Química Perfeita – Simone Elkeles


Química Perfeita  conta a história de  Brittany Ellis e Alex Fuentes. Brittany é vista por todos como a garota perfeita: alta, loura, olhos azuis, líder de torcida. Alex é moreno, mexicano e membro da gangue Sangue Latino.
Eles aparentemente não têm nada em comum, vivem em áreas da cidade que eles sabem que não se misturam,  mas quando a temida Sra. Peterson, professora de Química, os coloca como dupla em sua aula,  Brittany e Alex vão descobrir que são muito mais parecidos do que imaginavam.
O livro é muito bom, do tipo que é impossível largar enquanto não terminar de ler a história. Os personagens são muito bem construídos, Brittany é mais do que a garota popular do colégio, ela se esforça para parecer perfeita, mas por baixo da máscara de perfeição esconde suas aflições, quase todas elas relacionadas à sua família.
Alejandro, ou simplesmente Alex, é muito mais do que o típico Bad Boy, ele tem fortes razões para ter entrado para a temida gangue Sangue Latino e usa sua má fama como forma de defesa. Quando era criança, Alex viu seu pai ser assassinado e desde então passou a ser o homem da casa, fazendo o possível para ajudar e proteger sua família.
Os personagens secundários também têm grande importância na história, um exemplo disso é a Shelley (irmã de Brittany) e o melhor amigo de Alex, Paco.
Alex e Brit vivem vidas completamente diferentes, mas a partir do momento em que começam a gostar um do outro, fazem o que podem para superar essas diferenças. A história se desenrola de uma forma que me deixou presa ao livro, eu tinha que saber o que acontecia depois!
“E aquele beijo...Nossa, juro que nunca experimentei nada parecido, em toda a minha vida. Nada mesmo. Se o sistema solar não perdeu o alinhamento, naquele instante, então não vai perder nunca mais.” (Pág. 188)
Um ponto muito positivo do livro é que temos os pontos de vista dos dois protagonistas, Brittany e Alex narram em primeira pessoa e tem capítulos intercalados. Dessa forma a leitura fica mais agradável e é possível conhecer um pouco mais sobre a vida de cada um deles e o que um pensa do outro.
Desde que esse livro foi lançado eu me interessei por ele e criei altas expectativas, posso dizer depois de ter terminado minha leitura que todas as minhas expectativas foram não só alcançadas, mas superadas. “Química Perfeita”  nos ensina que nem tudo é o que parece e que as aparências quase sempre enganam.
A capa do livro é muito bonita, o título rosa brilha e os modelos escolhidos para a foto da capa são bastante parecidos com as descrições dos personagens feita pela autora. A diagramação da Editora Underworld está impecável. Esse é o primeiro livro da editora que eu leio e com certeza quero ler outros.
“Química Perfeita” é o primeiro livro de uma trilogia, onde cada livro conta a história de um dos irmãos Fuentes, Alex é o irmão mais velho. O segundo livro (RulesofAttraction – Regras da Atração*) tem Carlos Fuentes como protagonista e o terceiro livro (Chain Reaction – Reação em cadeia*) conta a história do irmão mais novo, Luis.
Recomendo esse livro para todos os leitores que gostam de um bom romance, com personagens bem construídos e uma história profunda. Leiam o mais rápido possível, vocês não vão se arrepender!
*Tradução livre, os livros ainda não foram lançados no Brasil.
>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO



In our Living Room - Janice Diniz




O nosso In Our Living Room de hoje traz uma autora muito querida por todas nós aqui do House, que lançou o seu novo livro “Terra Ardente” pela editora Multifoco, Janice Diniz.

Janice nasceu em Porto Alegre e cursou filosofia e letras. Já morou em diversos locais do Brasil como Minas Gerais e São Paulo, já escreveu para uma revista da Europa a Storm Magazine e atualmente mora com seus dois filhos em sua cidade natal.
A entrevista foi bem legal então não deixem de conferir!




