Kindles®!!!
>> Confira o regulamento no site oficial, CLICANDO AQUI. Não perca tempo e participe!!

O concurso será válido até o dia 04/08/2014.


As Variações de Lucy – Sara Zarr

Lucy Beck-Moreau tem apenas dezesseis anos e já é um prodígio musical, ela toca piano desde novinha e é realmente muito boa nisso, sempre ganhando destaque em apresentações e competições. Ela é importante e conhecida no mundo da música clássica, ser pianista é uma paixão, mas também o sonho de sua mãe e seu avô extremamente rígido, que considera este dom algo muito importante e precioso. Então Lucy sempre teve que ser a melhor, com estudos rigorosos e uma carreira espetacular, sendo vigiados e mantidos pelos dois.
Até que, em uma apresentação em Praga, ela descobre algo terrível que a faz questionar tudo, desistindo desta vida, porque esta não lhe pertencia mais há muito tempo. É a partir daí que ela precisa começar uma nova realidade, buscando o que a faz feliz, pois só ela que deveria escolher seu destino, então esse é o momento de aproveitar sua liberdade.
Mas nem todo o seu passado pode ficar para trás. Seu irmão mais novo, Gus, agora está estudando para seguir pelo mesmo caminho de sua irmã: ser um pianista conceituado e respeitado, ganhador de prêmios e, claro, perfeito. Mas, no meio caminho, uma tragédia ocorre e sua professora de piano morre, deixando a vaga em aberto, que logo é preenchida pelo talentoso e inspirador Will. É ele quem reacende a paixão de Lucy pela música e também pela vida.
Eu li em 2012 o outro livro da autora publicado aqui no Brasil pela Editora iD também, “Como salvar uma vida” (clique no título para ler a resenha), que eu amei! A história dele é super fofa, gostosa de ler e adorei a narrativa da autora, então minhas expectativas para este lançamento dela estavam muito altas. Mas, infelizmente, acabei me decepcionando um pouco. Esperava encontrar uma história cinco casinhas, mas ela não recebeu mais do que três, e vou explicar para vocês abaixo.
Acho que todo o plano de fundo desta história é meio nova para mim, pois não me recordo de ter lido outro livro com uma protagonista tão apaixonada e envolvida pela música clássica e que é um prodígio musical bem reconhecido, mesmo com tão pouca idade. Então foi uma experiência realmente encantadora conhecer a vida através de seus olhos, que não conheceu outra coisa além de viver para e pela música.
Pudemos notar sua paixão e também sua angústia, já que por um lado ela gostaria de viver por aquilo, mas por outro não aguentava a pressão de ter sua vida escolhida por seu avô e sua mãe, precisando ser perfeita. Então ela estava sempre muito dividida em como se comportar e sobre o que era realmente importante.
A história é narrada em terceira pessoa, mas só acompanha a Lucy, incluindo alguns de seus sentimentos e sua forma de agir. Então não temos acesso a outros pontos de vista, nem podemos ver o que acontece em outro ponto da narrativa e, infelizmente, também não podemos saber o que ela pensa e como as coisas que vivencia a fazem refletir de verdade, só de uma forma superficial. Eu prefiro muito mais narrativas em primeira pessoa, principalmente quando só temos a chance de acompanhar um personagem.
Lucy é uma protagonista da qual eu gostei bastante de ver seu crescimento durante a trama, porque pudemos acompanhar seu desenvolvimento desde o momento em que estava amargurada com a sua carreira, passando pela descoberta e aceitação da sua paixão pela música por fora das competições e da vida focada somente nisso, e seguindo com ela descobrindo a si mesma e como lidar com tudo o que deseja em seu âmago. Mas ela não conseguiu me cativar tanto assim. Talvez se a narrativa tivesse sido feita em primeira pessoa eu poderia ter gostado mais dela, porque teria lhe conhecido melhor, só que este, infelizmente, não foi o caso. E não é que ela tenha sido uma pessoa ruim, mas faltou carisma.
Apesar disso, acho que Lucy conseguiu transmitir uma força de vontade no leitor, mostrando que devemos pensar primeiro em nós mesmos e em nossa felicidade e não em tentar agradar ao próximo, mesmo que sejam pessoas que você ama e que se importam com você, como sua família, por exemplo.
Mesmo que a protagonista tenha, de fato, evoluído, não senti uma evolução também por parte da narrativa. Pelo contrário, achei bem lenta e parada, não há muita coisa acontecendo em momento nenhum, o que acaba sendo ruim porque transforma a leitura em uma experiência cansativa. Por outro lado ela é bem reflexiva e com certeza pode ajudar os leitores que estão passando por momentos parecidos com o de Lucy, em busca de aceitação de si mesma e felicidade. A narrativa também é alternada entre presente e passado, o que foi bom para nos situar em dois momentos e sabermos o que realmente aconteceu antes.
A sinopse e até uma parte da história dá a entender que vai haver um romance sendo desenvolvido neste livro, mas isso não acontece. De um lado eu fiquei meio decepcionada porque gosto muito desta parte das leituras, mas por outro eu gostei porque Lucy precisava ser ela mesma e crescer sozinha, enfrentando os seus próprios problemas e encontrando soluções para eles da maneira que fosse melhor para si mesma. Além disso, não senti tanta simpatia assim pelo Will para que ele fosse o par dela, acho que não combinaram de maneira romântica.
A diagramação da Editora iD é sempre muito bem feita e desta vez não foi diferente. A capa original foi mantida e eu gosto muito dela já que é linda e ainda transmite totalmente o clima do enredo. O livro é dividido em partes e os capítulos narrados no presente têm números, os do passado, títulos. Todo início de capítulo há uma nota musical em cinza no fundo da página, e todo corte dentro dos capítulos é feito com um conjunto de notas musicais. A fonte não é tão grande, mas não incomodou minha leitura, enquanto os espaçamentos estão maravilhosos e as páginas são amarelas.
“As Variações de Lucy” não é um livro ruim, pelo contrário, é uma história bela de descoberta e aceitação, que fazem valer a pena a experiência de leitura, além de contar com um plano de fundo encantador do mundo da música, só senti falta de um algo a mais.
Avaliação



Ofertas dos títulos da Vida & Consciência

Oii, gente! Tudo bem com vocês? Este post é pequeno, mas muito importante! A Editora Vida & Consciência, que publica os romances mediúnicos e vários outros títulos espíritas maravilhosos está com uma super promoção imperdível em sua loja virtual e nos quiosques do metrô!
TODOS os títulos do catálogo (exceto o lançamento Treze Almas) estão por R$ 9,90 cada!!! Além disso, nas compras acima de R$100, o frete é grátis. Tem como não sair comprando vários? Hahaha Já estou com minha listinha aqui e vou aproveitar.
CLIQUE AQUI para conferir! Mas corre que esta promoção é válida apenas até dia 31/07!
Se quiser uma ajudinha, tem resenha de vários títulos da editora aqui no blog, clique AQUI e confira!



Resultados de Promoções

Oii, gente! Como vocês estão? No post de hoje vocês encontram os resultados das últimas promoções que rolaram aqui no blog. Confiram quem foram os ganhadores abaixo! :D
>> Prêmios:

- Kits de marcadores;
- The 100: Os Escolhidos, de Kass Morgan;
- Casa de Segredos, de Chris Columbus e Ned Vizzini;
- Olympe de Gouges (HQ), de José-Louis Bocquet e Catel Muller.
>> Relembrando os ganhadores (que escolhem os livros da lista nesta ordem):
1º Lugar: Melhor Comentário – Sem sorteio
2º Lugar: Sorteio de um post e um comentário do post
3º Lugar: Rafflecopter. O ganhador vai receber o livro que não foi escolhido pelos anteriores.
>> Ordem dos posts:
1 - Casa de Segredos – Casa de Segredos #01 – Chris Columbus e Ned Vizzini
2 - Duelo ao Luar – Nightshade #03 – Andrea Cremer
3 - Últimos Lançamentos da Galera Record
4 - Olympe de Gouges – Catel Muller & José-Louis Bocquet
5 - As Herdeiras – Herdeiras #01 – Joanna Philbin
6 - Próximos Lançamentos da Galera Record
7 - Hex Hall #03 – O Sacrifício – Rachel Rawkins
8 - The 100 – Os Escolhidos (#01) – Kass Morgan
>> Resultado:


Lançamento: Meus 15 Anos – Luiza Trigo


Oii, gente! Tudo bem com vocês? Hoje vamos falar de um lançamento do Selo Jovens Leitores da Editora Rocco: “Meus 15 Anos”, da autora nacional Luiza Trigo.
A capa é muito lindinha e a história parece ser super fofa! Como eu adoro livros juvenis, tenho certeza de que vou me apaixonar por este também. :D Em breve vai ter resenha dele aqui no blog para vocês conferirem.
Sinopse
Uma festa de cinema! Este era o sonho de Bia, prestes a se tornar realidade em Meus 15 anos. Ela só não esperava que sua grande noite daria um filme – com direito a drama, romance, comédia e ação de tirar o fôlego. Bia é a protagonista do segundo romance da escritora carioca Luiza Trigo, que vem conquistando seu espaço entre o público adolescente e pré-adolescente desde sua estreia com Carnaval e que agora convida os leitores para uma superfesta. Aliás, para a festa.
Afinal, os 15 anos da Bia, a garota mais nerd e distraída do colégio, prometem surpreender muita gente. A começar pela metida e invejosa Jéssica, que logo se empenha em arrumar um jeito de estragar tudo, principalmente quando ela descobre o local da festa: nada menos que o Copacabana Palace. Outro que fica surpreso com a novidade é Thiago, o garoto mais bonito do nono ano e paixão platônica de Bia, até então praticamente invisível aos olhos dele...
Mas há também o Bruno, o melhor amigo de Bia, aquele com quem ela sempre pode contar – inclusive para ser seu príncipe na cerimônia; e, claro, as amigas inseparáveis Amanda, Roberta, Carol e Priscila, com quem ela pode dividir suas expectativas e inseguranças, alegrias e tristezas antes, durante e depois do grande dia. Ainda bem, pois a limusine estacionada na porta do prédio para levá-la ao Copacabana Palace era só a primeira de muitas surpresas que a noite traria.
Alternando a narrativa entre os principais personagens, a autora apresenta os diferentes pontos de vista de cada um, o que torna o texto ainda mais dinâmico e divertido. Desde a entrega dos convites até o surpreendente desfecho, não só a protagonista, mas também as melhores amigas, a rival, o amigo que se revela mais que amigo, o garoto popular que se mostra um mané, todos contam um pouquinho dessa história movida a sonhos, paixões, ciúmes, alegrias, decepções e, principalmente, amadurecimento, amizade e amor.
Apaixonada por filmes, livros e música, Bia queria uma festa de cinema. No livro, repleto de referências à sétima arte – cada capítulo traz o título de um filme com o qual a garotada certamente vai se identificar –, ela acabou virando a estrela do mais importante deles: o filme da sua vida.
>> Confira o primeiro capítulo AQUI.
>> Gostou do livro? Aproveite para garantir o seu exemplar com desconto, clicando AQUI.


>> A autora escreveu um conto chamado “As Valentinas”, que é um spin-off de Meus 15 anos. E vocês podem baixar gratuitamente na Amazon, Apple, Livraria Cultura, Google Play, IBA, Kobo e Saraiva.

Sobre a autora
Luiza Trigo é formada em cinema e adora escrever para o público adolescente. Atuante nas redes sociais, mantém contato com os fãs diariamente através do Blog da Luly (www.lulytrigo.com) e de perfis no Facebook, Twitter e Instagram. Sempre que pode, participa intensamente das feiras literárias pelo Brasil, conhecendo novos leitores e distribuindo autógrafos. Na Bienal do Livro em 2013, Luiza ficou entre os três autores mais vendidos no estande da Editora Rocco.
E vai ter uma turnê pelo Brasil para comemorar o lançamento de “Meus 15 Anos”! Confira AQUI a lista com todas as cidades e locais pelos quais ela vai passar.