Para conhecer um pouco mais a autora acesse:
Karen tem má fama na cidade. Envolvida com corridas de cavalo, dívidas que podem levá-la à falência e uma vida afetiva que segue a regra dos três encontros e nunca mais, ela não pode fracassar. No seu encalço, dois fazendeiros ambicionando tomarem-lhe a propriedade. Com a vida em risco e sozinha num lugar hostil, ela tenta sobreviver e cuidar da avó e do filho. Se for preciso, seduzirá o delegado de polícia de Matarana para protegê-la – um caubói da lei que se comporta como um xerife durão do velho-oeste americano. Mas Karen não é a única mulher em apuros. A jornalista Nova Monteiro investiga um latifundiário suspeito de aliciar trabalhadores. Abandonou o sudeste para ficar ao lado do homem que ama desde a infância. Um amor que tem tudo para não se concretizar. O que Nova não sabe, porém, é que, segundo boatos, a chuva de cinzas na estação do estio não é somente das queimadas, mas também dos corpos dos forasteiros que se metem com os poderosos da região. Assim, ela faz duas descobertas: que luta pela causa errada e que o amor verdadeiro é um sentimento bruto que pode nascer do medo. Matarana, a cidade das aparências, onde nem sempre o mocinho é bom e o vilão, mau. Um faroeste moderno com mulheres fortes, homens destemidos, pistoleiros, matadores de aluguel e paixões devastadoras. A humanidade posta à prova em situações-limite. 


1- O seu livro é um romance country que se passa no centro-oeste do Brasil. Como surgiu essa ideia?

      Percebi que, no Brasil, não havia histórias de amor cujos personagens fossem caubóis. Mesmo com os caubóis de Barretos e toda uma indústria de roupas e música em relação ao estilo country. Na verdade, a escolha do cenário é para criar a atmosfera adequada ao tipo de história de amor que pretendia escrever. Não é um conto de fadas bem comportado; é sobre pessoas que amam e odeiam na mesma medida. Tudo é intenso. É o estado bruto do amor, sem ser lapidado pelo bom senso, lacinhos ou o politicamente correto.

2- Como escritora, quais são suas principais influências?

       Sou fã dos escritores russos, franceses, norte-americanos e brasileiros. Os primeiros em função da abordagem existencial e psicológica, como Dostoievski e Tchecov; Marguerite Duras, Camus e Philippe Djian também. Os norte-americanos pelo poder de dar ação à trama e a maneira de transformar a literatura quase que em um filme para ser lido. Fante, e Elmore Leonard já cruzaram o meu caminho. Entretanto, a minha formação como escritora se deve muito mais aos brasileiros: no topo, Fernando Sabino. E também Caio Fernando Abreu e Graciliano Ramos. Pretendo ler os romancistas contemporâneos que estão se lançando na blogosfera e que a mídia massiva insiste em ignorar (azar da mídia...rs). É claro que misturo à aprendizagem como escritora a diversão também; então, leio para esse fim: Stephen King, Janet Dailey e Nora Roberts. É um verdadeiro prazer ler pessoas que despertam tantas emoções, que vão do medo à paixão absoluta. Ah, gosto também de romance de banca.

 3- Qual é o seu momento preferido para escrever?

      Aquele em que eu posso sair do corpo sem que ninguém me incomode durante a viagem...rs Na verdade, quando decido que tenho de escrever, ajeito o meu lugarzinho e escrevo.
4- O que você faz quando tem bloqueio criativo?

  Leio algo completamente diferente do que eu escrevo e procuro não ter um chilique...rs


5- Qual a dica que você daria para os leitores que gostariam de se tornar escritores?

      Se já são leitores metade do caminho já foi percorrido. O escritor é um indivíduo solitário que ama as palavras. No entanto, escrever não é fácil. Um conselho que sempre dou é estudar a gramática. Saber pelo menos concordar verbos e substantivos, usar a crase e a vírgula. Ficar na mão de revisor de editora não é uma boa, ainda mais quando nem sempre o editor manda o original para ser revisado. É um serviço relativamente caro. Além de tudo o já citado, tem mais: junte dinheiro e investigue (mesmo) o mercado editorial.

6- Se você pudesse ser amigo de um dos seus personagens qual seria?

     É um pouco complicado escolher apenas um. Tenho medo de incitar a ira dos outros...rs Todos eles já são meus amigos e, às vezes, quando tenho que decidir algo ou quando me sinto insegura, eles se prontificam a me ajudar. Penso: O que o Rodrigo faria? Como o Thales reagiria? No entanto, a Karen Lisboa, mais do que uma amiga que gostaria de ter, é a mulher que eu gostaria de ser...rs

7-  Alguma parte do seu livro a fez chorar?  Se sim, qual?

       Chorar por dentro, sim. Teve uma cena que senti meu peito pesado e fiquei muito mal. A narradora está contando a origem de um dos personagens e é o mais absurdo caso de rejeição. Fiquei exausta emocionalmente depois de escrever essa cena. E, após disso, o personagem cresceu tanto na trama que ameaçou tomar conta da história... rs Era para ele ser um mero figurante, a coisa toda saiu do controle...rs

8- Existe um lugar específico na sua casa (ou fora de casa) que você gosta de escrever?