Graffiti Moon – Cath Crowley

Lucy não é uma garota que se apaixonada facilmente, nem sai com muitos garotos. Aliás, desde que teve um encontro com o Ed que não saiu como o esperado, afinal faltou papo e sobrou passada de mão em sua bunda – claro que resultando em um soco e um nariz quebrado –, sua vida amorosa está bem parada. Mas também, ela não consegue parar de pensar que apenas um cara parece ser o certo para ela: o misterioso, talentoso e sensível grafiteiro, Sombra, que é claro, ela não tem a mínima ideia de quem possa ser, então só pode sonhar com ele.
Hoje foi o último dia de aula e também o fim do ensino médio para Lucy, e ela prometeu sair com sua melhor amiga, Jazz, para comemorar madrugada adentro. Então, quando as duas e Daisy estão planejando a noite (com Lucy quase desistindo) eis que esta revela que seu quase ex, Dylan, conhece o Sombra e o Poeta, que sempre dá títulos ou escreve poemas junto das artes do Sombra. Então Lucy resolve concordar em sair com elas esta noite, se elas aceitarem procurá-los. E, para isso, vão contar também com a ajuda de Ed e Leo, além do Dylan.
O grupo então passa a visitar locais da cidade que o Sombra e o Poeta frequentam com o intuito de achar os grafiteiros para Lucy viver um romance e Jazz poder se divertir numa aventura em comemoração à formatura. Mas Ed, aquele com quem ela teve um encontro péssimo, está no grupo e é a última pessoa com quem ela gostaria de sair nesta busca. Só que, afinal, quando passa a conhecê-lo melhor, percebe que ele não é o que havia imaginado antes. Só falta agora ela prestar atenção aos detalhes e um grande segredo pode acabar se revelando e mudando tudo.
Fiquei apaixonada pela história, pelos personagens, pelo clima, pela arte, e pela narrativa cativante de Cath Crowley! Estou naquele nível de que queria uma continuação só para não ter que me despedir deste livro tão fofo que eu gostei tanto.
Primeiro, os personagens realmente são incríveis e daquele tipo que faz você se encantar e ficar torcendo para que tudo dê certo em suas vidas. A narrativa foi feita em primeira pessoa, com capítulos alternados entre Lucy, Ed e Poeta. Então podemos acompanhar tanto a Lucy quanto o Ed no momento da ação, entender o que eles pensam e o que sentem, enquanto também conhecemos seus passados. As partes narradas pelo poeta na verdade nos contam alguns pequenos trechos da história e de seus sentimentos na visão dele, sendo que em algumas delas encontramos o horário em que aquilo aconteceu, e são todas feitas em forma de poema.
Segundo, toda a história acontece em apenas uma noite, passando pela madrugada adentro e acabando nas primeiras horas da manhã, e isso fez com que eu me identificasse ainda mais, já que sou notívaga e prefiro a noite. E inclusive prova que relacionamentos amorosos em livros não precisam acontecer com o passar de um longo tempo, apenas devem ser bem construídos de forma que consiga convencer o leitor de que aquilo é real, por mais que seja apenas uma ficção.
Também gostei de toda a vibe do livro, que tem um ar melancólico, cativante, sensível, muito bonito, e também desperta pontas de esperança, traz alegria, emociona, nos faz rir e, principalmente, nos faz sentir.
Lucy é meio doidinha, alguns a chamam de estranha, mas acho apenas que ela é bem única, nunca conheci outra personagem como ela e isso só a torna ainda mais especial. Ela realmente não tem papas na língua e acaba confessando seus segredos de forma natural, o que acaba sendo engraçado em alguns momentos. As expectativas para que Lucy descubra logo a verdade sobre o Sombra e qual será sua reação permeiam a narrativa, nos deixando curiosos e apreensivos com o passar das páginas.