        Na cama ou no sofá, recostada confortavelmente. Uso para escrever um notebook sem acesso à internet. Sou extremamente aérea, dispersiva. É possível que eu tenha déficit de atenção...rs Só consigo me concentrar quando escrevo, mas preciso de uma musiquinha bem alta nos fones.

9-  Qual a sua rotina quando escreve um livro?

      Uso um caderno onde faço todas as anotações. Escrevo por cenas, e não por capítulos. Cada cena é trabalhada individualmente. Preciso observar o cenário, a luz (sou uma diretora de fotografia frustrada..rs), o que tem de ser dito e feito pelos personagens envolvidos, o elo de ligação com o que já foi escrito ou será, a ordem das cenas dentro do capítulo, etc. Faço a pesquisa necessária antes de escrever o capítulo. Há um roteiro que sigo, no qual planejo um capítulo por vez, escrevendo o que deve acontecer nele, ou seja, as cenas que deverão aparecer. Escrevo antes dentro da cabeça e o tempo inteiro. E passo para o papel ou computador à noite. Escrevo todos os dias.

10- Deixe um recado para os leitores do House of Chick falando sobre o que eles podem esperar da sua história.

        A essência de Terra Ardente é o amor e o desejo de posse, sejam extensões de terras ou pessoas. São histórias de amor e vários tipos de amor. Há momentos divertidos, tensos, dramáticos e românticos. Nem sempre o vilão é o pior cara da história, nem sempre o mocinho é o homem ideal para quem procura viver com alguém para sempre. É um romance contemporâneo que se passa em uma cidade pequena que adora imitar o Kentucky ou o Arizona. É um lugar onde as mulheres dão as cartas e os homens são perigosamente sedutores. É um romance romântico. E a ideia é contar histórias de paixão, armadilhas e sobrevivência em uma terra bruta e perigosa.


Então gente, essa foi a nossa entrevista de hoje. Espero que vocês gostem tanto quanto nós gostamos!!

Obrigada mais uma vez Janice!! 

>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO


Beijos Infernais – Diversas Autoras


Eu, particularmente, prefiro ler livros normais ao invés de contos, porque parece que quando a história vai começar a ficar boa, acaba. Decepcionante. Mas ainda assim acho um bom passatempo ter esse tipo de leitura. Dá pra lermos um de cada vez, um por dia, rapidamente e sem cansar. Inclusive algumas histórias ficam ótimas pequenininhas, outras eu queria que fossem maiores, mas outras fico feliz por serem do tamanho que são, porque não me agradaram desde a primeira linha.
A capa de Beijos Infernais é bem legal e passa uma boa impressão do título do livro, e eu gostei bastante. O título segue a linha dos outros da série, Formaturas Infernais e Amores Infernais, que tem resenha aqui no blog.
Dessa vez, os contos são das famosas autoras de sobrenatural: Richelle Mead, Alyson Noël, Kristin Cast, Kelley Armstrong e Francesca Lia Block. De todas essas, apesar de conhecê-las eu só havia lido algo de Richelle Mead, A Filha da Tempestade, apesar de no blog ter resenhas de Alyson Noël e Kristin Cast escritas pelas outras meninas. Tenho muita vontade de ler livros delas, só não tive a oportunidade ainda.
E apenas uma das autoras ainda não tem nenhum título publicado no Brasil Francesca Lia Block. Já Kelley Armstrong só tem um livro em português, Fome de lobo, que foi publicado pela Rocco em 2002(!) e não é muito conhecido aqui [e que na verdade eu nem sabia dele até agora quando fui fazer a resenha e procurei, mas a Rocco realmente não divulga muito seus títulos, infelizmente], e vai ter a Série Darkest Powers, publicada pela Novo Século em breve. O título do primeiro é “A Invocação” [e a capa é horrorosa, como já era de se esperar, levando em consideração que eles fazem isso com 99% de suas capas]. Atualização: A editora mudou a capa e resolveu manter a original. Nós agradecemos!
Os contos não tem um tamanho certo, tem conto de 70 páginas e tem de 20 páginas. E quase todos têm como tema principal os vampiros. Vou falar minha opinião sobre cada um deles especificamente, mas vou tentar ser breve para não enjoar ninguém [só me estendi um pouco no primeiro pois foi o que mais gostei].
O primeiro conto do livro é o Luz do Sol de Richelle Mead, justamente a que eu já havia lido algo, apesar de o assunto do que li não ter sido vampiros e esse sim. Preciso comentar que foi surpreendentemente o melhor de todos [já que eu não esperava por isso levando em consideração que não havia amado “A Filha da Tempestade”].
Mas gostei bastante da forma que ela conduziu a história e achei os personagens bem cativantes mesmo em poucas páginas. Richelle cria muitas raças diferentes – acho que é um costume da autora, porque tanto em “A Filha da Tempestade” quanto nesse conto isso acontece – o que as vezes fica meio embolado já que são nomes bem estranhos aos quais não estamos acostumados, mas nesse caso acho que isso deu certo, talvez por ter sido uma história de apenas 70 páginas. Li que esse conto tem alguma ligação com Academia de Vampiros, que ainda não li então não posso dizer para vocês exatamente o que seja. A narrativa é feita em terceira pessoa e em cada capítulo o foco do principal muda entre os dois protagonistas.
Nesse conto conhecemos a história de Eric Dragomir [sobrenome comum entre vampiros!] e Rhea Daniels, que se conhecem num barco quando estão indo a uma festa. Um logo se interessa pelo outro apesar de já serem comprometidos com outras pessoas. Mas tudo entre os dois acontece de forma natural e no tempo certo. Há um tipo de aventura envolvendo o casal principal que deu um gás a mais e eu gostei bastante. Enfim, me interessei em ler Academia de Vampiros, mas como é de vampiros e não estou totalmente no clima para eles, vou deixar mais para frente.
O segundo conto é o Ressuscita-me de Alyson Noël e não gostei muito. Pode não ter sido o pior do livro, mas achei muito sem nexo. As explicações não chegavam nunca e foi tudo muito enrolado. Minha leitura foi bem arrastada. Não sei se é costume os livros dela serem assim, mas não despertou nem um pouco o meu interesse. Certos mistérios podem dar certo, mas esse não foi o caso. Esse foi narrado em primeira pessoa e conta a história de Danika Kavanaught, que foi selecionada para estudar na Academia de Arte Mansão Sunderland e quando chega ao local de encontro, percebe que não tem nenhum outro aluno, há apenas um homem para acompanhá-la que começa a falar de uma névoa que esconde muitos segredos.
O terceiro é Acima de Kristin Cast. Esse definitivamente é o pior de todos os contos. Ela utilizou uma narrativa desconexa, que é diferente da habitual, ficou tudo confuso e não me agradou em nada. [Me fez lembrar de uma encenação do filme Ela é Demais, quando o Freddie Prinze Jr. se apresentou em frente a uma plateia com uma bolinha e ia falando algumas coisas enquanto fazia embaixadinhas. Quem viu o filme deve entender o que quis dizer.].
O penúltimo conto é o Caçando Kat de Kelley Armstrong. Na minha opinião foi o segundo melhor conto. Gostei bastante e fiquei interessada e ler mais coisas da autora. É o único que não possui capítulos no livro. Nele, conhecemos a história de Kat, uma adolescente vampira que na verdade foi geneticamente modificada por uma empresa chamada Edison Group, e resgatada por uma outra vampira de nome Marguerite para que ela não tivesse que servir a eles para seus propósitos. Enquanto foge, Kat é capturada por um grupo caçador de recompensas e precisa encontrar um jeito de escapar, enquanto tenta descobrir em quem deve confiar. Há ação e romance na medida certa.
E, para finalizar, tem o Lilith, de Francesca Lia Block. É o menor conto do livro e eu não gostei desse também. Achei o protagonista, Paul Michael, bem chatinho e a Lilith também. É tudo muito misterioso e enjoado. Os capítulos são divididos por nomes e não por números e é narrado em terceira pessoa. Conta a história desse garoto, que é deslocado e estranho, que começa a namorar com uma garota misteriosa e descobre que ela não é normal. Tem terror, bullying e um final nada romântico.
Enfim, recomendo principalmente para quem gosta de contos e vampiros.
>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO



Tamanho não importa – Meg Cabot


A série Heather Wells chega ao fim com o último volume intitulado “Tamanho não Importa” – sequência de “Tamanho 42 não é gorda” e “Tamanho 44 também não é Gorda”, ambos resenhados aqui no House – que conta a vida e as aventuras vividas pela nossa querida protagonista Heather Wells, uma ex pop star que agora trabalha no alojamento da faculdade de Nova York, também conhecido como alojamento da morte, e que sempre dá um jeito de se meter nas investigações mesmo com todo mundo falando para ela não tentar ajudar e mesmo que isso acabe quase a matando.
Bom, como esse é o terceiro volume da série vai ter alguns spoiler dos livros anteriores, nada desse terceiro não. Então, caso alguém que ainda não leu nenhum livro desta série e queira ler essa resenha vai ficar sabendo um pouquinho do que aconteceu nos volumes anteriores.
Nesse terceiro livro começamos vendo que Heather guardou a sua paixão secreta por Cooper (irmão do seu ex-noivo que a deixa morar em sua casa) e começou a namorar Ted, seu professor de matemática gatinho que é vegetariano e que adora exercícios físicos, como correr alguns quilômetros – coisas que ela detesta, já que é extremamente preguiçosa e adora comer. É bem visível que eles não têm nada em comum, mas Heather não quer enxergar, mesmo isto estando bem na cara.
Desta vez outra morte acontece no alojamento em que nossa protagonista trabalha, e é com ninguém mais ninguém menos que o seu novo chefe temporário que é bem chato. Que levou um tiro certeiro na cabeça.
Mesmo com todos mandando Heather não se meter, ela acaba entrando na história já que o principal suspeito do crime é Sebastian, um líder estudantil que ela conhece e que estava organizando uma manifestação. Ela tem certeza que não deve ter sido ele e com isso vai investigar por conta própria para provar que ele não é o responsável. E, como sempre, repara em pistas que passaram despercebidas descobrindo mais do que a polícia.
A conclusão do assassinato desta vez ficou um pouco mais fraca do que dos livros anteriores, mas ainda assim ficou boa.  Apesar de eu achar que deveria mudar um pouco o local dos assassinatos, porque vários acontecerem na mesma faculdade fica até mesmo parecendo um lugar que ninguém gostaria de sequer visitar (eu pelo menos não iria querer ir para lá, muito menos para morar depois de tantas pessoas morrendo). Eu até consigo entender qual o motivo da Meg de continuar a fazer todos eles no mesmo local, mas iria gostar mais que fossem em locais diferentes.
Como sempre Meg consegue fazer a gente vibrar e se derreter com os personagens masculinos, que são sempre um amor, e que acabam fazendo todas nós procurarmos um assim por aí. Um jeitinho bem Meg de criar (acho que isso já fala por si só).
Assim como nos outros livros a pitada de humor dá um charme na leitura que é bem agradável e que nos prende bastante. Como é o último a gente fica esperando uma conclusão para todos os acontecimentos, só que infelizmente fica para o final algumas coisas e por isso é bem rapidinho. Além disso, algumas situações não são tão bem exploradas quanto eu gostaria que fossem.
A capa dessa série é maravilhosa. Eu realmente amo e acho que tem tudo a ver com a história. O livro é daqueles bem cômicos que tem uma investigação como plano de fundo o que deixa tudo mais emocionante. Super recomendo para todos.
 Avaliação