Ed é um personagem maravilhoso e frágil, daquele tipo que a gente fica com vontade de abraçar e dizer que tudo vai ficar bem. É muito bacana ver como ele consegue ser tão sensível e transformar todas as suas angústias e sonhos em belíssimas artes, que acabam tocando algumas pessoas.
O relacionamento entre os dois vai sendo construído de maneira fofa com o passar das páginas. Como a narrativa é intercalada entre os dois, em alguns momentos temos a possibilidade de acompanhar a mesma cena, só que sob um outro ângulo, com outros olhos e com pensamentos diferentes. Eu gosto muito desta possibilidade, pois mesmo que a gente reveja a cena, ela parece diferente, além de nos mostrar novas coisas também. E é muito bonito ver a descoberta e o aflorar destes sentimentos amorosos em ambos os lados.
 Além do casal principal, também acompanhamos outros dois outros casais no plano de fundo se desenvolvendo, um em que os dois já estavam juntos antes, e o outro foi sendo desenvolvido neste mesmo momento, só que sabemos apenas alguns detalhes aqui e outros ali. E adorei também todos eles.
A paixão pela arte também está muito presente neste volume, já que todos os narradores são artistas, mesmo que cada um faça algo de diferente, um é grafiteiro, o outro é poeta e a terceira faz obras em vidro. Fora que os diálogos são repletos de referências sobre o assunto. Além disso, todo o texto de Crowley é bem visual, você consegue visualizar as imagens e os trabalhos em vidro de Lucy como se realmente pudesse vê-los.
A narrativa é poética, repleta de sensibilidade, apresenta diálogos inteligentes, mas também é muito fluida. Você com certeza vai começar a leitura, mergulhar nas aventuras contidas nas páginas e não vai mais desejar parar até chegar ao final do livro. E, quando, enfim ele chega, te deixa com um sorriso no rosto e um gostinho de quero mais.
Este não é o primeiro livro escrito pela autora australiana Cath Crowley, mas o primeiro dela a ser publicado no Brasil, só espero que não seja o último. Tanto esta obra quanto outra escrita por ela já ganharam muitos prêmios e pude ver que Graffiti Moon é realmente merecedor deles.
O que me fez ter vontade de ler este livro em primeiro lugar foi a capa, mas não esta da versão nacional, eu gosto muito é da segunda versão publicada lá fora (coloquei no final do post), que também tem a vibe do livro e é muito fofa.
Não é que eu tenha odiado a nacional, inclusive achei a ideia desta capa muito legal e realmente tem tudo a ver com o conteúdo do livro, mas infelizmente não me agradou porque não achei tão bonita, então não é um livro que eu compraria só pela capa.
Gostei bastante da diagramação interna com um detalhe gráfico em forma de gostas de tinta ou uma plaquinha em cada início do capítulo com o nome ou apelido de quem vai narrar naquele momento. A fonte não é muito grande, mas não incomodou minha leitura e o espaçamento está confortável, além de contar com páginas amarelas.
Inclusive tenho que confessar que adoro notas de rodapé e elas estão bastante presente neste volume, o que me ajudou bastante porque não conhecia várias das coisas citadas.
Com capítulos curtos e uma trama bem movimentada, vamos conhecendo cada um dos protagonistas desta história incrível. Tudo neste livro é bem real, os personagens parecem pessoas de verdade, com seus medos, dificuldades e anseios, e compartilham uns com os outros e com o leitor seus passados, alegrias, segredos e sonhos.
Esta obra é fantástica! E é impossível não desejar não apenas um final feliz para o livro, mas também um futuro feliz para os personagens. Super recomendado!
Minha capa preferida. <3
Avaliação