>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO


Espera – Os lobos de Mercy Falls #02 – Maggie Stiefvater


Essa é a continuação de Calafrio e, portanto, pode haver alguns spoilers do primeiro livro aqui.
Quem acompanha minhas resenhas sabe que eu gosto de lobos e que gostei bastante do primeiro volume, mas não gostei de alguns detalhes, que vocês podem conferir na minha resenha. Mas claro que esses detalhes não atrapalharam minha leitura e estava com muita ansiedade para ler a continuação.
Depois de toda a reviravolta ocorrida no primeiro volume da série, e uma cura questionável da transformação lupina [já que não deu 100% certo em todos os casos], Sam acorda todos os dias com medo de que seu “sonho” vá acabar. Mas, vivendo essa agora realidade, Sam precisa pensar em seu futuro como homem, coisa que antes nunca havia parado para refletir.
Enquanto isso, Grace vive um segredo, que antes era um sonho e agora só está ali para atrapalhar sua felicidade. Ao mesmo tempo em que surge um novo personagem muito marcante, Cole, por quem Isabel se sente atraída.
Nesse livro há bastante reviravolta, e o foco de quem é o lobo muda totalmente, o que eu achei bem interessante porque não era isso que eu esperava quando terminei de ler o anterior.
Esse volume segue a mesma linha do primeiro, com partes de capítulos sendo alternadas pelos personagens Sam e Grace. Mas dessa vez há também as partes narradas por Isabel [a rainha do gelo que conhecemos no livro anterior] e Cole [um bad boy que pertencia a uma banda e agora faz parte da alcateia], muito importantes no desenvolvimento da história já que geraram novos questionamentos, alguns detalhes surgiram e, principalmente, trouxeram uma grande movimentação para a trama. Foi a mistura de todos esses elementos que fizeram a diferença para tornar esse um livro ainda melhor.
Eu gosto muito da experiência de o livro ser narrado por diferentes personagens porque acho muito interessante poder entender mais profundamente alguns pensamentos de cada um deles, que são tão diferentes entre si, mas que unidos transformam essa em uma ótima narrativa.
A história de amor entre Grace e Sam é fofa, apesar de serem bem diferentes entre si, eles se completam. E parece tão real [tirando o fato do lobo! Haha].
E em paralelo com o amor de Sam e Grace, há o de Isabel e Cole, bem distinto dos principais e com outro nível de intensidade. Gostei bastante desse novo casal também, a evolução dos dois personagens durante a leitura é quase palpável.
Mesmo sendo um livro sobrenatural, a autora baseia toda a trama nos seus personagens – que são muito bem construídos e cada um leva uma bagagem emocional dissemelhante do outro, mas com um grande grau de realidade – e nas relações interpessoais entre todos eles – principais ou secundários.
Os pais de Grace estão ainda piores do que em Calafrio. Nunca vou conseguir entender o modo de ser de pessoas como eles, e nem preciso dizer que não concordo com muitas de suas atitudes.
O final, apesar de deixar uma sensação de tristeza, me deixou com uma vontade louca de ler o próximo – e último – volume da série, que ainda não foi lançado no Brasil, mas que está próximo de seu lançamento que, como anunciado pela Agir, ocorre ainda esse semestre. Deixou um gancho surpreendente e muito bem formulado e desenvolvido. E as últimas linhas do livro são de fazer suspirar.
O ritmo de leitura ainda é lento, cansativo, não consegui ler tão rápido quanto alguns outros livros, mas talvez seja isso que nos faça ficar ainda mais ligados à história.
O que eu realmente não gosto nessa edição é que, além de a capa seguir uma linha totalmente diferente da primeira, ainda é bem menor. Não gosto quando isso acontece, principalmente na hora de colocar na estante. Mas apesar disso, essa é muito mais bonita do que a anterior em minha opinião.
Essa é uma história tocante, sobre amor e desafios que o mundo pode trazer, com um pano de fundo sobrenatural. Vale a pena ler. Não é dos meus preferidos, mas recomendo a leitura.
Avaliação



>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO


Super Lançamentos – 1º Semestre 2012


Oii gente! Como estão?
No post de hoje falamos de muitos livros que acabaram de ser lançados, alguns que estão próximos do lançamento e outros que são promessa para esse primeiro semestre e que já tem as capas relevadas, das editoras: Intrínseca, Galera Record, Grupo Editorial Record, Novo Conceito, Agir, Suma de Letras, Arqueiro e Pandorga. Em breve vamos falar das outras editoras, então fiquem de olho!
Para saber mais sobre cada livro, clique no título.
>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO
Quer encher mais sua wish list? Clique em Mais informações.


Divulgação - O circo da Noite de Erin Morgenstern


A queridíssima Intrínseca está lançando um livro que está sendo muito aclamado pelo público lá fora e que estamos muito ansiosas para ler: O circo da Noite de Erin Morgenstern.

O lançamento vai ocorrer no dia 05 de março. E já estamos fazendo contagem regressiva! Querem conhecer mais sobre esse incrível livro?

>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO



Divulgação “Depois do Primeiro Beijo”

Oii gente! Tudo bem com vocês? O post é para que vocês conheçam a sinopse do livro “Depois do Primeiro Beijo”, que tem uma capa linda e é um dos próximos lançamentos da Modo Editora. E ainda algumas informações que eles nos cederam sobre a obra e a autora Ana Carla Santos.


SINOPSE Por ser imatura, Juliana não consegue se relacionar com os garotos. Virou piada entre as amigas que passam os dias arquitetando planos para lhe arrumar um pretendente. Conhece o senhor Hélio, um velhinho bonachão, que no intuito de tranquilizá-la, conta algumas histórias que falam de amor, encontros e almas gêmeas. As belas histórias despertam em Juliana o desejo de mudar. Apesar do medo e da insegurança ela toma a decisão de dar o seu primeiro beijo. Com a ajuda de Bia e Duda, suas melhores amigas, ela parte em uma divertidíssima caçada ao garoto ideal com direito a uma lista de possíveis pretendentes, belos lugares, eventos e atrapalhados encontros. Uma trama que envolve as delícias e desventuras de um amor puro, forte e eterno.

>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO


Perdida - Carina Rissi

Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona; é independente e apesar de sempre negar, nunca se apaixonou de verdade. Mas tudo muda quando seu celular cai no vaso sanitário. Sem conseguir viver sem esse aparelho, compra um novo no dia seguinte pedindo para uma vendedora misteriosa todos os recursos possíveis. Quando vê, está perdida no século XIX sem ter ideia de como voltar para seu tempo. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa e recebe ajuda do prestativo Ian, com quem começa a sentir algo que nunca tinha experimentado antes. 

Livro e marcador
"Perdida” é um daqueles livros que me chamou atenção na mesma hora em que vi. Com uma capa maravilhosa (que você entenderá em certa cena) e uma sinopse que amei depois de perceber que a maior parte da narrativa se passava no século XIX (já devo avisar que sou fascinada quando os personagens são/estão em outra época), já estava com as expectativas lá no topo. E Ian Clarke? Ah, Ian! Cheguei a ficar suspirando alto por ele. Além de ser fisicamente maravilhoso, é atencioso, delicado, educado... E o melhor é que, se tratando de um homem de 1830, não achamos forçada sua perfeição e cavalheirismo –, que se perde em certas partes quentes que não é excluída mesmo com toda a etiqueta de dois séculos atrás. Sofia não é aquela mocinha chata e consegue dar humor ao livro, e, mesmo eu não tendo dado aquela gargalhada, é engraçada e descontrai bastante, como nesse quote:

“-Sim. Mostrei toda a casa. Há algo errado senhorita Sofia?
É claro que havia. Uma casa com uma dezena de salas e uma cozinha gigantesca, uma dúzia ou mais de quartos e só isso. Nada mais.
Oh, Deus, por favor! Permita que eles já existam, por favor!
-Senhorita? – Ian me lançou um olhar preocupado – Está se sentindo bem?
-Cadê os banheiros? – Perguntei em pânico.
-Banheiros?
Ah, Não!

Não! Não! Não!”
 

Autógrafo da Carina no meu livro e no marcador.
Esperava que citasse fatos do Brasil da época, como quem sabe D.Pedro ou algo do tipo, mas tive que me contentar apenas com a cultura diferenciada. Também achei que são narradas algumas coisas desnecessárias em certos momentos e, apesar de ter adorado Sofia, ela me irritou quando não admitia que gostava de Ian, era sempre muito lógica, pensando quando e que iria embora, evitando se envolver com Clarke, que a amava verdadeiramente. Mas tudo isso não me impediu de dar cinco casinhas para o livro incrível que “Perdida” é, não querer largá-lo um segundo sequer e ainda colocá-lo nos meus favoritos! Com um estilo meio chick-lit, Carina Rissi conseguiu criar príncipes e fadas no mundo real no qual vivemos e nos fez acreditar na magia. Ponto pros escritores nacionais!

Avaliação





>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO


Agradecimentos à Thaís, do Viaje na Leitura. Ganhei "Perdida" por uma promoção do blog dela e à Carina Rissi, sempre muito atenciosa, por autografar meu livro!


Divulgação - “Carmela e Lorenzo” + Promo 100 marcadores


Oii gente! Tudo bem com vocês? O post de hoje é pra apresentar a vocês o livro “Carmela e Lorenzo” e uma entrevista com o autor, de uma nova editora que está surgindo no mercado, a Modo Editora, que está chegando com diversos títulos nacionais super legais e que estamos ansiosas para ler!
E no final do post tem promoção!!
SINOPSE - Um amor floresceu na Itália Renascentista, contrariando os costumes de uma época em que casamentos aconteciam mediante acordos financeiros.  A jovem Carmela e o enigmático Lorenzo apaixonam-se de forma inesperada, dando inicio a uma conturbada história de amor entre tintas, obras de arte e sangue. Um romance cheio de mistérios, onde sentimentos se desenrolam em situações que desafiam o leitor a explorar os limites do amor exposto em cenários ricos em obras de arte, intrigas e violência. Após algumas revelações a cerca do segredo que norteia a vida de Lorenzo, poderá Carmela aceitá-lo como é, desafiando perigos e contrariando aos costumes patriarcais e suas próprias crenças?


Promoção Luluzinha Teen + Glorinha Fashion


Oii gente! Como vocês estão?
Hoje tem uma super novidade para vocês. E é uma coisa que todos adoram: PROMOÇÃO!
Vocês lembram quando falamos da Edição Especial Glorinha Fashion? Todo mundo adorou e ficou cheio de vontade de conferir a revista. Então os desejos foram realizados! ;}
Vamos fazer três sorteios de um kit, contendo em cada um:
- Edição Glorinha Fashion
- Edição 0 Luluzinha Teen (item de colecionador)
- Edição 33 Luluzinha Teen (a última publicada)
- Almanaque da Luluzinha e do Bolinha
- Aviso de porta personalizado Luluzinha Teen


Serão três promoções independentes, e você pode participar de uma, duas ou das três.
Quer conhecer as regras?