Geek Love – O Manual do Amor Nerd – Eric Smith

“Geek Love – O Manual do Amor Nerd” é aquele livro que você precisa ter se quer aprender mais sobre o namoro, um tema que pode ser bem complicado para o nerd, já que existem aqueles caras que nem mesmo conseguem abrir a boca para falar perto das mulheres, e também há aqueles que só falam besteira quando a oportunidade da conversa surge. Mas com esta obra você descobrirá dicas de como falar com aquela menina que te atraiu, e ainda vai aprender a o que deve fazer para conquistá-la. Tudo isso se prestar atenção nas valiosas informações ao mesmo tempo divertidas e sérias de Eric Smith.
Pensei que este livro era algo mais voltado para uma história, um romance no mesmo estilo de “Fator Nerd: Contatos Imediatos do 1º Amor”, de Andy Robb (que foi publicado pela Galera Record – tem resenha dele aqui no blog), só que com dicas, mas na verdade só existem as partes das dicas e é bem voltada para o público geek/nerd, principalmente do sexo masculino, como o próprio autor diz no quote que separei abaixo, podendo ser considerado um título de autoajuda sobre relacionamentos para os garotos que gostam de games, filmes, etc.
“Então, se você é uma menina nerd que está lendo isto e pensando se este livro é para você, a resposta é sim... com restrições. A maior parte das informações nestas páginas foi escrita pensando no cara nerd.”

Este exemplar é recheado de referências a coisas (jogos, filmes, livros, séries, etc.) do mundo geek/nerd e também de muitas ilustrações lindas do mesmo mundo em estilo de videogame. Confesso que não entendi exatamente tudo o que o autor falou no livro, porque não conhecia algumas das referências, ou só as conhecia superficialmente, como alguns dos games citados, que são muitos, e não fazem parte dos que jogo com frequência.

A obra começa com uma introdução bem legal do autor, falando um pouco sobre o que vamos encontrar neste livrinho, também cita algumas referências e fala um pouco sobre os relacionamentos amorosos de hoje em comparação com os de antigamente.

Depois, logo no primeiro capítulo do livro, Eric ajuda o leitor, ou, melhor dizendo, o Player 1, a identificar “que tipo de nerd você é?”, destacando características e seus pontos positivos e negativos, e o que pode fazer de melhor com cada uma e o que deve ser evitado, além de comentar sobre forças e fraquezas de cada tipo, e dar outras dicas sobre o namoro, que ele denomina “a outra metade de batalha.”

Em seguida, no capítulo dois, ele mostra ao Player 1 como deve fazer para se preparar, encontrar e abordar a donzela. Passando para o próximo capítulo, Smith ajuda o leitor a se aprontar para chamá-la para sair para um encontro, observando e analisando antes de partir para a ação, e ainda dá dicas de aonde ir com ela, e um texto sobre como se sentir se levar um ‘não’.

No quarto capítulo Eric ajuda o Player 1 a se preparar de maneira física e emocionalmente para o encontro, depois chegamos ao capítulo cinco, onde encontraremos dicas sobre o encontro propriamente dito, no sexto e penúltimo capítulo o autor fala sobre o dia seguinte, e o que fazer em cada situação, tanto as positivas, quanto as negativas, e o que vem depois, como próximos encontros ou quando as coisas forem ficando mais sérias.

Então começa o sétimo e último capítulo deste manual, onde Eric Smith explora os dois caminhos do namoro: Ou o relacionamento vai ficar mais sério, resultando em um nível avançado, ou vai acabar, o tão famoso game over. Tudo isso com ótimas dicas, toques e informações.

A narrativa de Eric Smith é ótima, engraçada, cheia de referências e brincadeirinhas, além de ser rápida e fluida, nos fisgando logo na primeira página porque parece um papo descontraído com um amigo íntimo. Adorei!

A Editora Gente simplesmente arrasou neste trabalho! A parte gráfica está linda, o livro é cheio de detalhes, todos coloridos, os tópicos também estão separados por cores, o número das páginas é em estilo de videogame, seguindo um padrão com o resto dos elementos e ilustrações.

A diagramação também está ótima. A fonte não é muito grande, mas não atrapalhou minha leitura e combinou com o formato deste exemplar, que tem 208 páginas e 18 cm x 12,5 cm, e os espaçamentos estão super confortáveis, proporcionando uma ajuda na hora da leitura. E a capa original foi mantida e é muito fofa, o que é maravilhoso!

Recomendo a leitura desta obra principalmente para os garotos geeks e nerds que buscam um livro onde o autor conversa e interage com você de maneira fácil e inteligente sobre o mais “extraordinário dos fenômenos humanos”, o amor.

Avaliação