Colunistas do House of Chick + Caixinha do Correio


Oii Gente! Como estão? O post de hoje é bem especial para nós, do House of Chick, porque estamos apresentando a vocês as lindas que vão fazer parte da equipe de agora em diante.
Serão 10 meninas e adoramos os textos de todas elas, e temos certeza de que vocês também vão adorar! Cada uma fará um post mensal, que não vai ficar restrito apenas a resenhas, então se alguém tiver alguma sugestão pode falar diretamente com elas ou conosco.
Obrigada meninas por se interessarem em fazer parte da equipe do House of Chick. E mais uma vez, sejam muito bem-vindas!
Agora chega de falar e vamos conhecê-las?
 Amanda Faustino. Tenho 14 anos de idade, moro em São Paulo. Eu gosto de tudo um pouco, sou bem eclética. Com isso, leio todos (ou quase todos) os gêneros de livros. Além do meu amor por livros, tenho também um amor por séries de tv. Gosto bastante, mas ultimamente não estou acompanhando direito elas. Sou uma garota sonhadora, louca e realista (e acho que isso é um defeito certas horas).

Onde encontrá-la?  

 Angela Mayer. Apenas uma garota que gosta de passar as tardes com os amigos, e tem como hobbie passar horas na livraria se atualizando e escolhendo qual dos vinte livros que selecionou vai comprar. E sonha em encontrar seu St.Clair hahaha'.
Babih Hilla. Estudante de Direito, criadora do Blog RG, ama ouvir uma boa música e viajar por horas, seja mental ou fisicamente. Como ninguém é perfeito, a Babih Hilla possui um tremendo vício que a cada dia cresce mais e ela não se livra dele nem que seja paga para isso, pois o seu vício é o de ler! Não tem preconceitos, gosta de quase todos os gêneros literários. Adora escrever e discutir (saudavelmente) sobre obras polêmicas.
Onde encontrá-la?  
Claudia Guimarães. Uma estudante que adora twitter, chocolate e livros, principalmente. Ainda não decidiu que curso vai fazer na faculdade, mas é louca por biologia e história. É apaixonada por House MD, pela sua família e por seus – muitos – animais de estimação.
Onde encontrá-la?  
Danielle Demarchi. Futura Jornalista, sou apaixonada por livros e mangás. As séries Irmandade da Adaga Negra, Percy Jackson e os Olimpianos, Harry Potter e Os Instrumentos Mortais estão entre as minhas séries favoritas. Entre as séries de TV, sou fã de Supernatural e assisto The Big Bang Theory, Vampire Diaries, Dexter e Prison Break sempre que posso.
Onde encontrá-la?  
Desirée Soares. Estudante de Jornalismo, apaixonada por livros, séries e filmes. Ama a saga Harry Potter e seu ator protagonista. J.K. Rowling é sua diva na literatura. Também adora os livros e os filmes da Bridget Jones, assim como o Colin Firth.
Onde encontrá-la?  
Ingrid Santos. 14 anos (sou nova, eu sei ), estudante e leitora em tempo integral.Apaixonada por Taylor Swift e  Harry Potter, todos os tipos de livros e séries. Minha maior paixão é, com certeza, escrever. :)
Onde encontrá-la?  
Júlia Calasans. Adoro ler, escrever, rock e vermelho. Vivo sonhando acordada e apesar de parecer muito realista, sou uma romântica incorrigível e amiga muito leal. Sonho em lançar meu próprio livro e tenho muita curiosidade em conhecer meus autores favoritos pessoalmente, para perguntar à eles como conseguem nos tocar profundamente com simples palavras.

Onde encontrá-la?  
Larissa Luersen. Colecionadora de sonhos, amante dos animais, aficionada por quadrinhos, leitora irrecuperável, Beatle-Lady, aprendiz de cinéfila e perdidamente apaixonada por desenhar, atuar, cantar, entre outras artes.
Onde encontrá-la?  
Salma Assumpção. Mora em Minas Gerais e é cruzeirense apaixonada. Eclética, mas BrunoMarsníaca. Assiste a tantas séries que alguns desconfiam que não dorme e preserva até hoje um amor incondicional pela Turma da Mônica. Além de livros, também adora HQ's e todo universo nerd.
Onde encontrá-la?  
TwitterSkoobOrangotagFilmow Blog Across my Universe

Excepcionalmente nesse post, vou colocar a Caixinha do Correio da querida colunista, Amanda Faustino. Ficou bem legal, assistam! ;}
 
>> Esse post está participando do Top Comentaristas Nº 01 - FORMULÁRIO